Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFBA

2022
Dissertações
1
  • GABRIELA FREITAS SILVA BITENCOURT
  •  

    Impacto do exercício físico sobre as alterações inflamatórias, apoptóticas e o status redox em ratas com diabetes mellitus tipo 1.

  • Orientador : TELMA DE JESUS SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LILIANY SOUZA DE BRITO AMARAL
  • SAMIRA ITANA DE SOUZA
  • TELMA DE JESUS SOARES
  • Data: 15/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • A nefropatia diabética está frequentemente associada ao aumento do estresse oxidativo pela geração de espécies reativas de oxigênio (ERO), as quais podem provocar uma sequência de respostas pró-inflamatórias, pró-apotóticas e disfunção endotelial nos rins. Novas estratégias terapêuticas são necessárias para atenuar e/ou prevenir a progressão da nefropatia diabética. Diante disso, este estudo avaliou o impacto de dois protocolos de exercício nas alterações oxidativas, inflamatórias e apoptóticas induzidas pelo diabetes mellitus tipo 1 (DM1) no tecido renal de ratas. Para tal, 30 ratas Wistar foram utilizadas e divididas em 5 grupos: CS - ratas controle sedentárias (n=6), CT – ratas controle treinadas (n=6), DS – ratas diabéticas sedentárias (n=6), DT – ratas diabéticas treinadas (n=6) e DPT – ratas diabéticas previamente treinadas (n=6). Apenas o grupo DPT foi submetido a quatro semanas de exercício antes da indução do diabetes. Em seguida, o DM1 foi induzido nos grupos DS, DT e DPT com estreptozotocina (40mg/kg, iv), e os grupos DPT e DT foram submetidos a 8 semanas de exercício. O grupo CT também foi submetido a 8 semanas de exercício após administração de citrato (0,1 M, iv). O tecido renal foi removido e destinado aos estudos de estresse oxidativo, imuno-histoquímica, ELISA e Western blot. Os nossos dados mostram que o exercício físico reduziu os níveis de TBARS e aumentou a atividade da superóxido dismutase no tecido renal de ratas submetidas ao treinamento físico. Contudo, somente o exercício prévio aumentou a atividade da enzima glutationa peroxidase. Além disso, o exercício reduziu a caspase-3, o p-p38 e a expressão de macrófagos M1 e aumentou a expressão de macrófagos M2 e Bcl-2, bem como os níveis IL-10 no tecido renal. Somente o exercício iniciado antes da indução do diabetes reduziu os níveis de TNF-alfa no grupo DPT. Em conclusão, nossos dados demonstram que o exercício físico de intensidade moderada melhorou o status redox, a inflamação e apoptose. Contudo, o exercício iniciado previamente a indução do diabetes promoveu efeitos adicionais por aumentar a atividade da glutationa peroxidase e reduzir os níveis de TNF-alfa no tecido renal das ratas Wistar


  • Mostrar Abstract
  • Diabetic nephropathy is often associated with increased oxidative stress by the generation of reactive oxygen species (ROS), which can provoke a sequence of pro-inflammatory, pro-apototic responses and endothelial dysfunction in the kidneys. New therapeutic strategies are needed to attenuate and/or prevent the progression of diabetic nephropathy. Therefore, this study evaluated the impact of two exercise protocols on oxidative, inflammatory and apoptotic changes induced by type 1 diabetes mellitus (DM1) in the renal tissue of female rats. For this, 30 female Wistar rats were used and divided into 5 groups: SC - sedentary control rats (n=6), TC - trained control rats (n=6), SD - sedentary diabetic rats (n=6), TD - rats trained diabetic rats (n=6) and PTD – previously trained diabetic rats (n=6). Only the PTD group was submitted to four weeks of exercise before the induction of diabetes. Then, DM1 was induced in the SD, TD and PTD groups with streptozotocin (40mg/kg, iv), and the PTD and TD groups underwent 8 weeks of exercise. The TC group also was submitted 8 weeks of exercise after administration of citrate (0.1 M, iv). Kidney tissue was removed for oxidative stress, immunohistochemistry, ELISA and Western blot studies. Our data show that exercise training reduced TBARS levels and increased superoxide dismutase activity in the renal tissue of rats of the TD and PTD groups. However, only previous exercise increased the activity of the enzyme glutathione peroxidase in the PTD group. Furthermore, exercise reduced the expression of caspase-3, p-p38 and M1 macrophages and increased M2 macrophages and Bcl-2, as well as IL-10 levels in kidney tissue of the TD and PTD groups. Only exercise initiated before diabetes induction reduced TNF-alpha levels in the DPT group. In conclusion, our data demonstrate that moderate intensity aerobic exercise improved redox status, inflammation and apoptosis. However, exercise initiated prior to the induction of diabetes promoted additional effects by increasing glutathione peroxidase activity and reducing TNF-alpha levels in the kidney tissue of female Wistar rats.

Teses
1
  • GRAZIELLE PRATES LOURENCO DOS SANTOS BITTENCOURT
  • EFEITOS DAS DIETAS HIPERLIPÍDICAS COM ÓLEOS DE COCO OU DE LINHAÇA RESTRITAS EM CARBOIDRATOS E DO EXERCÍCIO SOBRE PARÂMETROS METABÓLICOS E HEPÁTICOS EM RATOS OBESOS

  • Orientador : AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • MATHEUS LOPES CORTES
  • RAILDO DA SILVA COQUEIRO
  • RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • Data: 01/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar os efeitos das dietas hiperlipídicas com óleos de coco ou de linhaça restritas em carboidratos ou do exercício de moderada intensidade sobre parâmetros metabólicos e hepáticos em ratos obesos. Métodos: Foram utilizados 54 ratos machos Wistar que inicialmente receberam as dietas controle (n=6) ou hipercalórica (n=48) para indução da obesidade por 8 semanas. Após este período, os animais do grupo controle (n=6) e parte do grupo hipercalórica (n=6) foram eutanasiados e os demais foram subdivididos em seis grupos, com diferentes dietas e submetidos ou não ao exercício físico de moderada intensidade por 12 semanas: hipercalórica e sedentários (n=7); hipercalórica e exercitados (n=7); hiperlipídica com óleo de coco restrita em
    carboidratos e sedentários (n=7); hiperlipídica com óleo de coco restrita em carboidratos e exercitados (n=7), hiperlipídica com óleo de linhaça restrita em carboidratos e sedentários (n=7) e hiperlipídica com óleo de linhaça restrita em carboidratos e exercitados (n=7). Avaliou-se parâmetros dietéticos, cardiovasculares e de composição corporal, o perfil lipídico e inflamatório plasmático, a homeostase glicêmica, a resistência e sensibilidade à insulina. Além disso, avaliou-se o desenvolvimento de esteatose, inflamação, fibrose e
    estresse oxidativo no fígado. Resultados: O modelo experimental de obesidade induzida por dieta foi validado. A dieta hiperlipídica com óleo de coco restrita em carboidratos reduziu o consumo alimentar e calórico, mas
    aumentou a adiposidade corporal, os níveis pressóricos, glicêmicos e insulínicos, reduziu os níveis de IL-10, aumentou o colesterol no fígado, promoveu deposição macrovesicular de gordura inflamação, fibrose e estresse
    oxidativo no tecido hepático. A dieta hiperlipídica com óleo de linhaça restrita em carboidratos, embora tenha aumentado a ingestão calórica, não aumentou a massa e a adiposidade corporal, melhorou o perfil lipídico, reduziu os níveis de IL6 e IL-10, o estresse oxidativo e a deposição de macro e microvesículas
    de gordura no fígado, no entanto, promoveu inflamação hepática e hiperglicemia. O exercício promoveu efeitos benéficos sobre a maioria dos parâmetros metabólicos e hepáticos. Conclusão: O consumo da dieta hiperlipídica com óleo de coco restrita em carboidratos impactou negativamente a adiposidade corporal e os perfis metabólicos e inflamatórios sistêmico e hepático, enquanto que o consumo da dieta hiperlipídica com óleo de linhaça restrita em carboidratos e o exercício promoveram efeitos benéficos sobre a maioria dos parâmetros metabólicos e hepáticos analisados. Desta forma, sugere-se cautela na utilização destas dietas, mesmo quando associadas ao exercício, reforçando a necessidade da realização de mais estudos para determinar as recomendações seguras de inclusão desses óleos na dieta.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: To evaluate the effects of high-fat diets with coconut or linseed oil carbohydrate-restricted and moderate-intensity exercise on metabolic and hepatic parameters in obese rats. Methods: Fifty-four male Wistar rats were used and initially received a control (n=6) or hypercaloric (n=48) diet for 8 weeks to induce obesity. After this period, the animals of the control group (n=6) and part of the hypercaloric group (n=6) were euthanized and the others were subdivided into six groups, with different diets and submitted or not to moderate-intensity physical exercise for 12 weeks: hypercaloric and sedentary (n=7); hypercaloric and exercised (n=7); high-fat diet with coconut oil carbohydrate-restricted and sedentary (n=7); high-fat diet with coconut oil carbohydrate-restricted and exercised (n=7), high-fat diet with linseed oil
    carbohydrate-restricted and sedentary (n=7) and high-fat diet with linseed oil carbohydrate-restricted and exercised (n=7). Dietary, cardiovascular, and body composition parameters were evaluated, as well as lipid and plasma inflammatory profile, glycemic homeostasis, insulin resistance and sensitivity. In addition, the development of steatosis, inflammation, fibrosis, and oxidative stress in liver were evaluated. Results: The experimental model of diet-induced obesity was validated. The high-fat diet with coconut oil carbohydrate-restricted reduced food and caloric intake, but increased body adiposity, blood pressure, glucose and insulin levels, reduced IL-10 levels, increased liver cholesterol, promoted macrovesicular fat deposition, inflammation, fibrosis and oxidative stress in liver tissue. The high-fat diet with linseed oil carbohydrate-restricted, although it increased caloric intake, did not increase body mass and adiposity, improved lipid profile, reduced IL6 and IL-10 levels, oxidative stress and the deposition of macro and microvesicles of fat in the liver, however, promoted hepatic inflammation and hyperglycemia. Exercise enabled beneficial effects on most of the metabolic and hepatic parameters analyzed. Conclusion: Consumption of the high-fat diet with coconut oil carbohydrate-restricted
    negatively impacted body adiposity and systemic and hepatic metabolic and inflammatory profiles, while consumption of the high-fat diet with linseed oil carbohydrate-restricted and exercise had beneficial effects on most of the metabolic and hepatic parameters analyzed. Thus, caution is suggested in the use of these diets, even when associated with exercise, reinforcing the need for further studies to determine safety recommendations for including these oils in the diet.

2
  • LAIS FERRAZ BRITO SOUSA
  • Avaliação das atividades biológicas da associação de β-cariofileno e ácido docosahexanóico em modelos experimentais in vitro e in vivo

  • Orientador : LUCAS MIRANDA MARQUES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DAIANA SILVA LOPES
  • FABRICIO FREIRE DE MELO
  • HELLEN BRAGA MARTINS OLIVEIRA
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • REGIANE YATSUDA
  • Data: 12/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Inflamação é uma resposta biológica complexa que envolve os sistemas imune, autonômico, vascular e somatossensorial, que cursa com a síntese de mediadores inflamatórios e indução de dor por ativação de nociceptores. Uma das causas mais comuns e impactantes de inflamação na saúde pública é a infecção por Staphylococcus aureus, principal causa de bacteremia, com piores desfechos clínicos hospitalares. Substâncias antioxidantes têm sido avaliadas quanto nesse contexto como alternativa terapêutica analgésica, antioxidante, anti-inflamatória, antitumoral e bactericida. Dentre elas, destacam-se os óleos essenciais de plantas aromáticas, como o β-cariofileno (BCP), e os ácidos graxos poli-insaturados, como o Ácido Docosahexanóico (DHA). Objetivo: Avaliar as atividades biológicas da associação BCP-DHA em modelos experimentais in vitro e in vivo de antinocicepção e inflamação. Materiais e métodos: Para tanto, os efeitos antinociceptivos foram avaliados em modelos animais através dos testes de contorção abdominal induzida por ácido acético, do edema de pata induzido por injeção intraplantar de formalina e da hipernocicepção de VonFrey. Para determinar os efeitos anti-inflamatórios, monócitos isolados do sangue periférico de homens adultos voluntários foram infectados com Staphylococcus aureus resistente à meticilina e incubados com tratamento, para posterior dosagem de citocinas e análise da expressão gênica. A capacidade antioxidante foi avaliada pelo método DPPH. Foi realizado o ensaio MTT para determinar a viabilidade celular das linhagens pulmonares A549 e BEAS frente ao tratamento com BCP-DHA e, em seguida, foram feitos os testes de adesão e migração com as doses das associações determinadas no teste anterior. Resultados: Efeitos antinociceptivos foram observados nos três modelos realizados ao comparar os grupos controle (salina) e tratados com BCP-DHA, obtendo significância estatística (p < 0,05) no teste de contorções abdominais induzidas por ácido acético, na avaliação dos flintches e lambidas de pata no modelo de injeção intraplantar de formalina e na hipernocicepção do teste de Von Frey. Houve redução significativa dos níveis de GM-CSF, TNFα, IL-1, IL-6 e IL-12, bem como aumento de IL-10 nos grupos submetidos ao tratamento com a associação BCP-DHA, assim como regulação negativa da expressão dos genes envolvidos na cascata de sinalização inflamatória intracelular (IL-2, IL-6, IRF7, NLRP3 e TYK2) em todos os grupos que receberam o tratamento, independente da presença de infecção. No teste do DPPH apenas o BCP apresentou sequestro significativo de radicais livre, com EC 50 = 2,82 ± 0,06 M. Houve atividade citotóxica significativa das 2 combinações de BCP-DHA testadas sobre linhagem tumoral A549, bem como importante inibição dos processos de adesão e migração celular. Observou-se subexpressão de genes envolvidos no ciclo celular, no reparo do DNA, da excisão de nucleotídeos, de bases mal pareadas e pós replicação, na manutenção de telômeros, oncogenes e supressores tumorais. Diante disso, nossos resultados sugerem fortemente que a associação de BCP-DHA surge como uma possível nova alternativa terapêutica com efeitos analgésico, anti-inflamatório, antiangiogênico, pró-apoptótico e antiproliferativo.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Inflammation is a complex biological response involving the immune, autonomic, vascular and somatosensory systems, which involves the synthesis of inflammatory mediators and pain induction by activating nociceptors. One of the most common and impacting causes of inflammation in public health is infection by Staphylococcus aureus, the main cause of bacteremia, with worse in-hospital clinical outcomes. Antioxidant substances have been evaluated in this context as an analgesic, antioxidant, anti-inflammatory, antitumor, and bactericidal therapeutic alternatives. Among them, the essential oils of aromatic plants, such as β-caryophyllene (BCP), and polyunsaturated fatty acids, such as Docosahexaenoic acid (DHA) stand out. Objective: To evaluate the biological activities of the BCP-DHA association in vitro and in vivo experimental models of antinociception and inflammation. Materials and methods: For that, the antinociceptive effects were evaluated in animal models through tests of abdominal writhing induced by acetic acid, paw edema induced by intraplantar injection of formalin, and VonFrey hypernociception. To determine the anti-inflammatory effects, monocytes isolated from peripheral blood of adult male volunteers were infected with methicillin-resistant Staphylococcus aureus and incubated with treatment for subsequent cytokine measurement and gene expression analysis. The antioxidant capacity was evaluated by the DPPH method. The MTT assay was performed to determine the cell viability of the A549 and BEAS lung lines against treatment with BCP-DHA and then, adhesion and migration tests were performed with the doses of the associations determined in the previous test. Results: Antinociceptive effects were observed in the three models performed when comparing the control (saline) and BCP-DHA treated groups, obtaining statistical significance (p < 0.05) in the test of abdominal writhing induced by acetic acid, in the evaluation of flinches and Paw licking in the intraplantar formalin injection model and in Von Frey test hypernociception. There was a significant reduction in the levels of GM-CSF, TNFα, IL-1, IL-6, and IL-12, as well as an increase in IL-10 in the groups submitted to treatment with the BCP-DHA association, as well as negative regulation of the expression of genes involved in the intracellular inflammatory signaling cascade (IL-2, IL-6, IRF7, NLRP3, and TYK2) in all groups that received treatment, regardless of the presence of infection. In the DPPH test, only BCP showed significant scavenging of free radicals, with EC 50 = 2.82 ± 0.06 M. There was the significant cytotoxic activity of the 2 combinations of BCP-DHA tested on the A549 tumor cell line, as well as important inhibition of cell adhesion and migration. There was underexpression of genes involved in the cell cycle, DNA repair, nucleotide excision, mismatched bases and post replication, and maintenance of telomeres, oncogenes, and tumor suppressors. Therefore, our results strongly suggest that the association of BCP-DHA emerges as a possible new therapeutic alternative with analgesic, anti-inflammatory, antiangiogenic, pro-apoptotic, and antiproliferative effects.

2021
Dissertações
1
  • CAROLINE VIEIRA GONÇALVES
  • INFLAMMAGING E TECIDO ADIPOSO: NOVOS OLHARES EM HOMENS IDOSOS DIABÉTICOS E HIPERTENSOS

  • Orientador : ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DENISAR PALMITO DOS SANTOS
  • LILIANY SOUZA DE BRITO AMARAL
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • Data: 11/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO/OBJETIVO: A combinação de crescentes riscos metabólicos e envelhecimento da população, provavelmente, continuará a impulsionar as tendências crescentes de Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) em nível global. Devido à alta mortalidade na população idosa, a hipertensão arterial sistêmica (HAS) e o diabetes mellitus tipo 2 (DM2) são DNCT de grande relevância. Essas doenças, apesar dos diferentes órgãos e sistemas envolvidos, têm um fator de risco comum: em geral, inflamação clinicamente silenciosa de baixo grau. Esta inflamação tem como fator preponderante o excesso de tecido adiposo. Nesse sentido, este trabalho teve como finalidade o estudo ampliado de marcadores antropométricos, bioquímicos e inflamatórios de homens idosos com HAS e DM2. MÉTODOS: O estudo envolveu a avaliação de 49 homens com idades entre 60-80 anos, portadores de HAS e DM2. Os grupos foram divididos de acordo com o IMC, em idosos com eutrofia (IE, n= 24) ou idosos com sobrepeso (IS, n= 25). Dados antropométricos foram coletados com a análise de bioimpedância, enquanto os dados inflamatórios e bioquímicos foram realizados a partir da coleta sanguínea. Os soros obtidos foram avaliados por ensaios enzimáticos. RESULTADOS: Apesar da maioria dos idosos realizarem tratamento medicamentoso para diabetes e hipertensão, eles não tinham os níveis glicêmico e pressórico controlados. Idosos com sobrepeso apresentaram maior índice glicêmico (p=0,0201). Todos os dados antropométricos analisados apresentaram diferenças estatísticas significativas, quando comparados entres os grupos. Houve aumento da maioria dos marcadores antropométricos em idosos com sobrepeso. Em contrapartida, nesse mesmo grupo, houve diminuição nos valores de massa magra (p<0,0001), massa óssea (p<0,0001), água (p<0,0001) e metabolismo basal (p=0,001). Idosos com excesso de peso apresentaram maiores médias para todas as citocinas inflamatórias analisadas. Estas incluem IL-17A (p=0,0154), IL-1β (p=0,0376), INF-y (p=0,0442) e TNF-α (p=0,0064). Em contrapartida, houve diminuição da citocina anti-inflamatória IL-10 (p=0,0367) em idosos com sobrepeso. Além disso, observamos o aumento da relação IL-10/IL-17A em idosos com eutrofia em relação aos idosos com sobrepeso. Os padrões de correlações paras as variáveis bioquímicas, inflamatórias e de composição corporal são distintas entre os grupos. Em um contexto amplo, as correlações são mais intensas em idosos com eutrofia, principalmente no que concerne as variáveis inflamatórias e a variável de massa gorda. CONCLUSÃO: Apesar dos idosos com sobrepeso terem uma exacerbação dos parâmetros inflamatórios, vimos que a intensidade de suas correlações com os parâmetros antropométricos e bioquímicos se torna menos evidente. Além disso, constatamos que o padrão de influência dessas citocinas é bem distinto em relação a composição corporal.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION/OBJECTIVE: The combination of increasing metabolic risks and an aging population will likely continue to drive the growing trends in Chronic Non-Communicable Diseases (NCDs) globally. Systemic arterial hypertension (SAH) and type 2 diabetes mellitus (DM2) are highly relevant NCDs due to the high mortality in the elderly population. Despite the different organs and systems involved has a common risk factor: clinically inflammation silence low-grade. This inflammation has as its principal factor the excess of adipose tissue. In this sense, this work aimed at the expanded study of anthropometric, biochemical, and inflammatory markers of elderly with SAH and DM2. METHODS: The study involved the evaluation of 49 men aged 60-80 years with SAH and DM2. The divided groups according to BMI into eutrophic elderly (EE, n = 24) or overweight elderly (OE, n = 25). Bioimpedance analysis was used to collect anthropometric data. Blood collection was performed to analyze inflammatory and biochemical data. The serum obtained was evaluated by enzymatic assays. RESULTS: Although most of the elderly undergo drug treatment for diabetes and hypertension, they did not have their blood glucose and blood pressure levels controlled. Overweight elderly had a higher glycemic index (p = 0.0201). All the anthropometric data analyzed showed statistically significant differences when compared between groups. There was an increase in most anthropometric markers in overweight elderly. In contrast, in this same group, there was a decrease in the values of lean mass (p <0.0001), bone mass (p <0.0001), water (p <0.0001) and basal metabolism (p = 0.001). Overweight elderly had higher averages for all analyzed inflammatory cytokines. These include: IL-17A (p = 0.0154), IL-1β (p = 0.0376), INF-y (p = 0.0442) and TNF-α (p = 0.0064). In contrast, there was a decrease in the anti-inflammatory cytokine IL-10 (p = 0.0367) in overweight elderly. Also, we observed an increase in the IL-10/IL-17A ratio in eutrophic elderly about overweight elderly. The correlation patterns for biochemical, inflammatory, and body composition variables are different between groups. The correlations are more intense in the eutrophic elderly, especially concerning inflammatory variables and the fat mass variable. CONCLUSION: Although the overweight elderly has an increase in inflammatory parameters, the intensity of their correlations with anthropometric and biochemical parameters are less evident. Also, we found that the pattern of influence of these cytokines is quite different about body composition.

Teses
1
  • RAFAELA DE SOUZA BITTENCOURT
  • Avaliação da influência do estradiol sobre mecanismos da resposta imunológica em monócitos/macrófagos induzidos por Gardnerella vaginalis

  • Orientador : LUCAS MIRANDA MARQUES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLARISSA LEAL SILVA E SOUZA
  • FABRICIO FREIRE DE MELO
  • LILIANY SOUZA DE BRITO AMARAL
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • TELMA DE JESUS SOARES
  • Data: 16/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Gardnerella vaginalis é uma bactéria comensal da microbiota vaginal e o principal agente da vaginose bacteriana (VB), uma infecção vaginal estabelecida devido ao desequilíbrio nesse ecossistema. A patogênese da vaginose bacteriana não está bem estabelecida, no entanto é considerada a principal desordem vaginal que acomete mulheres em idade reprodutiva o que pode hipotetizar a influência dos hormônios sexuais femininos em sua patogênese. Objetivo: Avaliar a influência do 17β-estradiol (E2) na resposta imunológica induzida por Gardnerella vaginalis em modelos in vitro de macrófagos peritoneais murinos (MPMs) fêmeas e monócitos humanos do sangue periférico (hPMs) de mulheres, com ou sem atividade ovariana fisiológica. Metodologia: Realizado experimentos in vivo e in vitro. Para os experimentos in vivo nos animais, foram realizados: peso corporal, índice uterino e dosagem de estradiol e em humanos, foram realizados exames laboratoriais como hemograma, bioquímicos e hormonais. Para os experimentos in vitro os macrófagos peritoneais de fêmeas BALB/C cirurgia simulada (SHAM) ou ovariectomizadas (OVX) e os monócitos humanos do sangue periférico (hPMs) de mulheres em período fértil e menopausa foram subdivididos em três grupos: células inoculadas com G. vaginalis, células com salina estéril, ambas por 6 horas, e células pré-tratadas com 17β-Estradiol (E2), por 6 horas, e inoculadas com G. vaginalis, também por 6 horas. Marcadores inflamatórios como: citocinas GM-CSF, IL-1β, TNF-α, IL-6, IL-12, IL-23, IL-27 e IL-10, nitritos totais, peróxido de hidrogênio (H2O2), foram mensurados em sobrenadante de cultura e a expressão dos genes TLR-2, NF-kB e ERα e ERβ Além disso, uma curva de crescimento foi realizada em dois grupos. O grupo um, apenas com G. vaginalis e o grupo dois, G. vaginalis com 17β-estradiol, durante um período de 24 horas. Resultados: Para a análise da curva de crescimento, pode ser constatada a atividade inibitória do E2 sobre a G. vaginalis. Para os experimentos em animais: In vivo, fêmeas SHAMs apresentaram maior peso uterino e maior concentração de estradiol, enquanto fêmeas OVX apresentaram maior peso corporal. In vitro, a concentração das citocinas, IL-6, IL-8, IL-10 e os marcadores inflamatórios, nitritos totais e o peróxido de hidrogênio (H2O2), apresentaram níveis elevados em MPMs de fêmeas SHAM e OVX inoculadas com G. vaginalis quando comparados com salina estéril. Ao tratamento com E2, os MPMs das fêmeas OVX apresentaram maiores níveis de IL-10 e peróxido de hidrogênio quando com parados com OVX sem tratamento. Entretanto, apenas o peróxido de hidrogênio se equiparou aos MPMs das fêmeas SHAM. Para as expressões gênicas de TLR-2, NF-kB e ERα e ERβ resultado similar foi observado nos modelos SHAM e OVX entre infectados e salina estéril. As comparações entre as células infectadas dos modelos SHAM, OVX e OVX tratados com E2 também apresentaram maiores níveis de citocinas e marcadores inflamatórios e expressões gênicas para células do modelo SHAM, com exceção apenas para expressão do ERβ. Para os experimentos em humanos: In vivo, todos os sujeitos de pesquisa selecionados estavam saudáveis, porém foi observado maior concentração de glicose, colesterol total, LDL e TGP nas mulheres na fase de menopausa e maior concentração de leucócitos nas mulheres em período fértil. Para a dosagem sérica dos hormônios sexuais foi observado que mulheres em período fértil apresentaram maiores concentrações de 17β-estradiol e progesterona, enquanto as mulheres na menopausa, concentrações elevadas dos hormônios folículo estimulante (FSH) e luteinizante (LH). In vitro, os hPMs infectados com G. vaginalis de mulheres no período reprodutivo e na menopausa apresentaram maiores níveis de nitritos totais, H2O2 e citocinas quando comparado com salina. Entretanto, os hPMs infectados de mulheres na menopausa apresentaram maiores níveis de H2O2 em comparação com hPMs de mulheres no período reprodutivo. Em se tratando das citocinas as células tratadas com E2 não se equipararam às com E2 endógeno, exceto IL-10. Conclusão: Aos experimentos em animais e humanos, em relação à influência do E2 na resposta inflamatória aguda ao desafio, in vitro, por G. vaginalis, observa-se que o hormônio apresenta característica imunomodulatória, mas não podendo ser, exclusivamente, definida como pró ou antiinflamatória. Neste estudo, para o E2 endógeno, todas as citocinas, marcadores inflamatórios e expressões gênicas apresentaram maiores níveis, tanto em MPMs quanto para hPMs. Ao tratamento com E2, os MPMs de fêmeas OVX e hPMS de mulheres na menopausa apresentaram similaridade de resposta para os níveis de IL-10 em relação as células com E2 endógeno, indicando uma ação anti-inflamatória. Porém, os genes de reconhecimento e desencadeamento de inflamação aguda também apresentaram similaridade entre MPMs tratadas com E2 em relação às células com E2 exógeno. Influências fisiológicas, como a progesterona endógena, podem contribuir para que células apresentem características de resposta inflamatória aguda, e o tratamento de células, exclusivamente com E2, não tenha resultado em uma equiparação de resposta de células com hormônios sexuais endógenos. Entretanto, o E2 apresentou característica bacteriostática em relação a proliferação G. vaginalis, podendo este hormônio modular fatores de virulência deste microrganismo, assim, contribuindo para uma ausente ou discreta resposta imunológicas no curso da vaginose bacteriana.


  • Mostrar Abstract
  • Gardnerella vaginalis is a commensal bacterium of the vaginal microbiota and the main agent of bacterial vaginosis (BV), a vaginal infection established due to an imbalance in this ecosystem. The pathogenesis of bacterial vaginosis is not well established; however, it is considered the main vaginal disorder that affects women of reproductive age, which may hypothesize the influence of female sex hormones in its pathogenesis. Objective: To evaluate the influence of 17β-estradiol (E2) on the immune response induced by Gardnerella vaginalis in in vitro models of female murine peritoneal macrophages (MPMs) and human peripheral blood monocytes (hPMs) from women, with or without physiological ovarian activity. Methodology: in vivo and in vitro experiments were carried out. For the in vivo experiments in animals, the following were performed: body weight, uterine index and estradiol dosage; and in humans, laboratory tests such as blood count, biochemical and hormonal tests were performed. For the in vitro experiments, peritoneal macrophages from BALB/C sham surgery (SHAM) or ovariectomized (OVX) females and human peripheral blood monocytes (hPMs) from fertile and menopausal women were subdivided into three groups: cells inoculated with G. vaginalis, cells with sterile saline, both for 6 hours, and cells pretreated with 17β-Estradiol (E2), for 6 hours, and inoculated with G. vaginalis, also for 6 hours. Inflammatory markers such as: cytokines GM-CSF, IL-1β, TNFα, IL-6, IL-12, IL-23, IL-27 and IL-10, total nitrites, hydrogen peroxide (H2O2), were measured in culture supernatant, and the expression of TLR-2, NF-kB and ERα and ERβ genes. In addition, a growth curve was performed in two groups. Group one, with only G. vaginalis and group two, G. vaginalis with 17β-estradiol, for a period of 24 hours. Results: For the analysis of the growth curve, the inhibitory activity of E2 on G. vaginalis can be verified. For animal experiments: In vivo, SHAM females had higher uterine weight and higher estradiol concentration, while OVX females had higher body weight. In vitro, the concentration of cytokines, IL-6, IL-8, IL-10 and inflammatory markers, total nitrites and (H2O2), showed high levels in MPMs of SHAM and OVX females inoculated with G. vaginalis when compared to G. vaginalis with sterile saline. When treated with E2, the MPMs of OVX females showed higher levels of IL-10 and hydrogen peroxide, when compared to untreated OVX. However, only the hydrogen peroxide matched the MPMs of the SHAM females. Similar results were observed for gene expressions of TLR-2, NF-kB and ERα and ERβ in the SHAM and OVX models between infected and sterile saline. Comparisons between infected cells from the SHAM, OVX and OVX treated with E2 models also showed higher levels of cytokines and inflammatory markers and gene expressions for cells from the SHAM model, with the exception only for the expression of ERβ. For the human experiments: In vivo, all selected research subjects were healthy, but a higher concentration of glucose, total cholesterol, LDL and TGP was observed in menopausal women and a higher concentration of leukocytes in women in their fertile period. For the serum dosage of sex hormones, it was observed that women in the fertile period had higher concentrations of 17β-estradiol and progesterone, while women in menopause had high concentrations of follicle-stimulating (FSH) and luteinizing (LH) hormones. In vitro, hPMs infected with G. vaginalis from women in the reproductive period and menopause showed higher levels of total nitrites, H2O2 and cytokines when compared to saline. However, infected hPMs from menopausal women had higher levels of H2O2 compared to hPMs from women in the reproductive period. With regard to cytokines, cells treated with E2 did not match those with endogenous E2, except for IL-10. Conclusion: In animal and human experiments, in relation to the influence of E2 on the acute inflammatory response to G. vaginalis, it is observed that the hormone has an immunomodulatory characteristic, but it cannot be exclusively defined as pro or anti-inflammatory. In this study, for endogenous E2, all cytokines, inflammatory markers and gene expressions showed higher levels, both in MPMs and hPMs. When treated with E2, MPMs from OVX females and hPMS from menopausal women showed similar response for IL-10 levels in relation to cells with endogenous E2, indicating an anti-inflammatory action. However, acute inflammation recognition and triggering genes also showed similarity between MPMs treated with E2 and cells with exogenous E2. Physiological influences, such as endogenous progesterone, may contribute for cells to present characteristics of an acute inflammatory response, and the treatment of cells, exclusively with E2, has not resulted in an equivalence of cell response with endogenous sex hormones. However, E2 showed a bacteriostatic characteristic in relation to G. vaginalis proliferation, and this hormone can modulate virulence factors of this microorganism, thus contributing to an absent or discrete immune response in the course of bacterial vaginosis.

2020
Dissertações
1
  • MAIARA RAULINA DE JESUS DIAS
  • EFEITOS DO EXERCÍCIO SOBRE ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS E FUNCIONAIS NO PÂNCREAS E FÍGADO EM UM MODELO ANIMAL DE ENVELHECIMENTO E OBESIDADE

  • Orientador : AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • FABRICIO FREIRE DE MELO
  • RAILDO DA SILVA COQUEIRO
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • Data: 31/01/2020

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar os efeitos dos exercícios preventivo e terapêutico sobre a morfologia e função pancreática e hepática de ratos Wistar em um modelo de envelhecimento e obesidade induzida por dieta hiperlipídica. Métodos: Foram utilizados 24 ratos Wistar machos (idade inicial = 4 meses e idade final = 14 meses) que foram randomicamente distribuídos em três grupos experimentais envelhecidos e obesos (n = 8/grupo): sedentário, exercício terapêutico e exercício preventivo. Avaliou-se parâmetros de adiposidade corporal, concentração plasmática e imunomarcação pancreática de insulina, marcadores de inflamação teciduais, peroxidação lipídica, atividade e imunomarcação de enzimas antioxidantes e parâmetros de morfologia pancreática e hepática. Resultados: Somente o exercício preventivo melhorou os parâmetros de adiposidade corporal e concentração plasmática de insulina. Os exercícios terapêutico e preventivo aumentaram a densidade de ilhotas pancreáticas, mas não exerceram efeitos sob a área e diâmetro menor das ilhotas. A infiltração de macrófagos no pâncreas foi reduzida apenas nos animais submetidos ao exercício preventivo enquanto que no fígado, este efeito resultou tanto do exercício preventivo, quanto do terapêutico. Além disso, os animais submetidos aos exercícios preventivo e terapêutico apresentaram menor imunomarcação para insulina, Fator Nuclear Kappa B (NF-kB) e Fator de Transformação do Crescimento b (TGF-b) no parênquima pancreático, bem como, menor peroxidação lipídica tecidual pancreática e hepática, com o efeito sendo maior no grupo de exercício preventivo. Ambos os protocolos de exercício promoveram menor área de fibrose, aumento da atividade das enzimas antioxidantes catalase e Glutationa Peroxidase (GPx) e aumento da imunomarcação para Hemeoxigenase-1 (HO-1), tanto no pâncreas, quanto no fígado, sendo que o exercício preventivo também apresentou maior efeito sobre estas variáveis. A esteatose hepática macrovesicular foi menor nos animais submetidos aos dois protocolos de exercício, no entanto, a esteatose microvesicular não diferiu entre os grupos experimentais. Conclusão: Os efeitos benéficos do exercício físico, principalmente do preventivo, sobre a adiposidade corporal, insulinemia, morfologia, inflamação e estresse redox nos parênquimas hepático e pancreático sob condições combinadas de envelhecimento e obesidade revelam-se promissores na prevenção de processos degenerativos nestes órgãos sob ambas as condições.


  • Mostrar Abstract
  • Objectives: To evaluate the effects of preventive and therapeutic exercises on pancreatic and hepatic morphology and function of Wistar rats in an aging and obesity model. Methods: Twenty four male Wistar rats (initial age = 4 months and final age = 14 months) were randomly assigned to three experimental aged and obese groups (n = 8 / group): sedentary, therapeutic exercise, preventive exercise. Body composition parameters, plasma concentration and immunostaining of pancreatic insulin, markers of tissue inflammation, lipid peroxidation, activity and immunostaining of antioxidant enzymes and parameters of pancreatic and hepatic structure were evaluated. Results: Only preventive exercise improved the parameters of body composition and plasma insulin concentration. Pancreatic histology showed that therapeutic and preventive exercises increased the density of pancreatic islets, but had no effect on the islet area and smaller diameter. Analysis of pancreatic and hepatic parameters indicated that only preventive exercise reduced macrophage infiltration into the pancreas and both therapeutic and preventive exercise reduced macrophage infiltration in the liver. In addition, preventive and therapeutic exercise animals had lower immunostaining for insulin Factor Nuclear Kappa B (NF-kB) and Transforming Growth Factor Beta (TGF-b) in the pancreatic parenchyma, as well as lower hepatic and pancreatic tissue lipid peroxidation, with the effect being significantly higher in the preventive exercise group. Both exercise protocols promoted smaller area of fibrosis, increased activity of catalase and Glutathione peroxidase (GPx) enzymes and increased immunostaining for Heme oxygenase 1 (HO-1) in both pancreas and liver, and preventive exercise had a greater effect on these variables. Macrovesicular steatosis was lower in animals submitted to both types of exercise protocol; however, microvesicular steatosis was not different between experimental groups. Conclusion: The beneficial effects of exercise, especially preventive exercise, on body adiposity, insulinemia, morphology, inflammation and redox stress in the liver and pancreatic parenchyma under combined conditions of aging and obesity are promising in preventing degenerative processes in these organs under both conditions.

2
  • MARIA POLIANA LEITE GALANTINI
  • O DOCE COMBUSTÍVEL DA INFLAMAÇÃO: NOVOS OLHARES NA COMPLEXA TEIA QUE INTERCONECTA O DIABETES E A HIPERTENSÃO

  • Orientador : ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • LAIZE TOMAZI
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • Data: 31/01/2020

  • Mostrar Resumo
  • As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são responsáveis por cerca de 70% de todas as mortes no mundo. Neste cenário, a hipertensão arterial sistêmica (HAS) e o diabetes mellitus tipo 2 (DM2) são doenças que apresentam vários aspectos em comum. Nelas biomarcadores oferecem uma compreensão dos processos de doenças e podem beneficiar a detecção precoce, o tratamento e o seu manejo. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar as concentrações de biomarcadores inflamatórios no soro de pacientes com diferentes gravidades de DM2 e HAS bem como analisar as correlações entre interleucinas e a gravidade da doença. Inicialmente, pacientes previamente diagnosticados com DM2 e HAS foram estratificados em diferentes graus das doenças, visando detectar os fatores que mais influenciam nas complicações das doenças supracitadas. Os grupos foram divididos em baixo risco (1), risco moderado (2), risco alto (2), risco muito alto (4), de acordo com a Sociedade Europeia de Cardiologia, a qual correlaciona os valores da pressão arterial com a presença de fatores de risco. Para realização desse trabalho, voluntários foram recrutados para aferição da pressão e foi realizada análise da composição corporal através da bioimpedância. Foram coletados sangue desses pacientes para dosagens bioquímicas e para realização de ELISA, visando detectar as concentrações das citocinas IL-17, IL-1β, IFN-γ, TNF-α e IL-10 no soro. As análises estatísticas foram realizadas utilizando o teste Kruskal-Wallis, e as correlações foram analisadas através do software R Studio. Observamos que quanto maior a gravidade, maior a concentração sérica de citocinas pró-inflamatórias, entretanto, não foi observada diferença significativa entre os sexos ou período de climatério. Correlações positivas fortes foram encontradas entre IL-17, IL-1β e IFN-γ do grupo de baixo risco, entretanto, essas correlações são perdidas conforme aumenta o grupo de risco. Esses achados sugerem que a inflamação está presente contribuindo para o agravamento da HAS e DM2. Através de análises bayesianas encontramos a hiperglicemia exercendo um papel central na modulação do estado pró-inflamatório. Esse estado pode ser alterado com a prática de atividade física, confirmando o seu efeito benéfico e protetor. Este é o primeiro trabalho que mostra a complexa interação entre diferentes biomarcadores no DM2 e na HAS, principalmente a hiperglicemia como centro indutor da inflamação, e como a interação desses marcadores aumenta a gravidade das doenças.


  • Mostrar Abstract
  • Noncommunicable chronic diseases (NCDs) account for about 70% of all deaths worldwide. In this scenario, systemic arterial hypertension (SAH) and type 2 diabetes mellitus (DM2) are diseases that have several aspects in common. These biomarkers provide an understanding of disease processes and can benefit early detection, treatment and management. Thus, the aim of this study was to evaluate serum biomarker concentrations in serum of patients with different severities of DM2 and SAH as well as to analyze the correlations between interleukins and disease severity. Initially, patients previously diagnosed with DM2 and hypertension were stratified into different degrees of disease, aiming to detect the factors that most influence the complications of the aforementioned diseases. The groups were divided into low risk (1), moderate risk (2), high risk (2), very high risk (4), according to the European Society of Cardiology, which correlates blood pressure values with the presence of of risk factors. To perform this work, volunteers were recruited for pressure measurement and body composition analysis was performed through bioimpedance. Blood was collected from these patients for biochemical measurements and ELISA to detect serum concentrations of cytokines IL-17, IL-1β, IFN-γ, TNF-α and IL-10. Statistical analyzes were performed using the Kruskal-Wallis test, and correlations were analyzed using the R Studio software. We observed that the higher the severity, the higher the serum concentration of proinflammatory cytokines, however, no significant difference was observed between sexes or climacteric period. Strong positive correlations were found between IL-17, IL-1β and IFN-γ of the low risk group, and these correlations are lost as the risk group increases. These findings suggest that inflammation is present contributing to the worsening of hypertension and DM2. Through Bayesian analyzes we found hyperglycemia playing a central role in modulating the proinflammatory state. This state can be changed with the practice of physical activity, confirming its beneficial and protective effect. This is the first paper that shows the complex interaction between different biomarkers in DM2 and SAH, especially hyperglycemia as inflammation inducer, and how the interaction of these markers increases disease severity.

3
  • TALITA COSTA DOS SANTOS
  • AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA, ANTINOCICEPTIVA, ANTIOXIDANTE E TOXICOLÓGICA DO EXTRATO ETANÓLICO E FRAÇÕES DA CASCA DA Peltogyne pauciflora Benth

  • Orientador : REGIANE YATSUDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • REGIANE YATSUDA
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • ÉRIKA PEREIRA DE SOUZA
  • Data: 30/07/2020

  • Mostrar Resumo
  • Peltogyne pauciflora Benth (Leguminosae), é uma planta de caatinga no Brasil, conhecida popularmente como buranhê e imburanhê, sendo a infusão da casca utilizada para o tratamento da “inflamação e dor na coluna”. O objetivo deste estudo foi avaliar o extrato etanólico da casca de P. pauciflora e suas frações quanto  a sua constituição química, atividade anti-inflamatória, antinociceptiva, antioxidante e toxicológica. As cascas da planta foram coletadas na Floresta Nacional Contendas do Sincorá e foram maceradas em etanol, obtendo o extrato etanólico (EEPP, doses 50, 100 e 200 mg/kg), sendo posteriormente particionado, originando as frações hexano (H), diclorometano (DM), acetato de etila (AE) e butanol (B), todas na dose 50 mg/kg. O EEPP e as frações H e DM foram analisados por CG-EM, sendo identificados carboidratos, ácidos graxos e compostos fenólicos, destacando as substâncias bioativas identificadas: beta-sitosterol, campesterol, lupenona, lupeol, ácido 3-metoxi-4 hidroxibenzoico, fitol, ácido oleico, linoleato de etila e o ácido palmítico. O EEPP e as frações H, DM e AE contém alto teor de fenólicos totais. Para os ensaios anti-inflamatório, antinociceptivo e antioxidante foram utilizados camundongos Balb/c machos adultos. No teste de Contorção abdominal induzido por ácido acético 0,6%, o EEPP (50 e 100 mg/kg) e as frações H, DM e AE reduziram as respostas nociceptivas em relação ao grupo veículo (VH)(p < 0,05). Quanto ao teste de Nocicepção induzida pela injeção intraplantar de formalina 1,5%, o EEPP (50 e 100 mg/kg) e as frações H e DM reduziram o número de “flinches” em ambas as fases (neurogênica e inflamatória), e a fração AE somente na fase inflamatória em relação ao VH (p < 0,05), e o edema de pata só foi reduzido por EEPP (100 mg/kg). No teste de Von Frey, EEPP (50 e 100 mg/kg) e as frações DM e AE reduziram a hipernocicepção em relação a VH (p < 0,05). A produção de mieloperoxidase pelos neutrófilos diminuiu com EEPP (50, 100, 200 mg/kg) e com as frações H, DM e AE comparados com VH (p < 0,05), assim como a peroxidação lipídica, determinado pelo ensaio de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) (p < 0,05). O EEPP (50, 100 e 200 mg/kg) e as frações H, DM e AE diminuíram a expressão dos genes TNF-α e IL-6, e apenas EEPP (200 mg/kg) reduziu a expressão do gene IL-17 (p < 0,05). O EEPP (100 mg/kg) e as frações H e DM reduziram a permeabilidade vascular no teste de azul de Evans (p < 0,05). EEPP (50, 100 e 200 mg/kg) e as frações H e DM reduziram a migração de neutrófilos para a cavidade peritoneal (p < 0,05), assim como reduziram os níveis de produção de nitrito (p < 0,05). No teste de letalidade frente à Artemia salina L., EEPP apresentou moderada toxicidade e as frações foram consideradas inativas. Este é o primeiro relato de estudo fitoquímico e biológico do EEPP da casca de P. pauciflora e suas frações H, DM e AE, que apresentaram atividade antioxidante, antinociceptiva e anti-inflamatória, sendo uma promissora fonte natural para uso terapêutico e identificação de novos compostos. Futuramente, serão realizados estudos de identificação de compostos bioativos e mecanismos de ação, além da avaliação toxicológica com determinação da dose letal in vivo.


  • Mostrar Abstract
  • Peltogyne pauciflora Benth (Leguminosae), is a caatinga plant in Brazil, popularly known as buranhê and imburanhê, and the infusion of the bark is used to treat "inflammation and pain in the spine". The objective of this study was to evaluate the ethanolic extract of P. pauciflora bark and its fractions regarding its chemical constitution, anti-inflammatory, antinociceptive, antioxidant and toxicological activity. The bark was collected in the Contendas Sincorá National Forest and were macerated in ethanol, obtaining the ethanolic extract (EEPP, doses 50, 100 and 200 mg/kg), being later partitioned, originating the hexane (H), dichloromethane ( DM), ethyl acetate (AE) and butanol (B) fractions, all the doses at 50 mg/kg. EEPP, H and DM fractions were analyzed by GC-MS, and carbohydrates, fatty and phenolic compounds were identified, being highlighted the bioactive substances: beta-sitosterol, campesterol, lupenone, lupeol, 3-methoxy-4 acid hydroxybenzoic acid, phytol, oleic acid, ethyl linoleate and palmitic acid. EEPP, H, DM and AE fractions contain high content of total phenolics. For anti-inflammatory, antinociceptive and antioxidant tests, adult male Balb/c mice were used. In abdominal contortion test induced by 0.6% acetic acid, EEPP (50 and 100 mg/kg), H, DM and AE fractions reduced the nociceptive responses in relation to the vehicle group (VH) (p <0.05). In the nociception test induced by intraplantar injection of 1.5% formalin, EEPP (50 and 100 mg/kg), H and DM fractions reduced the number of flinches in both phases (neurogenic and inflammatory), and AE fraction reduced only in the inflammatory phase in relation to VH (p <0.05), and besides, the paw edema was reduced by EEPP (100 mg/kg). In the Von Frey test, EEPP (50 and 100 mg/kg), DM and AE fractions reduced hypernociception in relation to VH (p <0.05). Myeloperoxidase production by neutrophils decreased with EEPP (50, 100, 200 mg / kg), H, DM and AE fractions compared to VH (p <0.05), as well as the lipid peroxidation determined by the test of reactive substances thiobarbituric acid (TBARS) (p <0.05). EEPP (50, 100 and 200 mg/kg) and H, DM and AE fractions decreased the expression of the TNF-α and IL-6 genes, and only EEPP (200 mg/kg) reduces the expression of the IL-17 gene (p <0.05). EEPP (100 mg/kg), H and DM fractions reduced the vascular permeability in the Evans blue test (p <0.05). EEPP (50, 100 and 200 mg/kg), H and DM fractions reduced the levels of neutrophils in the peritoneal cavity (p <0.05), as well as reducing the levels of nitrite production (p <0.05). In the lethality test against Artemia salina L., EEPP presented moderate toxicity and the fractions were considered inactive. This is the first phytochemical and biological study report of the bark ethanolic extract of P. pauciflora and its H, DM and AE fractions, which have antioxidant, antinociceptive and anti-inflammatory activities, being a promising natural source for clinical use and identification of new compounds. In the future, studies will be carried out to identify bioactive compounds and mechanisms of action, in addition to toxicological assessment with determination of the lethal dose in vivo.

4
  • DANILO NASCIMENTO LOPES
  • Efeito do exercício preventivo sobre as alterações pancreáticas induzidas pelo diabetes mellitus tipo 1 em ratas ovariectomizadas.

  • Orientador : TELMA DE JESUS SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LILIANY SOUZA DE BRITO AMARAL
  • SAMIRA ITANA DE SOUZA
  • TELMA DE JESUS SOARES
  • Data: 15/12/2020

  • Mostrar Resumo
  • Uma das principais alterações do diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é a redução progressiva das células β pancreáticas, e consequentemente da produção de insulina. A peroxidação lipídica, citocinas pró-inflamatórias, e o fator de transcrição nuclear (NF-kB), desempenham papel importante na disfunção e morte de células β durante o DM1. Além disso, o fator de crescimento transformante (TGF-β1) e a fibrose participa do desenvolvimento do diabetes mellitus (DM). Já foi demonstrado os efeitos benéficos do exercício físico sobre complicações em diversos órgãos decorrentes da DM. No entanto, não há estudos que trate seus efeitos sobre ilhotas de langerhans de ratas diabéticas ovariectomizadas.  Para isso, ratas wistar foram anestesiadas e submetidas à ovariectomia bilateral. Após a recuperação cirúrgica, os animais receberam injeção de 40 mg/kg de estreptozotocina (STZ) para a indução do DM1 ou de tampão citrato 0,1M, pH 4,5, e foram divididos em quatro grupos experimentais: 6 ratas controles sedentárias OVX (CSO); 6 controles previamente treinadas OVX (CPTO); 6 diabéticas sedentárias OVX (DSO); e 6 diabéticas previamente treinadas OVX (DPTO). Os animais dos grupos DPTO e CPTO foram submetidos a quatro semanas de treinamento aeróbico previamente à indução do DM1. Após as quatro semanas foi realizada indução do DM1 nos animais dos grupos DSO e DPTO. Em seguida, os grupos CPTO e DPTO foram submetidos ao mesmo protocolo de exercício físico aeróbico regular de intensidade moderada, o qual consistiu em corrida em esteira motorizada por um período de oito semanas. O exercício físico não aumentou o conteúdo de insulina e massa de células β nas ilhotas de langerhans do grupo DPTO. Contudo, diminuiu o conteúdo de glucagon e massa de células α, mostrando o efeito benéfico do exercício sobre o hormônio contra-regulador da homeostasia da glicose no sangue.  Além disso, a glicose do sangue do das ratas DPTO foi menor que a das ratas DSO. O exercício físico também diminuiu a expressão de TGF-β1 nas ratas DPTO em relação as ratas DSO, bem como também diminuiu a fibrose nessas ilhotas. O exercício físico reduziu o estresse nitrativo pela redução da marcação para nitrotirosina no grupo DPTO. Além disso, o exercício físico exerceu efeito fundamental na redução da expressão do fator de transcrição NF-kB. Esses resultados mostram o efeito benéfico do exercício físico previamente a indução do diabetes sobre a expressão de marcadores inflamatórios e oxidativos, estrutura das ilhotas e conteúdo do hormômio contra-regulador da concentração da glicose sanguínea.

     


  • Mostrar Abstract
  • One of the main changes in type 1 diabetes mellitus (T1DM) is the progressive reduction of the pancreatic β cells, and consequently insulin production. Lipid peroxidation, pro-inflammatory cytokines, and nuclear transcription factor (NF-kB) play an important role in β cell dysfunction and death during T1DM. In addition, the transforming growth factor (TGF-β1) and fibrosis participate in the development of diabetes mellitus. The beneficial effects of physical exercise on complications in various organs resulting from DM have been demonstrated. However, there are no studies evaluating the effects of exercise on islet of langerhans of diabetic ovariectomized rats. For this, wistar rats were anesthetized and submitted to bilateral ovariectomy. After surgical recovery, the animals were injected with 40 mg/kg streptozotocin (STZ) for the induction of DM1 or 0.1M citrate buffer, pH 4.5, and were divided into four experimental groups: 6 sedentary control rats OVX (SCO); 6 previously trained OVX controls (PTCO); 6 sedentary diabetic OVX (SDO); and 6 previously trained diabetic OVX (PTDO). The animals of the PTDO and PTCO groups were submetted four weeks of aerobic training previous to induction of T1DM. After four weeks, T1DM induction was performed in the animals of the SDO and PTDO groups. Then, the PTCO and PTDO groups were submitted to the same protocol of regular aerobic physical exercise of moderate intensity, which consisted of running on a motorized treadmill for a period of eight weeks. Physical exercise did not increase the insulin content and mass of β cells in the islets of langerhans in the PTDO group. However, it decreased the content of glucagon and α cell mass, showing the beneficial effect of exercise on the counter-regulating hormone of blood glucose homeostasis. In addition, blood glucose from PTDO rats was lower than that of SDO rats. Physical exercise also decreased TGF-β1 expression in PTDO rats compared to SCO rats, as well as decreased fibrosis in these islets. Physical exercise reduced nitrative stress by reduced nitrotyrosine expression in the PTDO group. In addition, physical exercise had a fundamental effect in reducing the expression of the transcription factor NF-kB. These results show the beneficial effect of physical exercise prior to the induction of diabetes on the expression of inflammatory and oxidative markers, islet structure and content of the counter-regulating hormone of blood glucose concentration.

Teses
1
  • RAFAEL SANTOS DANTAS MIRANDA DÓREA
  • AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA, ANTINOCICEPTIVA E CICATRIZANTE DO EXTRATO ETANÓLICO E SUBFRAÇÕES DA FOLHA DE Schinopsis brasiliensis Engler

  • Orientador : REGIANE YATSUDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BRUNO OLIVEIRA MOREIRA
  • DAIANA SILVA LOPES
  • GUILHERME BARRETO CAMPOS
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • REGIANE YATSUDA
  • Data: 06/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Schinopsis brasiliensis Engler, popularmente conhecida como “Braúna”, é vastamente utilizada na medicina popular para tratamento de dor, febre, tosse entre outras doenças. Este estudo teve como objetivo avaliar a atividade anti-inflamatória, antinociceptiva e cicatrizante de S. brasiliensis Engler do semiárido da Bahia, coletadas na região da Floresta Nacional Contendas do Sincorá (FLONA), segundo dados etnofarmacológicos da região. Testes anteriores realizados com o extrato bruto (etanólico) e frações já comprovaram a ação antinociceptiva e anti-inflamatória presentes na folha da Braúna. Deste modo, o objetivo deste estudo foi avaliar a atividade antinociceptiva e anti-inflamatória das subfrações da folha de S. brasiliensis, iniciar o processo de identificação dos compostos bioativos, bem como elucidar os possíveis mecanismos de ação dessas subfrações. Os resultados foram obtidos por meio da coleta e identificação da espécie vegetal, análise fitoquímica, preparo do extrato etanólico, frações e subfrações, isolamento e identificação dos compostos. As subfrações testadas foram de hexano (H1, H2, H3, H4) e diclorometano (D1, D2, D3, D4 e D5). Para avaliar a atividade antinociceptiva e anti-inflamatória, foram realizados os testes de contorções abdominais induzidas por ácido acético, recrutamento de leucócitos para a cavidade peritoneal, avaliação do extravasamento peritoneal azul de Evans, nocicepção induzida pela injeção intraplantar de formalina. Para inflamação crônica, foi utilizado o teste de granuloma induzido pelo implante subcutâneo de pellet de algodão. Foi realizado o modelo experimental de ferida excisional para avaliar atividade cicatrizante do extrato bruto. Para a avaliação toxicológica, foram realizados testes de toxicidade aguda em ratos Wistar e de toxidade frente à Artemia salina (TAS). A análise estatística foi realizada por teste ANOVA de uma ou duas vias, abordagem paramétrica, seguida pelo teste de comparação múltipla de Bonferroni, com p < 0,05. As folhas de S. brasiliensis possuem polifenóis, taninos, saponinas, flavonoides, alcaloides e esteroides tanto no extrato bruto quanto nas frações estudadas. A análise por cromatografia gasosa acoplada a espectrofotometria de massa identificou 36 substâncias na fração hexânica e diclorometânica, dentre elas o Galato de Etila, substância de elevado interesse farmacológico. No experimento de contorção abdominal induzida por ácido acético, as subfrações H2, H3, H4 e D1 (50 mg/kg) reduziram significativamente a nocicepção (p < 0,05). Já o extrato etanólico (100 mg/kg) apresentou atividade antinociceptiva com ação opioide e inibitória na síntese de óxido nítrico (p < 0,05). No teste de nocicepção induzida pela injeção intraplantar de formalina, as subfrações H2, H3, H4, D1, D2, D3, D4 e D5 (50 mg/kg) reduziram o número de “flinches” induzidos pela formalina na fase 1 do experimento, (p > 0,05) e na fase 2, as subfrações H3, H4, D1, D2, D4 e D5 diminuíram significativamente a nocicepção quando comparado com o grupo veículo (p < 0,05). Nenhuma das subfrações diminuiu o edema de pata (p > 0,05). As subfrações D2, D3, D4 e D5 foram capazes de aumentar o limiar de dor dos animais no experimento de Von Frey (p < 0,05). As subfrações H2, H3, H4, D1 e D5 (50 mg/kg) apresentaram atividade anti-inflamatória reduzindo a migração de neutrófilos para a cavidade peritoneal (p < 0,05), sendo que o possível mecanismo de ação anti-inflamatório das subfrações H3, H4, D3, D4 e D5 seja pela diminuição da citocina TNF-a nos animais tratados e elevação da citocina IL-10 quando os animais foram tratados com a subfração D1. Não houve diminuição da permeabilidade vascular pelas subfrações avaliadas no teste de extravasamento azul de Evans (p > 0,05). O extrato etanólico (50 e 100 mg/kg) e todas as subfrações testadas reduziram o peso do tecido granulomatoso formado em relação ao grupo controle (p < 0,05), semelhante à redução promovida no grupo dexametasona (p > 0,05). O extrato etanólico não reduziu a área de contração das feridas por excisão em ratos em relação ao grupo veículo (p > 0,05). A avaliação da toxicidade aguda revelou alterações em padrões hematológicos, hepáticos e renais nos animais tratados com uma única dose de 2000 mg/kg do extrato etanólico de Braúna. A citotoxicidade foi avaliada frente ao teste de Artemia salina e a dose média encontrada foi de 93 μg/ml, sendo considerado muito ativa. Desta maneira, pode-se concluir que as folhas de S. brasiliensis Engler possuem potencial terapêutico relevante caracterizado pela presença de compostos com atividade comprovada, bem como por possuir atividades antinociceptivas e anti-inflamatórias significativas, e por se apresentar segura nas doses terapêuticas avaliadas. Sendo assim, a folha de Braúna é uma importante fonte natural para identificação de novas moléculas e compostos com fins terapêuticos, podendo futuramente ser utilizada pela população de forma sustentável, ajudando na proteção ambiental da espécie.


  • Mostrar Abstract
  • Schinopsis brasiliensis Engler, popularly known as “Braúna”, is widely used in folk medicine to treat pain, fever, cough and other diseases. This study aimed to evaluate the antinociceptive, anti-inflammatory and healing activity of S. brasiliensis Engler from Bahia semi-arid, collected in the region of the National Forest Contendas do Sincorá (FLONA), according to ethnopharmacological data of the region. Previous tests carried out with the crude extract (ethanolic) and fractions have already proven the antinociceptive and anti-inflammatory action present in Brauna leaf. Thus, the aim of this study was to evaluate the antinociceptive and anti-inflammatory activity of S. brasiliensis leaf subfractions, to initiate the identification process of bioactive compounds, as well as to elucidate the possible mechanisms of action of these subfractions. The results were obtained through the collection and identification of plant species, phytochemical analysis, ethanolic extract preparation, fractions and subfractions, isolation and identification of compounds. The subfractions tested were hexane (H1, H2, H3, H4) and dichloromethane (D1, D2, D3, D4 and D5). To evaluate antinociceptive and anti-inflammatory activity, tests for abdominal acetic acid-induced writhing, leukocyte recruitment into the peritoneal cavity, evaluation of Evans blue peritoneal extravasation, nociception induced by formalin injection were performed. For chronic inflammation, the granuloma test induced by subcutaneous cotton pellet implantation was used. An experimental excisional wound model was performed to evaluate the healing activity of the leaf extract. For toxicological evaluation, acute toxicity tests were performed in Wistar rats and toxicity against Artemia salina (TAS). Statistical analysis was performed by one-way or two-way ANOVA, parametric approach, followed by Bonferroni's multiple comparison test, with p <0.05. The leaves of S. brasiliensis have polyphenols, tannins, saponins, flavonoids, alkaloids and steroids in both the crude extract and the studied fractions. Gas chromatographic analysis coupled with mass spectrophotometry identified 36 substances in the hexane and dichloromethane fraction, among them Ethyl Galate, a substance of high pharmacological interest. In the acetic acid induced abdominal writhing experiment, subfractions H2, H3, H4 and D1 (50 mg/kg) significantly reduced nociception (p <0.05). The ethanolic extract (100 mg/kg) presented antinociceptive activity with opioid action and inhibitory synthesis of nitric oxide (p <0.05). In the intraplantar formalin injection induced nociception test, subfractions H2, H3, H4, D1, D2, D3, D4 and D5 (50 mg/kg) reduced the number of formalin-induced flinches in phase 1 of the experiment, (p> 0.05) and in phase 2, the subfractions H3, H4, D1, D2, D4 and D5 significantly decreased nociception compared to the vehicle group (p <0.05). None of the subfractions decreased paw edema (p> 0.05). The subfractions D2, D3, D4 and D5 were able to increase the pain threshold of the animals in the Von Frey experiment (p <0.05). The subfractions H2, H3, H4, D1 and D5 (50 mg/kg) showed anti-inflammatory activity reducing the neutrophil migration to the peritoneal cavity (p <0.05), and the possible mechanism of anti-inflammatory action of the H3, H4, D3, D4 and D5 subfractions were due to decreased TNF-a cytokine in treated animals and elevation of IL-10 cytokine when animals were treated with D1 subfraction. There was no decrease in vascular permeability by subfractions evaluated in the Evans blue extravasation test (p> 0.05). Ethanolic extract (50 and 100 mg/kg) and all subfractions tested reduced the weight of granulomatous tissue formed in relation to the control group (p <0.05), similar to the reduction promoted in the dexamethasone group (p> 0.05). The ethanolic extract did not reduce the area of excision wound contraction in rats relative to the vehicle group (p> 0.05). Acute toxicity evaluation revealed changes in hematological, hepatic and renal patterns in animals treated with a single dose of 2000 mg/kg of Braúna ethanolic extract. The cytotoxicity was evaluated against the Artemia saline test and the average dose found was 93 μg/ml, being considered very active. Thus, it can be concluded that S. brasiliensis Engler leaves have relevant therapeutic potential characterized by the presence of compounds with proven activity, as well as having significant antinociceptive and anti-inflammatory activities, and for being safe in the evaluated therapeutic doses. Thus, Brauna leaf is an important natural source for the identification of new molecules and compounds for therapeutic purposes, and can be used by the population in a sustainable way, helping in the environmental protection of the species.

2
  • MANOELA RIOS TRINDADE CARNEIRO
  • Avaliação da atividade galactagoga do extrato etanólico, das frações e de um composto isolado das sementes de Pimpinella anisum Lineu em modelo experimental com ratas. 

  • Orientador : REGIANE YATSUDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • DAIANA SILVA LOPES
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • REGIANE YATSUDA
  • ÉRIKA PEREIRA DE SOUZA
  • Data: 11/12/2020

  • Mostrar Resumo
  • A Pimpinella anisum Lineu é utilizada para aumentar a produção de leite materno, porém de forma empírica por mães com hipogalactia, sendo que sua eficácia, segurança, dose efetiva e mecanismos de ação devem ser comprovados. Este estudo avaliou o perfil fitoquímico e a atividade galactagoga do extrato etanólico (EEPA), frações das sementes de P. anisum e do composto isolado anetol, bem como a toxicidade de EEPA. Ratas Wistar lactantes amamentando sete a oito filhotes cada, foram divididas em grupos tratadas diariamente por via intraperitoneal com (n=6): a) 0,4 ml de água destilada; b) EEPA nas doses de 12,5; 25 e 50 mg/Kg; c) FH nas doses de 12,5; 25 e 50 mg/Kg; d) FD nas doses de 12,5; 25 e 50 mg/Kg, e) FAE nas doses de 12,5; 25 e 50 mg/Kg; f) FB nas doses de 6,25; 12,5 e 25 mg/Kg e apenas o g) anetol nas doses de 12,5; 25 e 50 mg/Kg; por via oral.  Foram determinados o ganho de peso diário e total da ninhada, a estimativa da produção de leite em 1 h de amamentação, a perda de peso da rata lactante e o tempo de amamentação do 4º ao 18ª dia de vida dos filhotes. No 19º dia, as ratas foram ordenhadas para determinar o teor energético e os constituintes majoritários do leite, sendo eutanaziadas no 20º dia e removidas as glândulas mamárias para a análise histológica. No 2º experimento, as concentrações de prolactina e ocitocina foram dosadas na adenohipófise ou neurohipófise, soro e glândula mamária nas ratas no 14º e 21º dia de lactação, divididas nos seguintes grupos (n=6): a) 0,4 mL água destilada, b) EEPA (12,5 mg/Kg) e c) anetol (50 mg/Kg). Toxicidade frente à Artemia salina (12,5; 25; 50, 100 e 200 μg/mL) e toxicidade aguda com determinação de DL50 com ratos machos e fêmeas Wistar foram analisadas para os grupos (n: 3): a) etanol 10%, b) 5, 50, 300 e 2000 mg/Kg de EEPA e c) 0,4 ml água destilada. Atividade galactagoga foi observada apenas com o EEPA (12,5 mg/Kg), fração de diclorometano (25 mg/Kg) e anetol (50 mg/Kg), pois houve maior ganho de peso diário (24,8%, 11,6%, 10,2%) e total (28,1%, 11,37%, 9,7%), e estimativa de produção de leite (32,6%, 40%, 22,4%) (p < 0,05), sem alterações na perda de peso da rata lactante e no tempo de amamentação (p > 0,05) em relação ao controle. EEPA aumentou a concentração de proteínas totais e colesterol (84,7% e 185%), a FD aumentou a concentração de lactose, lipídios totais e colesterol (27,6%, 140,4% e 140%) e o anetol aumentou todos os constituintes em relação ao controle (p < 0,05). Embora as glândulas mamárias histologicamente estivessem em processo de involução, o menor número de lóbulos e alvéolos do EEPA e o menor número de alvéolos da FD e anetol indicam que estavam distendidos e a glândula estava mais ativa anteriormente. As maiores concentrações de prolactina adenohipofisária, sérica e na glândula mamária, aos 21 dias foram encontradas com EEPA e anetol (p < 0,05). Aumento da concentração de ocitocina ocorreu ao 14º dia na neurohipófise, e no soro do EEPA e apenas na neurohipófise do anetol. EEPA não apresentou toxicidade aguda nem morte dos animais. Assim, as sementes de P. anisum possuem atividade galactagoga atribuída a presença de compostos com atividade estrogênica (β-sitosterol, estigmasterol, anetol e seus polímeros) e antagonistas de dopamina (anetol) que estimulam a maior produção de prolactina, levando às alterações histológicas da glândula mamária, constituintes e quantidade de leite, refletindo no maior crescimento da ninhada. 


  • Mostrar Abstract
  • Pimpinella anisum Lineu is used to increase the production of breast milk, but is empirically used by mothers with hypogalactia, and its effectiveness, safety, effective dose and mechanisms of action must be proven. This study evaluated the phytochemical profile and galactagogue activity of the ethanolic extract (EEPA), fractions of the seeds of P. anisum and the isolated compound anethole, as well as the toxicity of the EEPA. Lactating Wistar rats breastfeeding seven to eight puppies each, were divided into groups treated daily intraperitoneally with (n = 6): a) 0.4 ml of distilled water; b) EEPA in doses of 12.5; 25 and 50 mg/kg; c) FH doses at 12.5; 25 and 50 mg/kg; d) FD in doses of 12.5; 25 and 50 mg/Kg, e) FAE at doses of 12.5; 25 and 50 mg/kg; f) FB at doses of 6.25; 12.5 and 25 mg/kg; and only g) anethole in doses of 12.5; 25 and 50 mg/kg; orally. The daily and total weight gain of the litter was determined, the estimated milk production in 1 h of breastfeeding, the weight loss of the lactating rat and the breastfeeding time from the 4th to the 18th day of life of the puppies. On the 19th day, rats were milked to determine the energy content and the major constituents of milk, being euthanized on the 20th day and removed the mammary glands for histological analysis. In the 2nd experiment, the prolactin and oxytocin diets were measured in the adenohypophysis or neurohypophysis, serum and mammary gland in the rats on the 14th and 21st day of lactation, divided into the following groups (n = 6): a) 0.4 mL distilled water, b) EEPA (12.5 mg/kg) and c) anethole (50 mg/kg). Toxicity to Artemia salina (12.5; 25; 50, 100 and 200 μg/mL) and acute toxicity with determination of LD50 with male and specific Wistar rats were analyzed for groups (n: 3): a) ethanol 10%, b) 5, 50, 300 and 2000 mg/kg of EEPA; and c) 0.4 ml distilled water. Galactagogue activity was observed only with EEPA (12.5 mg/kg), fraction of dichloromethane (25 mg/kg) and anethole (50 mg/kg), as there was greater daily weight gain (24.8%, 11, 6%, 10.2%) and total (28.1%, 11.37%, 9.7%), and estimated milk production (32.6%, 40%, 22.4%) (p < 0.05), without changes in the weight loss of the lactating rat and without breastfeeding time (p> 0.05) in relation to the control. EEPA increased the concentration of total proteins and cholesterol (84.7% and 185%), FD increased the concentration of lactose, total lipids and cholesterol (27.6%, 140.4% and 140%) and anethole increased all constituents in relation to the control (p <0.05). Although the mammary glands were histologically in process of involution, the smaller number of lobes and alveoli of the EEPA and the smaller number of alveoli of the FD and anethole indicate that they were distended and the gland was more active previously. The highest levels of adenohypophyseal, serum and mammary gland prolactin at 21 days were found with EEPA and anethole (p <0.05). Increased oxytocin concentration occurred on the 14th day in the neurohypophysis, and in the EEPA serum and only in the anethole neurohypophysis. EEPA has no acute toxicity or animal death. Thus, as seeds of P. anisum have galactagogue activity attributed to the presence of compounds with estrogenic activity (β-sitosterol, stigmasterol, anethole and their polymers) and dopamine antagonists (anethole) that stimulate a greater production of prolactin, when it comes to histological changes of the mammary gland, constituents and quantity of milk, reflecting the greater growth of the litter.

2019
Dissertações
1
  • ISRAEL SOUZA RIBEIRO
  • O STATUS NUTRICIONAL ALTERA O BALANÇO INFLAMATÓRIO EM IDOSAS DIABÉTICAS E HIPERTENSAS

  • Orientador : ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • LILIANY SOUZA DE BRITO AMARAL
  • FABRICIO FREIRE DE MELO
  • Data: 26/06/2019

  • Mostrar Resumo
  • Introdução/Objetivos: Nas mulheres, o envelhecimento é marcado por alterações hormonais fisiológicas que acarretam alterações na composição corporal, desenvolvimento de inflamação crônica de baixo grau e maior predisposição ao desenvolvimento de algumas doenças crônicas como a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e o Diabetes Mellitus tipo 2 (DMII). Embora sejam distúrbios com forte influência pró-inflamatória, pouco se sabe sobre como a composição corporal interfere nos marcadores inflamatórios em idosas diabéticas e hipertensas. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a inflamação em mulheres idosas diabéticas e hipertensas e sua associação com a massa gorda. Materiais e métodos: Este estudo consistiu na avaliação de 144 mulheres com idade entre 60 e 80 anos, com diagnóstico de HAS e DMII, assistidas por Unidades de Saúde da Família em Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. De acordo com o índice de massa corporal (IMC), essas mulheres foram classificadas como eutróficas ou com sobrepeso. Em seguida, foram realizadas avaliações antropométricas de diferentes marcadores, além de coleta de sangue periférico para a mensuração das concentrações séricas dos marcadores bioquímicos e citocinas. Por fim, comparou-se os grupos através do teste não paramétrico de Mann-Whitney e realizou-se o teste de correlação de Spearman, através do pacote de análises Corrplot do software estatístico R, avaliando-se de forma ampliada a influência da composição corporal sobre os fatores analisados.  Resultados: Nas mulheres idosas eutróficas, a relação IL-10/IL-17A foi aumentada quando comparada àquelas com sobrepeso. Além disso, a IL-17 correlacionou-se negativamente com o HDL e positivamente com o colesterol total, LDL, triglicérides, VLDL e glicose nas idosas em eutrofia, mas não nas idosas com excesso de peso. A IL-10 também apresentou diferenças no padrão de correlação observado entre os grupos, pois nas eutróficas esta citocina apresentou correlação positiva com a circunferência da cintura, relação cintura/estatura e associação negativa com IL-17, enquanto em mulheres idosas com excesso de peso, não foi observado tal padrão. Conclusões: Assim, este trabalho demonstra como a massa gorda interfere no balanço de citocinas, principalmente IL-10 e IL-17, e como ela pode exercer um efeito sobre parâmetros bioquímicos e fatores de risco antropométrico associados ao DMII e à HAS.


     

     

  • Mostrar Abstract
  • Introduction/Objective: In women, aging is evidenced by physiological hormonal alterations that trigger changes in body composition, emergence of chronic low-grade inflammation, which is an important pre-disposition to the development of chronic diseases such as Systemic Arterial Hypertension (SAH) and Type 2 Diabetes Mellitus (T2DM). Although it is a strong pro-inflammatory nature disorder, little is known about how body composition interferes with inflammatory markers in diabetic and hypertensive elderly women. Therefore, this study’s objective was to evaluate the inflammation in diabetic and hypertensive elderly women, and their association with fat mass. Methods: It comprised the evaluation of 144 women aged between 60 and 80 years old, diagnosed with SAH and T2DM, assisted by Family Health Units in Vitória da Conquista, Bahia, Brazil. According to body mass index (BMI), these women were classified as either eutrophic or overweight. Then, anthropometric evaluations of different markers were performed, as well as peripheral blood collection for the measurement of serum concentrations of biochemical markers and cytokines. Finally, the groups were compared through the Mann-Whitney non-parametric test and the Spearman correlation test was performed through the Corrplot analysis package of the statistical software R, with an increased evaluation of the influence of body composition on the factors analyzed. Results: In the eutrophic females, the IL-10/IL-17A ratio was increased when compared to those overweight. In addition, IL-17 correlated negatively with HDL and positively with total cholesterol, LDL, triglycerides, VLDL, and glucose in the eutrophic ones, but not in the overweight individuals. IL-10 also showed differences in the correlation pattern observed between the groups, since for this eutrophic cytokine, it presented positive correlation with the waist circumference, waist/height ratio, and negative association with IL-17, while in overweight elderly women, it was not observed such pattern. Conclusion: Hence, this work demonstrates how the amount of fat mass interferes with the balance of cytokines, especially IL-10 and IL-17, and how it may exert an effect on biochemical parameters and risk factors associated with T2DM and SAH.

2
  • ÍTALO SOUSA PEREIRA
  • CARA OU COROA: PODERIA SER A ATIVIDADE FÍSICA MAIS IMPORTANTE DO QUE A IDADE EM HOMENS COM DIABETES E HIPERTENSÃO?

  • Orientador : ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • TELMA DE JESUS SOARES
  • VIVIAN FRANCIELLE FRANCA
  • Data: 26/06/2019

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO/OBJETIVO: Hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes mellitus do tipo 2 (DMT2) são importantes doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) responsáveis por elevada mortalidade associada ao risco cardiometabólico. O envelhecimento é marcado pelo amplo espectro de modificações fisiológicas que configuram os idosos como grupo de risco para o desenvolvimento de DCNT. A terapia medicamentosa da HAS e DMT2 frequentemente é acompanhada pela prática de atividade física, e esta abordagem é associada à redução do risco cardiometabólico. Entretanto, pouco se sabe sobre a existência de perfis de benefícios terapêuticos distintos entre homens idosos e adultos hipertensos e diabéticos praticantes de atividade física. Com isso, este trabalho teve por objetivo comparar a influência da pratica atividade física entre homens adultos ou idosos, hipertensos e diabéticos, sobre parâmetros bioquímicos, antropométricos e inflamatórios relacionados a patogênese da HAS e DMT2. MÉTODOS: Neste estudo, 94 homens portadores de HAS e DMT2 foram incluídos. O trabalho contou com a aplicação de uma versão reduzida e validada do questionário internacional de atividade física (IPAQ) e do questionário de avaliação de qualidade de vida e saúde (QVS-80). Os indivíduos praticantes de atividade física foram selecionados pela prática de pelo menos 150 minutos de atividade física por semana por um período de pelo menos três meses. Indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos foram classificados como idosos. Em seguida, foi realizada a avaliação antropométrica dos participantes, onde foram coletados dados de massa corpórea, composição corpórea, altura e circunferência de cintura. Após a sugestão de jejum de pelo menos 8h, uma amostra de sangue foi coletada de cada participante para dosagem sérica de marcadores bioquímicos (HDL, LDL, VLDL, triglicérides e glicose), inflamatórios (IL-1β, IL-17, IFN-γ, TNF-α e IL-10) e hormônios sexuais (testosterona total e estradiol. RESULTADOS: Homens adultos e idosos praticantes de atividade física apresentaram mais massas magra e óssea, bem como menor massa gorda do que indivíduos sedentários. A massa magra participou de um eixo de múltiplas correlações negativas com marcadores antropométricos, correlacionando-se negativamente com a razão entre a circunferência de cintura e estatura, massa gorda e índice de massa corporal. Em idosos praticantes de atividade física, a massa magra ainda se correlacionou negativamente com marcadores inflamatórios sistêmicos e positivamente com a IL-10 e com o estradiol sérico. Homens adultos e idosos praticantes de atividade física também apresentaram menores concentrações séricas de LDL, VLDL, triglicérides e de glicose em jejum do que indivíduos sedentários. Os idosos praticantes de atividade física exibiram menores concentrações séricas de IL-1β e TNF-α do que indivíduos de adultos sedentários, bem como menores valores para as concentrações séricas de IL-17, IL-1β, TNF-α e IFN-γ do que a sua contraparte sedentária. Neste estudo não detectamos diferenças entre as concentrações séricas de testosterona e estradiol entre os grupos. CONCLUSÃO: A prática de atividade física mostrou-se benéfica tanto para homens adultos como para homens idosos diabéticos e hipertensos, configurando, nestes, um menor risco cardiovascular associado à patogênese destas doenças. No entanto, os nossos resultados sugerem que, para homens portadores de HAS e DMT2, a prática de atividade física pode ser mais valiosa do que a idade na modulação de marcadores fisiopatológicos destas comorbidades, principalmente por participar da regulação de das concentrações séricas de marcadores da inflamação sistêmica relacionados ao risco cardiometabólico.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION / OBJECTIVE: Systemic arterial hypertension (SAH) and type 2 diabetes mellitus (T2DM) are two important chronic noncommunicable diseases (NCDs) responsible for a high worldwide mortality associated with a high cardiometabolic risk. Aging is marked by a broad spectrum of physiological changes that configure the elderly as a risk group for the development of NCDs. Drug therapy for SAH and DMT2 is often accompanied by physical activity, and this approach is associated with the reduction of cardiometabolic risk associated with these comorbidities. However, little is known about the existence of distinct therapeutic benefit profiles of physical activity among elderly and middle-aged hypertensive and diabetic men. Therefore, the objective of this study was to compare pathophysiological markers of SAH and DMT2 among middle-aged and elderly individuals, while physical activity practitioners or sedentary. METHODS: In this study, 94 men with SAH and DMT2 were included. The work involved the application of the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) and the Quality of Life and Health Assessment Questionnaire (QVS-80). A blood sample was collected from the participants and an anthropometric evaluation was performed. the practice of physical activity was defined by at least 150 minutes of physical activity per week for a period of at least three months. Individuals older than or equal to 60 years were classified as elderly. Blood samples were submitted to biochemical (HDL, LDL, VLDL, triglyceride and fasting glucose), hormonal (total testosterone and estradiol) and immunological analysis (IL-1β, IL-17, IFN-γ, TNF-α and IL-10). RESULTS: Physical activity practitioners presented higher lean mass and bone mass, as well as lower fat mass than sedentary individuals. The lean mass participated in an axis of multiple negative correlations with pathological markers of SAH and DMT2, correlating negatively with the ratio between waist circumference and height, fat mass, and body mass index. In physically active elderly, lean mass still correlated negatively with systemic inflammatory markers and positively with IL-10 and serum estradiol. Physical activity subjects also had lower serum concentrations of LDL, VLDL, triglycerides and fasting glucose. Physically active elderly exhibited lower serum concentrations of IL-1β and TNF-α than sedentary middle-aged men, as well as lower serum concentrations of IL-17, IL-1β, TNF-α and IFN-γ than its sedentary counterpart. In this study we detected differences between the serum concentrations of testosterone and estradiol between the groups. CONCLUSION: Together, our results suggest that, for men with SAH and DMT2, the practice of physical activity is more valuable than the aging phenom in the modulation of pathophysiological markers of these SAH and DMT2, mainly because it participates in the regulation of the systemic inflammation observed in these comorbidities. However, the practice of physical activity has shown to be beneficial for both middle-aged and elderly diabetic and hypertensive men, being associated with have a lower cardiovascular risk in the pathogenesis of these diseases. 

3
  • THIAGO MACÊDO LOPES CORREIA
  • EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO NA PROTEÇÃO CONTRA O ESTRESSE OXIDATIVO E INFLAMAÇÃO MUSCULARES INDUZIDOS PELA FUMAÇA DO CIGARRO

  • Orientador : RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • JOSÉ AILTON OLIVEIRA CARNEIRO
  • Data: 17/09/2019

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Investigar os efeitos do treinamento físico sobre alterações no desempenho físico, capacidade antioxidante e expressão gênica de marcadores inflamatórios no músculo esquelético de camundongos expostos à fumaça do cigarro (FC). Métodos: Foram utilizados 32 camundongos C57/BL6 machos com oito semanas de idade divididos aleatoriamente em quatro grupos (n = 8 / grupo), que foram submetidos ou não à FC e exercício físico: sedentário (SED), SED+FC, treinado (TRE) e TRE+FC. Todos os animais foram submetidos ao teste progressivo máximo de natação para avaliação da capacidade aeróbica e ao teste de tela invertida para avaliação da resistência muscular. A massa corporal total (MCT) e o consumo alimentar foram verificados semanalmente ao longo de todo o experimento. Após a eutanásia, os depósitos de tecido adiposo visceral (TAV) e os músculos gastrocnêmios foram coletados e pesados. O TAV foi utilizado para calcular o índice de adiposidade e os músculos para ensaios de atividade da glutationa peroxidase e catalase e expressão dos genes que codificam marcadores proteicos de inflamação. Resultados: O consumo alimentar aumentou entre as medidas iniciais (1ª a 4ª semana) e finais (5ª a 8ª semana) em todos os grupos. A comparação entre os grupos indicou que os camundongos expostos à fumaça do cigarro apresentaram consumo alimentar menor, quando comparados ao grupo SED, não havendo diferença estatística em relação ao grupo TRE. Houve redução da MCT entre as medidas iniciais e finais apenas nos grupos expostos a fumaça do cigarro (SED+FC e TRE+FC). A comparação da MCT entre grupos não mostrou diferença significativa entre estes. O peso da carcaça e o índice de adiposidade foram menores no grupo SED+FC, em relação aos demais grupos. O desempenho no teste de nado forçado melhorou entre as medidas iniciais e finais em todos os grupos. A comparação entre os grupos mostrou que o grupo TRE apresentou melhor desempenho quando comparado aos demais grupos; de forma oposta, o grupo SED+FC apresentou pior desempenho quando comparado aos demais grupos, enquanto os grupos SED e TRE+FC não apresentaram diferença estatística entre si. O desempenho no teste da tela invertida melhorou entre as medidas iniciais e finais apenas no grupo TRE. A comparação entre os grupos mostrou que o grupo TRE apresentou melhor desempenho quando comparado aos demais grupos, enquanto os grupos SED, SED+FC e TRE+FC não apresentaram diferença estatística entre si. A atividade da enzima catalase foi estatisticamente maior no grupo TRE em relação aos demais grupos. Já para a enzima GPx, não foi observada diferença significativa entre os grupos. A análise de expressão gênica indicou que, comparado aos demais grupos, os animais do grupo SED+FC expressaram mais TNFα e MCP-1 e menos HO-1. A expressão do gene da citocina IL-10 foi maior no grupo TRE, quando comparado aos grupos SED e SED+FC, enquanto a do gene TGF-β foi maior no grupo SED+FC, quando comparado ao grupo TRE. Não houve diferença estatística entre os grupos na expressão dos genes relacionados às citocinas IL-1β e IL-6. Conclusão: Quatro semanas de exposição à fumaça induziram à redução do consumo alimentar, acompanhada de maior comprometimento da massa e composição corporal, além de redução do desempenho físico e alteração na expressão de genes associados a manutenção ou controle da inflamação. Em contrapartida, a prática regular de exercício físico protegeu os animais expostos à fumaça contra alterações na composição corporal, desempenho físico e expressão dos genes TNF-α, MCP-1 e HO-1.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: To investigate the effects of physical training on changes in physical performance, antioxidant capacity and gene expression of inflammatory markers in skeletal muscle of mice exposed to cigarette smoke (CS). Methods: Thirty-eight eightweek-old male C57 / BL6 mice were randomly divided into four groups (n = 8 / group), submitted or not to CS and physical exercise: sedentary (SED), SED + CS, trained (TRE). and TRE + CS. All animals underwent the maximum progressive swimming test to assess aerobic capacity and inverted screen test for muscle endurance assessment. Total body mass (TBM) and food intake were verified weekly throughout the experiment. After euthanasia, visceral adipose tissue (TAV) deposits and gastrocnemius muscles were collected and weighed. TAV was used to calculate adiposity index and muscle were for glutathione peroxidase and catalase activity assays and expression of genes encoding protein markers of inflammation. Results: Food intake increased between the initial (1st to 4th week) and final (5th to 8th week) measurements in all groups. The comparison between the groups indicated that the mice exposed to cigarette smoke had lower food consumption when compared to the SED group, with no statistical difference compared to the TRE group. There was a reduction in TBM between the initial and final measurements only in the groups exposed to cigarette smoke (SED + CS and TRE + CS). Comparison of TBM between groups showed no significant difference between them. Carcass weight and adiposity index were lower in the SED + CS group compared to the other groups. Forced swim test performance improved between initial and final measurements in all groups. The comparison between the groups showed that the TRE group presented better performance when compared to the other groups; On the other hand, the SED + CS group presented worse performance when compared to the other groups, while the SED and TRE + CS groups did not present statistical difference. Performance in the inverted screen test improved between initial and final measurements in the TRE group only. The comparison between the groups showed that the TRE group presented better performance when compared to the other groups, while the SED, SED + CS and TRE + CS groups did not present statistical difference. Catalase enzyme activity was statistically higher in the TRE group compared to the other groups. For GPx enzyme, no significant difference was observed between the groups. Gene expression analysis indicated that, compared to the other groups, animals from the SED + CS group expressed more TNF-α and MCP-1 and less HO-1. The expression of the IL-10 cytokine gene was higher in the TRE group when compared to the SED and SED + CS groups, while the TGF-β gene expression was higher in the SED + CS group when compared to the TRE group. There was no statistical difference between groups in the expression of IL-1β and IL-6 cytokine-related genes. Conclusion: Four weeks of exposure to cigarette smoke induced a reduction in food intake, accompanied by greater impairment of body mass and composition, as well as reduced physical performance and altered gene expression associated with maintaining or controlling inflammation. In contrast, regular exercise protected animals exposed to smoke from changes in body composition, physical performance, and expression of the TNF-α, MCP-1, and HO-1 genes.

Teses
1
  • CLARISSA LEAL SILVA E SOUZA
  • Avaliação do papel do estrógeno na resposta imunológica de monócitos/macrófagos induzida por Staphylococcus aureus

  • Orientador : LUCAS MIRANDA MARQUES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • GUILHERME BARRETO CAMPOS
  • JESSICA BOMFIM DE ALMEIDA
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • TELMA DE JESUS SOARES
  • Data: 02/12/2019

  • Mostrar Resumo
  • Evidências clínicas e experimentais apoiam a hipótese de que os esteroides sexuais regulam a resposta imunológica e, consequentemente, exercem efeitos sobre condições patológicas adversas, como as infecções bacterianas. De um modo geral, o paradigma da influência hormonal sobre a resposta imunológica estipula que o estrógeno aumenta essa resposta, enquanto que a testosterona suprime. Contudo, dados na literatura ainda são controversos. Ainda, há uma lacuna no que diz respeito ao papel do estrógeno nas infecções por bactérias Gram-positivas, como S. aureus. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da ovariectomia e do 17β-estradiol na resposta imunológica induzida por S. aureus em um modelo in vitro de macrófagos peritoneais murinos (MPMs) e monócitos humanos do sangue periférico (hPMs) e em um modelo in vivo. Para isso, camundongos fêmeas BALB/c foram ovariectomizadas (OVX) ou sham-operadas (Sham). No modelo animal, as fêmeas foram inoculadas intraperitonealmente com S. aureus ATCC 25923 ou salina estéril. Os animais foram eutanasiados em 7 períodos diferentes com intervalo de 24 horas cada e 10 fêmeas (n = 5 Sham/n = 5 OVX) foram agrupadas para cada período. Após a eutanásia, amostras de sangue foram coletadas para contagem total e diferencial de leucócitos e quantificação de S. aureus por RT-PCR. O útero e o baço foram removidos e pesados. O soro foi destinado para avaliação dos níveis de estradiol. Os pulmões foram removidos e fracionados para realização da análise imuno-histoquímica para detecção de macrófagos (anti-CD68) e expressão gênica relativa de IL-6, IL-1β e TNF-α por RT-PCR. Os resultados mostraram que fêmeas OVX apresentaram esplenomegalia e resposta tardia de monócitos em comparação com às shams. A inoculação intraperitoneal causou bacteremia em ambos os grupos, e as fêmeas OVX apresentaram um recrutamento pulmonar tardio de macrófagos. Além disso, as fêmeas OVX apresentaram maior expressão gênica de IL-1β, TNF-α e IL-6. A maior expressão de IL-6 em comparação às fêmeas sham foi observada mesmo na ausência da infecção. No modelo in vitro foi realizado o isolamento de macrófagos peritoneais (2 x 105 ), de camundongos fêmeas shams (n=3) e OVX (n=3) e machos (n=3), induzidos por tioglicolato e que foram inoculados com S. aureus por 6 horas. Os macrófagos obtidos das fêmeas OVX e dos machos foram previamente tratados por 24 horas com 17β-estradiol (E2) (10-7 M). Os macrófagos foram coletados e destinados para avaliação da expressão gênica relativa de TNF-α, IL-1β, IL-6, IL8 e TLR2. Os resultados mostraram que o tratamento com E2 diminuiu a expressão gênica das citocinas, com exceção de IL-8, em que os MPMs de machos apresentaram um aumento da expressão. Ainda, E2 diminui a expressão gênica do receptor TLR2. No modelo in vitro de hPMs, foram selecionados seis homens e seis mulheres e os hPMs foram isolados a partir de amostras do sangue periférico dos voluntários. Nas mulheres, o sangue foi coletado tanto no período menstrual quanto no período fértil. Após 24h em estufa de CO2, os hPMs foram inoculados por S. aureus por 6 horas. Após esse período, o sobrenadante foi coletado para análise de citocinas por Luminex e os hPMs removidos para análise de 84 genes envolvidos na resposta do hospedeiro a infecções bacterianas por RT-PCR array. Observou-se que, em comparação aos hPMs masculinos, os hPMs masculinos tratados com E2 produziram menos TNF-α, IL-1 e IL-6 e mais IL-23, IL-27 e GM-CSF, e os hPMs de mulheres no período fértil produziram menos TNF-α, IL-1 e produziram mais IL-10, IL-12, IL-23 e IL-27. Em comparação aos hPMs de mulheres no período menstrual, os hPMs de mulheres no período fértil produziram mais IL-12. hPMs masculinos tratados com E2 e hPMs de mulheres no período fértil expressaram menos TRL2 que hPMs masculinos. De acordo a análise da expressão gênica foi possível inferir que o E2 inibiu a via do NFκB. Com isso, conclui-se que o estrógeno atua como um imunoprotetor por modular uma ação anti-inflamatória na resposta imunológica induzida por S. aureus.


  • Mostrar Abstract
  • Clinical and experimental evidence supports the hypothesis that sex steroids regulate the immune response and thus exert effects on adverse pathological conditions such as bacterial infections. In general, the hormonal influence paradigm on the immune response stipulates that estrogen increases this response, while testosterone suppresses it. However, data in the literature are still controversial. Still, there is a gap regarding the role of estrogen in infections with Gram-positive bacteria such as S. aureus. The aim of this study was to evaluate the influence of ovariectomy and 17β-estradiol on S. aureus-induced immune response in an in vitro model of murine peritoneal macrophages (MPMs) and human peripheral blood monocytes (hPMs) and in an in vivo model. For this, female BALB / c mice were ovariectomized (OVX) or sham operated (Sham). In the animal model, females were inoculated intraperitoneally with S. aureus ATCC 25923 or sterile saline. The animals were euthanized at 7 different periods with 24-hour interval each and 10 females (n = 5 Sham / n = 5 OVX) were grouped for each period. After euthanasia, blood samples were collected for total and differential leukocyte count and quantification of S. aureus by RT-PCR. The uterus and spleen were removed and weighed. The serum was intended for evaluation of estradiol levels. The lungs were removed and fractionated for immunohistochemical analysis for macrophage detection (anti-CD68) and relative gene expression of IL-6, IL-1β and TNF-α by RT-PCR. The results showed that OVX females had splenomegaly and late monocyte response compared to shams. Intraperitoneal inoculation caused bacteremia in both groups, and OVX females presented late pulmonary recruitment of macrophages. In addition, OVX females showed higher gene expression of IL-1β, TNF-α and IL-6. Higher IL-6 expression compared to sham females was observed even in the absence of infection. In the in vitro model, thioglycolate-induced peritoneal macrophages (2 x 105 ) of female shams (n = 3), OVX (n = 3) and male (n = 3) mice were inoculated with S. aureus for 6 hours. Macrophages obtained from OVX females and males were previously treated for 24 hours with 17βestradiol (E2) (10-7 M). The macrophages were collected and destined to evaluate the relative gene expression of TNF-α, IL-1β, IL-6, IL-8 and TLR2. Results showed that E2 treatment decreased cytokines gene expression, except for IL-8, in which male MPMs showed increased expression. Also, E2 decreases TLR2 receptor gene expression. In the in vitro model of hPMs, six men and six women were selected and hPMs were isolated from peripheral blood samples of the volunteers. In women, blood was collected in both menstrual and fertile periods. After 24h in a CO2 oven, the hPMs were inoculated by S. aureus for 6 hours. After this period, the supernatant was collected for Luminex cytokine analysis and the hPMs removed for analysis of 84 genes involved in host response to bacterial infections by RT-PCR array. Compared to male hPMs, it was observed that E2-treated male hPMs produced less TNF-α, IL-1 and IL-6 and more IL-23, IL-27 and GM-CSF, and women's hPMs in the fertile period produced less TNF-α, IL-1 and produced more IL-10, IL-12, IL-23 and IL-27. Compared to hPMs from women in menstrual period, the hPMs from women in the fertile period produced more IL-12. Male hPMs treated with E2 and hPMs of women in the fertile period expressed less TRL2 than male hPMs. According to the analysis of gene expression it was possible to infer that E2 inhibited the NFκB pathway. It is concluded that estrogen acts as an immunoprotectant by modulating an antiinflammatory action on the immune response induced by S. aureus. Keywords: Sexual dimorphism. 17β-estradiol.

2
  • DENISAR PALMITO DOS SANTOS
  • Avaliação de novos fotossensibilizadores para a Terapia Fotodinâmica no tratamento da infecção intradérmica por Staphylococcus aureus em modelo murino 

  • Orientador : ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AMELIA CRISTINA MENDES DE MAGALHAES GUSMAO
  • DIRCEU JOAQUIM COSTA
  • FABRICIO FREIRE DE MELO
  • REGIANE YATSUDA
  • ROBSON AMARO AUGUSTO DA SILVA
  • Data: 05/12/2019

  • Mostrar Resumo
  • Infecções bacterianas são um problema de saúde pública devido a grande variedade de microrganismos patogênicos. Entre estes, Staphylococcus aureus é o principal agente causador de infecções bacterianas no mundo e diversas cepas deste agente já são capazes de criar resistência a terapia medicamentosa convencional.  Nesse contexto, a terapia fotodinâmica antimicrobiana (antimicrobial photodynamic therapy; aPDT) aparece como uma ferramenta promissora por meio da inativação microbiana com o uso da luz. Em geral, a aPDT é aplicada em tratamentos envolvendo fotossensibilizadores capazes de gerar radicais livres de oxigênio que vão levar a depuração bacteriana. Assim, este trabalho propõe de maneira pioneira o uso do Resveratrol e do extrato de Myrciaria cauliflora como fotossensibilizadores na terapia antimicrobiana contra S. aureus. Métodos: Testes in vitro foram realizados para determinar a atividade antibacteriana dos fotossensibilizadores fotoativados com luz LED azul, bem como experimentos com ácido úrico para verificação da formação de oxigênio singlete . Possíveis alterações estruturais do Resveratrol foram avaliadas por HPLC. Nos ensaios in vivo, o modelo de bolsão de ar foi realizado em camundongos C57Bl/6 para avaliar a atividade antimicrobiana do Resveratrol fotoativado, além da avaliação da migração celular por técnicas histológicas e produção de citocinas pela técnica de ELISA. Em outra análise, um modelo de infecção intradérmica, na orelha esquerda foi realizado para avaliação dos dois fotossensibilizadores, separadamente, em camundongos Balb/c. Após a infecção e eutanásia, a orelha foi coletada e utilizada a técnica de imunohistoquímica para a marcação de Mieloperoxidase (MPO) e E-caderina. O linfonodo dos animais foi retirado para avaliação da carga bacteriana e produção de citocinas. Resultados e discussão: O Resveratrol fotoativado exibiu um aumento na marcação para MPO sendo sua ação antibacteriana, possivelmente causada pela formação de oxigênio singlete . No modelo de bolsão de ar, foram produzidas citocinas TNF-α e IL-17A, diminuindo a carga bacteriana e, consequentemente, diminuindo inflamação após 24 horas de infecção. A diminuição do número de celulas no ambiente inflamatório foi associada à resolução da inflamação, juntamente com maior produção de IL-10. Além disso, foi observado na derme da orelha dos animais, que o Resveratrol fotoativado promoveu um aumento produção de MPO com redução da carga bacteriana no linfonodo drenante. Em relação a Myrciaria cauliflora foi observada a  redução na carga bacteriana nos testes in vitro, com aumento da produção de TNF-α, 17A no linfonodo drenate e MPO no sítio indradérmico de infecção. Conclusão: A partir dos dados analisados, é possível predizer que o Resveratrol e o extrato de Myrciaria cauliflora  são fotossensibilizadores promissores para a terapia fotodinâmica antimicrobiana, sobretudo para o controle da carga bacteriana em infecções intradérmicas causadas por S. aureus.


  • Mostrar Abstract
  • Bacterial infections are a public health problem due to the wide variety of pathogenic microorganisms. Among these, Staphylococcus aureus is the main causative agent of bacterial infections in the world and several strains of this agent are already able to resist conventional drug therapy. In this context, antimicrobial photodynamic therapy (aPDT) appears as a promising tool through microbial inactivation with the use of light. In general, aPDT is applied in treatments involving photosensitizers capable of generating oxygen free radicals that will lead to bacterial clearance. Thus, this work has pioneered the use of Resveratrol and Myrciaria cauliflora extract as photosensitizers in antimicrobial therapy against S. aureus. Methods: In vitro tests were performed to determine the antibacterial activity of blue LED light-activated photosensitizers, as well as experiments with uric acid to verify singlet oxygen formation. Possible structural changes of Resveratrol were evaluated by HPLC. In in vivo assays, the air pocket model was performed in C57Bl/6 mice to evaluate the antimicrobial activity of photoactivated Resveratrol, as well as to evaluate cell migration by histological techniques and cytokine production by ELISA. In another analysis, a model of intradermal infection in the left ear was performed to evaluate the two photosensitizers separately in Balb/c mice. After infection and euthanasia, the ear was collected and the immunohistochemistry technique was used to mark Myeloperoxidase (MPO) and E-cadherin. The lymph node of the animals was removed to evaluate the bacterial load and cytokine production. Results and Discussion: Photoactivated Resveratrol exhibited an increase in MPO labeling and its antibacterial action, possibly caused by singlet oxygen formation. In the air pocket model, TNF-α and IL-17A cytokines were produced, decreasing bacterial load and, consequently, decreasing inflammation after 24 hours of infection. Decreased number of cells in the inflammatory environment was associated with resolution of inflammation along with higher IL-10 production. In addition, it was observed in the ear dermis that photoactivated Resveratrol promoted an increase in MPO production with reduction of bacterial load in the draining lymph node. Regarding Myrciaria cauliflora, a reduction in bacterial load was observed in in vitro tests, with increased production of TNF-α, 17A in the lymph node drainage and MPO in the indradermal site of infection. Conclusion: From the analyzed data, it is possible to predict that Resveratrol and Myrciaria cauliflora extract are promising photosensitizers for antimicrobial photodynamic therapy, especially for the control of bacterial load in intradermal infections caused by S. aureus.

2018
Dissertações
1
  • AMANDA ALVES DE ALMEIDA
  • Influência da intensidade e frequência semanal de treinamento físico contra a lesão renal induzida por cisplatina.

  • Orientador : RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TELMA DE JESUS SOARES
  • RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • JOSÉ AILTON OLIVEIRA CARNEIRO
  • Data: 23/08/2018

  • Mostrar Resumo
  • Investigar a influência dos parâmetros: intensidade e frequência semanal durante 8 semanas de exercício físico aeróbico, sobre as adaptações da defesa antioxidante e alterações funcionais e estruturais nos rins de camundongos em um modelo de Injúria Renal Aguda induzida pela cisplatina. Foram utilizados 40 camundongos Swiss machos com quatro meses de idade (16 semanas) que foram randomicamente distribuídos em cinco grupos experimentais (n = 8/grupo): 1.Sedentário, 2. (BI_3X) Treinado em baixa intensidade 3 vezes por semana, 3. (AI_3X) Treinado em alta intensidade 3 vezes por semana, 3. (BI_5X) Treinado em baixa intensidade 5 vezes por semana e (AI_5X) Treinado em alta intensidade 5 vezes por semana. Praticaram exercício físico, nado forçado, por 8 semanas e ao término do período de treinamento, foi administrado antineoplásico Cisplatina em todos os grupos experimentais para indução da Injúria Renal Aguda. Após 96 horas da administração os animais foram eutanasiados e os rins, músculos e tecidos adiposos viscerais retirados para posterior análise. Avaliou-se parâmetros de composição corporal, estrutura e função renal, marcadores de peroxidação lipídica e atividade de enzimas antioxidantes, bem como a expressão de genes envolvidos nas vias de balanço redox, inflamatória e apoptóticas. Os resultados obtidos revelaram que a frequência semanal de 3 vezes por semana promoveu melhores resultados com relação a melhora da estrutura renal, do balanço redox e dos processos apoptóticos. Observou-se que o grupo treinado em frequência 3 vezes por semana, independente da intensidade, apresentou maior massa de tecido adiposo marrom quando comparado aos demais grupos experimentais. Estruturalmente houve melhores resultados relacionados a essa mesma frequência com menor porcentagem de túbulos necróticos o que pode ter refletido numa melhora funcional com menor concentração sérica de ureia. Não houve diferença significativa na concentração sérica de creatinina entre os grupos experimentais. A peroxidação lipídica foi maior no grupo sedentário quando comparados aos grupos exercitados, independentemente da frequência e intensidade. Entretanto a atividade da catalase foi maior em todos os grupos exercitados em comparação ao grupo sedentário. O grupo treinado BI_3X apresentou
    maior atividade da GPx e menor expressão gênica do NFkB e Caspase-3. Não houve diferenças significativas na expressão gênica do Nrf2 em nenhum dos grupos experimentais. Nossos dados demonstram que a frequência semanal de treinamento foi o parâmetro de maior influência sobre o balanço redox e apoptose e inflamação, na injúria renal aguda induzida pela cisplatina. O resultados indicam que o aumento da capacidade antioxidante no tecido renal atenuam o processo inflamatório e vias de sinalização de morte celular, eventos estes que constituem a fisiopatologia da injúria
    renal aguda induzida pela cisplatina.


  • Mostrar Abstract
  • To investigate the influence of the parameters: intensity and weekly frequency during 8 weeks of aerobic exercise, on the adaptations of the antioxidant defense and functional and structural alterations in the kidneys of mice in a model of acute renal injury induced by cisplatin. Fourty old male Swiss mice at four months of age (16 weeks) were randomly assigned to five experimental groups (n = 8 / group): 1.
    Sedentary, 2. (LI_3X) low intensity training 3 times per week, 3. (HI_3X) high intensity training 3 times per week, 4. (LI_5X) low intensity training 5 times per week and 5. (HI_5X) high intensity training 5 times per week. They practiced forced swimming for 8 weeks and at the end of the training period the antineoplastic Cisplatin was administered in all the experimental groups for induction of acute renal injury. After 96 hours of administration the animals were euthanized and the kidneys, muscles and visceral adipose tissues were removed for further analysis. Body composition parameters, renal structure and function, lipid peroxidation markers and antioxidant enzymes activity, as well as the expression of genes involved in the redox, inflammatory and apoptotic balance pathways were evaluated. The results showed that the weekly frequency of 3 times per week promoted better results in relation to the improvement of renal structure, redox balance and apoptotic processes. It was observed that the group trained in the frequency of 3 times per week, regardless of the intensity, had a greater mass of brown adipose tissue when compared to the other experimental groups. Structurally there were better results related to this same
    frequency with a lower percentage of necrotic tubules, which may have reflected a functional improvement with lower serum urea concentration. There was no significant difference in serum creatinine concentration between the experimental groups. The lipid peroxidation was higher in the sedentary group when compared to the exercised groups, regardless of frequency and intensity. However, catalase activity was higher in all groups compared to the sedentary group. The trained group BI_3X presented higher GPx activity and lower gene expression of NFkB and Caspase-3. There were no significant differences in the gene expression of Nrf2 in any of the experimental groups. Our data demonstrate that weekly training frequency was the parameter of greatest influence on redox balance and apoptosis and inflammation in acute renal injury induced by cisplatin. The results indicate that increased antioxidant capacity in
    renal tissue attenuates the inflammatory process and cell death signaling pathways, which constitute the pathophysiology of acute renal injury induced by cisplatin.

2
  • LORENA LÔBO BRITO MORBECK
  • AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA, ANTINOCICEPTIVA, ANTIOXIDANTE E TOXICOLÓGICA DO EXTRATO ETANÓLICO E DAS FRAÇÕES DO CAULE E CASCA DA Aschynomene martii BENTH

  • Orientador : REGIANE YATSUDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUCAS MIRANDA MARQUES
  • REGIANE YATSUDA
  • ÉRIKA PEREIRA DE SOUZA
  • Data: 18/12/2018

  • Mostrar Resumo
  • A espécie vegetal a ser estudada, Aeschynomene martii Benth, do gênero Aeschynomene, família das Leguminosae, possuem compostos bioativos com grande potencial farmacológico a serem usados. O estudo teve como objetivo avaliar as atividades antinociceptiva, anti-inflamatória, antioxidante e toxicológica do caule e casca da A. martii Benth, coletada na região da Floresta Nacional Contendas do Sincorá (FLONA). O extrato etanólico foi preparado por maceração e submetido à extração por partição. Após a evaporação, foram obtidas as quatro frações do extrato bruto com os seguintes rendimentos: 13,21% (hexano), 40,92% (diclorometano), 30,68% (acetato de etila) e 8,10% (butanol) em relação ao peso do extrato bruto 17,03 g. A prospecção fitoquímica das frações foi realizada por CCD com reveladores específicos. As frações de hexano e diclorometano tiveram seus perfis cromatográficos avaliados por CG-EM com destaque para a identificação de: estigmasterol, -sitosterol, lupenona, 3,3',4',5,5',7-hexametoxiflavona, além dos ácidos graxos. A atividade antioxidante foi avaliada por teste do sequestro do radical livre DPPH, o extrato etanólico e as frações não apresentaram atividade antioxidante significativa (p < 0,05), além de serem classificadas quanto à concentração inibitória (boa, média e baixa, respectivamente). Para os ensaios antinociceptivo e antiinflamatório foram utilizados camundongos machos adultos Balb/c. O efeito antinociceptivo foi avaliado pelos testes: Contorção abdominal induzido por ácido acético 0,6%, onde todas as frações (25 mg/kg) promoveram redução significativa das respostas nociceptivas (p < 0,05). Injeção intraplantar de formalina 1,5%, na fase 1 e 2, as frações (25 mg/kg) reduziram o número de “flinches”, em comparação ao controle negativo (p < 0,05), quando comparadas ao grupo controle positivo morfina, as frações de diclorometano e butanol não apresentaram diferença estatística (p < 0,05), o edema de pata formado reduziu significativamente nas frações (25 mg/kg) de hexano, diclorometano e acetato de etila (p < 0,05). No Von Frey eletrônico por injeção intraplantar de carragenina (Cg), todas as frações (25 mg/kg) foram capazes de reduzir significativamente a hipernocicepção (p < 0,05). Para a determinação da atividade anti-inflamatória foram realizados testes de: Migração de neutrófilos para a cavidade peritoneal, onde todas as frações (25 mg/kg) apresentaram redução significativamente a migração de neutrófilos em (p < 0,05); Determinação dos níveis de nitrito, todas as frações (25 mg/kg) apresentaram redução significativa (p < 0,05). Avaliação da permeabilidade vascular por azul de Evans, que mostrou uma significativa redução do extravasamento do corante no líquido peritoneal (p < 0,05). Para determinação da toxicidade frente à Artemia salina Leach, as classificações de toxicidade das frações foram ativa no extrato etanólico e hexano, moderada em diclorometano e inativa em acetato de etila e butanol. Os resultados permitem considerar que a A. martii Benth é uma promissora fonte natural para a identificação de novos compostos bioativos e agentes terapêuticos, bem como uma espécie promissora para uso quanto fitoterápico.


  • Mostrar Abstract
  • The plant species to be studied, Aeschynomene martii Benth, of the genus Aeschynomene, family of Leguminosae, possess bioactive compounds with great pharmacological potential to be used. The objective of this study was to evaluate the antinociceptive, anti-inflammatory, antioxidant and toxicological activities of A. martii Benth stem and bark, collected in the Contendas do Sincorá National Forest region (FLONA). The ethanolic extract was prepared by maceration and subjected to partition extraction. After evaporation, the four fractions of the crude extract were obtained in the following yields: 13.21% (hexane), 40.92% (dichloromethane), 30.68% (ethyl acetate) and 8.10% (butanol) relative to the weight of the crude extract 17.03 g. The phytochemical exploration of the fractions was performed by CCD with specific developers. Fractions of hexane and dichloromethane had their chromatographic profiles evaluated by GC-MS, with the emphasis on the identification: stigmasterol, b-sitosterol, lupenone, 3,3',4',5,5',7-hexamethoxyflavone, besides the acids fatty acids. The antioxidant activity was evaluated by the DPPH free radical sequestration test, the ethanolic extract and the fractions showed no significant antioxidant activity (p < 0.05), besides being classified as inhibitory concentration (good, medium and low, respectively). For the antinociceptive and anti-inflammatory assays adult male Balb/c mice were used. The antinociceptive effect was evaluated by the following tests: 0.6% acetic acid-induced abdominal contortion, where all fractions (25 mg/kg) promoted a significant reduction in nociceptive responses (p < 0.05). Intraplantar injection of formalin 1.5%, in phases 1 and 2, the fractions (25 mg/kg) reduced the number of flinches in comparison to the negative control (p < 0.05), when compared to the positive control group morphine, dichloromethane and butanol fractions did not present statistical difference (p < 0.05), the paw edema formed significantly reduced in the fractions (25 mg/kg) of hexane, dichloromethane and ethyl acetate (p < 0.05). In the electronic Von Frey by intraplantar injection of carrageenan (Cg), all fractions (25 mg/kg) were able to significantly reduce hypernociception (p < 0.05). For the determination of anti-inflammatory activity, tests were performed: Neutrophil migration to the peritoneal cavity, where all fractions (25 mg/kg) showed a significant reduction in neutrophil migration in (p < 0.05); Determination of nitrite levels, all fractions (25 mg/kg) presented a significant reduction (p < 0.05). Evaluation of vascular permeability by Evans blue, which showed a significant reduction of dye extravasation in the peritoneal fluid (p < 0.05). To determine the toxicity to Artemia saline Leach, the toxicity classifications of the fractions were active in ethanolic extract and hexane, moderate in dichloromethane and inactivated in ethyl acetate and butanol. The results allow us to consider that A. martii Benth is a promising natural source for the identification of novel bioactive compounds and therapeutic agents, as well as a promising species for use as a herbal remedy.

SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2022 - UFBA