Banca de DEFESA: EMERSON CAMPOS BARBOSA JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EMERSON CAMPOS BARBOSA JUNIOR
DATA : 27/01/2020
HORA: 08:00
LOCAL: Instituto de Biologia
TÍTULO:

Efeito da plasticidade comportamental na resiliência de ambientes que sofreram distúrbios antropogênicos


PALAVRAS-CHAVES:

Ecologia Comportamental; Etologia; HIREC; Plasticidade Fenotípica; Perturbação


PÁGINAS: 28
RESUMO:

As mudanças ambientais causadas por seres humanos tem afetado negativamente a biodiversidade. Frente as estas, ser plástico pode aumentar o fitness médio populacional, dando mais persistência as populações. Com base nisso, entender como a plasticidade comportamental influência na resiliência de ambientes é importante para previsões e generalizações sobre paisagens afetadas por distúrbios. Neste trabalho, verificamos: (a) o efeito da plasticidade comportamental dos indivíduos na resiliência da comunidade em contexto de distúrbio (fragmentação através da perda de habitat) causado por seres humanos; e (b) o efeito da plasticidade comportamental dos indivíduos no número de estados ecológicos após distúrbios de diferentes intensidades. Além disso, verificamos diferenças na resiliência entre: o custo da plasticidade e o grau e a fractalidade (pequenas e grandes fazendas) do distúrbio. Para isso, utilizamo-nos de modelagem baseada em indivíduos (ABM), através do software NetLogo. Elaboramos um modelo com 10 espécies e 3 níveis tróficos. Os animais tiveram plasticidade ativacional na dispersão (tamanho máximo do salto para fugir) com um custo energético associado. Utilizamos a ANOVA multifatorial para observar diferenças na resiliência – esta representada pela distância de Shannon (valor de Shannon pré-distúrbio diminuído pelo valor pós-distúrbio – valores retirados pós-estabilização). Encontramos: (a) que ter plasticidade é melhor que não ter; (b) que em contextos de grandes distúrbios o aumento da plasticidade comportamental aumenta a resiliência do sistema; (c) um estado pré-disturbio e outro pós; e (d) maior resiliência em contextos de maior fractalidade e menor grau no distúrbio (não houve diferença no custo). Em contextos de maior plasticidade ambientes disturbados talvez possam ter seus pontos de declive alterados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1679716 - HILTON FERREIRA JAPYASSU
Interno - 3054284 - PAVEL DODONOV
Externo ao Programa - 1350143 - JOSE GARCIA VIVAS MIRANDA
Notícia cadastrada em: 24/01/2020 13:23
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA