Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFBA

2024
Dissertações
1
  • ROMÁRIO CORREIA DOS SANTOS
  • Processo de trabalho das agentes comunitárias de saúde no contexto da revolução tecnológica 4.0.

  • Orientador : LILIANA SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LÍVIA MILENA BARBOSA DE DEUS E MÉLLO
  • PAULETTE CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • LILIANA SANTOS
  • Data: 03/01/2024

  • Mostrar Resumo
  • Atualmente a humanidade vivencia uma nova transformação digital conhecida por revolução tecnológica 4.0 caracterizada pela interrelação de domínios físicos, biológicos e cibernéticos com implicações em todos os âmbitos da sociedade, inclusive no trabalho em saúde. A saúde digital é um exemplo dessa nova realidade tecnológica nas ações e práticas em saúde, sendo suas ferramentas intensamente utilizadas a partir da pandemia da Covid-19, sobretudo na atenção primária à saúde e no trabalho das Agentes Comunitárias de Saúde (ACS) no Brasil. Todavia, são escassos os estudos que abordam o trabalho em saúde das ACS nesse contexto de revolução digital que possam subsidiar formuladores de política e gestores na tomada de decisão para uma absorção tecnológica. Assim, esta dissertação teve como objetivo analisar as reconfigurações do processo de trabalho das ACS diante da intensificação do uso das tecnologias da revolução 4.0 sob a ótica dos gestores, da própria categoria e de outros profissionais da saúde. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com triangulação de métodos, produzidos através de diferentes estratégias, tais como: revisão da literatura, observação não participante, entrevistas e grupos focais, visando à análise em profundidade do objeto estudado. Posteriormente a produção dos dados, o material foi organizado a partir da análise de conteúdo e a interpretação deu-se à luz da teoria do processo de trabalho em saúde e das condições de trabalho. Os resultados são apresentados na forma de três artigos, sendo o primeiro uma revisão de literatura internacional que mapeou experiências de trabalhadores comunitários de saúde que utilizam tecnologias digitais no seu processo de trabalho, apontando benefícios para a gestão do trabalho destes profissionais e para o sistema de saúde; além de desafios em torno do contexto de trabalho em uma realidade digital. O segundo artigo discute características gerais do trabalho das ACS com o uso das tecnologias digitais, bem como apresenta experiências singulares de sua atuação territorial apontando convergências e divergências do cenário nacional em relação ao internacional. Por fim, o terceiro artigo aborda as condições de trabalho das ACS na saúde digital evidenciando quais os desafios impostos a efetivação de suas práticas e em que medida há uma contribuição ou não para sua precarização. Conclui-se que a absorção das tecnologias digitais nas práticas das ACS é irreversível e influencia no seu processo de trabalho com avanços em torno da garantia do acesso à saúde. No entanto, pode, ao mesmo tempo, configurar-se como um fator agravante das iniquidades em saúde. Não obstante, a revolução tecnológica 4.0 reveste a profissão ACS de uma nova morfologia de precarização que precisa ser enfrentada pela decisão política de garantia financeira, logística e de educação permanente destas trabalhadoras em saúde em torno não apenas de equipamentos digitais com qualidade e eficiência, mas de uma nova competência tecnológica crítica, emancipatória e culturalmente sensível.


  • Mostrar Abstract
  • Currently, humanity is experiencing a new digital transformation known as technological revolution 4.0, characterized by the interrelationship of physical, biological and cybernetic domains with implications for all areas of society, including health work. Digital health is an example of this new technological reality in health actions and practices, with its tools being intensively used since the Covid-19 pandemic, especially in primary health care and in the work of Community Health Workers (CHWs) in Brazil. However, there are few studies that address the health work of CHWs in this context of digital revolution that can support policymakers and managers in decision-making for technological absorption. Thus, this dissertation aimed to analyze the reconfigurations of the CHWs work process in the face of the intensification of the use of revolution 4.0 technologies from the perspective of managers, the category itself and other health professionals. This is a qualitative research, with triangulation of methods, produced through different strategies, such as: literature review, non-participant observation, interviews and focus groups, aiming at an in-depth analysis of the object studied. After data production, the material was organized based on content analysis and interpretation took place in light of the theory of the health work process and working conditions. The results are presented in the form of three articles, the first being a review of international literature that mapped the experiences of CHWs who use digital technologies in their work process, pointing out benefits for the work management of these professionals and for the healthcare system; in addition to challenges surrounding the context of work in a digital reality. The second article discusses general characteristics of the work of the CHWs with the use of digital technologies, as well as presenting unique experiences of their territorial action, pointing out convergences and divergences in the national scenario in relation to the international one. Finally, the third article addresses the working conditions of CHWs in digital health, highlighting the challenges imposed on the implementation of their practices and to what extent there is a contribution or not to their precariousness. It is concluded that the absorption of digital technologies in CHWs practices is irreversible and influences their work process with advances around guaranteeing access to health. However, it can, at the same time, be an aggravating factor for health inequities. Nevertheless, the technological revolution 4.0 covers the CHWs profession with a new morphology of precariousness that needs to be faced by the political decision to guarantee financial, logistical and permanent education of these health workers around not only digital equipment with quality and efficiency, but of a new critical, emancipatory and culturally sensitive technological competence.

2
  • MAYANA SANTOS SILVA EVANGELISTA
  • DESIGUALDADES SOCIAIS NO ACESSO AO PRÉ-NATAL: ANTES E DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

  • Orientador : DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS
  • MARIA DA GLORIA LIMA CRUZ TEIXEIRA
  • POLIANA REBOUCAS DE MAGALHAES
  • SHEILA MARIA ALVIM DE MATOS
  • Data: 26/01/2024

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho de dissertação investigou as desigualdades sociais no acesso ao pré-natal antes e durante a pandemia de Covid-19, com o objetivo de analisar a magnitude das desigualdades sociais a partir dos marcadores raça/cor, grau de escolaridade e geração/idade na adequação da assistência pré-natal, antes e durante a pandemia de Covid-19, no Brasil, entre os anos de 2014 a 2021. Para alcançar este propósito, foram utilizados os softwares estatísticos Rstudio e Stata (versões 12 e 16) para extrair e analisar dados de agregados do SINASC, e aplicado o cálculo da Fração Atribuível às Desigualdades. Os resultados revelaram que as gestantes adolescentes, com 0 a 3 anos de estudo, indígenas e negras registram a maior taxa de inadequação pré-natal atribuível às desigualdades, destacando que não foi identificado a redução da taxa de inadequação no período de pandemia. Além disso, a análise apontou para o aumento das desigualdades nos períodos de transição de governo em 2016/2017 e 2018/2019. Este estudo contribui para a literatura existente sobre as desigualdades sociais na assistência pré-natal ao [destaque da contribuição]. No entanto, algumas limitações devem ser consideradas, como: a não realização da estratificação da análise por regiões, devido ao tempo para o desenvolvimento do estudo; e o não cumprimento da proposta de utilizar o recorte temporal de 10 anos, 2012 a 2022, devido a variável de adequação pré-natal ter sido inserida no SINASC a partir do ano de 2014 e a base de dados do ano de 2022 ainda não havia sido disponibilizada, havendo a necessidade de reduzir o recorte para os anos de 2014 a 2021. Por tratar-se de um estudo ecológico e observacional, faz-se necessário investir em novos estudos sobre a temática para compreender a relação entre as desigualdades sociais e as suas implicações na assistência pré-natal.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho de dissertação investigou as desigualdades sociais no acesso ao pré-natal antes e durante a pandemia de Covid-19, com o objetivo de analisar a magnitude das desigualdades sociais a partir dos marcadores raça/cor, grau de escolaridade e geração/idade na adequação da assistência pré-natal, antes e durante a pandemia de Covid-19, no Brasil, entre os anos de 2014 a 2021. Para alcançar este propósito, foram utilizados os softwares estatísticos Rstudio e Stata (versões 12 e 16) para extrair e analisar dados de agregados do SINASC, e aplicado o cálculo da Fração Atribuível às Desigualdades. Os resultados revelaram que as gestantes adolescentes, com 0 a 3 anos de estudo, indígenas e negras registram a maior taxa de inadequação pré-natal atribuível às desigualdades, destacando que não foi identificado a redução da taxa de inadequação no período de pandemia. Além disso, a análise apontou para o aumento das desigualdades nos períodos de transição de governo em 2016/2017 e 2018/2019. Este estudo contribui para a literatura existente sobre as desigualdades sociais na assistência pré-natal ao [destaque da contribuição]. No entanto, algumas limitações devem ser consideradas, como: a não realização da estratificação da análise por regiões, devido ao tempo para o desenvolvimento do estudo; e o não cumprimento da proposta de utilizar o recorte temporal de 10 anos, 2012 a 2022, devido a variável de adequação pré-natal ter sido inserida no SINASC a partir do ano de 2014 e a base de dados do ano de 2022 ainda não havia sido disponibilizada, havendo a necessidade de reduzir o recorte para os anos de 2014 a 2021. Por tratar-se de um estudo ecológico e observacional, faz-se necessário investir em novos estudos sobre a temática para compreender a relação entre as desigualdades sociais e as suas implicações na assistência pré-natal.

3
  • TASSIANY CAROLINE SOUZA TRINDADE
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE RAÇA/COR E SABER LER E ESCREVER NAS COMUNIDADES DE TERREIRO DO BRASIL

  • Orientador : JOILDA SILVA NERY
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOILDA SILVA NERY
  • LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • ANA CLAUDIA MORAIS GODOY FIGUEIREDO
  • Data: 01/02/2024

  • Mostrar Resumo
  • As comunidades de terreiros historicamente apresentam os efeitos das desigualdades sociais, que estigmatizam e discriminam sua cultura e modos de produção de vida. As consequências da privação de direitos sociais como educação e saúde, ferem os princípios fundamentais que asseguram a existência humana e a promoção da justiça social. As desigualdades sociais, educacionais e em saúde fazem parte da rotina dessas comunidades, assumindo não apenas um resquício histórico da escravidão, como também resultado das iniquidades raciais que nunca deixaram de existir no Brasil. Este trabalho tem como objetivo geral investigar a associação entre saber ler e escrever e raça/cor na população maior de 18 anos pertencentes a comunidades terreiro do Brasil registradas no Cadastro Único para Programas Sociais nos anos de 2018 a 2019. Trata-se de estudo de metodologia quantitativa, de cunho transversal analítico, que utiliza dados secundários coletados do CadÚnico. Análises foram conduzidas a partir da variável desfecho (saber ler e escrever), exposição (raça/cor) e as covariáveis (faixa-etária, sexo, pessoa que frequenta escola, local do domicílio, pessoa com trabalho remunerado no último ano, renda e beneficiário do Bolsa Família). Estimou-se Odds Ratio e respectivo intervalo de confiança de 95%. Os resultados apontaram que indivíduos negros, maiores de 18 anos pertencentes às comunidades de terreiro tinham 2,05 vezes maior probabilidade de não saber ler e escrever, quando comparados com os indivíduos não negros, bem como, ser do sexo masculino, ter 60 anos ou mais, residirem na zona rural, nunca ter frequentado a escola e ter renda até um saláriomínimo. Os achados do estudo demonstraram a existência de associação entre saber ler e escreve e a raça/cor. O que reforça a necessidade de melhoria no acesso da população negra, em especial pertencentes as comunidades de terreiro, a educação formal que possibilite mudança nas suas condições de vida e saúde.


  • Mostrar Abstract
  • Terreiro communities have historically suffered the effects of social inequalities, which stigmatize and discriminate against their culture and ways of producing life. The consequences of being deprived of social rights such as education and health, undermine the fundamental principles that ensure human existence and the promotion of social justice. Social, educational and health inequalities are part of the routine in these communities, assuming not only a historical remnant of slavery, but also the result of racial inequalities that have never ceased to exist in Brazil. The general aim of this study is to investigate the association between knowing how to read and write and race/color in the population over the age of 18 belonging to terreiro communities in Brazil registered in the Unified Registry for Social Programs between 2018 and 2019. This is a quantitative, cross-sectional analytical study using secondary data collected from CadÚnico. Analyses were carried out using the outcome variable (knowing how to read and write), exposure (race/color) and covariates (age group, gender, person attending school, place of residence, person in paid work in the last year, income and Bolsa Família beneficiary). The Odds Ratio and respective 95% confidence interval were estimated. The results showed that black individuals over the age of 18 belonging to terreiro communities were 2.05 times more likely not to be able to read and write when compared to non-black individuals, as well as being male, aged 60 or over, living in rural areas, never having been to school and having an income of up to one minimum wage. The findings of the study showed an association between knowing how to read and write and race/color. This reinforces the need to improve access to formal education for the black population, especially those belonging to the terreiro communities, in order to change their living and health conditions.

2023
Dissertações
1
  • Rebeca Silva dos Santos
  • CAPACIDADE DE GOVERNO E QUALIDADE DO CONTROLE DO CÂNCER DE COLO UTERINO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE EM MUNICÍPIOS BAIANOS

  • Orientador : ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • NILIA MARIA DE BRITO LIMA PRADO
  • ELVIRA CAIRES DE LIMA
  • Data: 08/02/2023

  • Mostrar Resumo
  • Trata-se de um estudo de casos múltiplos, com o objetivo de avaliar a qualidade do cuidado da APS por meio das ações de controle do câncer de colo do útero em dois municípios do estado da Bahia. Este estudo é um recorte do Projeto de Pesquisa “Análise de implantação do PMAQAB no Estado da Bahia no período de 2012 a 2017”, desenvolvido pelo ISC/UBFA com financiamento do Ministério da Saúde. Foram selecionados dois municípios de pequeno porte populacional com elevada cobertura da Estratégia Saúde da Família e adesão da totalidade de suas equipes ao terceiro ciclo do PMAQ e que obtiveram respectivamente o maior e o menor grau de implantação do PMAQ. Foi realizada uma apreciação normativa da qualidade por meio da matriz de indicadores, utilizando os dados estruturados da avaliação externa do 1º e 3º Ciclo do PMAQ-AB. Num segundo momento foi analisada a organização e execução das ações de CCU em âmbito municipal segundo a percepção de gestores e profissionais de saúde e análise documental, cotejada com a apreciação normativa referida. E por fim, foi investigada a capacidade de governo dos profissionais responsáveis pela organização e a oferta das ações de controle do CCU nos dois municípios estudados segundo dados da apreciação normativa, entrevistas e análise documental. Os principais achados apontam que: os municípios estudados apresentaram, melhoria na qualidade do controle de câncer de colo uterino na APS no período compreendido entre o 1º e o 3º ciclos de avaliação externa do PMAQ-AB, resultado mais evidente no município A, enquanto no município B apenas 20% das equipes avaliadas no 3º ciclo realizavam adequadamente ações e estratégias de rastreamento e diagnóstico precoce. O município A, que apresentou os melhores indicadores de qualidade, demonstrou uma capacidade de governo mais robusta quanto ao perfil dos profissionais, evidenciada pela estabilidade funcional, experiência anterior em APS e formação complementar em saúde coletiva dos entrevistados, ao lado do desenvolvimento regular de ações de apoio institucional às equipes de Saúde da Família. Os resultados apresentaram ainda algumas fragilidades organização da linha de cuidado do câncer de colo do útero na rede regional de saúde, convergindo com outras produções científicas acerca do tema.


  • Mostrar Abstract
  • This is a multiple case study, with the objective of evaluating the quality of primary health care through cervical cancer control actions in two municipalities in the state of Bahia. This study is part of the Research Project “Analysis of the implementation of the Program to Improve Access and Quality of Primary Health Care (PMAQ-AB) in the State of Bahia from 2012 to 2017”, developed by the ISC/UBFA with funding from the Ministry of Health. Two municipalities with small populations with high coverage of the Family Health Strategy and adherence of all their teams to the third cycle of the PMAQ were selected and which obtained, respectively, the highest and lowest degree of implementation of the PMAQ. A normative assessment of quality was carried out through the matrix of indicators, using structured data from the external evaluation of the 1st and 3rd Cycles of the PMAQ-AB. In a second moment, the organization and execution of uterine cancer control actions at the municipal level were analyzed according to the perception of managers and health professionals and document analysis, compared with the aforementioned normative assessment. And finally, the government capacity of the professionals responsible for organizing and offering uterine cancer control actions in the two municipalities studied was investigated according to normative assessment data, interviews and document analysis. The main findings indicate that: the municipalities studied showed an improvement in the quality of cervical cancer control in the PHC in the period between the 1st and 3rd cycles of the external evaluation of the PMAQ-AB, a more evident result in municipality A, while in municipality B, only 20% of the teams evaluated in the 3rd cycle adequately carried out actions and strategies for screening and early diagnosis. Municipality A, which presented the best quality indicators, demonstrated a more robust government capacity regarding the profile of professionals, evidenced by the functional stability, previous experience in PHC and complementary training in collective health of the interviewees, alongside the regular development of actions of institutional support to the Family Health teams. The results also showed some weaknesses in the organization of the cervical cancer care line in the regional health network, converging with other scientific productions on the subject.

2
  • RIJONE ADRIANO DO ROSÁRIO
  • Sexo anal sem preservativo e fatores associados entre adolescentes homens que fazem sexo com homens, travestis e mulheres trans em três capitais brasileiras.

  • Orientador : LAIO MAGNO SANTOS DE SOUSA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LORENZA NOGUEIRA CAMPOS DEZANET
  • LAIO MAGNO SANTOS DE SOUSA
  • MARCOS PEREIRA SANTOS
  • MARIA INES COSTA DOURADO
  • Data: 31/03/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução. No Brasil, a incidência do vírus de imunodeficiência humana (HIV) está aumentando entre  adolescentes de minorias sexuais, e o sexo anal sem preservativo (SASP), constituí uma prática sexual de risco para a infecção deste vírus nesta população. Objetivo. Estimar a prevalência de sexo anal sem preservativo (SASP) entre homens adolescentes que fazem sexo com homens (aHSH), travestis e mulheres trans (aTrMT) e seus fatores associados em três capitais brasileiras. Metodologia: PrEP1519 é um estudo de coorte de demonstração de profilaxia pré-exposição (PrEP) prospectivo, multicêntrico e aberto de aHSH e aTrMT com idade entre 15 e 19 anos em três capitais brasileiras, inscritos na coorte de 2019 a 2021. O desfecho estudado foi SASP nos últimos seis meses e os preditores foram variáveis sociodemográficas, comportamentais, às relacionadas com assistência à saúde, violência e discriminação baseada no gênero e orientação sexual. Foram realizadas análises descritivas e bivariadas. A análise multivariada foi realizada para estimar odds ratio ajustado (ORa) e intervalo de confiança de 95% (IC 95%). Resultados: Foram incluídos 1418 participantes, a maioria dos participantes era aHSH (91,5%), com idade de 18 a 19 anos (75,9%), ensino médio e superior em andamento (92,7%) e relato de SASP na primeira relação sexual (54,2%). Além disso, uma alta proporção da população declarou-se preta (40,5%), parceiro fixo com cinco anos de idade ou mais (17,9%), início de vida sexual antes dos 14 anos (43,4%), com história de sexo em grupo (24,6%) e de sexo transacional (14,6%). A prevalência de SASP nos últimos seis meses foi de 80,6% (IC95%: 78,5%–82,6%). A análise multivariada mostrou que adolescentes com SASP na primeira relação sexual (ORa:2,28; 95% IC:1,68-3,11), consumo de substâncias psicoativas (ORa:1,60; 95%IC: 1,17-2,20) e sexo transacional (ORa:1,99; 95%IC:1,14-3,46) tiveram maior chance de SASP. Conclusão: A prevalência de SASP e outros comportamentos de risco foi alta entre aHSH e aTrMT. Recomendamos fortalecer os programas de educação sexual em escolas e locais sociais para jovens, abordando a sexualidade e as infecções sexualmente transmissíveis e fornecendo acesso à PrEP, preservativos e outros métodos preventivos.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction. In Brazil, the incidence of the human immunodeficiency virus (HIV) is increasing among adolescents from sexual minorities, and anal sex without a condom constitutes a risky sexual practice for the infection of this virus in this population. Objectives: To estimate the prevalence of condomless anal sex (CAS) among adolescent men who have sex with men (AMSM), transvestites and transgender women (ATGW) and their associated factors in three Brazilian capitals. Methodology: PrEP1519 is a prospective, multicentre of pre-exposure prophylaxis (PrEP) demonstration cohort study of AMSM and ATGW aged 15 to 19 years in three Brazilian capitals, enrolled in the cohort from 2019 to 2021. The outcome studied was CAS in the last six months and the predictors were sociodemographic, behavioral variables, those related to health care, violence and discrimination based on gender and sexual orientation. Descriptive and bivariate analyzes were performed. Multivariate analysis was performed to estimate adjusted odds ratio (aOR) and 95% confidence interval (95% CI). Results: A total of 1418 participants were included, most participants were AMSM (91.5%), aged 18 to 19 years (75.9%), high school and higher education in progress (92.7%) and CAS report in the first sexual intercourse (54.2%). In addition, a high proportion of the population declared themselves to be black (40.5%), having a steady partner aged five years or more (17.9%), starting their sexual life before the age of 14 (43.4%), with a history of group sex (24.6%) and transactional sex (14.6%). The prevalence of CAS in the last six months was 80.6% (95%CI: 78.5%–82.6%). Multivariate analysis showed that adolescents with SASP at first sexual intercourse (aOR:2.28; 95%CI:1.68-3.11), consumption of psychoactive substances (aOR:1.60; 95%CI: 1.17-2.20) and transactional gender (aOR:1.99; 95%CI:1.14-3.46) were more likely to have CAS. Conclusion: The prevalence of CAS and other risk behaviors was high among AMSM and ATGW. We recommend strengthening sex education programs in schools and youth social settings, addressing sexuality and sexually transmitted infections and providing access to PrEP, condoms and other preventive methods.

3
  • RAFAEL LARANJEIRA CERQUEIRA
  • CARGA DA DOENÇA PARA COMORBIDADES RELACIONADAS AO DIABETES MELLITUS NA BAHIA EM 2018

  • Orientador : ERIKA SANTOS DE ARAGAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ERIKA SANTOS DE ARAGAO
  • GUSTAVO NUNES DE OLIVEIRA COSTA
  • MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • Data: 15/06/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A relevância de se estudar a Carga da Doença para comorbidades relacionadas ao Diabetes Mellitus (DM) reside nos elevados custos aos pacientes, seus familiares e para o sistema de saúde, pois suas complicações crônicas microvasculares (doença renal crônica, neuropatia, retinopatia e pé diabético) afetam negativamente a qualidade de vida, causam mortalidade precoce, além de gerarem absenteísmo ao trabalho. Objetivo: estimar a Carga da Doença para comorbidades relacionadas ao Diabetes Mellitus na Bahia, utilizando como indicador o Disability Adjusted Life Years (DALY) e a respectiva Fração Atribuível Populacional aplicada sobre a internações hospitalares no Sistema Único de Saúde (SUS) na Bahia em 2018. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico analítico de base populacional, na perspectiva do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir dos microdados do Sistema Informações Hospitalar (SIH/SUS), no estado da Bahia, Brasil, no ano de 2018. Para isso, foram calculados a fração atribuível populacional (FAP) e o indicador anos de vida ajustados por incapacidade (DALY), segundo a mais recente metodologia dos estudos de Carga Global da Doença. A carga das comorbidades foi obtida pelo produto entre a FAP e o DALY previamente calculados. Resultados: Para a doença renal crônica por DM, foi encontrada FAP de 32,51%; com relação a neuropatia diabética, a análise em diferentes cenários mostrou que ter diabetes aumenta até 75,7 vezes a chance de desenvolver esta complicação; em relação a retinopatia diabética, foi encontrada variação similar, com a FAP obtida em 1,14%. Os DALY total foi de 44,9 por mil habitantes, dos quais 66,04% se referiram ao componente de morbidade e 33,96% ao de mortes prematuras. Em relação ao sexo, tanto homens quanto mulheres tiveram o componente de morbidade com maior contribuição para carga da DM. Entretanto, paras as faixas etárias até 44 anos, o componente de mortalidade tem maior peso, situação que se inverte a partir dos 45 anos. As mulheres registram maior número absoluto de YLL e YLD (7.030,4 e 13.448,2, respectivamente), em relação aos homens (5.640,5 YLL e 11.188,2 YLD). No entanto, quando se verificam as taxas, o sexo masculino supera o feminino, com o primeiro apresentando taxa de 51,91 DALY por mil habitantes, contra 40,55 DALY por mil do segundo grupo. Em relação à carga das comorbidades, para doença renal crônica por diabetes, foram quantificados 12.131,3 DALY, a uma taxa de 14,6 DALY por mil habitantes, com os homens obtendo 16,9 DALY por mil e as mulheres 13,2 DALY por mil habitantes; a neuropatia diabética apresentou um total de 139,8 DALY, com taxa de 0,17 DALY por mil habitantes, das quais 76,7 DALY se referiram às mulheres (0,15 DALY por mil habitantes) e 63,1 foram atribuídos aos homens (0,19 DALY por mil habitantes). Já para a RD, foram observados 426 DALY no total, com taxa de 0,51 DALY por mil habitantes, dos quais as mulheres detiveram 233,9 DALY (0,46 DALY por mil habitantes) e os homens 192,2 DALY (0,59 DALY por mil habitantes). Conclusões: Conforme analisado, ter de DM é um fator de risco elevado para desenvolver complicações crônicas microvasculares relacionadas. Entre a população de internados, foi notado um peso maior para morbimortalidade entre os homens quando comparados com as mulheres, indicando necessidade de planejar intervenções e políticas de prevenção voltadas a este segmento da população.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The relevance of studying the burden of disease for comorbidities related to Diabetes Mellitus (DM) lies in the high costs to patients, their families and the health system, since its chronic microvascular complications (chronic kidney disease, neuropathy, retinopathy and diabetic foot) negatively affect the quality of life, cause early mortality, besides generating absenteeism from work. Objective: to estimate the Burden of Disease for Diabetes Mellitus-related comorbidities in Bahia, using as indicator the Disability Adjusted Life Years (DALY) and the respective Population Attributable Fraction applied on hospital admissions in the Unified Health System (SUS) in Bahia in 2018. Methodology: This is an analytical population-based epidemiological study from the perspective of the Unified Health System (SUS), from the microdata of the Hospital Information System (SIH/SUS), in the state of Bahia, Brazil, in the year 2018. For this, the population attributable fraction (PAF) and the indicator disability-adjusted life years (DALY) were calculated, according to the most recent methodology of Global Burden of Disease studies. The burden of comorbidities was obtained by the product between the previously calculated FAP and DALY. Results: For DM chronic kidney disease, a FAP of 32.51% was found; regarding diabetic neuropathy, the analysis in different scenarios showed that having diabetes increases up to 75.7 times the chance of developing this complication; regarding diabetic retinopathy, a similar variation was found, with the FAP obtained in 1.14%. The total DALYs were 44.9 per thousand inhabitants, of which 66.04% referred to the morbidity component and 33.96% to premature deaths. With respect to sex, both men and women had the morbidity component with the greatest contribution to DM burden. However, for the age groups up to 44 years, the mortality component has greater weight, a situation that is reversed after 45 years. Women record a greater absolute number of YLL and YLD (7,030.4 and 13,448.2, respectively) than men (5,640.5 YLL and 11,188.2 YLD). However, when rates are checked, males outnumber females, with the former showing a rate of 51.91 DALY per thousand inhabitants, against 40.55 DALY per thousand for the latter group. Regarding the burden of comorbidities, for diabetes chronic kidney disease, 12. 131.3 DALY, at a rate of 14.6 DALY per thousand inhabitants, with men obtaining 16.9 DALY per thousand and women 13.2 DALY per thousand inhabitants; diabetic neuropathy showed a total of 139.8 DALY, with a rate of 0.17 DALY per thousand inhabitants, of which 76.7 DALY referred to women (0.15 DALY per thousand inhabitants) and 63.1 were attributed to men (0.19 DALY per thousand inhabitants). For the DR, 426 DALYs were observed in total, with a rate of 0.51 DALY per thousand inhabitants, of which women had 233.9 DALYs (0.46 DALYs per thousand inhabitants) and men had 192.2 DALYs (0.59 DALYs per thousand inhabitants). Conclusions: As analyzed, having DM is a high risk factor for developing related chronic microvascular complications. Among the inpatient population, a higher burden for morbidity and mortality was noted among men when compared to women, indicating the need to plan interventions and prevention policies aimed at this segment of the population.

4
  • Ana Paula Portugal Chagas Valente
  • O prontuário eletrônico do cidadão na atenção à saúde bucal no SUS.

  • Orientador : SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS PILZ
  • LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • Data: 14/07/2023

  • Mostrar Resumo
  • Problemática: A implementação do Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC) junto às equipes de saúde bucal na Atenção Primária à Saúde pode alterar o fluxo de trabalho e imprimir mudanças nas práticas dessas equipes na estratégia de saúde da família. Objetivo: O presente estudo avaliou os resultados da implementação do PEC no processo de trabalho dos cirurgiõesdentistas da estratégia de saúde da família no município de Dias D'Ávila-BA. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo quase experimental, utilizando métodos quantitativos e qualitativos. Foi elaborado o modelo teórico-lógico da implementação do PEC no processo de trabalho do cirurgião-dentista na Atenção Básica. Na etapa ex-ante, foram aplicados questionários e realizadas entrevistas semiestruturadas com os cirurgiões-dentistas de cinco equipes de saúde da família que tiveram o PEC implantado e com os cirurgiões-dentistas de outras cinco equipes de saúde da família que não passaram por esta implantação e se constituíram como o grupo “controle”, totalizando onze cirurgiões-dentistas participantes do estudo. O questionário na etapa ex-ante possuiu 48 questões de marcar e o roteiro de entrevista possuiu seis perguntas orientadoras. Ao final dessa etapa, foi implantado o prontuário eletrônico em três unidades de saúde da família com saúde bucal, assim como foi realizado o treinamento das equipes envolvidas com o uso do prontuário eletrônico. Na segunda etapa, após um período de onze meses de implantação do PEC, foi realizada a avaliação ex-post com a participação de seis cirurgiões-dentistas. Resultados: A mudança do sistema de registro com a adoção do PEC foi vista como positiva entre os cirurgiões-dentistas e os efeitos do PEC no processo de trabalho dos cirurgiões-dentistas foram percebidos na interação profissional-paciente, agilidade na realização das atividades, desempenho do trabalho, produtividade, legibilidade do sistema, compartilhamento das informações interprofissionais e profissional-gestor, fluxo de atendimento e encaminhamento dos usuários. Contudo, houve dificuldades no registro com o uso do PEC pela pouca habilidade em digitação, o não cancelamento de um registro feito errado após salvo, o preenchimento ser mais complexo do que na ficha de coleta de dados simplificada, o retrabalho quando ocorre interrupção repentina no sistema e na análise de dados epidemiológicos e dos resultados do atendimento. As ações de educação permanente têm um papel fundamental para o melhor aproveitamento das funcionalidades do PEC e suas potenciais contribuições para a qualificação do cuidado em saúde através da melhoria da qualidade da informação. Conclusão: O PEC produziu efeitos positivos importantes na comunicação, nas relações e nos processos de produção do cuidado na atenção à saúde bucal. Contudo, aprimoramentos e avaliações dessa tecnologia são necessários para fortalecê-la como apoio à tomada de decisão e ao desenvolvimento de um trabalho pautado na atenção ao primeiro contato, longitudinalidade, integralidade e coordenação do cuidado.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Implementing the Citizen's Electronic Medical Record (EMR) in the Oral Health Teams in Primary Health Care can change the workflow and the practices of these teams in the family health strategy. Objective: The present study evaluated the results of implementing the Citizen’s EMR in the dentists work process of the family health strategy in the city of Dias D'Ávila-BA. Methodology: This is a “quasi-experimental” study that uses quantitative and qualitative methods. The theoretical-logical model of the implementation of the Citizen’s EMR in Primary Care in the work process of the dentist in Primary Care was elaborated. In the exante stage, questionnaires were applied and semi-structured interviews were conducted with the dentists of five family health teams that would have the Citizen’s EMR implanted and with the dentists of the other five family health teams that did not undergo this implantation and constituted the “control” group, totaling 11 dentists participating in the study. The questionnaire of the ex-ante stage had 48 questions to mark and the interview script had six guiding questions. At the end of this stage, the electronic medical record was implemented in three family health units with oral health, as well as the training of the teams involved in the use of the electronic medical record. In the second stage, after a period of eleven months of implementation of the EMR in the health units, the ex-post evaluation was carried out with the participation of six dental surgeons. Results and Discussion: The change in the medical record system was seen as positive among dentists and the Citizen’s EMR effects on the dentists work process were perceived in the professional-patient interaction, agility in carrying out activities, work performance, productivity, system readability, sharing of interprofessional and professionalmanager information, service flow, and referral of users. However, the difficulties in registering with the Citizen’s EMR were poor typing skills, failure to cancel a registration made wrong after saving, completion is more complex than in the streamlined data collection system form, rework when sudden interruption occurs and analysis of epidemiological data and outcomes of care. Permanent education actions play a fundamental role in better using of the EMR's functionalities and their potential contributions to the healthcare qualification by improving the quality of information. Conclusions: The Citizen’s EMR produced important positive effects on communication, relationships and care production processes in oral health care. However, improvements and evaluations of this technology are needed to strengthen it as a support for decision-making and the development of work based on attention to first contact, longitudinality, comprehensiveness and coordination of care.

5
  • MAIRA MOTA SOUZA SANTOS
  • Risco de disfagia em crianças com a síndrome congênita do Zika vírus em Salvador: um estudo exploratório.

  • Orientador : LETICIA MARQUES DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLA STEINBERG
  • DARCI NEVES DOS SANTOS
  • LETICIA MARQUES DOS SANTOS
  • Data: 28/07/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome Congênita do Zika Vírus (SCZV) é composta por cinco características específicas que a diferenciam de outras infecções congênitas: microcefalia grave com colapso parcial do crânio , contraturas congênitas, hipertonia precoce e sintomas de envolvimento extrapiramidal, cicatriz macular e manchamento retiniano pigmentar focal, e córtex cerebral fino com calcificações subcorticais. Essas características interferem no desenvolvimento inf antil provocando deficiências cognitivas, sensoriais e motoras, com tendência de agravamento dos sintomas neurológicos com o crescimento das crianças, sendo a disfagia um dos achados clínicos mais citados. Contudo, foram identificados poucos estudos que discutem o impacto populacional da presença da disfagia enquanto comorbidade característica na SCZV. Objetivo: Analisar a ocorrência do risco de disfagia nas crianças com a Síndrome Congênita do Zika Vírus, considerando a existência de alterações neuroanatômicas e as condições sociais das famílias. Metodologia: Trata-se de um estudo de corte transversal, exploratório e descritivo, aninhado à coorte “Efeitos das manifestações neurológicas congênitas associadas ao Zika vírus sobre o desenvolvimento cognitivo infantil: Um estudo de coorte prospectiva no contexto da Atenção Básica, em Salvador” do qual participaram 134 crianças. Foram coletados dados sobre risco de disfagia a partir do Instrumento de Rastreio para o Risco de Disfagia Pediátrica ( IRRD – PED), dados sobre condições socioeconômicas foram obtidos na aplicação do Questionário de Avaliação sociodemográfica desenvolvido pelos pesquisadores e as informações sobre alterações neuroanatômicas, a partir do banco de dados da investigação epidemiológica conduzida pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (CIEVS/SMS/SSA). Foram realizadas análises descritivas do risco de disfagia e das co-variáveis estudadas a partir da distribuição das frequências simples e relativas. Posteriormente aplicado o teste de Qui-quadrado e teste exato de Fisher para estimar as diferenças entre os grupos em risco de disfagia e aqueles sem risco de disfagia, considerando as características sociodemográficas e as alterações neuroanatômicas, respeitando-se os pressupostos para aplicação dos testes. Para todas as análises foi utilizado o STATA, versão 12. Resultados: Observou-se prevalência de risco de disfagia de 76,87% nas crianças com a SCZV desse estudo, dentre as quais a maioria era do sexo feminino, com 31 a 42 meses de idade, renda familiar de até 1 salário mínimo, com principal cuidador sendo em sua maioria mães, de raça/cor preta e parda, com escolaridade de ensino médio e superior, e beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Quando comparado o risco de disfagia de acordo com as variáveis neuroanatômicas e socioeconômicas, foi identificada maior prevalência de crianças com risco de disfagia entre aquelas que eram beneficiárias do BPC (62,14%), apresentavam ventriculomegalia (66,67%) e com registro de três a seis alterações neuroanatômicas (91,67%). Conclusão: A presença de ventriculomegalia, três a seis alterações neuroanatômicas e acesso ao BPC são os dados que corroboram com maior risco de disfagia dentre as crianças do estudo, permitindo o reconhecimento de grupos mais relevantes para intervenção precoce, que podem ter benefícios duradouros durante todo o curso do desenvolvimento da criança com a SCZV.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The Congenital Zika Virus Syndrome (CZVS) is composed of five specific characteristics that differentiates it from other congenital infections: severe microcephaly with partial collapse of the skull, congenital contractures, early hypertonia and symptoms of extrapyramidal involvement, macular scarring and focal pigmentary retinal mottling, and fine cerebral cortex with subcortical calcifications. Those characteristics have direct interference with child development, and can cause cognitive, sensory and motor impairment. These children's growth are often accompanied with an increased tendency of neurological symptoms to worsen - with dysphagia being one of the most cited clinical findings. However, it was possible to identify only a few studies discussing the impact of dysphagia as being a characteristic comorbidity in CZVS’s population. Objective: Analyze risk of dysphagia in children with Congenital Zika Virus Syndrome, considering the existence of neuroanatomical alterations and the social status of the families. Methodology: This is a cross-sectional, exploratory, descriptive study, part of a bigger cohort “Effects of congenital neurological manifestations associated with the Zika virus on cognitive development in children: A prospective cohort study under the context of Primary Care in Salvador”, the study analyzed the data of 134 children. Data about the risk of dysphagia was collected from the questionnaire Pediatric Dysphagia Risk Screening Instrument (PDRSI); socioeconomic status information was collected by applying a Sociodemographic Assessment Questionnaire developed by the researchers; and information about neuroanatomical alterations were obtained from the databank of epidemiological investigation conducted by the Center for Strategic Information on Health Surveillance of the Municipal Health Secretariat of Salvador (CSIHS/MHS/SSA). Descriptive analysis of dysphagia risk and the included co-variables were studied based on their simple and relative distribution frequencies. Subsequently, Chi-square distribution test and Fisher’s exact test were used to estimate the differences between groups at risk of dysphagia and those without risk of dysphagia - considering sociodemographic characteristics and neuroanatomical alterations. For all analyses, STATA version 12 was used. Results: A dysphagia risk prevalence was found in 76.87% of children with CZVS in this study, mostly female between 31 to 42 months old, with a family income of up to 1 minimum wage, the most of the caregivers were mothers - in general black and brown having high school or higher education, and beneficiaries of the Continuous Provision Benefit (CPB). When comparing the risk of dysphagia according to neuroanatomical and socioeconomic variables, a higher prevalence dysphagia risk was found amongst CBP beneficiary children (62.14%), those had ventriculomegaly (66.67%) and records of three to six neuroanatomical alterations (91.67%). Conclusion: The presence of ventriculomegaly, three to six neuroanatomical alterations and access to the BPC data corroborate with the dysphagia higher risk among the children found in the study, this data allowed the recognition of more relevant groups for early intervention, which can have lasting benefits throughout the course of child development with CZVS.

6
  • JESSICA SANTOS DE SOUZA
  • DELINEAMENTOS DO PLANEJAMENTO DA ATENÇÃO HOSPITALAR NO SUS: ANÁLISE NEOINSTITUCIONAL DE UMA REGIAO DE SAÚDE DA BAHIA

  • Orientador : ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • LAISE REZENDE DE ANDRADE
  • THADEU BORGES SOUZA SANTOS
  • ANA PAULA CHANCHARULO DE MORAIS PEREIRA
  • Data: 08/09/2023

  • Mostrar Resumo
  • Diante do processo de regionalização, tem-se a necessidade de organização da atenção hospitalar e redefinição do papel deste serviço conforme sua classificação (hospital local, regional, de referência estadual) na perspectiva do hospital em rede de atenção que atenda às necessidades de saúde da população. Neste aspecto, o planejamento permite o processo de articulação nos territórios e favorece a agregação das ações e serviços de diferentes densidades tecnológicas na rede, por meio da atuação dos atores e das intuições existentes na região. O objetivo geral da pesquisa é analisar o planejamento da atenção hospitalar em uma região de saúde da Bahia, no período entre 2016 e 2019. Este estudo configura-se como pesquisa qualitativa, de análise documental, com adoção do neoinstitucionalismo histórico como referencial teórico, que fundamentada a análise dos documentos e organiza o estudo em três dimensões: dimensão institucional-formal, dimensão político-institucional e a dimensão histórico-institucional embasada pelo referencial teórico. Nesse contexto, foi possível identificar os atores e as instituições envolvidas no processo e a função que desempenham. Como importante instituição, a Comissão Intergestores Regional (CIR) é uma arena de negociação e um espaço de decisão, com um contexto político-institucional que reflete o comportamento dos atores e os mesmos influenciam as condutas dentro das instituições. As instituições são parte integrante do contexto histórico, sendo sua trajetória relevante na conformação de atuais políticas de saúde. O planejamento da atenção hospitalar, em espaços como a CIR, aborda discussões que envolvem as potencialidades e dificuldades na implementação das diversas redes temáticas no território, os quais são pontuados no desenho estrutural da rede, no fluxo de acesso, no sistema de regulação e nos recursos como na programação pactuada integrada, pautas estas que geram conflitos e apontam as dificuldades no processo de implementação. Há desafios na construção do planejamento da atenção hospitalar no sentido de respeitar e ser coeso com o Planejamento Regional Integrado. Sendo assim, este estudo contribui para identificar os pontos frágeis e potentes das instituições e dos atores que fazem parte do planejamento regional e hospitalar, levando a reflexão sobre a importância da descentralização das atribuições do estado na temática e no fortalecimento das instâncias regionais como o Núcleo Regional de Saúde e a CIR.


  • Mostrar Abstract
  • In view of the regionalization process, there is a need to organize hospital care and redefine the role of this service according to its classification (local, regional, state reference hospital) from the perspective of the hospital in a care network that meets the health needs of the population. In this aspect, planning allows for the articulation process in the territories and favors the aggregation of actions and services of different technological densities in the network, through the actions of actors and existing intuitions in the region. The general objective of the research is to analyze the planning of hospital care in a health region of Bahia, in the period between 2016 and 2019. This study is a qualitative research, based on document analysis, with the adoption of historical neoinstitutionalism as a theoretical reference, which based on the analysis of documents and organization of the study in three dimensions: institutional-formal dimension, political-institutional dimension and historicalinstitutional dimension based on the theoretical framework. In this context, it was possible to identify the actors and institutions involved in the process and the function they perform. As an important institution, the Regional Intermanagers Commission (CIR) is a negotiation arena and a decision-making space, with a political-institutional context that reflects the behavior of the actors and they affect the conduct within the institutions. Institutions are an integral part of the historical context, and their trajectory is relevant in shaping current health policies. The planning of hospital care, in spaces such as the CIR, addresses issues that involve the potentialities and difficulties in the implementation of the various thematic networks in the territory, which are punctuated in the structural design of the network, in the flow of access, in the regulation system and in the resources such as in the integrated agreed programming, guidelines are that generate conflicts and point out the difficulties in the implementation process. There are challenges in the construction of hospital care planning in the sense of accompanying and being cohesive with the Integrated Regional Planning. Therefore, this study helps to identify the psychological and powerful points of the institutions and actors that are part of regional and hospital planning, leading to a reflection on the importance of decentralizing state attributions in this area and strengthening regional instances such as the Regional Health Center and the CIR.

7
  • ADRIELE SOUZA CALDAS
  • PROCESSO DE TRABALHO DAS EQUIPES DE SAÚDE BUCAL DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NA PANDEMIA DA COVID-19 EM UM MUNICÍPIO BAIANO

  • Orientador : SANDRA GARRIDO DE BARROS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • SANDRA GARRIDO DE BARROS
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • THAIS REGIS ARANHA ROSSI
  • Data: 15/09/2023

  • Mostrar Resumo
  • Foi realizado um estudo de caso sobre o processo de trabalho das equipes de saúde bucal da Atenção Primária à Saúde (eSB/APS) no contexto da pandemia da covid-19 em um município baiano. O estudo foi dividido em dois artigos. O primeiro, com título ‘Modelo de atenção à saúde bucal no contexto da pandemia de covid-19 no Brasil’, buscou identificar as estratégias propostas para atuação das eSB/APS pelos níveis federal, estadual e municipal antes e durante a pandemia de covid-19. O segundo, intitulado ‘Processo de trabalho da equipe de saúde bucal na Atenção Primária à Saúde em uma capital do nordeste’, analisou a (re)organização do processo de trabalho das eSB/APS na pandemia da covid-19 em um município baiano; sua inserção no processo de trabalho da equipe interdisciplinar; o perfil profissional dos agentes envolvidos e as práticas adotadas. Para alcançar os objetivos foram realizados análise documental sobre o processo de trabalho da saúde bucal na Atenção Primária à Saúde antes e durante da suspensão dos atendimentos eletivos na pandemia da covid-19; aplicação de questionário estruturado autoaplicável, complementado por entrevistas semiestruturadas com cirurgiões-dentistas da APS selecionados e da gestão em um município baiano de grande porte, no período de setembro de 2022 a janeiro de 2023. Foram identificados 4 documentos que orientaram as práticas de saúde bucal na Atenção Primária à Saúde antes da pandemia e 21 após o início da pandemia. Participaram do estudo 46 cirurgiões-dentistas da APS e 1 da coordenação de saúde bucal. Com relação aos dentistas participantes do estudo, a maioria tinha entre 20 a 25 anos de formados, especialização, atuavam no município há 10 anos e eram servidores públicos estatutários. As ações, atividades e procedimentos preconizados antes da pandemia buscavam induzir a implementação de um modelo de atenção à saúde alternativo, mais centrado no usuário e suas necessidades. De acordo com os questionários e entrevistas, o processo de trabalho envolvia a realização de procedimentos clínicos, assim como de promoção e prevenção, de maneira mais equânime. Entretanto, durante a suspensão dos atendimentos eletivos, o foco era a realização das ações para o enfrentamento à pandemia de covid-19, dentro e fora das unidades de saúde. As ações de assistência foram reduzidas a consultas de urgências, entretanto entraram no rol da APS procedimentos como a Teleodontologia. Com o retorno dos atendimentos eletivos, houve um aumento expressivos dos procedimentos curativos, mas em menor volume que antes da pandemia, em ritmo mais lento e não induzido pelos documentos norteadores de ações coletivas de promoção e prevenção. Apesar de haver uma prática em saúde que dialoga com distintos modelos de atenção à saúde antes da pandemia, ainda prevalece a reprodução do modelo assistencial privatista (odontologia de mercado) após o retorno dos atendimentos eletivos, com uma ênfase maior na realização de procedimentos curativos. Foi possível observar que a construção das práticas profissionais antes da pandemia convergia para um modelo de atenção à saúde voltado para a resolução de problemas e as necessidades de saúde da população e já no período da pandemia da covid-19 houve mudanças na prática assistencial, havendo poucos indícios quanto as ações de promoção e prevenção em saúde bucal. Nesse sentido, a organização do processo de trabalho da eSB/APS vem se distanciando do que está preconizado pela política nacional de saúde bucal e outras diretrizes da atenção primária à saúde no Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • A case study was carried out on the work process of Primary Health Care oral health teams (eSB/APS) in the context of the covid-19 pandemic in a municipality in Bahia. The study was divided into two articles. The first, entitled 'Oral health care model in the context of the covid-19 pandemic in Brazil', sought to identify the strategies proposed for the work of the eSB/APS by the federal, state and municipal levels before and during the covid-19 pandemic. The second, entitled 'Work process of the oral health team in Primary Health Care in a northeastern capital', analysed the (re)organization of the work process of the OHT/PCS during the COVID-19 pandemic in a municipality in the state of Bahia; their inclusion in the work process of the interdisciplinary team; the professional profile of the agents involved and the practices adopted. To achieve the objectives, a documentary analysis was carried out on the oral health work process in Primary Health Care before and during the suspension of elective care in the COVID-19 pandemic; a self-administered structured questionnaire was applied, complemented by semi-structured interviews with selected PHC dentists and management in a large municipality in Bahia, from September 2022 to January 2023. We identified 4 documents that guided oral health practices in Primary Health Care before the pandemic and 21 after the beginning of the pandemic. 46 PHC dentists and 1 oral health coordinator took part in the study. With regard to the dentists taking part in the study, the majority had between 20 and 25 years of training, specialization, had been working in the municipality for 10 years and were statutory public servants. The actions, activities and procedures recommended before the pandemic sought to induce the implementation of an alternative health care model, more centered on the user and their needs. According to the questionnaires and interviews, the work process involved carrying out clinical procedures, as well as promotion and prevention, in a more equitable manner. However, during the suspension of elective care, the focus was on carrying out actions to tackle the Covid-19 pandemic, both inside and outside the health units. Care actions have been reduced to emergency consultations, while procedures such as tele-dentistry have been included in the PHC list. With the return of elective care, there was a significant increase in curative procedures, but at a lower volume than before the pandemic, at a slower pace and not induced by the documents guiding collective promotion and prevention actions. Although there was a health practice that dialogued with different health care models before the pandemic, the reproduction of the privatized care model (market dentistry) still prevails after the return of elective care, with a greater emphasis on curative procedures. It was possible to observe that the construction of professional practices before the pandemic converged towards a health care model focused on solving problems and the health needs of the population, and during the covid-19 pandemic there were changes in care practices, with little evidence of oral health promotion and prevention actions. In this sense, the organization of the eSB/APS work process has been moving away from what is recommended by the national oral health policy and other primary health care guidelines in Brazil.

8
  • LUDMILA DE NERES SOUZA
  • Percepção comunitária sobre problemas ambientais e saúde em territórios quilombolas na Ilha de Maré: Uma perspectiva racializada

  • Orientador : LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • MARCOS VINICIUS RIBEIRO DE ARAUJO
  • Data: 26/10/2023

  • Mostrar Resumo
  • A discussão sobre problemas ambientais vem crescendo ao longo de décadas a partir dos movimentos ambientalistas e ganha força, sobretudo, com o entendimento de que é imprescindível conciliar o desenvolvimento econômico com os cuidados com a natureza. No Brasil, as injustiças socio-raciais decorrentes da escravização endossaram a necessidade de aprofundar a discussão sobre racismo ambiental no país, correlacionando o racismo com a pobreza. Essa correlação é compreendida através da discussão sobre “centro-periferia” do sistema capitalista, que expõe uma organização de exploração de países e regiões subdesenvolvidas em prol da expansão espacial da indústria do centro econômico para a periferia. O território dos povos quilombolas, é um exemplo pois além da luta incessante pela demarcação das terras, os seus territórios são amplamente explorados, gerando graves consequências físicas e subjetivas. Este estudo então pretende colaborar com a produção de conhecimento sobre os desafios ambientais enfrentados pela população quilombola, compreendendo o significado que um território ancestral possui para os quilombolas da Ilha de Maré. Tem como objetivo analisar, sob uma perspectiva racializada, as relações entre problemas ambientais, racismo e condições de vida e saúde em três comunidades quilombolas localizados no território de Ilha de Maré, a partir da percepção dos/as moradores. Trata-se de um estudo qualitativo, que lançou de entrevistas semiestruturadas observação (de forma complementar) com registro em diário de campo e realizada nas comunidades quilombolas de Ilha de Maré. Foram incluídas na pesquisa, pessoas maiores de 18 anos; com vinculação ativista ou não; tanto do sexo feminino como do sexo masculino considerando as possíveis diferenças de narrativas dos pescadores e das marisqueiras. Foram sete pessoas entrevistadas, sendo cinco mulheres e dois homens com idade entre 18 e 63 anos e todos os preceitos éticos envolvendo pesquisas com seres humanos foram respeitados. As entrevistas foram gravadas, transcritas e a análise foi realizada sob a luz da Antropologia Interpretativa das Culturas, compreendendo o contexto em que as narrativas foram extraídas e estão situadas. Foram construídas duas categorias de análise: 1) Problemas ambientais no espaço territorial quilombola: percepções da comunidade; 2) Imbricações entre racismo, problemas ambientais e processos de adoecimento. Os entrevistados relataram possuir uma dinâmica muito positiva com o espaço territorial da Ilha de Maré já que a ilha transcende o aspecto de beleza e atua como lugar de sobrevivência, sendo o local que além de ser fonte de alimento, também é de onde eles provêm seu sustento. Contudo, as contaminações vêm deteriorando o ambiente ecológico já que é perceptível a implicação dos problemas ambientais no ar, na fauna e flora marítima e terrestre, gerando um impacto socioeconômico para os quilombolas. É evidenciada nas entrevistas, a exploração maciça do território pelos fixos privados sem retorno positivo para as comunidades. Foi exponenciado pelos moradores, os processos de adoecimento que as contaminações geraram, como problemas respiratórios, de pele e alterações nos exames referente a presença de componentes químicos. Alguns entrevistados contam em seus discursos, o simbolismo do território e a subjetividade ancestral que envolve, mesmo que de 7 forma inconsciente e já estremecida para alguns, a tradição entre a relação da natureza, saúde e espiritualidade como parte de suas identidades. A percepção dos sujeitos frente à invisibilidade do bairro diante das empresas exploradoras e principalmente do Estado, que apesar de denúncias realizadas continua indiferente aos problemas de saúde da comunidade, revela o racismo institucional como o maior problema que os moradores enfrentam.


  • Mostrar Abstract
  • The discussion regarding environmental issues has been growing over decades from environmental movements and fortifies, particularly with the understanding that it is essential to conciliate economic development with nature's carefulness. In Brazil, social-racial injustices resulting from enslavement endorsed the need to deepen the discussion about environmental racism in the country, correlating racism with poverty. This correlation has been comprehended through the debate of the “centerperiphery” of the capitalist system, which exposes an exploration organization of countries and regions underdeveloped for the spatial expansion of the economic center industry to the periphery. The quilombola people's territory is an example because, in addition to the continual struggle for land demarcation, having their domains severely exploited generates serious physical and subjective consequences. This study, therefore, intends to concur with the knowledge production about the environmental challenges faced by the quilombola population, ascertaining the meaning that an ancestral territory has for the quilombolas of Ilha de Maré. Aiming to analyze, from a racialized perspective, the relationships between environmental problems, racism and living and health conditions in three quilombola communities located in the territory of Ilha de Maré based on the resident's understanding. It is qualitative research based on semi-structured observation interviews (in a complementary way) with records in a field diary and carried out in quilombola communities in Ilha de Maré. The survey included people over 18 years old; with activist ties or not; both female and male considering possible differences in the narratives of fishermen and shellfish gatherers. Seven persons were interviewed, five women and two men aged between 18 and 63 years, and ethical precepts involving research with human beings were utterly respected. The interviews were recorded, transcribed and the analysis was carried out in the light of the Interpretive Anthropology of Cultures, understanding the context in which the narratives were extracted and situated. Two topics of analysis were built: 1) Environmental problems in the Quilombola territorial space: community perceptions; 2) Imbrications between racism, environmental problems and illness processes. The interviewees reported having a very positive dynamic with the territorial space of Ilha de Maré since the island transcends the aspect of beauty and acts as a place of survival, being the place that, in addition to being a source of food, is also where they come from sustenance. However, contamination has been deteriorating the ecological environment since the implication of environmental problems in the air, marine and terrestrial fauna and flora is perceptible, generating a socioeconomic impact for the quilombolas. It's evidenced in the interviews the massive exploitation of the territory by the private fixed without positive return for the communities. Residents highlighted the illness processes caused by contamination, such as respiratory and skin problems and alterations in exams regarding the presence of chemical components. 9 Some interviewees tell in their speeches, the symbolism of the territory and the ancestral subjectivity that involves, even if unconsciously and already shaken for some, the tradition between the relationship of nature, health and spirituality as part of their identities. The subject's perception of the invisibility of his neighborhood in the face of exploitative companies and especially the State, which despite complaints made, remains indifferent to the community's health problems, reveals institutional racism as the primary problem residents confront.

9
  • ISABELA BARBOZA GOMES
  • Análise do grau de implantação do método canguru em Salvador, Bahia: experiências de duas maternidades públicas de referência.

  • Orientador : MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALCIONE BRASILEIRO OLIVEIRA
  • ANA CECILIA TRAVASSOS SANTIAGO
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 04/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • Crianças com peso abaixo de 2500 gramas ao nascer e prematuridade estão associadas ao aumento de sequelas funcionais, necessidade de atenção especializada e maior risco de morte. O método canguru é considerado uma tecnologia leve, de baixo custo e fácil operacionalização, com vistas a aprimorar a assistência e reduzir a morbimortalidade neonatal. Por meio de uma abordagem biopsicossocial ao recém-nascido e sua família, está centrado no contato pele a pele precoce, aleitamento materno exclusivo na alta, e a alta hospitalar precoce com acompanhamento ambulatorial. Esta dissertação teve como objetivo geral analisar o grau de implantação do método canguru em duas maternidades públicas de Salvador, Bahia, e foi construída no formato de dois artigos. O primeiro artigo teve caráter teórico-metodológico em três etapas, e teve como objetivo validar um modelo lógico operacional do método canguru e uma matriz avaliativa do grau de implantação dessa política. Após revisão de literatura nas bases Pubmed e Scielo, e das normativas legais, o modelo lógico e a matriz foram submetidas a um consenso de especialistas através da técnica Delphi. Como resultado obteve-se a validação de 25 critérios. E o segundo artigo teve como objetivo analisar o grau de implantação do método canguru em duas maternidades públicas de Salvador, Bahia, por meio de uma matriz de avaliação validada. Foi realizada uma pesquisa avaliativa de grau de implantação, entre agosto de 2021 e outubro de 2022, através da triangulação de informações obtidas por entrevistas com atores-chave e observação não participante. A amostra foi composta por 29 mães com recémnascidos internados, 43 profissionais assistenciais e 2 envolvidos na gestão do método canguru. Por meio da matriz avaliativa, a estrutura e os processos do método canguru foram considerados parcialmente implantados. Entre os facilitadores detectados consta a garantia de ambiência adequada para a permanência da mãe por 24 horas na maternidade, atuação da psicologia e do serviço social com mediadores dessa permanência, e a disponibilidade da casa da gestante, do bebê e da puérpera. Enquanto as fragilidades foram: sobrecarga de trabalho dos profissionais com vínculos empregatícios fragilizados, baixa adesão às práticas de cuidado recomendadas, a complexidade clínica dos recém-nascidos internados. A utilização da matriz subsidiou a detecção de potencialidade e fragilidades, podendo ser utilizadas para ajuste das práticas assistenciais e gerenciais relativas ao método canguru.


  • Mostrar Abstract
  • Children weighing less than 2500 grams at birth and prematurity are associated with an increase in functional sequelae, the need for specialized care and a greater risk of death. The kangaroo method is considered a lightweight, low-cost, and easy-to-operate technology, with a view to improving care and reducing neonatal morbidity and mortality. Through a biopsychosocial approach to the newborn and their family, it focuses on early skin-to-skin contact, exclusive breastfeeding at discharge, and early hospital discharge with outpatient follow-up. This dissertation had the general objective of analyzing the degree of implementation of the kangaroo method in two public maternity hospitals in Salvador, Bahia, and was constructed in the format of two articles. The first article had a theoretical-methodological character in three stages and aimed to validate an operational logical model of the kangaroo method and an assessment tool of the degree of implementation of this policy. After reviewing the literature in the Pubmed and Scielo databases, and legal regulations, the logical model and assessment tool were submitted to a consensus of experts using the Delphi technique. As a result, 25 criteria were validated. And the second article aimed to analyze the degree of implementation of the kangaroo method in two public maternity hospitals in Salvador, Bahia, through a validated evaluation tool. Evaluation research on the level of implementation was carried out between August 2021 and October 2022, through the triangulation of information obtained through interviews with key actors and non-participant observation. The sample consisted of 29 mothers with hospitalized newborns, 43 care professionals and 2 involved in the management of the kangaroo method. Through the assessment tool, the structure and processes of the kangaroo method were considered partially implemented. Among the facilitators detected is the guarantee of an adequate environment for the mother to stay in the maternity ward for 24 hours, the role of psychology and social services as mediators of this stay, and the availability of the home of the pregnant woman, the baby, and the postpartum woman. While the weaknesses were: work overload of professionals with weakened employment relationships, low adherence to recommended care practices, the clinical complexity of hospitalized newborns. The use of the assessment tool supported the detection of potential and weaknesses, which could be used to adjust care and management practices related to the kangaroo method.

10
  • CAMILLA ANDRADE SILVA RIBEIRO
  • Análise da resposta de Cuba à pandemia de Covid19.

  • Orientador : MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADELYNE MARIA MENDES PEREIRA
  • LIGIA MARIA VIEIRA DA SILVA
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 05/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem por objetivo analisar a resposta à pandemia da covid-19 no Uruguai e em Cuba nos anos de 2020 e 2021, sistematizando possíveis lições. Trata-se de um estudo de casos comparado, apoiado em revisão integrativa, análise documental e dados secundários. Ambos os países podem ser descritos como casos de sucesso no enfrentamento à Covid-19, em 2020, tendo sofrido, porém, uma reviravolta da situação em 2021. Como elementos de destaque na primeira fase aponta-se à coordenação da resposta, exercida pelo chefe de governo, instituições de saúde pública e do campo acadêmico, além de características preexistentes em seus sistemas de saúde e de proteção social. O insucesso em 2021 pode estar relacionado, por sua vez, desalinhamento entre autoridades do Governo uruguaio e a assessoria científica, na flexibilização das medidas, e a entrada de novas variantes; a reabertura do turismo em Cuba; o afrouxamento das medidas de distanciamento social e surgimento e propagação de novas variantes nos dois casos. Neste ano, a contenção da doença se deu principalmente por meio da imunização rápida nos dois países, apesar de relativo retardo em sua iniciação. A partir das experiências relatadas, discutiu-se aspectos que podem auxiliar respostas futuras no enfrentamento de emergências sanitárias.


  • Mostrar Abstract
  • The present study aims to analyze the response to the covid-19 pandemic in Uruguay and Cuba in the years 2020 and 2021, systematizing possible lessons. This is a comparative case study, supported by an integrative review, document analysis and secondary data. Both countries can be described as successful cases in fighting Covid-19 in 2020, having suffered, however, a turnaround in the situation in 2021. As highlighted elements in the first phase, the coordination of the response, exercised by the chief government, public health institutions and the academic field, in addition to pre-existing characteristics of their health and social protection systems. The failure in 2021 may be related, in turn, to the misalignment between Uruguayan government authorities and scientific advice, in the relaxation of measures, and the entry of new variants; the reopening of tourism in Cuba; the loosening of social distancing measures and the emergence and spread of new variants in both cases. This year, the disease was contained mainly through rapid immunization in both countries, despite a relative delay in its initiation. Based on the experiences reported, aspects that can help future responses in dealing with health emergencies were discussed.

11
  • JONAS DE OLIVEIRA NETO
  • Relações comerciais entre prestadores de serviços odontológicos e operadora de plano privado exclusivamente odontológico em Salvador-BA

  • Orientador : SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANIELA GARBIN NEUMANN
  • CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • LANA BLEICHER
  • MARCEL LAUTENSCHLAGER ARRIAGA
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • Data: 11/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Este estudo analisou a relação comercial entre os prestadores de serviços odontológicos e a operadora Odontoprev, no município de Salvador/BA, no ano de 2023. Método: Este foi um estudo com abordagem qualitativa realizada junto a clínicas prestadores de serviços odontológicos, permitindo explorar as diferentes percepções sobre as relações de conflito das partes aqui representadas, sobretudo fundamentando os diversos pontos de vista. Resultados: Há conflitos comerciais entre operadoras e prestadores, sendo que a principal natureza desses conflitos está relacionada às glosas de procedimentos e aos baixos valores pagos pelos procedimentos. A maioria dos proprietários de clínicas odontológicas busca o credenciamento majoritariamente visando aumentar o fluxo de pacientes no consultório ou para captar esses pacientes para procedimentos particulares a qual a operadora não oferece cobertura. O procedimento mais realizado pelos prestadores é raspagem alisamento e polimento supragengivais pelo fato do menor custo com material e laboratório odontológico. Quanto maior o número de colaboradores e cadeiras odontológicas, maior é o faturamento, o que reflete também no número de cadeiras odontológicas. Quanto mais cadeiras disponíveis maior será a quantidade de procedimentos e lucro. Nota-se que a glosa é o principal conflito existente entre os prestadores e a operadora, além das administrativas, que referem-se aos erros no preenchimento das guias no processo de troca de informações administrativas entre os prestadores e a operadora. O preço pago pela operadora pelo procedimento parece já aceito como tácito. Conclusão: No campo econômico, os agentes estão obrigados a submeter suas escolhas à lógica da maximização dos lucros, sob pena de serem eliminados do mercado. Sendo a concorrência um elemento fundamental, a concentração de operadoras é vantajosa para a Odontoprev já que há disputa entre 222 prestadores para a captação de seus clientes. A saúde coletiva, como um movimento ideológico com foco nas transformações da sociedade e enquanto campo de saberes e de práticas contempla tanto a ação do Estado quanto o compromisso da sociedade para a produção de ambientes e populações saudáveis incluindo a saúde bucal. Para compreender as recentes transformações no mercado é necessários novos estudos sobre as franquias odontológicas que têm uma lógica diferenciada das operadoras de planos. E também a necessidade de realizar mais pesquisas sobre os preços e a qualidade dos serviços odontológicos e a produção de saúde bucal nestes grupos, bem como a necessidade de melhores dados sobre os prestadores de serviços odontológicos privados.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: This study analyzed the commercial relationship between dental service providers and the operator Odontoprev, in the city of Salvador/BA, in the year 2023. Method: This was a study with a qualitative approach carried out with clinics providing dental services, allowing explore the different perceptions about the conflict relations of the parties represented here, especially substantiating the different points of view. Results: There are commercial conflicts between operators and providers, and the main nature of these conflicts is related to the disallowance of procedures and the low amounts paid for the procedures. Most dental clinic owners seek accreditation mainly with the aim of increasing the flow of patients in the office or to attract these patients for private procedures for which the operator does not offer coverage. The procedure most commonly performed by providers is supragingival scaling, straightening and polishing due to the lower cost of material and dental laboratory. The greater the number of employees and dental chairs, the greater the revenue, which is also reflected in the number of dental chairs. The more chairs available, the greater the number of procedures and profit. It is noted that disallowance is the main conflict between the providers and the operator, in addition to the administrative ones, which refer to errors in filling out the forms in the process of exchanging administrative information between the providers and the operator. The price paid by the operator for the procedure seems already accepted as tacit. Conclusion: In the economic field, agents are obliged to submit their choices to the logic of maximizing profits, under penalty of being eliminated from the market. As competition is a fundamental element, the concentration of operators is advantageous for odontoprev as there is competition between 222 providers to attract their customers. Collective health, as an ideological movement focused on the transformations of society and as a field of knowledge and practices, contemplates both State action and society's commitment to the production of healthy environments and populations, including oral health. To understand the recent transformations in the market, new studies are needed on dental franchises, which have a different logic than plan operators. And also the need to carry out more research on the prices and quality of dental services.

Teses
1
  • MILLANI SOUZA DE ALMEIDA LESSA
  • FATORES ASSOCIADOS A QUALIDADE DE VIDA E SAÚDE MENTAL DAS CUIDADORAS DE CRIANÇAS NASCIDAS DURANTE A EPIDEMIA DE ZIKA VÍRUS: ANÁLISE EM TEMPOS DE COVID-19

  • Orientador : FEDERICO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FEDERICO COSTA
  • JAMARY OLIVEIRA FILHO
  • MARIA ENOY NEVES GUSMAO
  • RIDALVA DIAS FELIX MARTINS
  • YUKARI FIGUEROA MISE
  • Data: 24/01/2023

  • Mostrar Resumo
  • A descoberta da relação causal entre a infecção por Zika e a microcefalia/ Síndrome Congênita da Zika (SCZ) fortaleceu ainda mais a discussão sobre o impacto das doenças transmitidas por vetores sobre a qualidade de vida das famílias brasileiras. Para além dos desafios de saúde e funcionais que abrangem o desenvolvimento infantil de crianças com SCZ, a qualidade de vida e saúde mental das famílias atingidas possui relação com estruturas sociodemográficas e de acesso aos serviços de saúde, intimamente relacionadas à renda, vínculos formais de emprego, benefícios sociais, número de filhos e acesso à assistência à saúde de caráter preventivo, especialmente no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Este estudo teve como objetivo geral analisar os fatores associados a qualidade de vida e saúde mental das mães/cuidadoras de crianças nascidas no período da epidemia de Zika vírus. Respondemos a esse objetivo através de três artigos. Artigo 1“Fatores associados à qualidade de vida de cuidadoras de crianças com diagnóstico de Síndrome Congênita da Zika”, onde descrevemos a qualidade de vida entre as cuidadoras de crianças com microcefalia associada a SCZ e analisamos os fatores a ela associados, utilizando o instrumento WHOQOL-bref. Este foi um estudo transversal, realizado mediante análise descritiva dos dados, análise bivariada e regressão linear como análise multivariada. Fatores socioeconômicos e clínicos da cuidadora, como o retorno ao mercado de trabalho após o nascimento da criança (p<0,001), número filhos (p<0,005) e número de consultas pré-natais (p<0,001) foram associados à QV global, na análise multivariada. Aspectos relacionados ao neurodesenvolvimento infantil aumentaram a variação na predição da qualidade de vida das cuidadoras, após sua inserção no modelo multivariado para todos os domínios da QV, exceto psicológico. No Artigo 2, “Dinâmica longitudinal da qualidade de vida em cuidadoras de crianças com microcefalia associada a Síndrome Congênita da Zika durante a pandemia do COVID-19”, analisamos a influência do apoio social na qualidade de vida durante a primeira e segunda onda da pandemia do COVID-19, para cuidadoras de crianças com microcefalia associada a SCZ. O apoio emocional, material e interação social teve uma tendência de melhora entre a primeira e a segunda onda do Covid-19, assim como a QV. Este foi um artigo longitudinal realizado, com 50 cuidadoras recrutadas a partir de uma coorte de base hospitalar. Verificou-se a associação entre as subescalas do apoio social e o desfecho, qualidade de vida das cuidadoras ao longo da primeira e segunda onda do COVID-19, através de análise bivariadas e multivariada com modelo de regressão linear múltipla com método de reamostragem Jackknife para correção do erro padrão de amostras pequenas. Os resultados deste manuscrito apontaram uma diferença estatisticamente significante entre as avaliações do domínio ambiental da QV ao longo do tempo. Na análise multivariada o apoio emocional e material predisseram a qualidade de vida em 34% no domínio psicológico e em 19% no domínio ambiental. O artigo 3: “Fatores associados à saúde mental de cuidadoras de crianças nascidas durante a epidemia de Zika vírus: análise em tempos de covid-19”, analisamos os fatores associados à saúde mental das cuidadoras, durante a primeira onda da pandemia de COVID-19. Este manuscrito foi de corte transversal realizado com 53 cuidadoras. Verificou-se a associação entre as variáveis independentes sociodemográficas e de acesso das crianças e suas cuidadoras e o desfecho, saúde mental, através de análise bivariadas e multivariada com modelos de regressão linear múltipla com método de reamostragem Jackknife para correção do erro padrão de amostras pequenas. Os resultados evidenciaram que acesso à acompanhamento na Atenção Primária à Saúde para criança e sua cuidadora e consultas de rotina da cuidadora foram preditores de estresse e ansiedade das cuidadoras. Para a subescala de depressão, o modelo final foi predito em 30% por vivência de desemprego na família, atendimento da cuidadora na unidade básica de saúde e consultas de rotina da cuidadora. Fatores relacionados ao perfil socioeconômico, apoio social e acesso à serviços de saúde das cuidadoras e suas crianças estiveram associados aos desfechos qualidade de vida e saúde mental de cuidadoras de crianças com SCZ. Cuidadoras com desvantagens socioeconômicas, baixo apoio social e limitações no acesso à serviços de caráter preventivo para as famílias estão mais propensas a vivenciar baixa qualidade de vida e maior estresse, ansiedade e depressão. O monitoramento integrado de vigilância e atenção à saúde dos casos de alterações no crescimento e desenvolvimento de crianças afetadas pelo Zika vírus, bem como seu impacto na saúde mental e qualidade de vida do cuidador, é crucial para uma abordagem direcionada desses cuidadores e crianças, promovendo intervenções de saúde pública o mais precoce possível afim de potencializar os desfechos favoráveis e auxiliar na avaliação de resultados de reabilitação, fomentando a qualificação da tomada de decisão por parte dos gestores


  • Mostrar Abstract
  • The discovery of the causal relationship between Zika infection and microcephaly/Congenital Zika Syndrome (CZS) further strengthened the discussion on the impact of vector-borne diseases on the quality of life of Brazilian families. In addition to the health and functional challenges that encompass the child development of children with CZS, the quality of life and mental health of affected families is related to sociodemographic structures and access to health services, closely related to income, formal employment relationships, social benefits, number of children and access to preventive health care, especially in the context of Primary Health Care. The general objective of this study was to analyze the factors associated with the quality of life and mental health of mothers/caregivers of children born during the Zika virus epidemic. We respond to this objective through three articles. Article 1 “Factors associated with the quality of life of caregivers of children diagnosed with Congenital Zika Syndrome”, where we describe the quality of life among caregivers of children with microcephaly associated with CZS and analyze the factors associated with it, using the WHOQOL instrument -bref. This was a cross-sectional study, carried out using descriptive data analysis, bivariate analysis and linear regression as multivariate analysis. Socioeconomic and clinical factors of the caregiver, such as returning to the job market after the child's birth (p<0.001), number of children (p<0.005) and number of prenatal consultations (p<0.001) were associated with overall QoL, in the multivariate analysis. Aspects related to child neurodevelopment increased the variation in the prediction of caregivers' quality of life, after their inclusion in the multivariate model for all QoL domains, except psychological. In Article 2, “Longitudinal dynamics of quality of life in caregivers of children with microcephaly associated with Congenital Zika Syndrome during the COVID-19 pandemic”, we analyze the influence of social support on quality of life during the first and second wave of the pandemic of COVID-19, for caregivers of children with microcephaly associated with CZS. Emotional, material support and social interaction tended to improve between the first and second wave of Covid-19, as well as QoL. This was a longitudinal article conducted with 50 caregivers recruited from a hospital-based cohort. There was an association between the social support subscales and the outcome, quality of life of caregivers during the first and second wave of COVID-19, through bivariate and multivariate analysis with a multiple linear regression model with the Jackknife resampling method to standard error correction for small samples. The results of this manuscript showed a statistically significant difference between the evaluations of the environmental domain of QoL over time. In the multivariate analysis, emotional and material support predicted quality of life in 34% in the psychological domain and in 19% in the environmental domain. Article 3: “Factors associated with the mental health of caregivers of children born during the Zika virus epidemic: analysis in times of covid19”, we analyze the factors associated with the mental health of caregivers during the first wave of the COVID-19 pandemic. 19. This manuscript was cross-sectional and carried out with 53 caregivers. There was an association between the independent sociodemographic and access variables of children and their caregivers and the outcome, mental health, through bivariate and multivariate analysis with multiple linear regression models with the Jackknife resampling method to correct the standard error of small samples. The results showed that access to monitoring in Primary Health Care for children and their caregivers and the caregiver's routine consultations were predictors of stress and anxiety in caregivers. For the depression subscale, the final model was predicted in 30% by experience of unemployment in the family, care provided by the caregiver at the basic health unit and the caregiver's routine appointments. Factors related to the socioeconomic profile, social support and access to health services of caregivers and their children were associated with the outcomes quality of life and mental health of caregivers of children with CZS. Caregivers with socioeconomic disadvantages, low social support and limited access to preventive services for families are more likely to experience low quality of life and greater stress, anxiety and depression. The integrated surveillance and health care monitoring of cases of changes in the growth and development of children affected by the Zika virus, as well as their impact on the mental health and quality of life of the caregiver, is crucial for a targeted approach to these caregivers and children, promoting public health interventions as early as possible in order to enhance favorable outcomes and assist in the evaluation of rehabilitation results, fostering the qualification of decision-making by managers.

2
  • Fabiane Soares Gomes
  • Aceitabilidade e início do uso da profilaxia pré-exposição ao HIV em populações-chave para epidemia de HIV/AIDS

  • Orientador : MARIA INES COSTA DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AMÉLIA DE SOUSA MASCENA VERAS
  • DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS
  • LAIO MAGNO SANTOS DE SOUSA
  • LILIAN FATIMA BARBOSA MARINHO
  • MARCOS PEREIRA SANTOS
  • MARIA INES COSTA DOURADO
  • Data: 30/01/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A epidemia de HIV é um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Entretanto, está concentrada em alguns grupos populacionais, como homens que fazem sexo com homens (HSH), travestis e mulheres transexuais (TrMT), além de outros, chamados de populações-chave para a epidemia. A profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) é uma importante tecnologia de prevenção do HIV, indicada para pessoas com risco acrescido para o HIV e, no Brasil, se insere no leque de opções de estratégias de prevenção combinada. A aceitabilidade e o início do uso desta tecnologia diferem segundo populações e faixa etária, assim como seus fatores associados. E o conhecimento das etapas para uso da PrEP entre populações-chave no contexto brasileiro é limitado. Objetivo geral: Estudar a aceitabilidade e a iniciação do uso da PrEP entre populações-chave da epidemia do HIV no Brasil. Objetivos específicos: (1) Analisar a associação entre autopercepção de risco de infecção pelo HIV e a aceitabilidade da PrEP oral diária entre HSH em doze capitais brasileiras; (2) Analisar os perfis sociodemográficos e comportamentais de adolescentes HSH e TrMT quanto à iniciação do uso da PrEP em três capitais brasileiras; (3) Descrever o processo de iniciação do uso da PrEP e analisar seus preditores entre adolescentes HSH e TrMT em três capitais brasileiras. Métodos: Essa tese utilizou e analisou dados de dois estudos, e organizou os resultados em três artigos, segundo cada objetivo específico. (1) No primeiro artigo foi estimada a associação entre autopercepção de risco para HIV e aceitabilidade da PrEP oral diária entre HSH brasileiros. A base de dados foi de um inquérito sociocomportamental e biológico com a técnica amostral Respondent Driven Sampling (RDS), e recrutou-se 4.176 HSH com 18 anos ou mais em 12 cidades brasileiras, em 2016. Os resultados foram ponderados pelo estimador de Gile para estudos de RDS. Foram estimados odds ratios ajustados (ORa) com intervalos de confiança de 95% (IC 95%) por meio de modelos de regressão logística. (2) No segundo artigo a base de dados foi da pesquisa PrEP1519, estudo de coorte demonstrativo da efetividade da PrEP entre adolescentes HSH e TrMT (aHSH) e (aTrMT), de 15 a 19 anos, conduzido em São Paulo, Salvador e Belo Horizonte. Nesta análise, foram utilizados os dados dos participantes inscritos na coorte entre fevereiro/2019 e agosto/2021, entretanto observamos estes participantes até fevereiro de 2022 para analisar a iniciação de PrEP ao longo do período de seguimento. Os adolescentes que procuraram os serviços de PrEP foram classificados em quatro grupos, de acordo com a elegibilidade de PrEP (i.e., elegível ou não elegível), e a decisão de uso de PrEP (i.e., iniciou, não iniciou): i) participante sem indicação de uso da PrEP, não elegível; ii) elegível e iniciou o uso da PrEP na primeira consulta; iii) elegível e iniciou o uso da PrEP após a primeira consulta; e iv) com indicação de uso da PrEP, mas não iniciou o uso da PrEP. Os grupos foram descritos e comparados em relação às características sociodemográficas e comportamentais usando testes de  2 e Exato de Fisher. As análises foram realizadas no software R v.4.1.0, considerando um nível de significância estatística de 5%. (3) No terceiro artigo foram usados os dados da linha de base da coorte PrEP1519 dos participantes inscritos no estudo entre fevereiro/2019 e fevereiro/2021. Foi aplicado um questionário sociocomportamental na primeira visita aos serviços de PrEP. Foram descritas as proporções de intenção de uso, da elegibilidade ao uso da PrEP, e do início de uso da PrEP. Foi estimada razão de prevalência ajustada (RPa) e IC 95% da associação entre fatores sociocomportamentais e demográficos e início de uso da PrEP, estratificado por faixa etária (15 a 17 anos; 18 e 19 anos), utilizando modelos de regressão logística. Resultados referentes ao primeiro objetivo: A aceitabilidade da PrEP oral diária foi elevada (69,7%) entre os 3.544 HSH que responderam ao questionário. A maioria dos participantes relatou baixo ou moderado risco de infecção pelo HIV (67,2%) e uma pequena proporção (9,3%) relatou alto risco. Foi observada uma relação dose-resposta entre a aceitabilidade da PrEP e o risco autopercebido: a aceitabilidade da PrEP foi 1,88 vezes maior (OR 1,80; IC 95%: 1,24–2,85) entre HSH cujo risco percebido de infecção pelo HIV foi baixo ou moderado, e 5 vezes maior (OR 5,68; IC 95%: 2,54–12,73) entre aqueles que relataram alto risco em comparação com os HSH que relataram não ter risco de infecção pelo HIV. Resultados referentes ao segundo objetivo: Dos 1.254 adolescentes que chegaram aos serviços do estudo PrEP1519, 61 (4,9%) não tinham indicação de usar PrEP, por contraindicação clínica (37,7%) ou uma avaliação que indicasse baixo risco ao HIV (62,3%). Dos 1.193 elegíveis para PrEP, 1.113 (93,3%) iniciaram a PrEP e 80 (6,7%) não iniciaram. Dos 1.113 que iniciaram o uso da PrEP, 87,3% realizaram no mesmo dia e 12,7% em um momento posterior. Destes que iniciaram o uso da PrEP ao longo do seguimento, 50,0% começaram a usar PrEP nos primeiros 42 dias após o primeiro atendimento. Os adolescentes que iniciaram o uso da PrEP relataram alto risco de infecção pelo HIV. Resultados referentes ao terceiro objetivo: Entre os participantes recrutados, 174 (19,2%) tinham de 15 a 17 anos e 734 (80,8%) de 18 a 19 anos. A proporção de início de uso da PrEP foi de 78,2% e 77,4% para 15-17 anos e 18-19 anos, respectivamente. Os fatores associados ao início de uso da PrEP foram: ser preto ou pardo (RPa 2,31; IC 95%: 1,10 - 4,84) entre os adolescentes mais jovens de 15 a 17 anos; ter sofrido violência e/ou discriminação devido sua orientação sexual e/ou identidade de gênero (RPa 1,21; IC 95%: 1,01 - 1,46); ter recebido dinheiro ou favores em troca de sexo (RPa 1,32; IC 95%: 1,04 - 1,68); e ter tido de 2 a 5 parcerias sexuais nos últimos três meses (RPa 1,39; IC 95%: 1,15 - 1,68) entre os 18-19 anos. A relação anal receptiva desprotegida nos últimos 6 meses foi associada ao início de uso da PrEP em ambas as faixas etárias (RPa 1,98; IC 95%: 1,02 - 3,85 e RPa 1,45; IC 95%: 1,19 - 1,76 entre 15-17 anos e 18-19 anos, respectivamente). Conclusões: A PrEP é uma medida efetiva de prevenção do HIV para adultos e adolescentes de populações-chave no Brasil e no mundo. A percepção do risco de infecção pelo HIV desempenha um papel importante na aceitabilidade da PrEP. Para expandir o acesso da PrEP entre populações vulneráveis, os programas de PrEP devem estar organizados e os profissionais de saúde preparados para identificar populações em contexto de vulnerabilidade com indicação de uso da profilaxia, de modo a orientá-las quanto aos seus riscos de infecção ao HIV e a necessidade do uso de métodos preventivos, sendo a PrEP uma dessas opções.


  • Mostrar Abstract
  • Background: The HIV epidemic is a public health problem in Brazil and worldwide. It is concentrated in some population groups, such as men who have sex with men (MSM) and transgender women (TGW), also called key populations for the epidemic. HIV pre-exposure prophylaxis (PrEP) is an important technology for HIV prevention, indicates for populations at high HIV risk of infection, and in Brazil, it is part of the range of options for combined HIV prevention strategies. The acceptability and uptake of this technology differ according to populations and age groups, as well as their associated factors, and the knowledge about the steps for PrEP use among key populations in the Brazilian context is still quite limited. Overall objective: To study the acceptability and uptake of PrEP among key populations of the HIV epidemic in Brazil. Specific objectives: (1) To analyze the association between self-perception of the risk of HIV infection and the acceptability of daily oral PrEP among MSM in twelve Brazilian capitals; (2) To analyze the sociodemographic and behavioral profiles of MSM and TrMT adolescents regarding the initiation of PrEP in three Brazilian capitals; (3) To describe the uptake process and analyze predictors for PrEP initiation among MSM and TrMT adolescents in three Brazilian capitals. Methods: This thesis was presented in three articles according to each specific objective. (1) In the first article, it was estimated the association between self-perception of HIV risk and acceptability of daily oral PrEP among Brazilian MSM. Respondent-driven sampling (RDS) was used for sociobehavioral and biological surveillance to recruit 4,176 MSM 18 years or over in 12 Brazilian cities in 2016. Results were weighted using Gile’s estimator for RDS studies. Adjusted odds ratios (OR) with 95% confidence intervals (95% CI) were calculated using multivariate logistic regression. (2) In paper 2, data from the PrEP1519 study were used, a study demonstrating the use of PrEP among MSM and TGW (aMSM) and (aTGW) adolescents aged 15 to 19 years, in São Paulo, Salvador, and Belo Horizonte. In this analysis, data from participants enrolled in the PrEP1519 cohort between February/2019 to August/2021 were used. However, we observed these participants until February 2022 to analyze PrEP initiation in the follow-up. Adolescents who sought PrEP services were classified into four groups, according to PrEP eligibility (i.e., eligible or noneligible) and individual decision to use PrEP (i.e., started, not started): i) participant with no indication of use of PrEP, not eligible; ii) eligible and started using PrEP at first visit; iii) eligible and started using PrEP after the first visit; and iv) with the indication of use of PrEP, but without initiation of PrEP. Groups were described and compared for sociodemographic and behavioral characteristics using 2 and Fisher's Exact tests. The analyzes were performed using the software R v.4.1.0, considering a level of statistical significance of 5%. (3) In article 3, baseline data from the PrEP1519 cohort of participants enrolled in the study between February/2019 to February/2021 were used. A socio-behavioral questionnaire was applied on the first visit to the PrEP service. The proportions of intention to use, eligibility for PrEP use, and initiation of PrEP use among participants linked to the clinics were described. Socio-behavioral and demographic factors associated with the initiation of PrEP were analyzed, stratified by age group 15 to 17 years old and 18 and 19 years old, using logistic regression with adjusted prevalence ratio (aPR) and 95% CI. Results referring to the first objective: Acceptability of daily oral PrEP was high (69.7%) among the 3,544 MSM available for analysis. Most participants self-reported low or moderate risk of HIV infection (67.2%) and a small proportion (9.3%) reported high risk. A dose-response relationship was observed between acceptability of PrEP and self-reported risk: PrEP acceptability was 1.88 times higher (OR 1.80; 95% CI: 1.24–2.85) among MSM whose perceived risk of HIV infection was low or moderate, and 5 times higher (OR 5.68; 95% CI: 2.54–12.73) among those who self-reported high risk compared to MSM reporting no HIV risk. Results referring to the second objective: Of the 1,254 adolescents who arrived at the PrEP1519 services, 61 (4.9%) were not indicated to use PrEP, because they had some clinical contraindication (37.7%) or an assessment that indicated a low risk for HIV (62.3%). Of the 1,193 eligible for PrEP, 1,113 (93.3%) started PrEP and 80 (6.7%) did not. Of the 1,113 who started PrEP, 87.3% took it on the same day and 12.7% at a later time. Of these, 50.0% started using PrEP within the first 42 days after the first visit. Adolescents who started using PrEP were at greater risk of HIV infection. Results referring to the third objective: Among recruited participants, 174 (19,2%) were aged 15-17 yo and 734 (80,8%) 18-19 yo. The rateof PrEP initiation was 78.2% and 77.4% for 15-17 yo and 18–19 yo, respectively. Factors associated with PrEP initiation were: black or mixed race (aPR 2.31; 95%CI: 1.10 - 4.84) among the younger adolescents 15-17 yo; experienced violence and/or discrimination due to their sexual orientation or gender identity (aPR 1.21; 95%CI: 1.01 - 1.46); received money or favors in exchange for sex (aPR 1.32; 95%CI: 1.04 - 1.68); and having had between 2 to 5 sexual partners in the previous three months (aPR 1.39; 95%CI: 1.15 - 1.68) among those 18-19 yo. Unprotected receptive anal intercourse in the previous 6 months was associated with PrEP initiation in both age groups (aPR 1.98; 95%CI: 1.02 - 3.85and aPR 1.45; 95%CI: 1.19 - 1.76 among 15-17 yo and 18-19 yo, respectively). Conclusion: PrEP is an effective prevention method to control the HIV epidemic among adults and adolescents of the key populations in Brazil and the world. The perceived risk of HIV infection plays an important role in the acceptability of PrEP. And to expand access to PrEP among vulnerable populations, PrEP programs must be organized, and health professionals must be prepared to identify vulnerable populations with an indication of prophylaxis use. So guide them about their risk of HIV infection and the need to use a preventive method, with PrEP as an option.

3
  • TIAGO PARADA COSTA SILVA
  • Análise do discurso oficial sobre a Estratégia Saúde da Família

  • Orientador : ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • HANDERSON SILVA SANTOS
  • LUCIANO BEZERRA GOMES
  • MARCELO EDUARDO PFEIFFER CASTELLANOS
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • SOSTENES ERICSON VICENTE DA SILVA
  • Data: 08/02/2023

  • Mostrar Resumo
  • O Sistema Único de Saúde (SUS) é resultado de ação política de um movimento reconhecido como movimento da Reforma Sanitária Brasileira (MRSB), conduzida no âmbito da sociedade civil. Em 2017, sob extensa polêmica, foi publicada a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica. O núcleo da polêmica foi o processo de implantação/implementação da Estratégia Saúde da Família - ESF, mobilizando e sustentando os sentidos divergentes (avanço ou retrocesso) sobre o mesmo fenômeno. A ESF recebeu incentivos e investimentos de diversas ordens e se expandiu em diferentes dimensões, passível de ser considerada como uma das principais políticas de saúde implantadas a partir do SUS. Entretanto, no processo histórico real, desde seu lançamento circulam discursos que colocam críticas à possibilidade efetiva daquela estratégia promover mudança do modelo de atenção. O embate sobre os sentidos mobilizados em torno da ESF é algo complexo desde sua origem institucional. Consideramos estarmos, portanto, diante da contradição histórica da relação Capital-Trabalho, que, como tal, mobiliza sentidos e significados que podem constituir força material, no âmbito da luta de classes, para sua conservação (produção e reprodução) ou transformação (revolução). Realizamos um estudo orientado pelo método materialista histórico a partir da Análise de Discurso (AD) de tradição francesa, tendo por objetivo analisar a origem do processo discursivo oficial sobre a ESF no Brasil. Constituímos um corpus heterogêneo composto por sequências discursivas do discurso oficial, mobilizados por dispositivos teórico-analíticos da AD, tendo como conceitos/categorias fundamentais condições de produção do discurso, Interdiscurso, Formação Discursiva - FD e Formação Ideológica - FI. O discurso estudado foi enunciado numa conjuntura em que o país aprofundava a adesão ao receituário neoliberal economicamente e, também, ideologicamente, após o período de grande efervescência, nos estertores do regime militar, especialmente no final da década de 1970 e até meados da década de 1980; ao tempo em que reorganiza o sistema hegemônico sobre e com os escombros do que colapsou junto à abertura democrática. As análises demonstraram marcas de encaixes e articulações de processos interdiscursos que permitem considerar um discurso filiado ao discurso neoliberal que tem como Sujeito Universal “o Capital”, personificado na fração da burguesia cosmopolita brasileira, na expressão de seu desenvolvimento contemporâneo à enunciação, neoliberal. Tal filiação se expressou na “leitura” do problema que se pretende enfrentar, “a crise estrutural do setor público”, portanto na base da sustentação silogística do discurso, quase como uma “determinação genética” associada à filiação do discurso à FD do Ministério da Reforma do Estado. Se trata de um discurso dirigido às necessidades do sistema hegemônico em reconfiguração, enfrentando as contradições “postas” pelo discurso do MRSB, no debate sobre o desenvolvimento de políticas de saúde, numa conjuntura em que o Estado, em reforma, implementa um modelo econômico neoliberal, orientado para o encolhimento das estruturas públicas estatais. “ESF” se configura como objeto ideológico paradoxal, atuando no Aparelho Ideológico da Saúde para a saturação dos sentidos referentes à organização dos serviços de saúde, se mostrando ao mesmo tempo estratégia para transformação e para conservação do modelo assistencial. A contribuição mais imediata deste estudo talvez seja permitir, para aquelas organizações que se reconhecem partidárias da defesa do Direito Universal à Saúde sobe a égide do projeto da RSB, um reposicionamento na luta ideológica de classes.


  • Mostrar Abstract
  • The Unified Health System (SUS) is the result of political action of a movement recognized as the Brazilian Health Reform Movement (MRSB), conducted within the framework of civil society. In 2017, under extensive controversy, the National Primary Care Policy was published, establishing the revision of guidelines for the organization of Primary Care. The core of the controversy was the process of implantation/implementation of the Family Health Strategy - FHS, mobilizing and sustaining divergent meanings (advance or retreat) about the same phenomenon. The FHS received incentives and investments of various kinds and expanded in different dimensions, and can be considered one of the main health policies implemented by the SUS. However, in the actual historical process, since its launching, discourses have circulated that criticize the possibility of that strategy to promote changes in the care model. The struggle over the meanings mobilized around the ESF is something complex since its institutional origin. We consider that we are, therefore, facing the historical contradiction of the Capital-Labor relation, which, as such, mobilizes senses and meanings that can constitute material force, in the scope of the class struggle, for its conservation (production and reproduction) or transformation (revolution). We conducted a study guided by the historical materialist method from the French tradition Discourse Analysis (DA), aiming to analyze the origin of the official discursive process about ESF in Brazil. We constituted a heterogeneous corpus composed of discursive sequences of the official discourse, mobilized by theoretical-analytical devices of AD, having as fundamental concepts/categories conditions of discourse production, Interdiscourse, Discursive Formation - FD and Ideological Formation - IF. The discourse studied was enunciated in a conjuncture in which the country was deepening its adherence to the neoliberal prescriptions, economically and ideologically, after the period of great effervescence in the aftermath of the military regime, especially at the end of the 1970s and until the mid-1980s. The analyses demonstrated marks of fits and joints of interdiscourse processes that allow us to consider a discourse affiliated to the neoliberal discourse that has as Universal Subject "the Capital", personified in the fraction of the Brazilian cosmopolitan bourgeoisie, in the expression of its contemporary development to the enunciation, neoliberal. Such affiliation is expressed in the "reading" of the problem that one intends to face, "the structural crisis of the public sector", therefore at the base of the syllogistic support of the discourse, almost as a "genetic determination" associated to the affiliation of the discourse to the FD of the Ministry of State Reform. It is a discourse directed to the needs of the hegemonic system in reconfiguration, facing the contradictions "posed" by the MRSB discourse, in the debate about the development of health policies, in a conjuncture in which the State, in reform, implements a neoliberal economic model, oriented to the shrinking of state public structures. "ESF" is configured as a paradoxical ideological object, acting in the Ideological Apparatus of Health for the saturation of senses referring to the organization of health services, showing itself at the same time as a strategy for transformation and for conservation of the care model. Perhaps the most immediate contribution of this study is to allow, for those organizations that recognize themselves as supporters of the defense of the Universal Right to Health under the aegis of the SRB project, a repositioning in the ideological class struggle.

4
  • Fernanda Macedo da Silva Lima
  • SIGNIFICADOS E PERCEPÇÕES DE RISCO ASSOCIADOS AO VÍRUS ZIKA PELA POPULAÇÃO E POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA CIDADE DE SALVADOR-BAHIA

  • Orientador : JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CAPRARA ANDREA
  • FERNANDA DOS REIS SOUZA
  • JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • Data: 15/02/2023

  • Mostrar Resumo
  • O Brasil vivenciou uma grave epidemia provocada pelo vírus zika entre os anos de 2015 e 2016. A microcefalia em recém-nascidos foi a primeira alteração associada a infecção intrauterina pelo vírus zika, posteriormente outras malformações congênitas também foram identificadas, condição atualmente conhecida como a síndrome congênita do vírus zika. As repercussões desta epidemia sobre a vida da população brasileira geraram uma série de recomendações por autoridades de saúde, embasadas principalmente nos avanços dos conhecimentos clínicos e biomédicos adquiridos sobre a doença. Porém estas orientações pouco levaram em consideração o contexto social e cultural dos indivíduos e a sua influência sobre as formas de compreender e reagir a este problema de saúde. O entendimento dos processos socioculturais que permeiam essa nova realidade constituída após a epidemia é fundamental, visto que eles estão intimamente relacionados com os significados e percepções de risco atribuídos pela população a questões associadas a saúde e doença. Estes elementos precisam ser melhor compreendidos, pois fornecerão subsídios para o entendimento dos sentidos atribuídos ao vírus zika pela população, além de qualificar os profissionais de saúde para que atuem de maneira adequada frente à realidade social e cultural da população sobre a qual se deseja intervir. Com base nessas premissas, esta tese objetivou compreender os significados, percepções de risco e práticas preventivas associados ao vírus zika pela população e por profissionais de saúde da cidade de Salvador-Bahia


  • Mostrar Abstract
  • Brazil experienced a severe epidemic caused by zika virus between the years 2015 and 2016. Microcephaly in newborns was the first change associated with intrauterine infection by zika virus, later other congenital malformations were also identified, condition currently known as zika virus congenital syndrome. The repercussions of this epidemic on the life of Brazilian population generated a series of recommendations by health authorities, based mainly on the advances of clinical and biomedical knowledge acquired about the disease. However, these guidelines took little into consideration the social and cultural context of individuals and its influence on the ways of understanding and reacting to this health problem. The understanding of socio-cultural processes that permeate this new reality constituted after the epidemic is fundamental, since they are closely related to the meanings and perceptions of risk attributed by the population to issues associated with health and disease. These elements need to be better understood, because they will provide subsidies for the understanding of the meanings attributed to the zika virus by the population, besides qualifying health professionals to act in an adequate way facing the social and cultural reality of the population on which they want to intervene. Based on these premises, this thesis aimed to understand the meanings, risk perceptions and preventive practices associated to zika virus by the population and health professionals of the city of Salvador-Bahia

5
  • Ericka Souza Browne
  • Leptospiras nas Américas de 1930- 2017: um estudo sobre diversidade de sorovares patogênicos e nicho ecológico.

  • Orientador : FEDERICO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA ANDREA PREVITALI
  • THADEU SOBRAL DE SOUZA
  • FEDERICO COSTA
  • MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • YUKARI FIGUEROA MISE
  • Data: 27/02/2023

  • Mostrar Resumo
  • A leptospirose é um problema de saúde pública, e está entre as doenças negligenciadas do mundo. É uma doença infecciosa zoonótica causada por bactérias do gênero Leptospira, que possui elevada diversidade de sorovares e de reservatórios. Sendo assim, é de essencial importância conhecer a distribuição geográfica de sorovares e seus nichos ecológicos. Este estudo teve como objetivo geral: Caracterizar a diversidade de leptospiras patogênicas nas Américas e sua relação com seus nichos ecológicos e impacto na transmissão da leptospirose. Respondemos a esse objetivo através de três artigos. Artigo 1: O objetivo foi caracterizar a distribuição geográfica dos sorovares patogênicos de leptospiras nas Américas, a partir de uma revisão sistemática entre 1930 a 2017, onde foram identificados um total de 1310 artigos. Após avaliação por critérios de inclusão e exclusão com base na revisão de título e resumo, permaneceram 750 artigos. Por fim, a avaliação do texto completo e analisados 283 artigos, dos quais 69 foram realizados em humanos, 86 em animais silvestres e 182 em animais domésticos, maior parte deles realizados no Brasil (104), em ambientes rurais, sendo os sorovares mais frequentes: o Icterohaemorrhgiae, Pomona, Canicola e Grippotyphosa. Os resultados encontrados apontam para uma concentração de pontos georreferenciados na América latina, principalmente no Brasil. Além disso, estudos que aprofundem sobre as características ambientais devem ser explorados. Artigo 2: Este estudo tem como objetivo analisar a prevalência de leptospirose nas Américas, a partir de uma revisão sistemática com metanálise, no período de 1930 a 2017, realizada em seis plataformas de pesquisa: PubMed, Web of Science, Scopus, Lilacs, Embase e Cochrane. Os artigos (77) foram encontrados em todos os países das Américas; Norte (11, 14%), Central (9;11%) e Sul (42; 53%); maior parte proveniente de zona rural (12;15%) e 53 (67.9%) artigos são de 2000 a 2017. A prevalência geral média de leptospirose em todos os artigos corresponde a 28% (0.23-0.32) IC 95%. Os países com maior prevalência foram EUA (41%), Brasil (21%) e Colômbia (29%). Os sorovares mais frequentes encontrados foram: Icterohaemorrageae (43;55%), Canicola (35; 45%), Pomona (28; 36%) e Grippotyphosa (26;33%). Existe uma variabilidade de espécies e sorovares de Leptospira distribuídas de forma heterogênea pelas Américas, com alta prevalência em alguns países, o que mostra ser necessário empreender ações para o controle dessa doença que ainda é negligenciada no mundo. Artigo 3: O objetivo investigar o a distribuição geográfica atual e o impacto de diferentes cenários de mudanças climáticas na distribuição geográfica potencial de sorovares patogênicos de leptospiras circulantes nas Américas. Informações relacionadas aos sorovares incluindo localização e reservatório foram extraídas de artigos identificados através de uma revisão sistemática de 1930-2017. Varáveis ambientais foram utilizados como preditoras na modelagem de nicho ecológico. As análises foram baseadas na escala de transmissão da leptospirose no tempo e no espaço, considerando sorovares patogênicos, tendo em vista RCP 4.5 e RCP8.5, para os anos de 2050 e 2070. Os resultados apontam para um potencial conservação de transmissão de leptospirose em cenários de mudanças climáticas globais, principalmente na América central e sul. E, finalmente, acredita-se que a partir dos achados encontrados, será possível mitigar ações de conservação ambiental com a finalidade de controlar e reduzir as consequências das mudanças de temperatura futuras, que são variáveis importantes para a transmissão da leptospirose.


  • Mostrar Abstract
  • Leptospirosis is a public health problem, and it is among the world’s neglected diseases. It is a zoonotic infectious disease caused by bacteria of the genus Leptospira, which has a high diversity of serovars and reservoirs. Therefore, it is essential to know the geographic distribution of serovars and their ecological niches. This general objective of this study was characterizing the diversity of pathogenic leptospires in the Americas and its relation to their ecological niches and impact on the transmission of leptospirosis. We responded to this objective through three articles. Article 1: The objective was to characterize the geographic distribution of pathogenic leptospire serovars in the Americas, based on a systematic review between 1930 and 2017, where a total of 1310 articles were identified. After evaluation by inclusion and exclusion criteria based on title and abstract review, 750 articles remained. Finally, the evaluation of the full text and analyzed of 283 articles, of which 69 were performed in humans, 86 in wild animals and 182 in domestic animals, most of them performed in Brazil (104), in rural environments, being the most frequent serovars: the Icterohaemorrhgiae , Pomona, Canicola and Grippotyphosa . The results found point to a concentration of georeferenced points in Latin America, especially in Brazil. In addition, studies that deepen the environmental characteristics should be explored. Article 2: This study aims to analyze the prevalence of leptospirosis in the Americas, from a systematic review with meta -analysis, in the period from 1930 to 2017, carried out on six research platforms: PubMed , Web of Science, Scopus, Lilacs , Embase and Cochrane. Articles (77) were found in all countries of the Americas; North (11, 14%), Central (9;11%) and South (42; 53%); most from rural areas (12;15%) and 53 (67.9%) articles are from 2000 to 2017. The overall average prevalence of leptospirosis across all articles corresponds to 28% (0.23-0.32) 95% CI. The countries with the highest prevalence were the USA (41%), Brazil (21%) and Colombia (29%). The most frequent serovars found were: Icterohaemorrageae (43;55%), Canicola (35;45%), Pomona (28;36%) and Grippotyphosa (26;33%). There is a variability of Leptospira species and serovars heterogeneously distributed throughout the Americas, with high prevalence in some countries, which shows that it is necessary to undertake actions to control this disease that is still neglected in the world. Article 3: The objective is to investigate the current geographic distribution and the impact of different climate change scenarios on the potential geographic distribution of pathogenic leptospiral serovars circulating in the Americas. Information related to serovars including location and reservoir was extracted from articles identified through a systematic review from 1930-2017. Environmental variables were used as predictors in ecological niche modeling. Analyzes were based on the scale of leptospirosis transmission in time and space, considering pathogenic serovars, considering RCP 4.5 and RCP8.5, for the years 2050 and 2070. The results point to a potential conservation of leptospirosis transmission in scenarios of global climate change, mainly in Central and South America. And finally, it is believed that based on the findings found, it will be possible to mitigate environmental conservation actions to control and reduce the consequences of future temperature changes, which are important variables for the transmission of leptospirosis.

6
  • Homegnon Antonin Ferreol Bah
  • Exposição precoce aos metais potencialmente tóxicos, determinantes sociais e crescimento fetal.

  • Orientador : JOSE ANTONIO MENEZES FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • NATALY DAMASCENO DE FIGUEIREDO
  • CLEBER CREMONESE
  • DJANILSON BARBOSA DOS SANTOS
  • FEDERICO COSTA
  • JOSE ANTONIO MENEZES FILHO
  • Data: 12/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Durante a gestação e a infância, as crianças são mais vulneráveis à toxicidade dos metais potencialmente tóxicos (MPT). As condições sociais desfavoráveis favorecem a exposição aos MPTs, além de influenciar seu impacto no desenvolvimento infantil; por exemplo, o neurodesenvolvimento (ND) e o crescimento fetal (CF). Considerando este aspecto social da poluição ambiental, um crescente corpo da literatura recomenda uma perspectiva multidimensional e integrado para investigar a toxicidade de poluentes como os MPTs, além de encorajar mais pesquisas em países de baixo e media renda (LMICs). Objetivos: Para os três estudos independentes: Artigo 1) Apresentar um modelo conceitual que permita integrar as características sociais e biológicas das crianças durante a gravidez e a infância para melhor explicar a neurotoxicidade dos MPTs; Artigo 2) investigar a exposição aos MPTs das gestantes recrutadas da coorte DSAN, e os fatores associados a tais exposições; Artigo 3) investigar associação entre a exposição a cada metais e o peso ao nascer das crianças além de averiguar possível efeitos combinados destes metais no peso ao nascer. Métodos: Artigo 1) A partir da perspectiva do Modelo Bioecológico de Bronfenbrenner (MBB) estendido ao mundo físico, desenvolveu-se um modelo conceitual que integra características sociais e biológicas no estudo da neurotoxicidade dos MPTs; Artigo 2) Dados sociodemográficos e hábitos gerais foram coletados por questionários aplicados às 163 gestantes dos municípios de Aratuípe e de Nazaré das Farinhas, incluídas na coorte DSAN-12M. Investigamos os determinantes da exposição ao chumbo (Pb), cádmio (Cd), arsênico (As) e manganês (Mn). Medimos os níveis desses metais no sangue (PbS e CdS), no cabelo (AsC e MnC), nas unhas dos pés (MnUp) e as taxas de deposição do Pb na poeira (TxPb) em suas casas por espectrofotometria de absorção atômica em forno de grafite (EAAFG). Artigo 3) Investigamos a relação entre a exposição materna ao chumbo (Pb), cádmio (Cd), manganês (Mn) e peso ao nascer (PN) de 74 recém-nascidos. O sangue foi coletado durante o segundo trimestre da gravidez para determinar os níveis de Pb (PbS) e Cd (CdS), enquanto o cabelo (MnC) e as unhas dos pés (MnUp) foram usados para Mn. As amostras foram analisadas por espectrofotometria de absorção atômica em forno de grafite (EAAFG). Dados sociodemográficos, idade gestacional (IG) e PN foram coletados a partir de questionários e prontuários da maternidade. Resultados Artigo 1) O conceito de MBB que estrutura o contexto social em quatro níveis (micro, meso, exo e macrosisstema) que influencia o desenvolvimento pela relação gene-social, foi estendido ao ambiente físico, onde atuam os MPTs. Considerando a plausibilidade biológica das interações gene-ambiente (social e físico), apresentamos como fatores biológicos e sociais podem influenciar conjuntamente com os MPTs o neurodesenvolvimento infantil. Artigo 2) Dos quatro metais avaliados, o Cd apresentou uma situação preocupante, com até 61,1% (IC 95%: 52.4–69.3) das gestantes apresentando níveis de CdS acima das referências sugeridas na literatura. No entanto, o As não foi detectado em quase 97% delas enquanto poucas tinham níveis de PbS (5.1; 95% CI: 2.1–10.1%) e de MnC ou MnH, (4.3; 95% CI: 2.3–10.1%) elevados. O baixo nível socioeconômico, a queima de lixo doméstico, ser passivo fumante, a multiparidade e reformar sua residência foram fatores associados aos níveis elevados de Mn, Pb e Cd nas participantes. Artigo 3) Considerando os recém-nascidos incluídos na análise, as medianas (Percentil25–Percentil75) de PbS, CdS, MnC e MnUp foram, respectivamente, 0,9 (0,5–1,8) μg/dL; 0,54 (0,1–0,8) μg/L; 0,18 (0,1–0,4) μg/g e 0,65 (0,37–1,22) μg/g. Meninas e meninos apresentaram respectivamente, como médios (desvio padrão) do PN 3.067 (426,3) e 3.442 (431) gramas. Encontramos influência dos MPTs no PN segundo o sexo; pois a correlação inversa entre a MnUp e a razão PN/IG foi somente nas meninas (rho= –0,478; p=0,018). Embora a relação do PN com o CdS não tenha sido estatisticamente significativa, a regressão linear hierárquica (Beta= –2,08; IC95% -4,58 a 0,41) sugeriu um efeito fetotóxico. Conclusões: A parte teórica deste trabalho apresentou uma perspectiva da saúde ambiental baseado em modelos teóricos das ciências humanas para ter uma abordagem mais ampla para estudar toxicidade de poluentes em seres humanos. Este olhar é ainda mais importante em países em desenvolvimento como o Brasil. Em relação à investigação exploratória encontramos baixo exposição ao Pb e Mn em conjunto com alto nível de Cd nas gestantes recrutadas pelo estudo DSAN-12M. Evidenciamos a ameaça que representam estes os MPTs para a crescimento fetal demostrando assim a urgência de se implementar o biomonitoramento especialmente em populações em situações de vulnerabilidade social.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: During pregnancy and childhood, children are more vulnerable to the toxicity of potentially toxic metals (PTM). Social conditions influence exposure to MPTs, and impact child development; for example, neurodevelopment (ND) and fetal growth (FG). Considering this social aspect of environmental pollution, a growing body of literature recommends a multidimensional and integrated perspective to investigate the toxicity of pollutants such as MPTs. It also encourages further research in low- and middle-income countries (LMICs). Objectives – For the three independent studies: Paper 1) Present a conceptual model that allows integrating the social and biological characteristics of children during pregnancy and childhood to explain the neurotoxicity of MPTs better; Paper 2) Investigate the exposure to MPTs of pregnant women recruited from the DSAN cohort and the factors associated with such exposures; Paper 3) to investigate the association between exposure to each metal and the birth weight of children, in addition to investigating possible combined effects of these metals on birth weight. Methods: Paper 1) From the perspective of Bronfenbrenner's Bioecological Model (BBM) extended to the physical world, a conceptual model was developed to integrate social and biological characteristics in the study of the neurotoxicity of MPTs; Paper 2) Sociodemographic data and general habits were collected through questionnaires applied to 163 pregnant women in the municipalities of Aratuípe and Nazaré das Farinhas, recruited by the DSAN-12M cohort. We investigated the determinants of exposure to lead (Pb), cadmium (Cd), arsenic (As), and manganese (Mn). We measured levels of these metals in the blood (PbS and CdS), hair (AsC and MnC), toenails (MnUp), and Pb Dust Loading Rate (RtPb) in their homes by graphite furnace atomic absorption spectrophotometry (GFAAS). Paper 3) We investigated the relationship between maternal exposure to lead (Pb), cadmium (Cd), manganese (Mn), and birthweight (BW) of 74 newborns. Blood was collected during the second trimester of pregnancy to determine Pb (PbS) and Cd (CdS) levels, while hair (MnC) and toenails (MnUp) were used for Mn. The samples were analyzed by graphite furnace atomic absorption spectrophotometry (GFAAS). Sociodemographic data, gestational age (GA), and BW were collected from questionnaires and maternity records. Results Paper 1) The concept of BBM, which structures the social context into four levels (micro, meso, exo and macrosystem) which influence development through the gene-social relationship, was extended to the physical environment, where PTMs operate. Considering the biological plausibility of gene-environment interactions (social and physical), we present how biological and social factors can jointly influence child neurodevelopment with PTMs. Paper 2) Cd presented a worrying situation, with up to 61.1% (95% CI: 52.4–69.3) of pregnant women presenting levels of CdB above the references suggested in the literature. However, As was not detected in nearly 97% of the participants, while few had elevated levels of PbB (5.1; 95% CI: 2.1–10.1%) and MnH or MnTn, (4.3; 95% CI: 2.3–10.1%). Low socioeconomic status, burning household waste, being passive smokers, multiparity, and renovating their homes were factors associated with the participants' high Mn, Pb, and Cd levels. Paper 3) Considering the newborns included in the analysis, the medians (25th percentile – 75th percentile) of PbB, CdB, MnH, and MnTn were, respectively, 0.9 (0.5–1.8) μg/dL; 0.54 (0.1–0.8) μg/L; 0.18 (0.1–0.4) μg/g and 0.65 (0.37–1.22) μg/g. Girls and boys presented 3,067 (426.3) and 3,442 (431) grams of BW, respectively, as means (standard deviation). We found an influence of PTMs on BW according to sex; since the inverse correlation between MnTn and the BW/GA ratio was only in girls (rho= –0.478; p=0.018). Although the relationship between BW and CdB was not statistically significant, hierarchical linear regression (Beta= –2.08; 95%CI -4.58 to 0.41) suggested a foetotoxic effect. Conclusion: The theoretical part of this work presented an environmental health perspective based on theoretical models of human sciences to have a broader approach to studying pollutant toxicity in human beings. This look is even more critical in developing countries like Brazil. Regarding the exploratory investigation, we found low exposure to Pb and Mn besides a high level of Cd in pregnant women recruited by the study DSAN-12M. We confirm the threat these PTMs represent to fetal growth, thus demonstrating the urgency of implementing biomonitoring, especially in vulnerable populations.

7
  • JORGE HENRIQUE SANTOS SALDANHA
  • Fábrica de Lesionados/as! Fábrica de Inválidos/as? - Trabalho, Gênero e Trajetórias de incapacitação entre trabalhadores/as da Indústria Automotiva da Bahia

  • Orientador : JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • MONICA ANGELIM GOMES DE LIMA
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • ROBSON DA FONSECA NEVES
  • SELMA CRISTINA SILVA DE JESUS
  • Data: 12/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • Em condições adversas, o trabalho pode gerar adoecimento e graves consequências, dentre elas a incapacidade para o trabalho. Incapacidade para o trabalho pode ser definida como a situação em que um trabalhador não é capaz de se manter ou retornar ao trabalho por causa de uma lesão ou doença. Vários são os determinantes que podem influenciar o processo de afastamento e retorno ao trabalho. Este estudo buscou compreender, sob uma perspectiva de gênero, as experiências e as trajetórias de incapacitação para o trabalho de trabalhadores e trabalhadoras da indústria automotiva. Essa é uma pesquisa qualitativa, desenhada na perspectiva de um Estudo de Caso Ampliado. A produção de dados contou com uma metassíntese de estudos qualitativos, análise documental e de bancos de dados públicos de interesse; e um trabalho de campo etnográfico, que envolveu observação participante, entrevistas com homens e mulheres trabalhadores da indústria automotiva da região metropolitana de Salvador que vivenciaram experiências de incapacitação para o trabalho, bem como entrevistas com agentes interessados sobre o problema do adoecimento relacionado ao trabalho e da incapacidade para o trabalho na indústria automotiva;A análise dos dados apoiou-se na perspectiva teórica da ciência reflexiva de Burawoy e da sociologia reflexiva de Bourdieu. Os resultados da pesquisa estão apresentados nessa tese em 4 capítulos: O capítulo 1 é uma metassíntese de estudos qualitativos que investigaram as relações entre gênero e incapacidade no período entre 2008 e 2018; O capítulo 2 aborda as trajetórias de entrada na fábrica, a incorporação de disposições para o trabalho na indústria metalúrgica e o processo de se constituir como parte de uma classe em construção e as estratégias de permanência no trabalho. Os resultados deste capítulo buscam explicar como o Gênero medeia esse processo e como diferenças e desigualdades de gênero se expressam; O capítulo 3 apresenta o surgimento do fenômeno do adoecimento relacionado ao trabalho, os dados disponíveis sobre o adoecimento no setor automotivo, os diferentes pontos de vista sobre esse problema, a interseção do gênero na construção da visão sobre o problema e as ações desenvolvidas em torno dessa questão; O capítulo apresenta os achados que se relacionam com a ruptura nas trajetórias dos agentes a partir do marco da incapacidade para o trabalho, mostrando como o adoecimento representa um momento de ruptura com a mobilidade operária e com o pertencimento a uma classe em formação. Aborda ainda como as tensões “Trabalho versus Família” mostram-se como determinantes na decisão de afastar-se do trabalho e evidencia as tomadas de decisão da gestão da força de trabalho na relação com trabalhadores/as com incapacidade. Esse capítulo expõe como trabalhadoras e trabalhadores tomam as decisões de Retorno ao Trabalho, buscando analisar como se dão as interações entre os sistemas de Trabalho, Saúde e Previdência no processo de legitimação do adoecimento, especificamente entre as mulheres. Os resultados sistematizados nesse estudo evidenciam que Gênero é uma importante categoria a ser levada em consideração para a compreensão dos processos de incapacidade para o trabalho, pois as relações de gênero medeiam as trajetórias de trabalhadores/as desde o processo de entrada na fábrica, incorporação de disposições para o trabalho, manutenção dos postos de trabalho e ascensão profissional, bem como nas trajetórias de ruptura com o trabalho devido ao adoecimento. As experiências de incapacidade são marcadas por mediações dos processos de divisão sexual do trabalho na indústria e dos papéis sociais de gênero esperados de homens e mulheres. Gênero também é utilizado na disputa de modelos explicativos do adoecimento na indústria automotiva por diferentes campos envolvidos. Mulheres vivenciam maior dificuldade em legitimar seu adoecimento e incapacidade para o trabalho, bem como maiores dificuldades para retornar ao trabalho, devido a uma interação dos sistemas de Trabalho, Saúde e Previdência que reproduzem desigualdades de gênero.


  • Mostrar Abstract
  • Under adverse conditions, work can lead to illness and serious consequences, including work disability. Work disability can be defined as the situation in which a worker is unable to maintain or return to work due to injury or illness. There are several determinants that can influence the process of leave and return to work. This study sought to understand, from a gender perspective, the experiences and trajectories of work disability of male and female workers in the automotive industry. This is a qualitative research, designed from the perspective of an Extended Case Study. Data production relied on a meta-synthesis of qualitative studies, document analysis, and public databases; and an ethnographic fieldwork, which involved participant observation, interviews with men and women that worked in the automotive industry in the metropolitan region of Salvador and experienced work disability, as well as interviews with agents interested in the problem of work-related illness and work disability in the automotive industry. Data analysis was based on the theoretical perspective of Burawoy's reflective science and Bourdieu's reflective sociology. The research results are presented in this thesis in 4 chapters: Chapter 1 is a meta-synthesis of qualitative studies that investigated the relationship between gender and disability in the period between 2008 and 2018; Chapter 2 addresses the trajectories of entering the factory, the incorporation of dispositions to work in the metallurgical industry, and the process of constituting oneself as part of a class under construction, and the strategies for staying at work. The results of this chapter seek to explain how Gender mediates this process and how gender differences and inequalities are expressed; Chapter 3 presents the emergence of the phenomenon of work-related illness, the available data on illness in the automotive sector, the different points of view on this problem, the intersection of gender in the construction of this point of view, and the actions developed on this theme; The chapter presents the findings that are related to trajectories disruption of agents from the point of work disability, showing how the illness represents a moment of rupture with the laborer’s mobility and with belonging to a social class in formation. It also discusses how the “Work x Family tensions” are shown to be decisive in the decision to leave work and highlights the decision-making of workforce management in relation to workers with disabilities. This chapter discuss how male and female workers make return-to-work decisions, seeking to analyze how the interactions between the Labor, Health and Social Security systems occur in the process of recognizing the illness, specifically among women. The results systematized in this study show that Gender is an important category to be considered for understanding the processes of work disability, as gender relations mediate the trajectories of workers since the process of entering the factory, to incorporation of provisions for work, maintenance of jobs, and professional rise in the career, as well as in the trajectories of breaking with work due to illness. Disability experiences are marked by mediations of the processes of sexual division of labor in the industry and the social gender roles expected of men and women. Gender is also used in the dispute over explanatory models of illness in the automotive industry by different fields involved. Women experience greater difficulty in legitimizing their illness and incapacity for work, as well as greater difficulties in returning to work, due to an interaction of the Work, Health and Social Security systems that reproduce gender inequalities.

8
  • Lana Mércia Santiago de Souza
  • Cuidado integral às pessoas com sobrepeso e obesidade: avaliação de intervenções públicas de saúde.

  • Orientador : SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA CAMACHO DIAS
  • LUCIENE BURLANDY CAMPOS DE ALCÂNTARA
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • SANDRA MARIA CHAVES DOS SANTOS
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • Data: 09/05/2023

  • Mostrar Resumo
  • PROBLEMÁTICA: A obesidade caracteriza-se como fenômeno social, pandêmico, multicausal, compreendido como doença ou fator de risco para outros agravos, constituindo-se como desafio à saúde pública. Assim, intervenções neste campo têm sido implementadas para buscar prevenção e/ou controle de aumento da obesidade nas populações, bem como o cuidado às pessoas que convivem com excesso de peso. No Brasil, em 2013 é instituída a Linha de Cuidado ao Sobrepeso e Obesidade (LCSO), como estratégia de organização da atenção, a partir das redes temáticas. OBJETIVO: Avaliar intervenções públicas de saúde, voltadas à condição de sobrepeso e obesidade. METODOLOGIA: Para análise da produção acadêmica, foi realizada revisão de escopo da literatura, nas bases de dados MEDLINE/ PubMed, Web of Science e LILACS. Os estudos selecionados foram organizados segundo as suas características e analisadas a partir das Estratégias de saúde pública aplicáveis à obesidade, baseadas em Poulain (2013). No segundo momento foi conduzida a avaliação da teoria da Linha de Cuidado ao sobrepeso e obesidade no Brasil, por meio de análise lógica direta. Foram elaborados o modelo lógico da intervenção e o modelo teórico do cuidado a condição de sobrepeso e obesidade na APS, posteriormente comparados, a fim de reconhecer pontos potenciais e fragilidades da intervenção, bem como a força da relação causal entre a ação e seus efeitos. Tendo como referência o modelo lógico elaborado, foi também conduzida avaliação do grau de implantação das ações de cuidado às pessoas com sobrepeso e obesidade, na atenção primária à saúde, em 160 municípios baianos, distribuídos em nove macrorregiões de saúde. Foi utilizada uma matriz avaliativa, cuja pontuação variou de 0 a 100, distribuídos em quatro categorias: Não Implantado (0 a ≤ 25,0), Implantação Incipiente (25,0 a ≤ 50,0), Intermediária (50 a ≤ 75,0), avançada (75,0 a 100). O grau de implantação foi associado a indicadores geográficos, sociais e de saúde. RESULTADOS: A avaliação de escopo permitiu identificar 15 tipos de intervenções voltadas à prevenção e tratamento da obesidade, com maior frequência das ações desenvolvidas no ambiente escolar. Observou-se o foco em estratégias que utilizam a linha do ambiente, através de medidas legislativas regulatórias, com vistas ao enquadramento de condutas e as focadas nos indivíduos e populações de risco através de ações educativas para promoção em saúde. No Brasil, a avaliação teórica da LCSO evidenciou a necessidade de objetivos melhor definidos, meios de ação mais estruturados, financiamento adequado, sensibilização de gestores, profissionais e comunidade sobre o tema, bem como objetivos voltados às práticas de trabalho, para o alcance da integralidade proposta. Maior ênfase precisa ser dada às ações voltadas à gestação, parto e desenvolvimento inicial na infância, ligadas à obesidade. A avaliação revelou implantação incipiente para a maioria dos municípios (n=64, 40,0%) e em cinco, das nove macrorregiões de saúde da Bahia. Nas subcategorias de análise, a promoção da saúde e prevenção ao sobrepeso e obesidade apresentou melhor implantação e a de redução do estigma e qualificação do cuidado, as menores pontuações. CONCLUSÃO: Apesar de sua elevada prevalência, a condição de sobrepeso e obesidade e suas respectivas ações de cuidado na APS, ainda não é prioridade pública. A ideia comportamental de orientação através da educação em saúde para um estilo de vida saudável prevalece nas políticas públicas, indicando um movimento de responsabilização dos sujeitos. É imperativo aprofundar o debate das estruturas sociais de determinação da obesidade, junto à ações de mudança nos sistemas de representações sobre o corpo obeso, sem negligenciar o cuidado. Ademais, faz-se necessário investimentos em recursos financeiros, físicos e humanos, especialmente sobre os processos de trabalho e educação permanente dos profissionais, para qualificação da atenção prestada.


  • Mostrar Abstract
  • PROBLEMATIC: Obesity is characterized as a social, pandemic, multi-causal phenomenon, understood as a disease or risk factor for other diseases, constituting a challenge to public health. Thus, public health interventions have been implemented to seek prevention and/or control of the increase in obesity in populations, as well as care for people who live with excess weight. In Brazil, 2013, the Care Line for Overweight and Obesity was instituted as a strategy for organizing care, based on thematic networks. OBJECTIVE: To evaluate public health interventions aimed at overweight and obesity. METHODOLOGY: For the analysis of academic production, a review of the scope of the literature was carried out in the MEDLINE/PubMed, Web of Science and LILACS databases. The selected studies were organized according to their characteristics and analyzed based on the Public Health Strategies applicable to obesity in Brazil, based on Poulain (2013). In the second moment, the assessment of the Line of Care theory for overweight and obesity was carried out, through direct logical analysis. The logical model of the intervention and the theoretical model of care for the condition of overweight and obesity in PHC were prepared, subsequently compared, in order to recognize potential points and weaknesses of the intervention, as well as the strength of the causal link between the action and its effects. Using the elaborated logical model as a reference, was also conducted an evaluation was carried out of the degree of implementation of care actions for people with overweight and obesity, in primary health care, in 160 municipalities in Bahia, distributed in nine health macro-regions. An evaluative matrix was used, with scores ranging from 0 to 100, into four categories: Not Implanted (0 to ≤ 25.0), Incipient Implantation (25.0 to ≤ 50.0), Intermediate Implantation (50 to ≤ 75.0), Advanced Implantation (75.0 to 100). The degree of implementation was associated with geographic, social and health indicators. RESULTS: The scope assessment identified 15 types of interventions aimed at preventing and treating obesity, with greater frequency of actions developed in the school environment. There was a focus on strategies that use the line of the environment, through regulatory legislative measures, with a view to framing conducts and those focused on individuals and populations at risk through educational actions for health promotion. In Brazil, the theoretical evaluation of the line of care for overweight and obesity highlighted the need for better defined objectives, more structured means of action, adequate funding, awareness of managers, professionals and the community on the subject, as well as objectives aimed at work practices, to achieve the proposed completeness. Greater emphasis needs to be given to actions aimed at pregnancy, childbirth and early childhood development, related to obesity. The assessment of the degree of implementation revealed incipient implementation for most municipalities (n=64; 40.0%), in five of the nine health in Bahia macro-regions. In the subcategories of analysis, health promotion and prevention of overweight and obesity showed the better implantation, while stigma reduction and care qualification had the lowest scores. CONCLUSION: Despite its high prevalence, the condition of overweight and obesity and their respective care actions in PHC is still not a public priority. The behavioral idea of guidance through health education for a healthy lifestyle prevails in public policies, indicating a movement of accountability of the individuals. It is imperative to deepen the debate on the social structures that determine obesity, together with actions to change the systems of representations of the obese body, without neglecting care. Furthermore, it is necessary to invest in financial, physical and human resources, especially in work processes and permanent education, to qualify the care provided.

9
  • Nivison Ruy Rocha Nery Junior
  • O Papel dos Determinantes Sociais na Transmissão e nas Respostas as Emergências de Saúde Pública em Populações Vulnerabilizadas.

  • Orientador : FEDERICO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FEDERICO COSTA
  • HUSSEIN KHALIL
  • JOILDA SILVA NERY
  • JULIO HENRIQUE ROSA CRODA
  • MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • WILDO NAVEGANTES DE ARAÚJO
  • Data: 26/05/2023

  • Mostrar Resumo
  • As doenças infecciosas emergentes continuam sendo uma das principais causas de morbimortalidade no mundo. Nas últimas décadas, a humanidade tem enfrentado diversas emergências de saúde pública decorrentes de zoonoses, como a recente epidemia do zika vírus e a atual pandemia do SARS-CoV-2. Embora essas doenças acometam populações em diversas regiões do planeta, os residentes de regiões urbanas empobrecidas, como as favelas, estão mais vulneráveis e expostos a uma carga maior delas. Nesta tese os objetivos buscam descrever os determinantes sociodemográficos associados a exposição ao zika vírus e a infecção do SARS-CoV-2, bem como a frequência e os fatores associados ao interesse dos indivíduos em se vacinar contra a COVID-19. Esses objetivos conduziram a realização de quatro artigos cujo resultados serão apresentados em seção específica dentro da tese. No Artigo 1, foi realizado um estudo transversal, recrutando 469 mulheres grávidas que tiveram seus partos no centro obstétrico de um importante hospital público da cidade de Salvador, entre outubro de 2015 e janeiro de 2016. Para este grupo de mulheres foi identificado uma soropositividade de 61% para o ZIKV, e um gradiente social atrelado ao resultado dessa exposição. No Artigo 2, foi realizado um inquérito transversal de uma coorte de 2.041 moradores de uma favela urbana da cidade de Salvador, entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021, após a primeira onda da pandemia da COVID-19. Neste estudo foi encontrado uma soropositividade ao vírus de aproximadamente 50% dos residentes, sendo as mulheres e as crianças mais propensas a infecção. No Artigo 3, foi realizado uma pesquisa de base populacional transversal em 12 distritos da cidade de Salvador, entre novembro de 2020 e janeiro de 2021, para identificar os fatores associados a aceitação vacinal para uma possível vacina segura contra a COVID-19. Entre os 2.521 participantes, 81.4% relataram pretensão de tomar uma vacina, e destes, 68.2% referiram ainda que se fosse necessário, pagariam para ter acesso à mesma. No Artigo 4, utilizamos dados dos participantes com 18 anos ou mais que participaram da pesquisa referida no Artigo 2 para avaliar a frequência e os fatores associados à vontade ou hesitação de se vacinar contra a COVID-19. Descobrimos que a aceitação vacinal em residentes de uma favela urbana é menor do que a obtida na população geral, com percentual de 66%, tendo como principais motivos para a hesitação o desconhecimento da eficácia da vacina e os potenciais efeitos colaterais da sua administração. A partir dessas descobertas, esperamos contribuir com conhecimentos para a saúde coletiva, resultando em respostas sanitárias e políticas públicas mais efetivas, direcionadas a redução de iniquidades, oportunizando melhores condições sociais para a população empobrecida. Além de nos tornar mais bem preparados, com um sistema de saúde pública forte e vigilante para o enfrentamento destas e de futuros desafios sanitários que possam surgir.


  • Mostrar Abstract
  • Emerging infectious diseases continue to be one of the main causes of morbidity and mortality in the world. In recent decades, humanity has faced several problems arising from emerging zoonoses, such as the recent Zika virus epidemic and the current SARS-CoV-2 pandemic. Although these diseases affect populations in different regions of the planet, residents of impoverished urban regions, such as slums, are more vulnerable and exposed to a greater burden of them. In this thesis, the objectives seek to describe the sociodemographic determinants associated with exposure to the zika virus and SARS-CoV-2 infection, as well as the frequency and factors associated with the interest of individuals in vaccinating against COVID-19. These objectives led to the creation of four articles whose results will be presented in a specific section within the thesis. In Article 1, a cross-sectional study was carried out, recruiting 469 pregnant women who gave birth at the obstetric center of an important public hospital in the city of Salvador, between October 2015 and January 2016. For this group of women, a seropositivity of 61% for ZIKV, and a social gradient linked to the result of this exposure. In Article 2, a cross-sectional survey of a cohort of 2,041 residents of an urban slum in the city of Salvador was carried out between November 2020 and February 2021, after the first wave of the COVID-19 pandemic. In this study, seropositivity for the virus was found in approximately 50% of residents, with women and children being more prone to infection. In Article 3, a cross-sectional population-based survey was carried out in 12 districts of the city of Salvador, between November 2020 and January 2021, to identify factors associated with vaccine acceptance for a possible safe vaccine against COVID-19. Among the 2,521 participants, 81.4% reported intending to take a vaccine, and of these, 68.2% also mentioned that if necessary, they would pay to have access to it. In Article 4, we used data from participants aged 18 years or older who participated in the survey referred to in Article 2 to assess the frequency and factors associated with willingness or hesitation to vaccinate against COVID-19. We found that vaccine acceptance in residents of an urban slum is lower than that obtained in the general population, with a percentage of 66%, with the lack of knowledge about the efficacy of the vaccine and the potential side effects of its administration being the main reasons for hesitation. Based on these discoveries, we hope to contribute knowledge to collective health, resulting in more effective health responses and public policies, aimed at reducing inequalities, providing better social conditions for the impoverished population. In addition to making us better prepared, with a strong and vigilant public health system to face these and future health challenges that may arise.

10
  • Juan Pablo Aguilar Ticona
  • Transmissão vetorial e sexual do vírus Zika e os efeitos clínicos e de desenvolvimento em crianças nascidas durante a epidemia em Salvador, Brasil

  • Orientador : FEDERICO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FEDERICO COSTA
  • MARIA DA GLORIA LIMA CRUZ TEIXEIRA
  • FLORISNEIDE RODRIGUES BARRETO
  • JAMARY OLIVEIRA FILHO
  • ISADORA CRISTINA DE SIQUEIRA
  • Data: 31/05/2023

  • Mostrar Resumo
  • Antecedentes: Em 2015, foi relatado o primeiro caso confirmado de infecção pelo vírus Zika nas Américas, especificamente no Nordeste do Brasil. No entanto, os fatores que contribuem para a alta taxa de infecção e sua distribuição geográfica heterogênea ainda não estão claros. Além disso, o vírus Zika se diferencia de outros arbovírus devido à possibilidade de transmissão congênita e sexual, tornando crucial a avaliação das crianças expostas para o desenvolvimento de medidas preventivas que limitem o impacto no desenvolvimento infantil. Objetivo: Avaliar a transmissão do vírus Zika e os fatores de riscos em comunidades urbanas vulneráveis e seus efeitos clínicos e de desenvolvimento em crianças nascidas durante a epidemia de 2015 em Salvador, Brasil. Métodos: Duas coortes foram avaliadas na cidade de Salvador, Brasil. A primeira, realizada na comunidade de Pau da Lima, teve como objetivo avaliar a transmissão do vírus Zika e os participantes foram acompanhados por meio de seguimentos semestrais antes e após o surto de 2015. Na segunda coorte, conduzida no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), foram avaliados desfechos do desenvolvimento infantil, incluindo crescimento antropométrico, neurodesenvolvimento, e desfechos clínicos neurológicos, oftalmológicos e auditivos aos 2 e 3 anos após o nascimento. A exposição ao vírus Zika foi determinada usando o ensaio imunológico IgG3 para o ZIKV na coorte de Pau da Lima e o Teste de Neutralização por Redução de Placa (PRNT) com amostras maternas de sangue coletadas no nascimento e durante o seguimento na coorte hospitalar do HGRS. Resultados: Os resultados deste estudo foram descritos em quatro artigos. 1) Na coorte de Pau da Lima, foi identificado que indivíduos com empregos informais e insegurança alimentar tiveram maior chance de soropositividade para o ZIKV, enquanto aqueles com alto índice socioeconômico tiveram menor chance. 2) Na mesma coorte, foi identificado que homens que se envolviam em relações sexuais casuais tinham mais chances de serem positivos para o ZIKV e mulheres com menos de 6 anos de escolaridade formal tinham duas vezes mais chances de ter um resultado positivo. 3) Na coorte HGRS, focou no neurodesenvolvimento de crianças sem microcefalia, constatando que crianças expostas ao ZIKV tiveram um risco maior de comprometimento 7 neurodesenvolvimental global. 4) Na mesma coorte, foi caracterizado o neurodesenvolvimento de crianças com microcefalia, observando-se atraso grave no neurodesenvolvimento das crianças com SCZ. Além disso, maiores escores na avaliação neurológica foram associados a melhores escores cognitivos e motores do Bayley-III, e maior circunferência da cabeça no acompanhamento foi associada a melhores escores cognitivos e motores. Conclusão: Em resumo, esses trabalhos oferecem informações sobre os fatores sociais e do comportamento associados à transmissão do ZIKV em comunidades vulneráveis, assim como do papel da exposição intrauterina e seu impacto no neurodesenvolvimento de crianças com e sem microcefalia. Consequentemente, é crucial destacar a necessidade de medidas além das focadas no controle do vetor e levem em consideração fatores sociais e comportamentais para minimizar o impacto da doença. Além disso, é importante realizar avaliações de longo prazo em crianças expostas ao ZIKV para permitir intervenções precoces e efetivas.


  • Mostrar Abstract
  • Background: In 2015, the first confirmed case of Zika virus infection in the Americas was reported, specifically in Northeast Brazil. However, the factors contributing to the high infection rate and its heterogeneous geographic distribution are still unclear. Additionally, Zika virus differs from other arboviruses due to the possibility of congenital and sexual transmission, making it crucial to evaluate exposed children for the development of preventive measures that limit the impact on child development. Objective: To evaluate Zika virus transmission and risk factors in vulnerable urban communities and its clinical and developmental effects in children born during the 2015 epidemic in Salvador, Brazil. Methods: Two cohorts were evaluated in the city of Salvador, Brazil. The first, conducted in the community of Pau da Lima, aimed to evaluate Zika virus transmission and participants were followed through semi-annual follow-ups before and after the 2015 outbreak. In the second cohort, conducted at the Roberto Santos General Hospital (HGRS), infant developmental outcomes including anthropometric growth, neurodevelopment, and neurological, ophthalmological, and auditory clinical outcomes were evaluated at 2 and 3 years after birth. Exposure to Zika virus was determined using the IgG3 immunological assay for ZIKV in the Pau da Lima cohort and the Plaque Reduction Neutralization Test (PRNT) with maternal blood samples collected at birth and during follow-up in the HGRS hospital cohort. Results: The results of this study were described in four articles. 1) In the Pau da Lima cohort, it was identified that individuals with informal jobs and food insecurity had a higher chance of ZIKV seropositivity, while those with high socioeconomic status had a lower chance. 2) In the same cohort, it was identified that men who engaged in casual sexual relationships were more likely to test positive for ZIKV, and women with less than 6 years of formal education had twice the chance of a positive result. 3) In the HGRS cohort, the focus was on the neurodevelopment of children without microcephaly, finding that children exposed to ZIKV had a higher risk of overall neurodevelopmental impairment. 4) In the same cohort, the neurodevelopment of children with microcephaly was characterized, with severe developmental delays observed in children with SCZ. Additionally, higher 9 scores on the neurological evaluation were associated with better cognitive and motor scores on the Bayley-III, and larger head circumference at follow-up was associated with better cognitive and motor scores. Conclusion: In summary, these studies provide information on social and behavioral factors associated with ZIKV transmission in vulnerable communities, as well as the role of intrauterine exposure and its impact on the neurodevelopment of children with and without microcephaly. Consequently, it is crucial to highlight the need for measures beyond those focused on vector control and to take into account social and behavioral factors to minimize the impact of the disease. Additionally, it is important to conduct long-term evaluations of children exposed to ZIKV to allow for early and effective interventions.

11
  • Diana Reyna Zeballos Rivas
  • Adesão e descontinuidade da profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) entre adolescentes homens que fazem sexo com homens, travestis e mulheres transexuais no Brasil.

  • Orientador : MARIA INES COSTA DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • THIAGO SILVA TORRES
  • VIVIAN HELENA IIDA AVELINO DA SILVA
  • LAIO MAGNO SANTOS DE SOUSA
  • MARCOS PEREIRA SANTOS
  • MARIA INES COSTA DOURADO
  • Data: 26/06/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Desde 2017, a profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) oral diária é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde brasileiro, e em 2022 a oferta foi estendida para adolescentes a partir dos 15 anos, sexualmente ativos e com risco aumentado de adquirir a infecção pelo HIV. Para garantir a eficácia na implementação da PrEP, é fundamental ter ferramentas custo-efetivas para identificar adolescentes que precisam de suporte adicional de adesão, bem como identificar fatores individuais, sociais e programáticos que possam levar à descontinuidade precoce da PrEP. Objetivos: 1) sumarizar a evidência sobre medidas para o monitoramento da adesão à PrEP; 2) avaliar a performance de medidas indiretas de adesão entre adolescentes homens que fazem sexo com homens (AMSM) e adolescentes travestis e mulheres trans (ATrMT) no Brasil; 3) estimar a descontinuidade de PrEP e investigar fatores associados entre AMSM e ATrMT. Métodos: A tese utiliza dados do estudo PrEP1519, a primeira coorte demonstrativa de PrEP que incluiu AMSM e ATrMT de 15 a 19 anos em três capitais brasileiras: Salvador, Belo Horizonte e São Paulo. Os desfechos avaliados foram as medidas de adesão a PrEP (autorrelato, contagem de pílulas, a razão de posse dos medicamentos) e a descontinuidade. E investigado preditores individuais, sociais e comportamentais da descontinuidade. Resultados: Três artigos foram desenvolvidos para responder aos objetivos. O primeiro artigo é uma revisão sistemática sobre a performance de medidas de adesão à PrEP. O segundo é um estudo de testes diagnósticos que avalia a performance de três medidas indiretas de adesão, usando como padrão ouro a quantificação de tenofovir difosfato (TFV-DP) em sangue total e armazenado em formato Dried Blood Spots (DBS). O terceiro artigo é um estudo de coorte que avalia a descontinuidade da PrEP e os fatores associados. Conclusões: A tese apresenta importantes contribuições para o monitoramento da adesão à PrEP entre adolescentes de populações chave para epidemia do HIV/aids. Os resultados sugerem que medidas indiretas de adesão são ferramentas custo-efetivas para monitorar a adesão à PrEP. Sendo que a combinação de medidas fornece informações mais precisas sobre a adesão. Além disso, a taxa de descontinuidade da PrEP entre adolescentes é elevada, e está associada com a percepção de risco de adquirir HIV e a vulnerabilidade das mulheres trans. A implementação da PrEP em adolescentes deve ser acompanhada de estratégias eficazes para monitoramento da adesão e para identificar e abordar fatores que possam diminuir a descontinuidade.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Since 2017, daily oral PrEP has been offered for free by the Brazilian National Health System, and in 2022, it was extended to adolescents from 15 years of age who are sexually active and at increased risk of acquiring HIV infection. To ensure effectiveness in the implementation of PrEP, it is essential to have cost-effective tools that provide information to identify adolescents who need additional adherence support, as well as to identify individual, social, and programmatic factors that may lead to early PrEP discontinuation. Objectives: 1) To summarize the evidence on measures for monitoring PrEP adherence; 2) To evaluate the performance of indirect adherence measures among men who have sex with men (MSM) and transgender women (TGW) in Brazil; 3) To study factors associated with PrEP discontinuation among MSM and TGW in the PrEP1519 cohort in Brazil. Methods: This doctoral thesis analyzed adherence data from the PrEP1519 study, the first demonstrative PrEP cohort that included MSM and TGW aged 15-19 in three Brazilian capitals: Salvador, Belo Horizonte, and São Paulo. The outcomes evaluated were PrEP adherence measures [self-report, pill count, medication possession ratio (MPR)] and discontinuation. In addition, individual, social, and behavioral factors associated with PrEP discontinuation were evaluated. Results: Three articles were developed to address our objectives. The first article is a systematic review on the accuracy of adherence measures for PrEP use. The second article is a diagnostic test study that evaluates the performance of three indirect measures, using tenofovir diphosphate (TFV-DP) quantification in Dried Blood Spots (DBS) as the gold standard. The third article is a cohort study that evaluates PrEP discontinuation and associated factors. Conclusions: The thesis presents important contributions to monitoring PrEP adherence among key population adolescents. The results suggest that indirect adherence measures are cost-effective tools for monitoring PrEP adherence in clinical practice. The combination of measures provides more accurate information. In addition, the PrEP discontinuation rate among adolescents is high, associated with risk perception and the vulnerability of transgender women. PrEP implementation in adolescents should be accompanied by effective strategies for adherence monitoring and to identify and address factors that may contribute to discontinuation.

12
  • Márlon Vinícius Gama Almeida
  • Saúde e comunidade: características sociodemográficas e condições de vida dos povos quilombolas.

  • Orientador : JOILDA SILVA NERY
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANANIAS NERY VIANA
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • EMANUELLE FREITAS GOES
  • JOILDA SILVA NERY
  • RICARDO FRANKLIN DE FREITAS MUSSI
  • ROBERTO DOS SANTOS LACERDA
  • Data: 26/06/2023

  • Mostrar Resumo
  • Pensar sobre condições de vida e saúde de comunidades quilombolas exige uma aproximação crítica entre o processo de formação sócio-histórica dessas comunidades e o perfil epidemiológico e seus determinantes sociais. Em um contexto como o brasileiro, marcado pelo racismo, é de se esperar que a população negra seja a mais afetada pelas desigualdades. Ademais, chama especial atenção a situação de vulnerabilidade social e epidemiológica das comunidades quilombolas. Dito isso, a seguinte tese tem como objetivo geral analisar as características de saúde, o perfil sociodemográfico, as condições de moradia, a distribuição espacial, bem como as perspectivas sobre as relações entre saúde e comunidade, da população quilombola. Trata-se de um estudo que integra metodologias quantitativas e qualitativas, desdobrado em três trabalhos: uma revisão sistemática nas bases de dados eletrônicos de periódicos indexados, um estudo de base populacional descritivo com todos os indivíduos oriundos de comunidades quilombolas registrados no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), e um estudo qualitativo com participantes elencados por conveniência em um território quilombola sergipano. Em confluência, os resultados apontaram altas taxas de prevalência de características que influenciam a condição de saúde, estilo de vida e aspectos sociodemográficos das comunidades quilombolas, inquestionáveis dificuldades de acesso à saneamento, com precárias condições de infraestrutura e carências no provimento de serviços básicos, com impactos diretos na saúde deste grupo e a associação de saúde com boa alimentação e cuidados médicos, por parte dos quilombolas. A expectativa que emerge desta tese está na ampliação do debate no campo da Saúde Coletiva, visibilizando dados sobre as comunidades quilombolas, a partir de uma aproximação horizontalizada com o território. Além disso, os elementos principais encontrados representam pontos centrais na discussão sobre as barreiras erigidas pelo racismo e as limitações impostas pelos serviços para uma promoção efetiva da saúde desta população.


  • Mostrar Abstract
  • Thinking about living conditions and health of quilombola communities requires a critical approach between the process of socio-historical formation of these communities and the epidemiological profile and its social determinants. In a context like Brazil's, marked by racism, it is to be expected that the black population is the most affected by inequalities. Furthermore, the situation of social and epidemiological vulnerability of quilombola communities calls special attention. That said, the following thesis has the general objective of analyzing the health characteristics, the sociodemographic profile, the housing conditions, the spatial distribution, as well as the perspectives on the relationship between health and community, of the quilombola population. This is a study that integrates quantitative and qualitative methodologies, unfolded in three studies: a systematic review in electronic databases of indexed journals, a descriptive population-based study with all individuals from quilombola communities registered in the Unified Registry for Social Programs, and a qualitative study with participants selected by convenience in a quilombola territory in Sergipe. In confluence, the results indicated high prevalence rates of characteristics that influence the health condition, lifestyle, and sociodemographic aspects of quilombola communities, unquestionable difficulties in access to sanitation, with precarious infrastructure conditions and shortages in the provision of basic services, with direct impacts on the health of this group and the association of health with good nutrition and medical care, by the quilombolas. The expectation that emerges from this thesis is the broadening of the debate in the field of Public Health, making data on quilombola communities visible, from a horizontal approach to the territory. Moreover, the main elements found represent central points in the discussion about the barriers erected by racism and the limitations imposed by the services for an effective health promotion of this population.

13
  • ADRYANNA CARDIM DE ALMEIDA
  • DIFERENÇAS GERACIONAIS E TRANSTORNOS MENTAIS COMUNS EM PARTICIPANTES DO ESTUDO LONGITUDINAL DE SAÚDE DO ADULTO (ELSA-Brasil)

  • Orientador : SHEILA MARIA ALVIM DE MATOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDO RIBAS FEIJO
  • MARIA DA CONCEICAO CHAGAS DE ALMEIDA
  • ROSANE HÄRTER GRIEP
  • SHEILA MARIA ALVIM DE MATOS
  • TANIA MARIA DE ARAUJO
  • YUKARI FIGUEROA MISE
  • Data: 01/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • Os transtornos mentais têm se constituído em um dos maiores fenômenos psicossociais da atualidade, aumentando sua prevalência em países de baixa, média e alta renda em todo o mundo e respondendo, globalmente, por cerca de um terço das doenças mentais. Estimativas demonstram que os transtornos mentais comuns como a depressão e ansiedade representam os principais causadores de incapacidade do mundo, tendo causado aproximadamente 40 milhões de anos de invalidez na faixa etária entre 20 e 29 anos e impactando não somente nos sistemas de saúde, como também na vida laboral desses indivíduos, afetando principalmente as mulheres. Visando colaborar com o campo da saúde do trabalhador e da trabalhadora do serviço público de instituições federais e identificar possíveis preditores do âmbito do trabalho, associados à geração de nascimento e os efeitos sobre a sua saúde mental na perspectiva de gênero, a presente tese se propõe a apresentar discussões no que tange a ocorrência dos transtornos mentais comuns relacionados ao estresse ocupacional, a fim de que seja possível favorecer uma compreensão mais clara desta temática em uma perspectiva geracional, propiciando novos debates, uma vez que estudos sobre gênero, saúde, trabalho e geração de nascimento ainda permanecem pouco presentes na literatura brasileira e internacional. Essa pesquisa integra o Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil), um estudo multicêntrico realizado em universidades e instituições de pesquisa de seis estados brasileiros (Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo). Trata-se de um estudo transversal, incluindo 15.105 participantes entrevistados/as na linha de base do ELSA-Brasil, com idade variando entre 35 e 74 anos. Foram contempladas nas análises características sociodemográficas, comportamentos de saúde, uso de medicamentos, domínios do trabalho, que incluíram jornada de trabalho semanal, tempo na atividade atual e apoio social com repercussões na saúde mental. Os transtornos mentais comuns (TMC) foram mensurados pelo Clinical Interview Schedule (CIS-R), e os estressores ocupacionais pela escala sueca do Questionário Demanda-Controle-Apoio Social (DCSQ). Todas as análises foram realizadas no software Statistics Data Analysis (Stata), versão 14. Como resultados da tese, foram elaborados três artigos: (1) Geração de nascimento, gênero e transtornos mentais comuns em servidores públicos participantes do ELSA-Brasil; (2) Estresse ocupacional e transtornos mentais comuns: diferenças geracionais e de gênero na coorte ELSA-Brasil; (3) Diferenças geracionais e de gênero na gravidade dos transtornos mentais comuns na coorte ELSA-Brasil: a influência do estresse ocupacional. No Artigo 01, foi realizado um estudo transversal com 15.105 participantes da linha de base do ELSA-Brasil onde se estimou prevalência dos TMC e descrição de acordo com raça/cor da pele, escolaridade, situação conjugal, consumo de álcool, tabagismo, uso de antidepressivos e benzodiazepínicos. A data de nascimento caracterizou geração de nascimento. Mais de 60% da coorte pertence a geração Baby Boomers. A prevalência de TMC foi de 26,7% (mulheres=33,8% e homens=18,4%). A maior prevalência ocorreu entre os participantes da Geração X (30,4%), com IC 95% [1,62-2,03]. Os TMC foram mais prevalentes entre as mulheres, comparado aos homens em todas as gerações. No Artigo 02, foram elegíveis 12.015 participantes ativos, excluindo-se os trabalhadores aposentados. Entre participantes ativos do estudo, 26,8% apresentaram presença de TMC. No entanto, a prevalência entre as mulheres chegou a 35,9% diante de 19,3% dos homens, com um risco 86% maior (RP=1,86; IC95% [1,75-1,98]). Analisando a associação entre o estresse ocupacional e os TMC após o ajuste do modelo, a associação positiva e estatisticamente significante entre o 9 estresse ocupacional e os TMC se manteve apenas entre mulheres da Geração Baby Boomer que possuíam trabalho ativo (RP=1,32; IC95% [1,13-1,54]) e trabalho de alta exigência/desgaste (RP=1,41; IC95% [1,14-1,73]) e entre as mulheres da Geração X que exerciam trabalho ativo (RP=1,39; IC95% [1,09-1,78]). Entre os homens não foi verificada associação positiva estatisticamente significante entre o estresse ocupacional e os TMC. No Artigo 03, foi avaliada em que medida o estresse ocupacional modificava a gravidade dos TMC de acordo com o gênero e geração de nascimento entre os participantes ativos. As mulheres apresentaram 2,4 vezes mais TMC graves e 1,5 vezes mais TMC leves a moderados que os homens. A presença de interação entre escolaridade, estresse ocupacional e gravidade dos TMC foi observada em mulheres da Geração Baby Boomers (valor de p 0,0025). Mulheres com ensino médio completo submetidas a trabalhos ativos (combinado por altas demandas e alto controle) quando comparados à trabalho de baixa exigência/desgaste (baixa demanda e alto controle) tem 53% mais ocorrência de TMC leves a moderados (RP=1,53; IC95% [1,09-2,15]) e 42% mais TMC graves. Quando esse ajuste é realizado pela jornada de trabalho semanal, o tempo de atividade no trabalho e o apoio social, a associação de interesse foi pouco afetada. A partir dessas descobertas, esperamos contribuir com conhecimentos para a saúde coletiva, na perspectiva de gerações de nascimento e gênero, sugerindo novos estudos para avaliar o papel de políticas públicas na prevenção dos transtornos mentais comuns. Ressalta-se que são salutares novas investigações baseados em coortes geracionais com a finalidade de analisar o impacto dessas demandas do trabalho e das tarefas domésticas no adoecimento desses/as trabalhadores/as, buscando alternativas para a redução das demandas vigentes nas universidades, além de fomentar melhorias para minimizar as desigualdades de gênero.


  • Mostrar Abstract
  • Mental disorders have become one of the greatest psychosocial phenomena today, increasing their prevalence in low-, middle-, and high-income countries around the world and accounting globally for about a third of mental illnesses. Estimates show that mental disorders such as depression and anxiety represent the main causes of disability worldwide, having caused approximately 40 million years of disability in the age group between 20 and 29 years and impacting not only on health systems, but also on the working lives of these individuals, affecting mainly women. Aiming to collaborate with the field of workers' health in the public service of federal institutions and to identify possible predictors of the scope of work associated with the generation by birth year and the effects on their mental health from a gender perspective, this thesis proposes to present discussions regarding the occurrence of common mental disorders related to occupational stress, so that it is possible to favor a clearer understanding of this theme in a generational perspective, providing new debates, since studies on gender, health, work and generation of birth still remain little present in Brazilian and international literature. This research is part of the Longitudinal Study of Adult Health (ELSABrasil), a multicenter study carried out at universities and research institutions in six Brazilian states (Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul and São Paulo). This is a cross-sectional study including 15,105 participants interviewed at the baseline of the ELSA-Brasil, aged between 35 and 74 years. Sociodemographic characteristics, health behaviors, medication use, work domains, which included weekly working hours, time in current activity and social support with repercussions on mental health, were included in the analyzes. Common mental disorders (CMD) were measured by the Clinical Interview Schedule (CIS-R) and occupational stressors by the Swedish scale of the Demand-Control-Social Support Questionnaire (DCSQ). All analyzes were carried out using the Statistics Data Analysis (Stata) software, version 14. As a result of the thesis, three articles were prepared: (1) Generations by birth year, gender and common mental disorders in civil servants participating in the ELSABrasil; (2) Occupational stress and common mental disorders: generational and gender differences in the ELSA-Brasil cohort; (3) Generational and gender differences in the severity of common mental disorders in the ELSA-Brasil cohort: the influence of occupational stress. In Article 01, a cross-sectional study was carried out with 15,105 participants from the baseline of the ELSA-Brasil, where the prevalence of CMD was estimated and description according to race/skin color, education, marital status, alcohol consumption, smoking, use of antidepressants and benzodiazepines. The date of birth characterized generation by birth year. More than 60% of the cohort belong to the Baby Boomer generation. The prevalence of CMD was 26.7% (women=33.8% and men=18.4%). The highest prevalence occurred among Generation X participants (30.4%), with a 95%CI [1.62-2.03]. CMD were more prevalent among females compared to males across all generations. In Article 02, 12,015 active participants were eligible, excluding retired workers. Among active study participants, 26.8% had CMD. However, the prevalence among women reached 35.9% compared to 19.3% among men, with an 86% higher risk (PR=1.86; 95%CI 1.75-1.98). Analyzing the association between occupational stress and CMD after adjusting the model, the positive and statistically significant association between occupational stress and CMD was maintained only among women from the Baby Boomer Generation who had an active job (PR=1.32; 95%CI [1.13-1.54]) and high strain/exhaustion work (PR=1.41; 95%CI [1.14-1.73]) and among women from Generation X who performed 11 active work (PR=1.39; 95%CI [1.09-1.78]). Among men, there was no statistically significant positive association between occupational stress and CMD. In Article 03, the extent to which occupational stress modified the severity of CMD according to gender and generation by birth year among active participants was evaluated. Women had 2.4 times more severe CMD and 1.5 times milder to moderate CMD than men. The presence of interaction between education, occupational stress and CMD severity was observed in women from the Baby Boomer Generation (p value 0.0025). Women with complete secondary education submitted to active work (combined by high demands and high control) when compared to low demand/exhaustion work (low demand and high control) have 53% more occurrence of mild to moderate CMD (PR=1.53; 95%CI [1.09-2.15]) and 42% more severe CMD. When this adjustment is made for weekly working hours, active time at work and social support, the association of interest was little affected. Based on these discoveries, we hope to contribute knowledge to collective health, from the perspective of generations by birth year and gender, suggesting new studies to evaluate the role of public policies in the prevention of common mental disorders. It should be noted that new investigations based on generational cohorts are salutary to analyze the impact of these work demands and domestic tasks on the illness of these workers, seeking alternatives to reduce the current demands in universities, in addition to promoting improvements to minimize gender inequalities.

14
  • Erick Soares Lisbôa
  • FINANCIAMENTO DO COMPONENTE BÁSICO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS A LUZ DO SIOPS

  • Orientador : LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABÍOLA SULPINO VIEIRA
  • LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • PATRICIA SODRÉ ARAÚJO
  • RAFAEL DAMASCENO DE BARROS
  • Data: 17/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O financiamento para a assistência farmacêutica tem sido objeto de estudos em suas várias dimensões. O Componente Básico da Assistência Farmacêutica (CBAF) é a parte responsável pelo acesso a medicamentos essenciais no SUS e, seu financiamento é tripartite, envolvendo o governo federal, estados e municípios. Nesse contexto, o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS) tem uma importância fundamental no registro e consolidação de informações financeiras do SUS. Além disso, o período de restrição orçamentária vivida no Brasil em 2014 afetou vários setores sociais e a capacidade de resposta dos serviços públicos de saúde. Assim, entendese que é pertinente verificar os registros financeiros municipais para o CBAF no SIOPS, a evolução de seu financiamento e se a crise econômica refletiu neste financiamento a nível municipal. Com isso, para atender tal intuito foram realizados três artigos. Artigo 1: Objetivo: verificar a consistência do preenchimento das informações no SIOPS pelos municípios brasileiros, referentes ao CBAF. Método: Estudo descritivo sobre a completude dos registros financeiros do CBAF no SIOPS, tendo como unidade de análise os municípios brasileiros, no período 2007 a 2017. Além dos dados do SIOPS, foram utilizados dados do Fundo Nacional de Saúde e populacionais do IBGE. Foram calculadas as proporções de municípios declarantes ao SIOPS para receitas e despesa paga do CBAF e realizada uma análise descritiva, para os três entes da Federação. Resultados: Entre os anos de 2007 e 2017 houve um aumento no número de municípios que declararam as receitas transferidas pela União, passando de 43,26% em 2007 para 75,15% em 2017. Quanto às despesas pagas, o percentual de municípios que declarou ao SIOPS aumentou consideravelmente, passando de 8,73% em 2007 para 63,57% em 2017. A proporção de municípios com registros financeiros das receitas dos estados e próprias no SIOPS para o CBAF ainda é baixa, mas houve crescimento ano a ano, especialmente para o registro das receitas próprias dos municípios. Artigo 2: Objetivo: Analisar a evolução financeira dos municípios brasileiros para o CBAF, a partir do SIOPS. Método: Estudo descritivo, exploratório e retrospectivo em que foram analisados os dados de receitas e despesas CBAF, a nível municipal, oriundos do SIOPS, de 2008 a 2017. Foram utilizados dados financeiros do SIOPS e do Siga Brasil, a natureza da despesa utilizada em ambos os sistemas foi a fase de execução paga. Foram selecionados no SIOPS municípios que declararam ao longo do período dados de receitas e despesa para o CBAF diferente de zero. Foram utilizados dados populacionais do IBGE e os valores financeiros foram deflacionados pelo IPCA. Resultados: Os dados do Siga Brasil, relacionados a totalidade dos gastos do governo federal com o CBAF nos municípios manteve-se praticamente constante até 2014, caindo em 2017. As transferências fundo a fundo tiveram maior participação, enquanto as aplicações diretas do Ministério da Saúde, para o CBAF foram menores. O Programa Farmácia Popular (PFP) teve uma significativa evolução, aumentando cerca de 386% entre 2008-2017. As outras fontes de financiamento aumentaram sua participação em relação ao total das receitas e em relação às despesas. As despesas municipais agregadas para o CBAF no SIOPS aumentaram até 2012, caindo 9,13% em relação a 2017. As despesas per capita dos municípios para o CBAF aumentaram em média 29,84%, enquanto as transferências da União fundo a fundo diminuíram 16,75%. As transferências per capita da União para os municípios sempre estiveram acima do mínimo estabelecido na legislação, exceto em 2015 e 2017, enquanto outras fontes de financiamento superaram as contrapartidas mínimas a partir de 2009. Artigo 3: Objetivo: Compreender os reflexos da crise econômica de 2014 sobre o financiamento do Componente Básico da Assistência Farmacêutica no SUS a nível municipal. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo, descritivo, com abordagem quantitativa, no período de 2009 a 2017, tendo como unidade de análise os municípios. Foram selecionados municípios que declararam ao SIOPS suas informações de receitas transferidas pela União, pelo estado, suas receitas próprias e as suas despesas, para o CBAF. Foram utilizados dados populacionais do IBGE e calculada a variação média anual per capita considerando dois períodos, pré-crise (2009-2014) e partir da crise (2014-2017). Resultados: Durante a crise, a variação média anual das receitas e despesas per capita diminui em relação ao período pré-crise. A receita municipal per capita transferida pela da União teve uma variação média anual de 0,44% no período pré-crise, mas caiu para -2,95% no período da crise. A parcela transferida pelos estados também caiu de -3,97% para -9,09% após a crise. As receitas próprias dos municípios, apresentaram uma tendência de queda com uma variação média anual de -1,78% durante o período de crise. A despesa per capita dos municípios para o CBAF apresentou uma tendência de queda de -3,85% a partir da crise econômica. Em relação às receitas da União transferidas aos municípios, todas as regiões tiveram evolução média negativa durante a crise, com destaque para o Sudeste e Nordeste. Considerações finais: Os três artigos contribuem para a compreensão no campo farmacêutico que não houve um cumprimento pelos municípios, em parte, das normativas em relação ao registro dos dados para o CBAF, quanto a obrigatoriedade de registro financeiro no SIOPS, seja por erros ou por desconhecimento do sistema. Ademais, o financiamento do CBAF ao longo da vigência de um mecanismo específico de financiamento (Pacto pela Saúde e portaria nº 204/2017), evoluiu positivamente e que os próprios municípios têm contribuído de forma significativa para o financiamento deste componente da assistência farmacêutica. E, que no financiamento do CBAF teve reflexos da crise econômica de 2014, tanto para as receitas disponibilizadas aos municípios pelos três entes da Federação, quanto nas suas despesas.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Financing for pharmaceutical assistance has been the subject of studies in its various dimensions. The Basic Component of Pharmaceutical Assistance (CBAF) is the part responsible for access to essential medicines in the SUS, and its financing involves the federal government, states and municipalities. In this context, the Information System on Public Health Budgets (SIOPS) is of fundamental importance in recording and consolidating SUS financial information. In addition, the period of financial constraint experienced in Brazil in 2014 affected several social sectors and the responsiveness of public health services. Thus, it is understood that it is pertinent to verify the municipal financial records for the CBAF in SIOPS, the evolution of its funding and whether the economic crisis was reflected in this funding at the municipal level. With this, to meet this purpose, three articles were carried out. Article 1: Objective: to verify the consistency of information filling in the SIOPS by Brazilian municipalities, referring to the CBAF. Method: Descriptive study on the consistency of CBAF financial records in SIOPS, using Brazilian municipalities as the unit of analysis, from 2007 to 2017. In addition to SIOPS data, data from the National Health Fund and population data from IBGE were used. The proportions of municipalities declaring to SIOPS for income and expenses paid by CBAF were calculated and a descriptive statistical analysis was performed for the three entities of the Federation. Results: Between 2007 and 2017, there was an increase in the number of municipalities that declared revenues transferred by the federal government, from 43.26% in 2007 to 75.15% in 2017. As for expenses paid, the percentage of municipalities that declared to SIOPS increased considerably, from 8.73% in 2007 to 63.57% in 2017. The proportion of municipalities with financial records of state and own revenues in SIOPS for CBAF is still low, but there has been growth year on year, especially for the registration of municipal revenues. Article 2: Objective: To analyze the financial evolution of Brazilian municipalities for the CBAF, based on the SIOPS. Method: Descriptive, exploratory and retrospective study in which data on CBAF revenues and expenses were analyzed, at the municipal level, from SIOPS, from 2008 to 2017. Financial data from SIOPS and Siga Brasil, the nature of the expenditure used in both systems was the paid execution phase. Municipalities that declared revenue and expenditure data for the CBAF other than zero over the period were selected in SIOPS. Population data from the IBGE were used and the financial values were deflated by the IPCA. Results: Siga Brasil data, related to all federal government expenditures with CBAF in municipalities, remained practically constant until 2014, falling in 2017. Fund transfers had a greater participation, while direct applications from the Ministry of Health to the CBAF were smaller. The Popular Pharmacy Program had a significant evolution, increasing about 386% between 2008-2017. The other financing sources increased their share in relation to total revenues and in relation to expenditures. Aggregate municipal expenditures for the CBAF in SIOPS increased through 2012, falling by 9.13% compared to 2017. Municipalities' per capita expenditures for the CBAF increased by an average of 29.84%, while federal fund-to-fund transfers decreased by 16. 75%. Per capita transfers from the federal government to municipalities have always been above the minimum established in the legislation, except in 2015 and 2017, while other sources of funding have surpassed the minimum counterparts since 2009. Article 3: Objective: To understand the impact of the 2014 economic crisis on the financing of the Basic Component of Pharmaceutical Assistance in the SUS at the municipal level. Method: This is a retrospective, descriptive study, with a quantitative approach, from 2009 to 2017, with municipalities as the unit of analysis. Municipalities were selected that declared to SIOPS their revenue information transferred by the federal government, by the state, their own revenues and their expenses, to the CBAF. Population data from the IBGE were used, and the average annual variation per capita was calculated considering two periods, pre-crisis (2009-2014) and after the crisis (2014-2017). Results: During the crisis, the average annual variation in per capita income and expenditure decreases in relation to the pre-crisis period. Per capita municipal revenue transferred by the federal government had an average annual variation of 0.44% in the pre-crisis period, but dropped to -2.95% in the crisis period. The share transferred by the states also dropped from -3.97% to -9.09% after the crisis. Municipalities' own revenues showed a downward trend with an average annual variation of -1.78% during the crisis period. The per capita expenditure of municipalities for the CBAF showed a downward trend of -3.85% since the economic crisis. Regarding federal revenues transferred to municipalities, all regions had a negative average evolution during the crisis, with emphasis on the Southeast and Northeast. Conclusions: The three articles contribute to the understanding in the pharmaceutical field that the municipalities did not comply, in part, with the regulations regarding the registration of data to the CBAF, regarding the mandatory financial registration in the SIOPS, either due to errors or lack of knowledge of the system. Furthermore, CBAF funding over the lifetime of a specific funding mechanism has evolved positively and the municipalities themselves have contributed significantly to funding this component of pharmaceutical assistance. And, that the financing of the CBAF had repercussions of the economic crisis of 2014, both for the revenues made available to the municipalities by the three entities of the Federation, and in their expenses.

15
  • Silier Andrade Cardoso Borges
  • “EU SAÍ DA RUA, MAS A RUA NÃO SAIU DE MIM”: NARRATIVAS DE PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA EM AÇÕES COLETIVAS DE LUTA E RESISTÊNCIA

  • Orientador : MARCELO EDUARDO PFEIFFER CASTELLANOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA INES GANDOLFO CONCEICAO
  • ADAUTO LEITE OLIVEIRA
  • LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • MARCELO EDUARDO PFEIFFER CASTELLANOS
  • Data: 22/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo geral compreender os sentidos do engajamento e da experiência de pessoas em situação de rua no Movimento Nacional da População de Rua (MNPR). No que se refere aos objetivos específicos, o estudo buscou: (1) identificar os elementos mobilizadores do engajamento de pessoas em situação de rua no MNPR, com destaque para aqueles relacionados às suas trajetórias de vida e experiências junto às políticas sociais; (2) compreender as transformações e permanências das experiências de rualização, antes e depois do engajamento na ação coletiva; (3) identificar como os indivíduos performam narrativamente suas identidades e se tornam militantes; e (4) analisar as experiências de rualização e de engajamento no movimento, a partir das redes de solidariedade, dos conflitos e das estratégias de resistência adotadas pelos militantes. Assumimos como relevantes horizontes teóricos os estudos sobre relações raciais e processos de subjetivação, decolonialidade e a Teoria dos Novos Movimentos Sociais. Trata-se de um estudo qualitativo com enfoque biográfico que contou com dez participantes que apresentaram narrativas sobre suas trajetórias de rualização e sobre como se engajaram na ação coletiva. Realizamos entrevistas em profundidade como técnica de produção de dados. A análise de dados se apoiou na análise de narrativas de Catherine Riessman. Observamos que para os entrevistados, a rua é o espaço ambíguo onde são vividas as situações de abandono, violência e negligência, mas também onde constroem vínculos afetivos e redes de solidariedade, que os mobilizam para a transformação em militantes na medida em que ressignificam suas trajetórias biográficas. A partir do crescente envolvimento na ação social, os militantes passam a assumir o lugar de sujeitos ativos, na medida em que enfrentam adversidades e obtém conquistas importantes em sua vida e na de seus pares, modificando a concepção que têm de seu próprio “eu” (self). Mesmo com a superação da situação de rua que conquistaram através do engajamento na luta social, os militantes costumam manter um profundo vínculo com seus irmãos da rua. Através das narrativas pessoais que contam para si próprios e para os outros, eles reconstroem suas identidades, estabelecidas na relação com outras pessoas mais experientes que conformam o grupo de referência, onde adquirem as regras necessárias para uma fórmula narrativa. Essas narrativas pessoais assumem o papel de transformar as vidas que sobreviveram ao regime necropolítico de extermínio e obliteração das existências negras, possibilitando que essas trajetórias, reconstruídas através de histórias de superação, façam emergir existências-militantes, vidas que adquirem sentido por meio do engajamento na ação coletiva. Tornar-se militante significa se valer da própria voz e se fazer escutar nos espaços onde exercem a militância. Portanto, imbuir-se de sua própria voz só é possível ao longo do tempo e na medida em que suas identidades militantes adquirem forma, sendo forjadas a partir das experiências acumuladas de violências, abusos, negligências e abandonos, e pelas condutas reivindicativas que demandam por dignidade e pelo direito de existir, sem que sejam relegados a todo o instante ao outro lado das linhas abissais.


  • Mostrar Abstract
  • The study aimed to understand the meanings of the involvement and experience of homeless people in the Brazilian National Movement of the Homeless (“Movimento Nacional da População de Rua - MNPR”). In relation to specific objectives, the purpose of the study was to: (1) identify mobilizing elements of the engagement of homeless people to the “MNPR”, with emphasis to aspects related to their life stories and experiences in social policies; (2) understand transformations and homelessness, before and after involvement in collective actions; (3) identify how individuals narratively perform their identities and become militants; and (4) analyze experiences of homelessness and involvement in the movement, based on networks of solidarity, conflicts and resistance strategies adopted by the militants. We have taken as relevant theoretical frameworks the studies on race relations and subjectivation processes, decoloniality and the Theory of New Social Movements. A qualitative study with a biographical approach, including ten participants who presented narratives on their homelessness experiences and on how they became involved in the collective actions. In-depth interviews were conducted as a data production technique. Data analysis was based on Catherine Riessman’s narrative analysis. It was observed that for the interviewees, the street is an ambiguous space where situations of abandonment, violence and negligence are experienced, but also where they build emotional ties and solidarity networks, turning them into militants in the measure in which they reframe their biographical trajectories. From their increased involvement in the social activities, militants begin to take their place as active subjects, facing adversities and reaching important achievements in their lives and in that of their peers, changing the concept that they had about their own self. Despite overcoming the situation of homelessness, through their involvement in the social struggle, militants usually maintain a deep attachment with their street kinsmen. Through their own personal narratives that they tell themselves and to others, they reconstruct their identities, established in the relationships with other more experienced people who are part of the group of reference, where they acquire the necessary rules towards a narrative formula. These personal narratives take on the role of transforming the lives of those who survive the necropolitical regime of extermination and obliteration of black existences, to enable these trajectories, reconstructed through stories of resilience, generating the existence of activists, lives that acquire meaning through their engagement in collective actions. Becoming a militant means having a voice and being heard in spaces where militance is being exercised. Accordingly, having a voice is only possible over time and in the measure in which militant identities acquire form, forged from accumulated experiences of violence, abuse, negligence and abandonment and through protesting behaviors, demanding dignity and the right to exist, without being relegated at all times to the other side of abyssal lines.

16
  • JAMILLI SILVA SANTOS
  • Movimento da Reforma Sanitária Brasileira na conjuntura 2013- 2020: resistência e revitalização.

  • Orientador : CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SONIA ACIOLI DE OLIVEIRA
  • LENAURA DE VASCONCELOS COSTA LOBATO
  • AMÉLIA COHN
  • CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 12/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • Os estudos sobre a Reforma Sanitária Brasileira (RSB), enquanto um fenômeno sócio-histórico, indicam que a adoção de políticas econômicas neoliberais a partir dos anos 90 impôs restrições à consolidação de políticas sociais fundadas em princípios universalistas, impactando negativamente a construção do SUS e dificultando o avanço do Movimento da Reforma Sanitária Brasileira (MRSB). Nesse processo que se agravou, nos últimos anos, sobretudo após as jornadas de junho de 2013, e o fortalecimento de um conjunto de forças sociais conservadoras, a questão das relações entre democracia e saúde foi recolocada no centro do debate político. Assim, tomando como objeto o MRSB, o presente estudo partiu da seguinte questão: qual a composição, posicionamento e formas de atuação do MRSB no cenário sociopolítico brasileiro no período 2013-2020? O objetivo geral é analisar a composição, o posicionamento e as formas de atuação no processo político em Saúde na conjuntura 2013-2020. Os objetivos específicos são: caracterizar o cenário sociopolítico brasileiro; descrever o processo de articulação dos sujeitos políticos que compõem o MRSB; analisar o projeto político do MRSB, comparando o projeto original com o atual; descrever e analisar os posicionamentos e as formas de atuação do MRSB diante da ação/omissão do Estado na condução da política e do sistema público de saúde; e analisar a percepção das lideranças do MRSB acerca da conjuntura 2013-2020 e suas repercussões na práxis política do movimento sanitário. A construção do quadro teórico partiu da compreensão da RSB como ideia, proposta, projeto, movimento e processo, destacando, em primeiro lugar a definição de “projeto político”, para situar o projeto sociopolítico do MRSB em função do enfrentamento entre diversos projetos de desenvolvimento econômico e social e, especialmente, com relação aos projetos em disputa na Saúde na conjuntura em estudo. Em seguida, revisou-se o conceito de “movimentos sociais” segundo a perspectiva teórica de Maria da Gloria Gohn, buscando definir a especificidade do MRSB em termos de sua composição, posicionamento e formas de atuação, diante dos fatos e acontecimentos que marcaram a conjuntura em estudo. Finalmente, sistematizou-se uma breve revisão sobre o conceito de práxis, central para a análise das formas de atuação das entidades que compõem o MRSB neste período. Quanto à metodologia, as fontes de dados foram os documentos produzidos pelas entidades que compõem o MRSB e entrevistas com 15 informantes-chave a ele vinculados. O processamento do material empírico foi realizado em dois planos: compreensão do MRSB e do espaço por ele ocupado no contexto sociopolítico em estudo, por meio de sete categorias analíticas selecionadas a partir da proposta metodológica para análise dos movimentos sociais desenvolvida pela autora supracitada, a saber: 1. Composição, 2. Projeto sociopolítico, 3. Organização, 4. Práticas, 5. Opositores, 6. Cenário sociopolítico e 7. Conquistas e derrotas. Foram cumpridos todos os requisitos éticos constantes nas Resoluções do Conselho Nacional de Saúde nº 466/12 e 510/16. A análise da práxis do MRSB compreendeu sua atuação na interface entre Estado e sociedade civil, levando em conta, especificamente, os avanços e retrocessos na implementação do seu projeto e as práticas (práxis) políticas frente a seus diversos aliados e opositores, identificando, ainda, as conquistas alcançadas e derrotas sofridas. Os resultados apontaram a vitalidade do MRSB no período 2013-2020, ainda que sua atuação tenha se caracterizado por diferentes práticas e níveis de intensidade, tendo em vista os desafios do cenário sociopolítico, que estimularam, ainda, sua revitalização. Ademais, o MRSB reafirmou os princípios estabelecidos no seu projeto original, atualizando suas propostas e estratégias de ação, embora não tenha alcançado a hegemonia, mantida nas mãos das forças vinculadas ao projeto neoliberal.


  • Mostrar Abstract
  • Studies on the Brazilian Health Reform (RSB), as a socio-historical phenomenon, indicate that the adoption of neoliberal economic policies from the 1990s onwards imposed restrictions on the consolidation of social policies based on universalist principles, negatively impacting the construction of the SUS and hindering the advancement of the Brazilian Health Reform Movement (MRSB). In this process that has worsened in recent years, especially after the days of June 2013, and the strengthening of a group of conservative social forces, the issue of the relationship between democracy and health has been placed back at the center of the political debate. Thus, taking the MRSB as its object, the present study started from the following question: what is the composition, positioning and forms of action of the MRSB in the Brazilian sociopolitical scenario in the period 2013-2020? The general objective is to analyze the composition, positioning and forms of action in the political process in Health in the 2013-2020 situation. The specific objectives are: to characterize the Brazilian sociopolitical scenario; describe the process of articulation of the political subjects that make up the MRSB; analyze the MRSB's political project, comparing the original project with the current one; describe and analyze the MRSB's positions and forms of action in the face of the State's action/omission in the conduct of policy and the public health system; and analyze the perception of MRSB leaders regarding the 2013-2020 situation and its repercussions on the political praxis of the health movement. The construction of the theoretical framework started from the understanding of the RSB as an idea, proposal, project, movement and process, highlighting, firstly, the definition of “political project”, to situate the sociopolitical project of the MRSB in terms of the confrontation between different development projects economic and social and, especially, in relation to the projects in dispute in Health in the situation under study. Next, the concept of “social movements” was reviewed according to the theoretical perspective of Maria da Gloria Gohn, seeking to define the specificity of the MRSB in terms of its composition, positioning and forms of action, given the facts and events that marked the situation. in study. Finally, a brief review of the concept of praxis was systematized, central to the analysis of the forms of action of the entities that make up the MRSB in this period. Regarding the methodology, the data sources were documents produced by the entities that make up the MRSB and interviews with 15 key informants linked to it. The processing of the empirical material was carried out on two levels: understanding the MRSB and the space it occupies in the sociopolitical context under study, through seven analytical categories selected based on the methodological proposal for analyzing social movements developed by the aforementioned author, namely : 1. Composition, 2. Sociopolitical project, 3. Organization, 4. Practices, 5. Opponents, 6. Sociopolitical scenario and 7. Achievements and defeats. All ethical requirements contained in National Health Council Resolutions No. 466/12 and 510/16 were met. The analysis of the MRSB's praxis comprised its performance at the interface between the State and civil society, specifically taking into account the advances and setbacks in the implementation of its project and the political practices (praxis) vis-à-vis its various allies and opponents, also identifying , the achievements achieved and defeats suffered. The results highlighted the vitality of the MRSB in the period 2013-2020, even though its activities were characterized by different practices and levels of intensity, given the challenges of the sociopolitical scenario, which also stimulated its revitalization. Furthermore, the MRSB reaffirmed the principles established in its original project, updating its proposals and action strategies, although it did not achieve hegemony, maintained in the hands of forces linked to the neoliberal project.

17
  • MARIA CLAUDIA PERES MOURA LUNA
  • Intoxicações agudas fatais não intencionais por agrotóxicos no Brasil – desafios da notificação e registro e implicações nos indicadores de mortalidade.

  • Orientador : MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIANA COSTA GUERRA
  • ADEMARIO GALVAO SPINOLA
  • CLEBER CREMONESE
  • KIONNA OLIVEIRA BERNARDES SANTOS
  • MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • RAFAEL JUNQUEIRA BURALLI
  • Data: 18/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução - Após a II Grande Guerra Mundial, o combate eficiente de pragas que ameaçavam a agropecuária, tornou-se prioridade nas medidas de combate à fome na Europa, Ásia e outras regiões. Foi assim que os grandes investimentos na pesquisa química surgiram e se intensificou a produção e o consumo dos agrotóxicos (pes$cides). Difundidos em todo o mundo, seus efeitos tóxicos, agudos e crônicos, para seres vivos podem ser letais, causar malformação, cânceres e transtornos mentais, neurológicos e endócrinos. Consequentemente, agrotóxicos são responsáveis por diversos agravos à saúde, dentre eles os óbitos por intoxicações agudas (IFA), objeto desse estudo. Essas IFA podem ser intencionais e resultado de violências, e não serão incluídas nesse estudo. São inúmeras as barreiras para o diagnóstico e registro de IFA, e, dentre elas, as diversas dimensões, ou camadas específicas. São elas: 1) diagnós8cos classificados com códigos da Classificação Internacional de Doenças, 10ª Rev. (CID-10) como causas básica e contribuintes; 2) o tipo/grupo de substância envolvida; 3) local de ocorrência; 4) a relação com o trabalho. Em todo o mundo, estudos demonstram a grande subidenficação, sub-registro, sub-notificação e possível sub-enumeração de óbitos por IFA, resultando na subestimação das estimativas de mortalidade. Todavia, são poucos os estudos e, não se dispõe de estimativas da extensão de registros faltantes. Objetivos – Esta pesquisa teve como objetivos: 1) iden8ficar todos os registros de óbito IFA nos SIS de âmbito nacional, acesso público e dados individuados, assim como possíveis óbitos por IFA(X48.x) com erro de classificação diagnós8ca (IFAec) e descrever as diferentes características requeridas para o diagnós8co; 2) Estimar coeficientes de mortalidade por IFA(X48.x) e IFAec em trabalhadores da agropecuária; 3) Comparar espacialmente os coeficiente de mortalidade por IFA(X48.x) e IFAec em trabalhadores da agropecuária. Métodos – Estudo 1) Estudo de série de casos, descritivo, com dados provenientes do linkage probabilístico de cinco SIS com dados anônimos, individuados e com acesso público, no período de 2008 a 2018, concernentes a óbitos com diagnóstico de IFA(X48.x) e com diagnósticos possivelmente
    com erro de classificação (IFAec) capturados na causa básica/diagnóstico principal do óbito ou causas associadas/secundárias. Excluiu-se todos os homicídios e suicídios. Es8mou-se o subregistro para os SIS de cobertura universal. Estudo 2) Dados de óbitos por IFA(X48.x) e IFAec provenientes do relacionamento de cinco SIS foram u8lizados para es8mar a mortalidade por IFA(X48.x) e IFAec em trabalhadores da agropecuária no Brasil. Foi calculada a mortalidade proporcional por AT relativa a todas as intoxicações na agropecuária. Estudo 3) Estudo de distribuição espacial da mortalidade vpor IFA(X48.x) e possíveis diagnósticos com erro de classificação para IFA no período de 2008 a 2018 para os trabalhadores da agropecuária. Resultados – 1) Foram identificados cinco SIS com registro de óbitos por IFA de âmbito nacional com dados individuais e públicos e o número de campos com informação sobre diagnósticos variou entre os SIS. Foram iden8ficados 670 (23,2%) óbitos por IFA(X48.x) e 2.223 (76,8%) por IFAec. Diagnósticos com intenção indeterminada representaram 52,8% e 64,7% identificavam a substância agrotóxicos. Somente 54 óbitos foram encontrados em mais de um SIS e, destes, 29 possuíam o mesmo diagnóstico. O subregistro da IFA no SIM foi estimado em 33,8% e em 90,4% no Sinan-Intox. 2) Foram analisados 806 óbitos por IFA(X48.x) e IFAec em trabalhadores da agropecuária e foram mais frequentes em homens, na faixa-etária de 25-44 anos residentes do Nordeste. O diagnóstico com maior número de registros foi o Y19.x (29,6%), seguido pelo X48.x (25,3%) e Y18.x (18,4%). O perfil de mortalidade por IFA(X48.x) e IFAec apresentou diferenças nas variáveis analisadas. As MP-AT foram maiores no grupo IFA(X48.x), especialmente nas regiões Sul e Sudeste e trabalhadores com idade entre 55-69 anos. 3) Foram analisados 806 registros de óbitos por intoxicação aguda na agropecuária. Destes 25,3% tinham diagnóstico de IFA(X48.x) e 74,7% com diagnósticos IFAec. Os óbitos predominaram entre os homens, com idade entre 25 e 44 anos na região Nordeste. O CM teve tendência de queda em ambas classificações diagnósticas e foi maior no grupo IFAec em todo período. O CM por IFA(X48.x) foi maior em Tocantins, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.


  • Mostrar Abstract
  • IntroducQon - Afer World War II, the efficient fight against pests that threatened agriculture became a priority in measures to combat hunger in Europe, Asia and other regions. This is how large investments in chemical research emerged and the produc8on and consump8on of pes8cides (agrotóxicos) intensified. Widespread throughout the world, its acute and chronic toxic effects on living beings can be lethal, cause malforma8ons, cancers and mental, neurological and endocrine disorders. Consequently, pes8cides are responsible for several health problems, including deaths due to acute poisoning (IFA), the object of this study. These IFA may be inten8onal and the result of violence, and will not be included in this study. There are numerous barriers to the diagnosis and registra8on of IFA, and, among them, the different dimensions, or specific layers. They are: 1) diagnoses classified with codes from the Interna8onal Classifica8on of Diseases, 10th Rev. (ICD-10) as basic and contribu8ng causes; 2) the type/group of substance involved; 3) place of occurrence; 4) the rela8onship with work. Around the world, studies demonstrate the great under-iden8fica8on, under-registra8on, underrepor 8ng and possible under-enumera8on of deaths due to IFA, resul8ng in the underes8ma8on of mortality es8mates. However, there are few studies and there are no es8mates of the extent of missing records. Objectives - This research aimed to: 1) iden8fy all IFA death records in the na8onal SIS, public access and individualized data, as well as possible deaths due to IFA(X48.x) with diagnos8c classification error (IFAec) and describe the different characteris8cs required for diagnosis; 2) Estimate mortality coefficients due to IFA(X48.x) and IFAec in agricultural workers; 3) Spatically compare the mortality coefficients due to IFA(X48.x) and IFAec in agricultural workers. Results - 1) Five SIS were iden8fied with records of deaths due to IFA na8onwide with individual and public data and the number of fields with informa8on on diagnoses varied between the SIS. 670 (23.2%) deaths were iden8fied due to IFA(X48.x) and 2,223 (76.8%) due to IFAec. Diagnoses with undetermined intent represented 52.8% and 64.7% iden8fied the pes8cide substance. Only 54 deaths were found in more than one SIS and, of these, 29 had the same diagnosis. IFA under-registration in SIM was es8mated at 33.8% and 90.4% in Sinan-Intox. 2) 806 deaths due to IFA(X48.x) and IFAec in agricultural workers were analyzed and were more frequent in men, aged 25-44 years, living in the Northeast. The diagnosis with the highest number of records was Y19.x (29.6%), followed by X48.x (25.3%) and Y18.x (18.4%). The mortality profile for IFA(X48.x) and IFAec showed differences in the variables analyzed. MP-AT were higher in the IFA(X48.x) group, especially in the South and Southeast regions and workers aged between 55-69 years. 3) 806 records of deaths due to acute poisoning in agriculture were analyzed. Of these, 25.3% were diagnosed with IFA(X48.x) and 74.7% were diagnosed with IFAec. Deaths predominated among men, aged between 25 and 44 years in the Northeast region. CM had a downward trend in both diagnos8c classifica8ons and was higher in the IFAec group throughout the period. The CM by IFA(X48.x) was higher in Tocan8ns, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul and Mato Grosso do Sul.

18
  • ERIK ASLEY FERREIRA ABADE
  • A gênese da Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais no Brasil.

  • Orientador : SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SERGIO LUIS CARRARA
  • LUIZ MELLO DE ALMEIDA NETO
  • LIGIA MARIA VIEIRA DA SILVA
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • Data: 20/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho buscou compreender como a gênese e institucionalização da Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais no Brasil. Foi uma pesquisa sócio-histórica, no período de 1978 a 2018. A produção de dados foi realizada a parir de análise documental, pesquisa bibliográfica e entrevista em profundidade com 25 agentes selecionados por amostra intencional entre aqueles que participaram ou influenciaram a emergência da referida política. O referencial teórico da sociologia reflexiva de Pierre Bourdieu e as contribuições para análise sociológica das políticas de saúde de Patrice Pinell subsidiaram a análise. Verificou-se que a emergência da Política Nacional de Saúde Integral LGBT (PNSI-LGBT) em 2009 tem como antecedentes o surgimento do movimento homossexual brasileiro em 1978 e a construção social da violência contra a população LGBT como um problema que merecia o reconhecimento do Estado. No período entre 1978 a 2002, demandas de saúde desse grupo tornaram-se questões de interesse de agentes de diversos campos sociais, como as alterações corporais em pessoas trans e travestis, a saúde de mulheres lésbicas e bissexuais, e a resposta à epidemia de HIV/AIDS, esta última responsável pelas primeiras ações do burocrático da saúde tendo como foco a população LGBT. A emergência da política teve como condições de possibilidade históricas para sua emergência a chegada ao campo de poder dos partidos de esquerda, o fortalecimento do espaço dos direitos humanos no Estado e a entrada de agentes vinculadas a reforma sanitária brasileira no campo burocrático da saúde. O espaço social constituído no campo burocrático da saúde de interesse pela política caracterizava-se por ser feminino, formado majoritariamente por mulheres cisgênero de diferentes orientações sexuais e oriundas do movimento feminista, do movimento pela reforma sanitária brasileira e/ou do espaço AIDS. O pertencimento a população LGBT ainda que tenha exercido um papel de capital simbólico identitário permitindo a entrada nesse espaço, não garantiu a ocupação de posições dominantes. Observa-se também que o espaço social de interesse pela política é composto basicamente pelo campo burocrático da saúde e o espaço militante, com reduzida participação dos demais campos. As principais questões em disputa foram relacionadas a nomeação da população alvo da política e as lutas entre os subgrupos que compõem a sigla LGBT para a consideração de suas especificidades como problemas de saúde prioritários para a política. As especificidades em saúde de pessoas trans e travestis constituíram em torno de si um subespaço específico através do processo transexualizador. Este subespaço constitui-se de disputas mais acirradas e com a participação dos campos médico, burocrático, jurídico e cientifico, e do espaço militante. O campo médico ocupou lugar dominante imponto seu ponto de vista sobre a transexualidade, baseado no diagnóstico psiquiátrico. A implantação do processo transexualizador no SUS foi o principal resultado dessa política. O período de institucionalização da PNSI-LGBT ocorreu entre 2011e 2016 e caracterizou-se por um período de continuidades e rupturas a partir do aumento da influência da fração conservadora do campo político nas políticas de saúde. O acirramento da disputa com a fração conservadora do campo político e sua chegada ao polo dominante entre 2016 e 2018 representou um período de fechamento dos possíveis para PNSI-LGBT com o enfraquecimento de seu processo de institucionalização.


  • Mostrar Abstract
  • The present work sought to understand how the genesis and institutionalization of the Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais in Brazil. It was a socio-historical research, from 1978 to 2018. Data production was carried out based on documentary analysis, bibliographic research and in-depth interviews with 25 agents selected by intentional sampling among the agents who participated in or influenced the emergence of the aforementioned policy. The theoretical framework of Pierre Bourdieu's reflexive sociology and the contributions to the sociological analysis of health policies by Patrice Pinell supported the analysis. It was found that the emergence of the Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (PNSI-LGBT) in 2009 has as its antecedents the emergence of the Brazilian homosexual movement in 1978 and the construction of violence against the LGBT population as a social problem that deserved State recognition, in the period from 1978 to 2002, the health demands of this group became issues of interest to agents from different social fields, such as bodily changes in trans and transvestite people, the health of lesbian and bisexual women, and the response to the epidemic of HIV/AIDS, the latter responsible for the first actions of the health bureaucracy focusing on the LGBT population. The emergence of politics had as conditions of historical possibilities for its emergence the arrival in the field of power of left-wing parties, the strengthening of the space of human rights in the bureaucratic field and the entry of agents linked to Brazilian health reform in the bureaucratic field of health. The social space constituted in the bureaucratic field of health of interest to politics was characterized by being feminine, formed mainly by cisgender women of different sexual orientations and coming from the feminist movement, the movement for Brazilian health reform and/or the AIDS space. Belonging to the LGBT population, even though it played a role as symbolic identity capital allowing entry into this space, did not guarantee the occupation of dominant positions. It is also observed that the social space of interest in politics is basically composed of the bureaucratic field of health and the militant space, with reduced participation from other fields. The main issues in dispute were related to the naming of the target population of the policy and the struggles between the subgroups that make up the LGBT acronym to consider their specificities as priority health problems for the policy. The health specificities of trans and transvestite people constituted a specific subspace around them through the Processo Transexualizador. This subspace consists of fiercer disputes and with the participation of the medical, bureaucratic, legal and scientific fields, and the militant space. The medical field occupied a dominant place, imposing its point of view on transsexuality, based on psychiatric diagnosis, on the State. The period of institutionalization of the PNSI-LGBT occurred between 2011 and 2016 and was characterized by a period of continuities and ruptures due to the increased influence of the conservative fraction of the political field on policies. of health. The intensification of the dispute with the conservative fraction of the political field and its arrival at the dominant pole between 2016 and 2018 represented a period of closure of possibilities for PNSI-LGBT with the weakening of its institutionalization process.

2022
Dissertações
1
  • LORENA PIRES GUIMARAES
  • A CLÍNICA AMPLIADA NA SAÚDE MENTAL: QUE HISTÓRIA É ESSA?

  • Orientador : NAOMAR MONTEIRO DE ALMEIDA FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SILVIO YASUI
  • JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • LILIANA SANTOS
  • NAOMAR MONTEIRO DE ALMEIDA FILHO
  • VLADIA JAMILE DOS SANTOS JUCA
  • Data: 09/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo apresenta a história da clínica ampliada, em relação com as práticas de cuidado no campo da Saúde Mental Coletiva no Brasil. A emergência da clínica ampliada, enquanto área do conhecimento, situa-se na interface entre a Saúde Mental e a Atenção Básica. Sua história é reconstruída, na presente dissertação, através de uma arqueogenealogia. A pesquisa realizada demarca as condições históricas e epistemológicas para que a clínica ampliada tenha se tornado um dispositivo na Saúde Mental, a partir do qual se articulam práticas de cuidado nesse campo. Como objetivos específicos, identifica as condições de aparecimento histórico e as transformações da clínica ampliada como dispositivo no campo da saúde mental; explicita os pontos de ruptura com outros discursos norteadores da clínica; descreve a trama discursiva que caracteriza a clínica ampliada como dispositivo de cuidado e analisa em que medida a clínica ampliada estabelece correlações com outros discursos de clínica no contexto da atenção psicossocial. As estratégias utilizadas foram revisão de literatura, análise documental e entrevista temática e não estruturada, através da História Oral. A análise do material produzido foi realizada partindo das operações para uma análise arqueológica, identificando as relações contidas entre elementos discursivos e não discursivos, tomando como referência a Arqueologia do Saber. Os resultados apontam para a análise de que a sustentação da clínica ampliada se apresenta como um desafio, uma vez que nasce como dispositivo de contrapoder, institucionaliza-se e hoje, em tempos antidemocráticos, tem seu lugar ameaçado por uma clínica baseada em evidências e em procedimentos protocolares. Pode, assim, vir a se constituir como estratégia de enfrentamento e resistência ao atual cenário de degradação do Sistema Único de Saúde (SUS) e de retorno de propostas manicomiais associadas a recuos e duros golpes ao trabalho na Saúde Coletiva brasileira, na medida em que possa se reinventar coletivamente e se recolocar frente às relações de poder que se estabelecem nos dias atuais.


  • Mostrar Abstract
  • This study presents the history of the expanded clinic, in relation to care practices in the field of Collective Mental Health in Brazil. The emergence of the expanded clinic, as an area of knowledge, is located at the interface between Mental Health and Primary Care. His history is reconstructed, in this dissertation, through an archeogenealogy. The research demarcation of the historical and epistemological conditions so that the expanded clinic has become a device in Mental Health, from which it articulates care practices in this field. As specific objectives, it identifies the conditions of historical appearance and transformations of the expanded clinic as a device in the field of mental health; explains the breaking points with other discourses that guide the clinic, describes the discursive plot that characterizes the expanded clinic as a care device and analyzes the extent to which the expanded clinic establishes correlations with other clinical discourses in the context of psychosocial care. The strategies used were literature review, documentary analysis and thematic and unstructured interview, through Oral History. The analysis of the material produced was carried out based on operations for an archaeological analysis, identifying the relationships contained among discursive and non-discursive elements, based on the reference of The Archaeology of Knowledge. The results point to the analysis that the support of the expanded clinic presents itself as a challenge, to the extent that it is born as a device of counterpower, institutionalized and today, in undemocratic times, has its place threatened by an evidence-based clinic and in protocol procedures. In that sense, it may become a strategy for confronting and resisting the current scenario of degradation of the Unified Health System and for the return of asylum proposals associated with setbacks and hard blows to work in the Brazilian Public Health, as in being able to reinvent itself collectively and reposition in the face the power relations that are established nowadays.

2
  • MELSEQUISETE DANIEL VASCO
  • ANÁLISE DO SISTEMA DE SAÚDE DO URUGUAI NO ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA DA COVID-19: a dupla lição de sucesso e fracasso

  • Orientador : MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • ALCIONE BRASILEIRO OLIVEIRA
  • ADELYNE MARIA MENDES PEREIRA
  • THAIS REGIS ARANHA ROSSI
  • Data: 04/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No início de dezembro de 2019, foram reportados na megalópole chinesa de Wuhan, primeiros surtos de uma síndrome aguda respiratória, e devido a sua rápida disseminação pelos países e territórios no mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a Covid-19 como uma de pandemia à 11 de março de 2020. Vários segmentos foram mobilizados, os sistemas de saúde mais demandados. Os sistemas de saúde no mundo, implementaram diferentes respostas, com diferentes desfechos, entre poucos bem sucedidos e muitos casos de insucessos, com certa ausência de instrumentos orientadores abrangentes, para o enfrentamento da Covid-19. Uruguai ao lado de Cuba, destacaram-se, na América latina, com melhor performance no ano de 2020, entretanto, apresentando mudanças signifiativas no ano seguinte. Objetivo: Analisar a evolução da pandemia da COVID-19 no Uruguai, considerando as características dos sistemas de saúde, de vigilância em saúde. Metodologia: trata-se de um estudo de caso, através da revisão integrativa e análise documental. A busca foi efetuada nas bases-de-dados dentro do portal Capes (PubMed, Web of Science, Science Direct e Scopus), utilizando a combinação de seguintes termos associasos aos descritores do Medical Subject Headings (MeSH) e os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Uruguay AND COVID-19 AND “health system”, seguindo a definição da base correspondente, buscando analisar estudos publicados no período entre janeiro e dezembro de 2020 até janeiro e julho de 2021. Resultados: A experiência do Uruguai é descrita na maioria da literatura acessada como um caso de sucesso no enfrentamento da pandemia, durante o primeiro ano. Marcou a resposta do Uruguai a constituição de uma governança bem-sucedida na articulação entre distintas organizações e agentes sobre a política pública, envolvendo o governo, a ciência e a sociedade em geral, com forte adesão da população às medidas implementadas. Destaca-se, também, as caraterísticas pré-existentes do sistema de saúde, de proteção social como elementos que favorecem o sucesso da resposta. E para, a fase de insucesso, inclui-se a postura do Governo, o excesso de confiança da população às autoridades e, o surgimento e rápida propagação de novas variantes na região.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: In early December 2019, the first outbreaks of an acute respiratory syndrome were reported in the Chinese megalopolis of Wuhan, and due to its rapid spread across countries and territories in the world, the World Health Organization (WHO) declared Covid-19 as a pandemic on 11 March 2020. Several segments have been mobilized, the health systems most in demand. Health systems around the world have implemented different responses, with different outcomes, between a few successful and many unsuccessful cases, with a certain absence of comprehensive guiding instruments to face Covid-19. Uruguay, along with Cuba, stood out in Latin America with the best performance. However, the situation has changed radically since late 2020 and during the analyzed period of 2021 (January and July) Objective: To analyse the evolution of the pandemic of COVID-19 in Uruguay, considering the characteristics of the health, health surveillance systems. Methodology: This is a case study, through integrative review and documentary analysis. The search was conducted in databases within the Capes portal (PubMed, Web of Science, Science Direct and Scopus), using the combination of the following terms associated with the descriptors of Medical Subject Headings (MeSH) and Descriptors in Health Sciences (DeCS): Uruguay AND COVID-19 AND "health system", following the definition of the corresponding base, seeking to analyze studies published between January and December 2020 until January and July 2021. Results: The experience of Uruguay is described in most of the literature accessed as a case of success in facing the pandemic, during the first year. Marked the response of Uruguay the constitution of a successful governance in the articulation between different organizations and agents on public policy, involving government, science and society in general, with strong adherence of the population to the measures implemented. The pre-existing characteristics of the health system and of social protection are also highlighted as elements that favour the success of the response. And for the failure phase, the government's posture, the population's overconfidence in the authorities and the emergence and rapid spread of new variants in the region are included.

3
  • DANIELLE DE JESUS SOARES
  • Acessibilidade aos serviços de atenção primária à saúde em municípios rurais do Brasil.

  • Orientador : ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • JOSE PATRICIO BISPO JUNIOR
  • MARILUCE KARLA BOMFIM DE SOUZA
  • Data: 06/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • A acessibilidade é indicada como um dos elementos estruturais relevantes da Atenção Primária, é nesse nível de atenção que seus requisitos mostram-se diferentes, uma vez que a mesma se configura como porta de entrada preferencial no sistema de serviços de saúde. Todo município brasileiro tem a competência de organizar, executar e gerir os serviços e ações relacionadas à Atenção Primária à Saúde (APS) em seus territórios. O presente trabalho tem por objetivo analisar os aspectos da estrutura das unidades básicas e da organização do processo de trabalho das equipes de saúde relacionados à acessibilidade sócio-organizacional aos serviços de Atenção Primária à Saúde em municípios rurais do Brasil. Trata-se de um estudo descritivo de corte transversal que utilizou dados secundários relativos às equipes de Saúde da Família do Brasil que aderiram ao terceiro ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). Fizeram parte da amostra 2.940 municípios com população igual ou inferior a 20 mil habitantes, classificados como municípios rurais (rural remoto e rural adjacente) partícipes da avaliação externa do 3º ciclo PMAQ-AB. Os resultados encontrados nesse estudo apontam para deficiências tanto em aspectos da estrutura das unidades de saúde quanto do processo de trabalho que interferem na acessibilidade das pessoas aos serviços de saúde, a exemplo dos ambientes assistenciais e farmácia; insumos e medicamentos para atendimento às urgências clínicas; imunobiológicos e testes diagnósticos na unidade, horário/dias de funcionamento da unidade; realização de acolhimento a demanda espontânea; coleta de exames e realização de procedimentos, profissionais insuficientes para compor a equipe mínima, disposição e usos de tecnologias da informação. Levando em consideração que poucos desses municípios dispõem de outros níveis do sistema de saúde, uma APS estruturada contribuiria para o cuidado mais efetivo da população. O desenvolvimento de outros estudos poderá contribuir para o conhecimento sobre problemas enfrentados pela atenção primária em municípios rurais e remotos.


  • Mostrar Abstract
  • Accessibility is indicated as one of the relevant structural elements of Primary Healthcare; it is at this level of attention where requirements prove to be different, once it is set up as a preferential entry to the health service system. Every municipality in Brazil has the power to organize, execute and manage services and actions related to aspects pertaining to the structure of the primary healthcare units and the organization of the work process of the health teams related to socio-organizational accessibility to Primary Healthcare services in rural municipalities of Brazil. A cross-sectional descriptive study that used secondary data related to Family Healthcare teams in Brazil which adhered to the third cycle of the National Program for Access and Quality Improvement in Primary Healthcare (PMAQ-AB). The sample comprised of 2,940 municipalities, with populations equal or inferior to 20 thousand inhabitants, classified as rural municipalities (remote and adjacent rural areas), participants of the external assessment of the 3rd PMAQ-AB cycle. The results obtained in this study indicate deficiencies, both in aspects of the structure of the health units as well as in the work process which hinder accessibility to the health services, such as the healthcare environments and pharmacies; supplies and medication for emergency medical care; immunobiology and diagnostic tests in the unit, working hours/days of the unit; dealing with spontaneous demand; sample collection for medical exams and procedures, insufficient professionals to form the core team, availability and use of information technology. Considering that few of these municipalities have other levels of health systems, a structured Primary Healthcare would offer a more effective care to the population. The development of other studies could contribute towards understanding the issues faced by primary healthcare in rural and remote municipalities.

4
  • NARLA DENISE RODRIGUES FERNANDES
  • Cuidado infantil e gênero na perspectiva de famílias que frequentam o programa de saúde mental infantil brincando em família.

  • Orientador : VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • Patricia Santos de Souza Delfini
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • Data: 12/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho se insere na incipiente discussão sobre famílias, políticas e práticas de Saúde Mental Infantil, em diálogo com apontamentos já presentes na literatura sobre a importância de incluir e qualificar o cuidado com a família. Temos como objetivo geral compreender como famílias que frequentam um Programa de Saúde Mental Infantil cuidam de suas crianças. E, como objetivos específicos analisar como se constrói o cuidado infantil no cotidiano das famílias; explorar possíveis diferenças no cuidado a crianças relacionadas dinâmicas familiares; explorar como as famílias compreendem as queixas sobre as crianças que frequentam um Programa de Saúde Mental Infantil (PBF); explorar como as famílias compreendem o cuidado ofertado no programa em questão. A fundamentação teórica, na qual ancoramo-nos, é uma teoria geral do cuidado articulada com as discussões sobre saúde mental, gênero e dispositivos. O estudo foi realizado durante o período da pandemia de Covid-19 no Programa de Saúde Mental Infantil Brincando em Família, um espaço permanente de ensino, pesquisa e extensão vinculado à Universidade Federal da Bahia, que busca trabalhar com crianças e suas famílias, tecendo diálogos com outros serviços dirigidos ao público infantil. Os (as) participantes, foram pessoas que frequentavam o programa desde antes do momento pandêmico. No total, foram entrevistadas seis famílias, onde, em alguns casos, houve a presença masculina. Dentre as (os) participantes predominam pessoas autodeclaradas negras ou pardas, com baixa escolaridade, situação financeira precária, moradoras de bairros periféricos, expostas a situações de violência. Encontramos a predominância do lugar das mulheres como cuidadoras, que coexistem com frequentes relatos da não intenção de ter filhos, antes da gravidez acontecer. Argumentamos que, para os (as) participantes, o cuidado infantil tem estreita relação com um “projeto de pessoa” onde é central que a criança seja “obediente para não dá para ruim”. Diversas ações são direcionadas neste sentido, desde cuidados básicos e cuidados relacionais - que envolvem educação, correção de comportamentos -, e a relação com as políticas públicas, com destaque para serviços de saúde e educação. Sobre frequentar um serviço de Saúde Mental Infantil, foi identificado que frequentemente quando a família não consegue que a sua criança apresente a esperada obediência, e também quando recebe queixas no ambiente escolar e familiar, há uma procura por serviços de saúde mental. Há uma diversidade de modos compreensão das queixas, mas o ponto de congruência, continua estando nesse eixo, de procurar ajustar o comportamento das crianças ao esperado, de acordo com os scripts de gênero e as preocupações sobre o futuro. A relação com o programa se mostra importante para essas famílias – que são, de maneira predominante, mulheres marcadas pelo dispositivo materno -, que se sentem acolhidas e compreendidas. E, nesse sentido, foram ouvidas algumas narrativas das famílias, à medida que tiveram contato com o programa, apontando problematizações de olhares patologizantes sobre as crianças.


  • Mostrar Abstract
  • This work is part of the incipient discussion about families, policies and practices of Child Mental Health, in dialogue with notes already present in the literature on the importance of including and qualifying family care. Our general objective is to understand how families who attend a Child Mental Health Program take care of their children. And, as specific objectives to analyze how child care is built in the daily lives of families; explore possible differences in child care related to family dynamics; explore how families understand complaints about children attending a Child Mental Health Program (PBF); explore how families understand the care offered in the program in question. The theoretical foundation on which we are anchored is a general theory of care articulated with discussions on mental health, gender and devices. The study was carried out during the period of the Covid-19 pandemic in the Child Mental Health Program Brincando em Família, a permanent space for teaching, research and extension linked to the Federal University of Bahia, which seeks to work with children and their families, building dialogues with other services aimed at children. The participants were people who had attended the program since before the pandemic moment. In total, six families were interviewed, where, in some cases, there was a male presence. Among the participants, self-declared black or brown people predominate, with low education, precarious financial situation, residents of peripheral neighborhoods, exposed to situations of violence. We found the predominance of the role of women as caregivers, which coexist with frequent reports of not intending to have children, before the pregnancy happens. We argue that, for the participants, child care is closely related to a “person project” where it is central that the child is “obedient so it doesn't be bad person”. Several actions are directed in this way, from basic care and relational care - which involve education, correction of behaviors -, and also the relationship with public policies, with emphasis on health and education services. About attending a Child Mental Health service, it was identified that often when the family cannot get their child to show the expected obedience, and also when they receive complaints in the school and family environment, there is a demand for mental health services. There are a variety of ways to understand the complaints, but the point of congruence, continues to be in this axis, of trying to adjust children's behavior to what is expected, according to gender scripts and concerns about the future. The relationship with the program is important for these families – who are predominantly women marked by the maternal device –, who feel welcomed and understood. And, in this sense, some narratives of the families were heard, as they had contact with the program, pointing out problematizations of pathologizing views on children.

5
  • JULIANA SANTOS DE OLIVEIRA
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ATENÇÃO ÀS PESSOAS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA NO ÂMBITO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO BRASIL

  • Orientador : ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELAINE TOMASI
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MARILUCE KARLA BOMFIM DE SOUZA
  • Data: 05/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • No mundo a Hipertensão Arterial Sistêmica é considerada uma doença crônica com alta prevalência, atingindo cerca de um terço da população adulta, além de ser um dos mais relevantes fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. No Brasil, a HAS é considerada um grave problema de saúde pública, apresentando alta prevalência e baixas taxas de controle. Este estudo tem como objetivo avaliar a qualidade da atenção às pessoas com HAS prestada pelas equipes de atenção primária que aderiram ao terceiro ciclo da avaliação externa do Programa de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica no Brasil. Tratase de um estudo do tipo apreciação normativa, que visa verificar se uma intervenção está em conformidade com as normas estabelecidas, utilizando a definição de avaliação de qualidade proposta por Donabedian. Para tanto, foi elaborado um modelo lógico operacional da atenção à HAS na atenção primária à saúde, composto pelas dimensões gerencial e assistencial, que deu origem a uma matriz de critérios, indicadores e padrões, por meio da qual foi possível avaliar o grau de adequação das ações e classificar os critérios em adequado, intermediário ou inadequado. Foram calculadas frequências simples e relativas, além de percentuais para cada critério, utilizando o software R Studio. Os dados foram estratificados por regiões. Os resultados apontam para uma deficiência no alcance do padrão de qualidade considerando os critérios de estrutura, especialmente aqueles relacionados à estrutura física das unidades de saúde, como os ambientes administrativos e de apoio, e os ambientes clínicos assistenciais adequados ao número de equipes que atuam nesses espaços; as características de ambiência e acessibilidade para portadores de necessidades especiais, bem como a disponibilidade de equipamentos para realização de atividades de educação em saúde, além do baixíssimo percentual de disponibilidade dos medicamentos básicos para o tratamento dessa condição, comprometendo significativamente o seu controle no nível primário e apontando deficiências na qualidade da atenção prestada. Quanto aos critérios de processo, esses tiveram um desempenho melhor, entretanto aqueles relativos ao horário de funcionamento da UBS (48,0%), adscrição da população (47,1%), acolhimento à demanda espontânea (6,3%) e coordenação da atenção básica (52,4%) demandam intervenções que visem a sua melhoria, uma vez que refletem aspectos importantes no processo de cuidado na APS. Apesar da existência de um conjunto de normativas relacionadas ao processo de cuidado ao paciente com HAS no âmbito da APS, questões relativas à estrutura física das UBS, materiais, insumos e equipamentos ainda não estão adequados para garantir a qualidade da atenção ao usuário hipertenso. Além disso, é necessário a qualificação do processo de trabalho das equipes, para que a APS cumpra o seu papel de coordenadora do cuidado.


  • Mostrar Abstract
  • Systemic Arterial Hypertension (SAH) is considered, worldwide, as a high-prevalence chronic disease, affecting around one third of the adult population, besides being one of the most significant risk factors for the development of cardiovascular diseases. In Brazil, SAH is considered a major public health problem, presenting high prevalence and low levels of control. The study has the purpose of assessing the quality of care to patients with SAH provided by the primary healthcare teams that have adhered to the third cycle of external assessment of Brazil’s National Program for Access and Quality Improvement in Primary Care. It is a normative assessment study, that aims to verify whether an intervention is in compliance with the established standards, using the quality assessment definition proposed by Donabedian. Accordingly, a logical operational framework was prepared in relation to the care for SAH in primary healthcare, comprising the management and care dimensions, giving origin to a criteria matrix, indicators and standards, enabling the assessment of the degree of appropriateness of the actions and classify the criteria as adequate, intermediary or inadequate. Simple and relative frequencies were calculated, as well as percentages for each criteria, using the R Studio software. The data was stratified by regions. The results point out to a deficiency in the scope of the standard of quality considering the structure criteria, especially those related to the physical structure of the healthcare units, as well as the administrative and support environments and the compatibility of the number of teams working in such spaces; ambience and accessibility characteristics for people with special needs, as well as availability of equipment for health education activities, not to mention the extremely low percentage of availability of basic medicines for the treatment of the condition, significantly compromising its control at the primary level and indicating deficiencies in the quality of the care provided. The process criteria had a better performance, however those related to working hours of the Primary Healthcare Unit (48.0%), adscription of the population (47.1%), receptivity of spontaneous demand (6.3%) and coordination of primary care (52.4%) demand interventions aimed at improvement, once important aspects in the care process of primary healthcare are reflected. Despite the existence of a set of norms related to the SAH care process of the patient in primary healthcare, issues related to the physical structure of the Primary Healthcare Units, materials, inputs and equipment are not adequate to guarantee quality in the care of hypertensive patients. Furthermore, qualification in the work process of the teams is necessary for Primary Healthcare to fulfill its healthcare coordination role.

6
  • LILIAN BARBOSA ROSADO
  • CONTRATUALIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA REDE HOSPITALAR SUS: O CASO DE SALVADOR

  • Orientador : ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • KATIA REJANE DE MEDEIROS
  • LAISE REZENDE DE ANDRADE
  • THADEU BORGES SOUZA SANTOS
  • Data: 26/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Diante da necessidade de especialistas e aparato tecnológico, a prestação de serviços de média e alta complexidade (MAC) hospitalar no Sistema Único de Saúde (SUS) tem importante participação do setor privado sem fins lucrativos, mediante processo de contratualização para prestação de serviços especializados. Com isso, o gestor público contratante passa a ser demandado de ações de monitoramento da relação contratual, que por vezes é permeada de conflitos relacionados ao descumprimento das pactuações. Assim, este estudo teve por objeto a contratualização de serviços hospitalares e ambulatoriais da média e alta complexidade pela Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, Bahia, através da análise dos documentos que compõem a contratualização e entrevistas semiestruturadas com técnicos da gestão municipal e representantes dos hospitais que realizam o acompanhamento do convênio, buscando identificar os problemas emergentes da relação contratual à luz da teoria do principal – agente. Os resultados demostraram que os problemas mais aparentes estão correlacionados ao processo de monitoramento e controle, que se tornou mais complexo com o atual formato do convênio. Além disso, um estudo mais detalhado acerca das singularidades de cada instituição promoveria maior impacto no cumprimento do acordo de resultados.


  • Mostrar Abstract
  • Given the need for specialists and technological apparatus, the provision of hospital services of medium and high complexity (MAC) in the Unified Health System (SUS) has important participation of the non-profit private sector, through a contracting process for the provision of specialized services. As a result, the contracting public manager becomes required to monitor the contractual relationship, which is sometimes permeated by conflicts related to noncompliance with agreements. Thus, this study aimed to contract medium and high complexity hospital and outpatient services by the Municipal Health Department of Salvador, Bahia, through the analysis of documents that make up the contract and semi-structured interviews with municipal management technicians and hospital representatives. who carry out the monitoring of the agreement, seeking to identify the emerging problems of the contractual relationship in the light of the principal-agent theory. The results showed that the most apparent problems are related to the monitoring and control process, which has become more complex with the current format of the agreement. In addition, a more detailed study of the singularities of each institution would promote greater impact on compliance with the results agreement.

7
  • LEIDE DIONNE PEREIRA DE JESUS SANTOS
  • REPERCUSSÕES DO PROCESSO DE TRABALHO NA SAÚDE DE PROFISSIONAIS QUE ATUAM EM EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA: uma revisão integrativa

  • Orientador : LILIANA SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • LILIANA SANTOS
  • NILIA MARIA DE BRITO LIMA PRADO
  • VLADIMIR ANDREI RODRIGUES ARCE
  • Data: 21/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • A Estratégia Saúde da Família (ESF) foi adotada pelo Ministério da Saúde para a reorganização da Atenção Primária à Saúde (APS) no Brasil e redefinição do modelo de assistência à saúde vigente. A ESF apresenta um processo de trabalho caracterizado por trabalho em equipe interdisciplinar, dentro de um âmbito generalista, perpassado por inúmeros desafios. Vários estudos revelam que pelas características do processo de trabalho e das condições de trabalho na ESF, os profissionais estão expostos a vivências de prazer e sofrimento que repercutem na situação de saúde deles. Essas vivências podem gerar satisfação e sensação de bem-estar ou insatisfação que pode se manifestar em adoecimento físico e/ ou psíquico. Esta pesquisa buscou analisar as relações existentes entre os processos de trabalho e a saúde dos profissionais das equipes de Saúde da Família (EqSF). Trata-se de um estudo de revisão integrativa da literatura. A revisão integrativa da literatura caracteriza-se por ser um método de revisão que proporciona informações mais amplas acerca de um determinado fenômeno, permitindo a síntese de conhecimento a partir da análise de estudos significativos. Esta revisão foi realizada a partir de buscas nas bibliotecas eletrônicas: Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Scientific Electronic Library Online (Scielo), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (PubMed/MEDLINE/NIH), com a combinação dos unitermos: Saúde do trabalhador, Estratégia de Saúde da Família, Estratégia Saúde da Família, Programa de Saúde da Família, Programa Saúde da Família, Saúde do profissional, Trabalho, Occupatinal Health e Family Health Strategy. Observou-se nos estudos selecionados que os elementos do processo de trabalho ainda não são bem compreendidos pelos usuários e trabalhadores das EqSF, que também enfrentam escassez de recursos materiais e imateriais. Tal situação reflete negativamente no processo de trabalho e na situação de saúde dos profissionais. Apesar da maioria das publicações apresentarem repercussões negativas, foram identificadas algumas repercussões benéficas, onde o processo de trabalho não foi patogênico. Conclui-se, portanto, que os mesmos fatores que geram adoecimento e/ou sofrimento em profissionais de determinadas equipes de Saúde da Família, podem promover prazer e bem-estar em trabalhadores de outras EqSF, o que nos leva a inferir que as especificidades intrínsecas a cada equipe e ao seu território de atuação apresentam relação com o tipo de repercussão (negativa ou positiva) que o processo de trabalho tem sobre a saúde dos profissionais.


  • Mostrar Abstract
  • The Family Health Strategy (FHS) was adopted by the Ministry of Health to reorganize Primary Health Care in Brazil and redefine the current healthcare model. It presents a work process characterized by interdisciplinary teamwork within a generalist scope, permeated by numerous challenges. Several studies reveal that, due to the characteristics of the work process and working conditions in the FHS, professionals are exposed to experiences of pleasure and suffering that affect their health situation. It can generate satisfaction and a sense of well-being or dissatisfaction that can manifest itself in physical and/or psychological illness. This research sought to analyze the relationships between work processes and the health of professionals in the Family Health (FH) teams. This is an integrative literature review study. The integrative literature review is characterized by being a review method that provides broader information about a given phenomenon, allowing the synthesis of knowledge from the analysis of significant studies. This review was carried out from searches in electronic libraries: Virtual Health Library (VHL), Scientific Electronic Library Online (Scielo), Latin American and Caribbean Literature on Health Sciences (LILACS) and Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (PubMed/MEDLINE/NIH), with the combination of the keywords: Saúde do trabalhador, Estratégia de Saúde da Família, Estratégia Saúde da Família, Programa de Saúde da Família, Programa Saúde da Família, Saúde do profissional, Trabalho, Occupatinal Health e Family Health Strategy. It was observed in the selected studies that the elements of the work process are still not well understood by the users and workers of the FHS, who also face scarcity of material and immaterial resources. This situation reflects negatively on the work process and on the health situation of professionals. However, despite most publications having negative repercussions, beneficial repercussions were also identified, where the work process was not pathogenic. It is concluded, therefore, that the factors that lead to the development and/or suffering in professionals of some Family Health teams (EqSF), can promote pleasure and well-being in workers of other EqSF, which leads us to infer that the intrinsic specificities of each team and its territory of operation are related to the type of repercussion (negative or positive) that the work process has on the health of professionals.

8
  • MILLENE MOURA ALVES PEREIRA
  • CAMINHOS E POSSIBILIDADES PARA A AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE (EPS): A EXPERIÊNCIA DE UM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO

  • Orientador : ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • THAÍS ZERBINI
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • LILIANA SANTOS
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 27/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • As dificuldades existentes no processo de trabalho em Saúde exigem ações de Educação Permanente em Saúde (EPS) constantes e que respondam às necessidades de desenvolvimento de competências para a melhoria dos processos de trabalho. Todavia, o grande investimento em ações educativas traz consigo a necessidade de analisar os efeitos produzidos e a contribuição da EPS para mudanças no perfil profissional, nas práticas profissionais ou se foi capaz, ainda que indiretamente, de impactar nos indicadores institucionais e de saúde. Nesse sentido, é importante que como parte da ação educativa sejam desenvolvidos processos avaliativos. Este estudo tem como objetivo: Avaliar uma ação de EPS, na modalidade de Curso de Especialização, através da estratégia metodológica baseada em níveis e em profundidade. Caracteriza-se como um estudo de caso, de natureza quali-quantitativa. Tendo como participantes os 31 egressos do Curso de Especialização em Saúde Pública (CESP) – 1ª turma, desenvolvido pela Escola de Saúde Pública da Bahia. Na construção dos questionários, considerou-se os Conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHAs) relacionadas aos objetivos do curso apresentados no Projeto pedagógico. Os resultados mostraram a contribuição do curso para o exercício das funções na gestão, no planejamento de ações, na coordenação de processos e serviços e na implementação de projetos, assim como desempenho qualitativo de aspectos atitudinais; quanto ao suporte organizacional, psicossocial e material indicou a percepção de pouco apoio, evidenciando a necessidade do desenvolvimento de estratégias de suporte organizacional, visando fomentar maiores níveis de efeitos do curso, pois os projetos de intervenção não foram implementados. Conclui-se que o curso contribuiu para mudança de comportamento no cargo e também se identificou efeitos pontuais relacionados à elaboração de produtos técnicos como protocolos, procedimentos operacionais e manuais, fluxos assistenciais nos serviços, além da produção do conhecimento, como relatos de experiência e socialização do aprendizado em reuniões técnicas de equipe.


  • Mostrar Abstract
  • The difficulties existing in the work process in Health require constant Permanent Health Education (PHE) actions that respond to the needs of developing competencies for the improvement of work processes. However, the large investment in educational actions brings with it the need to analyze the effects produced and the contribution of HPS to changes in the professional profile, in professional practices, or if it was able, even if indirectly, to impact institutional and health indicators. In this sense, it is important that evaluation processes are developed as part of the educational action. This study aims to: Evaluate a HPS action, in the modality of a Specialization Course, through the methodological strategy based on levels and in depth. It is characterized as a case study, quali-quantitative in nature. Having as participants the 31 egresses of the Specialization Course in Public Health (CESP) - 1st class, developed by the Bahia School of Public Health. The construction of the questionnaires considered the Knowledge, Skills and Attitudes (KHAS) related to the course objectives presented in the pedagogical project. The results showed the contribution of the course for the exercise of functions in management, action planning, coordination of processes and services and implementation of projects, as well as qualitative performance of attitudinal aspects; as for the organizational, psychosocial and material support indicated the perception of little support, highlighting the need for the development of organizational support strategies, aiming to foster higher levels of effects of the course, because the intervention projects were not implemented. It is concluded that the course contributed to behavioral change in the position and it was also identified specific effects related to the development of technical products such as protocols, operating procedures and manuals, care flows in the services, in addition to the production of knowledge, such as experience reports and socialization of learning in technical team meetings.
9
  • MARCUS VINICIUS BOMFIM PRATES
  • RESPOSTAS DA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE NO ESTADO DA BAHIA À PANDEMIA DE COVID-19

  • Orientador : CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • MARILUCE KARLA BOMFIM DE SOUZA
  • ANA PAULA CHANCHARULO DE MORAIS PEREIRA
  • Data: 17/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Em 2019, o surgimento dos primeiros casos de COVID-19 na China e a rápida disseminação entre países e continentes levaram a Organização Mundial da Saúde a declarar Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional. A partir disso, um novo cenário epidemiológico foi instalado, exigindo dos diversos sistemas e serviços de saúde pelo mundo uma reestruturação, no sentido de fornecer respostas rápidas para conter e/ou mitigar o avanço da pandemia, organizando principalmente os serviços de urgência, local prioritário de busca pela assistência à saúde nos momentos de surtos e epidemias. No Brasil, as medidas do Sistema Único de Saúde para organização das ações e serviços de saúde para o enfrentamento da pandemia iniciaram-se com a publicação da Portaria nº 188, de 3 de fevereiro de 2020, do Ministério da Saúde, que declara Emergência em Saúde Pública de importância Nacional. No estado da Bahia, as ações para o enfrentamento da pandemia da COVID-19 tiveram início em fevereiro de 2020 com a publicação da 1ª edição do Plano Estadual de Contingências para Enfrentamento do Novo Coronavírus. Nesse sentido, esta pesquisa buscou caracterizar o processo de organização da Rede de Atenção à Saúde do estado da Bahia para o enfrentamento da COVID-19, no período de fevereiro a dezembro de 2020. Trata-se de um estudo de caso, pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva. Os dados foram produzidos a partir de fontes secundárias, e, no total, o estudo incluiu 102 documentos. Os resultados encontrados neste estudo apontam que, durante formulação e implementação da Política de Saúde no estado, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica, a Diretoria de Atenção Especializada e o Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde tiveram protagonismo diante dos demais setores da estrutura governamental da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, situação que não comprometeu a resposta do governo no enfretamento da Pandemia.


  • Mostrar Abstract
  • In 2019, the emergence of the first cases of COVID-19 in China and the rapid spread between countries and continents led the World Health Organization to declare a Public Health Emergency of International Concern. From this, a new epidemiological scenario was installed, requiring a restructuring of the various health systems and services around the world, in order to provide quick responses to contain and/or mitigate the advance of the pandemic, mainly organizing emergency services, a priority location of search for health care in times of outbreaks and epidemics. In Brazil, the measures of the Unified Health System for the organization of health actions and services to face the pandemic began with the publication of Ordinance No. 188, of February 3, 2020, of the Ministry of Health, which declares a Public Health Emergency of National Importance. In the state of Bahia, actions to face the COVID-19 pandemic began in February 2020 with the publication of the 1st edition of the State Contingency Plan to Combat the New Coronavirus. In this sense, this research sought to characterize the process of organizing the Health Care Network in the state of Bahia to face COVID-19, from February to December 2020. This is a case study, qualitative research, exploratory and descriptive. Data were produced from secondary sources, and in total, the study included 102 documents. The results found in this study indicate that, during the formulation and implementation of the Health Policy in the state, the Directorate of Epidemiological Surveillance, the Directorate of Specialized Care, and the State Council of Municipal Health Secretaries played a leading role in the face of other sectors of the governmental structure of the Secretariat of Health in the State of Bahia, a situation that did not compromise the government's response to the pandemic.

10
  • Marta Campos
  • Eu pari foi pra curar”: cuidado, itinerâncias e decolonialidades do nascer na tradição

  • Orientador : VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • ANA PAULA DOS REIS
  • ROSAMARIA GIATTI CARNEIRO
  • Data: 19/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação aborda um tema pouco estudado na Saúde Coletiva: as práticas de cuidado feitas por parteiras na tradição, integradas à Escola de Saberes Cultura e Tradição Ancestral/ESCTA-Cais do Parto, bem como os itinerários de cuidado vivenciado por casais que escolheram este formato assistencial para o nascimento de seus filhos, no contexto de crise sociossanitária provocada pela pandemia da COVID-19. Tendo como objetivo compreender como o cuidado na tradição é ofertado na gestação, parto e pós-parto, analisei as cosmologias, modos de fazer o cuidado e as metodologias manifestadas nas rodas virtuais de gestantes e casais grávidos da ESCTA/Cais do Parto. Ademais, compreendi, à luz das narrativas dos casais, como estes simbolizaram suas experiências perinatais, os itinerários de cuidado, assim como as relações vinculares tecidas junto às parteiras. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de inspiração etnográfica, desenvolvida durante os meses de outubro/ 2020 a março/ 2021, quando realizei observação participante nas rodas virtuais e conduzi entrevistas com casais cuidados pela tradição. Privilegiei a estratégia da Análise Temática para a organização, decomposição e interpretação dos dados produzidos em campo. Visando compreender o cenário do partejar nacional, apresentei os elementos políticos e sociais envolvidos na geopolítica dos partos no Brasil, para em seguida localizar no gradiente de saberes as práticas feita por parteiras na tradição. Caracterizei as parteiras em questão, apontando que as mesmas produzem práticas contra-hegemônicas e decoloniais de cuidado. Neste sentido, afirmo que ao se aproximarem de uma perspectiva decolonial, constroem movimentos de resistência à lógica moderna/colonial, estruturando pontos de rupturas ao modelo dominante do cuidado no parto e nascimento. Identifiquei que o cuidado na tradição se organizou em torno de três princípios cosmológicos: a espiritualidade, tridimensionalidade e ancestralidade, além de aspectos metodológicos como a oralidade, a educação popular e os rituais. Estes elementos indicaram que o cuidado na tradição reafirma sua diferença ontológica, epistêmica e política do seu fazer, atuando para visibilizar e resgatar os saberes tradicionais no campo da saúde obstétrica brasileira contemporânea. Ademais, analisei as trajetórias dos casais nos momentos anteriores à gestação, na descoberta gestacional, nas buscas e escolhas pela assistência “que mais produziu sentido”, no contexto de parto e pósparto, no encontro com o sistema de registro cível e nas relações de comadrio. Argumento que, apesar das distintas itinerâncias, a escolha pela assistência na tradição acontece, revelando projetos individuais de como parir/nascer cuja centralidade é a autonomia e o desejo de enriquecimento e singularidade das experiências perinatais dos casais. Entretanto, ao se articular ao projeto coletivo decolonial de cuidado na tradição, a escolha inicialmente mediada pelo individualismo se direcionou para a centralização do vínculo com as parteiras, desdobrando-se na relação de comadrio, cuja base foi o comunitarismo. Depreendi, portanto, que os itinerários de cuidado tecidos pelos casais escutados nesta investigação, apresentaram como relevo inter-relações entre autonomia-enriquecimento-relacionalidade, conformando um tipo de individualismo misto, cujas conotações seriam mais relacionais, podendo ser compreendido como um individualismo-relacional.


  • Mostrar Abstract
  • This dissertation addresses a subject little studied in Public Health: the practices of care of the midwives na tradição, who are associated with the School of Knowledge, Culture and Ancestral Tradition (ESCTA-Cais do Parto), as well as the care itinerâncias experienced by couples who chose this care format for the birth of their children in the context of the sociopublic health crisis caused by the COVID-19 pandemic. Aiming to understand how care na tradição is offered during pregnancy, childbirth and postpartum, we analyze the cosmologies and ways of practicing care as well as the methodologies manifested in ESCTA/Cais do Parto' online group circles of pregnant women and pregnant couples. Moreover, we bring to light the narratives of the couples, how they symbolized their perinatal experiences, the itinerâncias of care, as well as the relationships cultivated with the midwives. This is a qualitative research of ethnographic inspiration, developed during the months of October/ 2020 to March/ 2021, when we performed participant-observation of the online group circles and conducted interviews with couples cared for na tradição. We privilege the strategy of Thematic Analysis for the organization, calculation and interpretation of data collected in the field. In order to understand the scenario of national midwifery, we present the political and social elements involved in the geopolitics of giving birth in Brazil, and then locate in the gradient of knowledge the practices offered by midwives na tradição. We characterize the midwives in question, pointing out that they produce counter-hegemonic and decolonial practices of care. In this sense, we affirm that when approaching decolonial perspective, they construct resistance movements to modern/colonial logic, structuring breaking points to the dominant model of care in childbirth and postpartum. We identify that care na tradição was organized around three cosmological principles: spirituality, three-dimensionality and ancestry, as well as methodological aspects such as orality, popular education and rituals. These elements indicate that care na tradição reaffirms the ontological, epistemic and political difference of its work, thus serving to visualize and rescue traditional knowledge in the field of contemporary Brazilian obstetric health. Furthermore, we analyze the couples' trajectories in the moments before pregnancy, the discovery of pregancy, and in the search and choice for the care "that produced the most meaning", in the context of childbirth and postpartum, in the encounter with the civil registration system and in the comadrio relations. We argue that, despite the different itinerâncias, the choice to be cared for na tradição takes place, revealing individual projects as to how to give birth/birth, whose centrality is the autonomy and desire for the enrichment and singularity of the couples' perinatal experiences. However, by articulating itself to the decolonial collective project of care na tradição, the choice initially mediated by individualism became one that centralized the bond with the midwives, unfolding in the relationship of comadrio, whose basis was communitarianism. Therefore, we can see that the care itinerâncias woven by the couples and heard in this investigation, reveal interrelations between autonomy-enrichment-relationality, thereby forming a type of mixed individualism, whose connotations would be more relational, and can be understood as a relational individualism.

11
  • ESTER MARIA DIAS FERNANDES DE NOVAES
  • Percepção da imagem corporal, características socioeconômicas e estilo de vida em mulheres baianas

  • Orientador : ANA LUISA PATRAO MARTINS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUISA PATRAO MARTINS
  • ESTELA MARIA MOTTA LIMA LEAO DE AQUINO
  • MARIA DA CONCEICAO CHAGAS DE ALMEIDA
  • ROGÉRIO TOSTA DE ALMEIDA
  • Data: 23/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A percepção da imagem corporal é um constructo subjetivo que pode influenciar a vida das pessoas em diferentes esferas, sobretudo a saúde. Ela pode se instituir segundo uma visão acurada ou distorcida e, quando distorce, pode fazê-lo tanto para sobrepeso quanto para subpeso, acarretando consequências na saúde física e mental. Há aspectos de várias ordens que influenciam a percepção da imagem corporal, sendo que fatores socioeconômicos, estilo de vida e cuidados em saúde são alguns deles. Objetivo: Estimar a prevalência de acurácia e distorção da imagem corporal, bem como investigar associações entre distorção da imagem corporal, características socioeconômicas, estilo de vida e procura de cuidados de saúde ginecológica entre mulheres baianas participantes da coorte ELSA-Brasil. Métodos: Participaram do estudo 609 mulheres de 50 a 69 anos de idade da coorte ELSABrasil residentes na Bahia. Os dados foram produzidos por meio de questionários utilizados na Onda 2 da coorte, que permitiram o acesso às informações relativas às variáveis percepção da imagem corporal, características socioeconômicas e estilo de vida, e outro questionário que incluiu questões sobre cuidados ginecológicos, local de nascimento e de residência das participantes. As medidas de associação foram calculadas por meio de regressão logística simples e multinomial, que foram computadas através do software estatístico Stata versão 13. Resultados: A maioria das participantes tem uma perspectiva acurada do próprio corpo. Entre aquelas que apresentaram percepção distorcida há uma tendência à distorção para menos peso. As mulheres mais jovens apresentaram maior distorção para mais peso do que as mais velhas e estas apresentaram distorção mais prevalente para menos peso. Não houve associações significativas para distorção para mais peso. Já o modelo de distorção para menos peso revelou associação entre as variáveis raça/cor e escolaridade, segundo o qual as mulheres pardas e pretas e menos escolarizadas têm mais chance de desenvolver distorção para menos peso do que as brancas e mais escolarizadas. Conclusão: Os resultados contribuem para a discussão sobre a percepção da imagem corporal associada a fatores socioeconômicos, sobretudo raça/cor e escolaridade, e da relação destes com a esfera da saúde das mulheres.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The perception of body image is a subjective construct that can influence people's lives in different spheres, especially health. It can be established according to an accurate or distorted view and, when it distorts, it can do so for both overweight and underweight, with consequences for physical and mental health. There are aspects of various orders that influence the perception of body image, and socioeconomic, lifestyle and health care factors are some of them. Objective: To estimate the prevalence of body image accuracy and distortion, as well as to investigate associations between body image distortion, socioeconomic characteristics, lifestyle and gynecological health care demand among Bahian women participating in the ELSA-Brasil cohort. Methods: A total of 609 women aged 50 to 69 years from the ELSA-Brasil cohort residing in Bahia participated in the study. The data were produced through questionnaires used in Wave 2 of the cohort, which allowed access to information related to the variables body image perception, socioeconomic characteristics and lifestyle, and another questionnaire that included questions about gynecological care, place of birth and of residence of the participants. The association measures were calculated using simple and multinomial logistic regression, which were computed using the Stata statistical software version 13. Results: Most participants have an accurate perspective of their own bodies. Among those who presented distorted perception, there is a tendency to distort for less weight. Younger women presented greater distortion for more weight than older women, and these presented more prevalent distortion for less weight. There were no significant associations for distortion to more weight. The distortion model for less weight revealed an association between the variables race/color and education, according to which brown and black women and less educated are more likely to develop distortion for less weight than white and more educated women. Conclusion: The results contribute to the discussion about the perception of body image associated with socioeconomic factors, especially race/color and education, and their relationship with the sphere of women's health.

12
  • Osiyallê Akanni Silva Rodrigues
  • A saúde da população em situação de rua: repercussões da Covid-19 e tuberculose em Salvador/BA e no Brasil nos anos de 2015 a 2020

  • Orientador : JOILDA SILVA NERY
  • MEMBROS DA BANCA :
  • OTAVIO TAVARES RANZANI
  • JOILDA SILVA NERY
  • SUSAN MARTINS PEREIRA
  • Data: 01/11/2022

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Este trabalho objetivou discutir os fatores associados ao insucesso do tratamento da tuberculose na população em situação de rua (PSR), entre os anos de 2015 e 2020 no Brasil; e descrever como parte da população em situação de rua de Salvador/BA enfrentou à COVID-19. Metodologia: Trata-se de uma dissertação composta por dois estudos: uma investigação epidemiológica de coorte retrospectiva sobre os fatores associados ao insucesso do tratamento da tuberculose na PSR no Brasil, no período de 2015 a 2020. Para isso, foi desenvolvida análise com dados individuais do Sistema de Informação de Agravos de Notificações da tuberculose (SINAN-TB). Análises foram conduzidas a partir de regressões de Cox entre exposição (pessoas em situação de rua), covariáveis independentes e como desfecho primário (insucesso ao tratamento da tuberculose) por meio do software RStudio versão 1.4.1717. O segundo artigo se refere a um relato de experiência sobre as atividades de prevenção à COVID-19 na PSR de Salvador/BA entre março e setembro de 2020 desenvolvidas pelo grupo “Nós Nas Ruas”, que foi formado por membros da comunidade acadêmica e associados ao Movimento Nacional População de Rua – Ba (MNPR-BA). O trabalho desenvolvido ocorreu por meio de práticas da educação em saúde sobre os riscos e estratégias de prevenção à doença, aliadas às ações emergenciais de distribuição de itens de higiene pessoal. Resultados: no manuscrito sobre insucesso ao tratamento da tuberculose, observou-se que a PSR tem maior risco de não concluir a terapia em comparação aos demais casos de TB. Entre as pessoas em situação de rua, fatores como transtorno mental, uso de drogas ilícitas e não receber o tratamento diretamente observado (TDO) estão associados ao insucesso do tratamento. Quanto ao segundo artigo, 15.800 de pessoas em situação de rua e em vulnerabilidade social participaram das ações de educação em saúde contra a COVID-19, sendo que houve também a distribuição de 8.700 kits com itens de higiene pessoal e 5.000 máscaras de tecido. Conclusões: a PSR é um segmento marginalizado que sofre da falta de assistência da sociedade e do poder público, o que direciona para piores prognósticos em saúde. Neste sentido, estratégias intersetoriais são necessárias para qualificar o tratamento da TB e atenuar os efeitos da pandemia de COVID-19 entre a PSR. A integração entre sociedade, profissionais da rede socioassistencial, comunidade científica e movimento social é importante para contribuir com as melhorias das condições de vida desse segmento populacional.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: This study aimed to discuss the factors associated with the unsuccessful tuberculosis treatment in the homeless population (HP), between the years 2015 and 2020 in Brazil; and describe how part of the homeless population of Salvador/BA faced COVID-19.Methodology: This is a dissertation composed by two studies: a retrospective cohort epidemiological investigation on the factors associated with the unsuccessful tuberculosis treatment in HP in Brazil, from 2015 to 2020. For this, an analysis was developed with individual data of the Information System of Diseases of Notifications of Tuberculosis (SINAN-TB). Analyzes were conducted using Cox regressions between exposure (homeless people), independent covariates, and primary outcome (unsuccessful TB treatment) using RStudio software version 1.4.1717. The second article refers to an experience report on COVID-19 prevention activities in the HP of Salvador/BA between March and September 2020 developed by the group “Nós Nas Ruas”, which was formed by members of the academic community and associates. to the National Movement of the Street Population – Ba (MNPR-BA). The work developed took place through health education practices on risks and disease prevention strategies, combined with emergency actions for the distribution of personal hygiene items. Results: in the manuscript on unsuccessful tuberculosis treatment, it was observed that HP has a higher risk of not completing therapy compared to other TB cases. Among homeless people, factors such as mental disorder, illicit drug use and not receiving directly observed treatment (DOT) are associated with unfavorable treatment. As for the second article, 15,800 homeless and socially vulnerable people participated in health education actions against COVID-19, and 8,700 kits with personal hygiene items and 5,000 fabric masks were also distributed. Conclusions: HP is a marginalized segment that suffers from the lack of assistance from society and the public power, which leads to worse health prognoses. In this sense, intersectoral strategies are necessary to qualify TB treatment and mitigate the effects of the COVID-19 pandemic among PSR. The integration between society, professionals from the social assistance network, the scientific community and the social movement is important to contribute to improving the living conditions of this population segment.

Teses
1
  • VALQUIRIA LIMA CAVALCANTI
  • POLÍTICAS DE PREVENÇÃO E EFEITOS SOBRE A EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO BENZENO

  • Orientador : VILMA SOUSA SANTANA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VILMA SOUSA SANTANA
  • CARLOS ANTONIO DE SOUZA TELES SANTOS
  • TANIA MASCARENHAS TAVARES
  • DANILO FERNANDES COSTA
  • JORGE MESQUITA HUET MACHADO
  • MARIA JULIANA MOURA CORRÊA
  • Data: 04/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • Contexto - O benzeno é reconhecido mundialmente como cancerígeno para humanos desde 1982. Isso impulsionou a formulação e implementação de políticas de prevenção a partir de Convenções da Organização Internacional do Trabalho. O Brasil produz e emprega amplamente o benzeno em vários processos produtivos, resultando em grande número de trabalhadores potencialmente expostos. Em 1995, a Norma Regulamentadora 15, Anexo 13-A, do Ministério do Trabalho, MT, estabeleceu a implantação compulsória de Programas de Prevenção da Exposição Ocupacional ao Benzeno (PPEOB). Mais tarde a Portaria MT 34/2001 definiu o uso do ácido trans trans mucônico (AttM-U) como biomarcador da exposição ao benzeno. Decorridos 25 anos ainda são pouco conhecidos os efeitos dessa Política na exposição ocupacional a esse agente.
    Objetivo geral – descrever os avanços no mundo e, no Brasil, os efeitos ds política de prevenção sobre a exposição ocupacional ao benzeno.
    Objetivos específicos – 1) Estudo 1: sistematizar o conhecimento sobre o impacto de políticas de prevenção sobre a exposição ao benzeno no mundo; 2) Estudo 2- investigar a adoção da NR15 Anexo 13-A por meio do grau de implantação do PPEOB segundo componentes, dimensões e subdimensões, em algumas empresas do Brasil; 3) Estudo 3- verificar os efeitos nos níveis de exposição, analisada por um marcador biológico o ácido trans-trans-mucônico.
    Métodos – Estudo 1: Revisão sistemática de estudos observacionais ou revisões de literatura por meio de publicações de 2000 a 2020 buscadas na Web of Science, PUBMED, BVS, SCIELO, LILACS, EMBASE, (PROSPERO registro no CRD42020198470 . Estudo 2. Estudo pré-pós realizado com documentos e bases de dados para os anos 2000 e 2017, em indústrias que empregam benzeno. Dados provêm de uma lista de verificação, elaborada por uma Comissão Tripartite, empregado pelos auditores do MT, em inspeções acompanhadas por membros dos GTB e técnicos das empresas, para avaliar a implantação das ações de prevenção e controle previstas naregulamentação do benzeno no qual foram identificadas dimensões, subdimensões e variáveis componentes. Cada variável foi respondida com 0=não implantado, 1=implantado parcialmente e 2 = implantado totalmente, empregados para estimar escores com a soma não-ponderada dos pontos correspondentes às variáveis O grau de implantação corresponde à proporção alcançada do escore máximo possível. A diferença pré-post foi analisada com a variação proporcional percentual (VPP%) do grau de implantação ao longo do tempo de estudo. Estudo 3. O desenho é transversal seriado conduzido com documentos e bases de dados do PPEOB entregues ao MT por empresas supervisionadas, semestralmente, no período de 2012 a 2017. Todas as empresas sob inspeção do MT de um estado (N=9) com dados disponíveis foram estudadas. Definiu-se como expostos ao benzeno tiveram medidas do IBE maior ou igual a 0,5 mg/g de creatinina.
    Resultados
    Estudo 1. Foram selecionados 25 artigos que se concentravam em países europeus e da América do Norte. Concentrações médias de benzeno no ar e no IBE declinaram, a partir da metade da década de 1980 até o final do período do estudo. Na China e Coréia (n=7; 27%) o declínio contou com flutuações. Houve diferenças nas tendências de acordo com a ocupação e empresas, ainda que fossem do mesmo ramo de atividade. Fatores associados ao declínio foram: redução nos limites permitidos de exposição ocupacional, mudanças regulatórias e a adoção de medidas tecnológicas. Estudo 2. Das nove empresas quase metade (n = 4) evoluiu positivamente na implantação do PPEOB, mais comumente com a adoção de Soluções Tecnológicas para Proteção Coletiva; três não avançaram no conteúdo técnico do PPEOB e duas reduziram o grau de PPEOB, tanto no escopo quanto na qualidade do monitoramento da exposição ao benzeno e na participação dos trabalhadores, com evolução positiva nas outras subdimensões. Estudo 3- Dos 1.058 trabalhadores com medidas do IBE entre 2012 e 2017, no ano base de 2012, houve expostos em cada uma das empresas, o que se reduziu no último ano do estudo (2017) para apenas uma delas. Consistentemente, a maior proporção de expostos ocorreu naquelas de evolução negativa da implementação do PPEOB. As características dos dados disponíveis comprometeram as conclusões.
    Conclusão: Estudo 1- Evidências científicas mostram declínio nos níveis de concentrações de benzeno nos ambientes laborais, com variações entre países, empresas e ocupações. Estudo 2 - Apesar do pequeno número e representatividade limitada das empresas, os achados mostram avanços no grau de implantação das medidas de controle da exposição ao benzeno em quase metade das empresas, muito embora, apesar do monitoramento do MT, 1/3 não avançou expressivamente. Estudo 3 - Embora com limitações metodológicas, este estudo avança no conhecimento sobre a exposição ocupacional ao benzeno em empresas do Brasil em uma fase posterior a implantação de uma nova regulamentação. Os estudos existentes no país são escassos, e se concentram em um momento anterior a publicação do Anexo 13a da NR15, abordando os efeitos sobre a saúde dos trabalhadores. Neste sentido, esta análise inova por revelar os níveis de exposição ao benzeno que trabalhadores em ocupações e empresas diversas estão sujeitos. Essas informações podem ser valiosas para subsidiar discussões sobre melhorias da política de prevenção da exposição ao benzeno no país. Entretanto, no geral, as conclusões do estudo 2 e 3 apresentam diversos limites devido a: 1) os dados não foram planejados para uma pesquisa, são oriundo de bases de dados do MT e das empresas, para as quais a autora teve permissão de acesso; 2) os dados de mensurações de IBE, utilizados no artigo 3, são de responsabilidade das empresas, relativos ao cumprimento de uma norma legal, (potencial conflito de interesses); 3) a amostra não foi probabilística ou representativa, nem pautada pelo requerido poder estatístico do estudo, para permitir inferências populacionais ainda que fosse para cada empresa separadamente; 4) Embora as auditorias do MT fossem realizadas com periodicidade bienal, o processo de implantação de medidas de controle, particularmente das soluções tecnológicas, ocorre em médio ou longo prazo, por esse motivo, no Estudo 2, optou-se por utilizar os dados da primeira auditoria realizada após a nova regulamentação do benzeno, e da última, com intervalo de 17 anos entre as medidas do pré e da pós. Esse grande intervalo, limita as conclusões/inferências desse Estudo 2, especificamente. 6) os dados disponíveis para o estudo 3 são esparsos com intervalos longos sem registros e, quando surgem são poucos, concentrando-se em algumas medidas que se repetem dificultando a análise das medidas de natureza contínua do IBE; 7) devido a grande diferença entre as empresas e os dados faltantes que se concentraram em algumas dificultam análise conjunta dos dados conjuntamente.
    Apesar das limitações, os resultados obtidos permitiram constatar que, embora com evolução positiva na implantação política de prevenção em quase metade das empresas avaliadas, ainda foram constatados níveis de exposição ao benzeno que ultrapassam os valores de referência em todas as empresas incluídas nesse estudo, nos anos de 2012 a 2015. Estes resultados são expressivos, especialmente por se tratar da primeira avaliação quantitativa após o marco regulamentador de prevenção da exposição ocupacional ao benzeno. Sugere-se a divulgação e devolução entre auditores, trabalhadores e no meio acadêmico, enfatizando-se o necessário caminhar na garantia dos direitos dos mais vulneráveis.


  • Mostrar Abstract
  • Context - Benzene has been recognized worldwide as a carcinogen to humans since 1982. This spurred the formulation and implementation of prevention policies based on Conventions of the International Labor Organization. Brazil produces and widely employs benzene in various production processes, resulting in a large number of potentially exposed workers. In 1995, Regulatory Standard 15, 13a, of the Ministry of Labor, MT, established the compulsory implementation of Programs for the Prevention of Occupational Exposure to Benzene (PPEOB). Later MT defined the use of trans-mucic acid (ttMA) as a biomarker of benzene exposure. After 25 years, the effects of this Policy on occupational exposure to this agent are still unknown.
    Objective – to describe the advances in the world and, in Brazil, of the prevention policies effects on benzene occupational exposure.
    Specific objectives – 1) Study 1: systematize knowledge about the impact of prevention policies on benzene exposure in the world; 2) Study 2- investigate the adoption of NR15, 13a through the degree of implementation of the PPEOB according to components, dimensions and subdimensions, in some companies in Brazil; 3) Study 3- verify the effects on exposure levels, analyzed by a biological marker - trans-mucic acid.
    Methods – Study 1: Systematic review of observational studies or literature reviews through publications from 2000 to 2020 sought in Web of Science, PUBMED, VHL, SCIELO, LILACS, EMBASE. Study 2. Pre-post study conducted with documents and databases for the years 2000 and 2017, in industries that employ benzene. Data come from a checklist, drawn up by a Tripartite Commission, employed by the auditors of the MT, inspections accompanied by members of the GTB and technicians of the companies, to evaluate the implementation of the prevention and control actions provided for in the regulation of benzene in which dimensions, subdimensions and component variables were identified. Each variable was answered with 0=not implanted, 1=partially implanted and 2 = fully implanted, used to estimate scores with the unweighted sum of the points corresponding to the variables The degree of implantation corresponds to the proportion achieved of the maximum possible score. The pre-post difference was analyzed with the proportional percentage variation (PPV%) of the degree of implantation over the study time. Study 3. The design is cross-sectional ly conducted with PPEOB documents and databases delivered to the MT by companies inspected every six monthsfrom 2012 to 2017. All companies under inspection of the MT of a state (N=9) with available data were studied. It was defined as exposed to benzene trabalhadores with measurements of EI greater than or equal to 0.5 mg/g of creatinine.
    Findings
    Study 1. Twenty-five articles were selected that focused on European and North American countries. Average concentrations of benzene in the air declined from the mid-1980s to the end of the study period. In China and Korea, the decline had fluctuations. There were differences in trends according to occupation and companies, even if they were in the same branch of activity. Factors associated with the decline were: reduction in the permitted limits of occupational exposure, regulatory changes and the adoption of technological measures. Study 2. Of the nine companies almost half (n = 4) evolved positively in the implementation of the PPEOB, most commonly with the adoption of Technological Solutions for Collective Protection; three presented variable evolution (positive, negative and stationary), according to the subdimensions and two presented some subdimensions with negative evolution and scope as well as quality of monitoring of benzene exposure. Study 3- Of the 1,058 workers with IBE measures between 2012 and 2017, in the base year of 2012, there were exposed in each of the companies, which was reduced in the last year of the study (2017) to only one of them. Consistently, the highest proportion of exposed occurred in those of negative evolution of the implementation of the PPEOB. The characteristics of the available data compromised the conclusions.
    Conclusion: Study 1- scientific evidence shows a decline in the levels of benzene concentrations in the work environments, with variations between countries, companies, and occupations. Study 2 - Despite the small number and limited representativeness of the companies, the findings show advances in the degree of implementation of measures to control benzene exposure in almost half of the companies, although, despite the inspections, 1/3 did not advance significantly. Although the inspections were carried out on a biennial basis, the process of implementing control measures, particularly technological solutions, occurs in the medium or long term, for this reason, in Study 2, we chose to use the data of the first audit performed after the new regulation of benzene, and the last, with an interval of 17 years between the pre and post measures. This large interval limits the conclusions/inferences of this study, specifically. Study 3 - Although with methodological limitations, this study advances knowledge about occupational exposure to benzene in Brazilian companies at a later stage the implementation of a new regulation. Brazilian studies are scarce and focus on a time prior to the publication of new regulation. So, this analysis innovates by revealing the levels of exposure to benzene that workers in occupations and various companies are subject. This information can be valuable to support discussions on improvements in the policy of preventing benzene exposure in the country. However, in general, the conclusions of study 2 and 3 present several limits due to: 1 ) the data were not planned for one of the research, they come from the databases of the MT and the companies, for which the author was allowed access; 2)the data of IBE measurements, used in Article 3, are the responsibility of the companies, relating to compliance with a legal standard, (potential conflict of interest); 3)the sample was not probabilistic or representative, nor guided by the required statistical power of the study, to allow population inferences even if it were for each company separately; 4)the data available for study 3 are sparse with long intervals without records and focusing on some repeated measures making it difficult to analyze the measures of continuous nature; 5) due to the large difference between companies and missing data that have focused on some difficult joint analysis of the data. Despite the limitations, the results obtained showed that, although with positive evolution in the implementation of prevention policy in almost half of the evaluated companies, situations of exposure to benzene still persist in all companies included in this study. These results are significant, especially since it is the first quantitative evaluation after the regulatory framework for the prevention of occupational exposure to benzene. It is suggested the dissemination and return among auditors, workers and in the academic environment, emphasizing the necessary walk in ensuring the rights of the most vulnerable.

2
  • MARCELO MACHADO DE ALMEIDA
  • Transtorno Depressivo Maior e Sofrimento Social entre Mulheres Transexuais e Travestis na Região Nordeste do Brasil

  • Orientador : MARIA INES COSTA DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • Alexandre Costa Val
  • MARK DREW CROSLAND GUIMARÃES
  • LAIO MAGNO SANTOS DE SOUSA
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • MARIA INES COSTA DOURADO
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • Data: 09/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O transtorno depressivo maior (TDM) é um dos transtornos mentais de maior prevalência, sendo que, nas mulheres transexuais e travestis (MT), é ainda mais prevalente do que na população geral. Estudos apontam que se fazem necessárias intervenções no sentido de diminuir os estressores psicossociais e promover a resiliência entre pessoas trans, o que pode prevenir sintomatologia psiquiátrica. Não obstante a importância de abordar a questão dentro de uma ótica da saúde no sentido biomédico, a complexidade do problema exige uma compreensão mais profundada do problema. Dentro da antropologia médica, existe o conceito de sofrimento social que se relaciona intimamente com as noções de injustiça e vulnerabilidade. Assim, este estudo pretendeu investigar fatores associados a sintomas de transtorno depressivo maior (STDM) entre MT, além de buscar identificar experiências de sofrimento social de acordo com as histórias de vida narradas pela população do estudo. Para responder esses objetivos, utilizamos uma abordagem mista de métodos quantitativos e qualitativos. Para a produção dos dados quantitativos, foram recrutadas 864 MT das cidades de Salvador (166), Recife (350) e Fortaleza (348). As participantes foram recrutadas pelo método Respondent Driven Sampling (RDS). A variável de desfecho do estudo- STDM - foi definida a partir do Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) e categorizada em nenhum (escore <5 pontos), leve/moderado (escore 5-14 pontos), e moderadamente severo/severo (escore 15-27 pontos). Inicialmente foi feito uma análise exploratória, seguido de uma análise confirmatória com seleção da variável violência física como exposição principal. Os dados qualitativos foram obtidos através de entrevistas narrativas com 15 das participantes do sítio de Salvador-BA. As narrativas foram organizadas de acordo com os seus pontos de conexão e de divergência, levando em conta as suas singularidades e o contexto social em que foram produzidas. Nesse processo estabelecemos quatro eixos principais de análise – violência, sofrimento social, acesso aos serviços de saúde e estratégias de (re) existências. Na análise exploratória, STDM leve/moderado esteve associado com história de violência sexual (OR= 2,06, 95%IC: 1,15-3,68), história de violência física (OR= 2,09, 95%IC: 1,20-3,67), percepção negativa da qualidade de vida (OR= 2,14, 95%IC: 1,31-3,49). Já STDM moderadamente severo/severo esteve associado a história de violência sexual (OR=3,02, 95%IC: 1,17-7,77), história de violência física (OR=.3.62, 95% IC:1.88-7,00) epercepção negativa da qualidade de vida (OR= 3,32, 95%IC:1,804-6,12), falta de apoio social atual (OR=2,53, 95%IC: 1,31-4,88), e falta de apoio social na infância (OR=2,17, 95%IC 1,16-4,05). Na análise confirmatória, as MT que sofreram violência física tiveram o dobro de chances de apresentar transtorno depressivo maior leve/moderado (OR= 2,10, IC95% 1,21-3,65), e quase quarto vezes mais chances de apresentar transtorno depressivo maior moderadamente severo/severo (OR=3,80, IC95% 1,99-7,25). As narrativas das entrevistadas evidenciaram uma multiplicidade heterogênea de realidades que são permanentemente constituídas a partir da interação entre diversos atores/actantes humanos e não humanos. O seguimento desses emaranhados – que se constituem e são constituídos a cada momento – nos permitiu a aproximação de formas de violência e de subjetivação do sofrimento que nem sempre são exploradas em investigações envolvendo MT. São necessárias políticas públicas que levem em consideração as especificidades da população de MT no âmbito da saúde mental e a característica difusa e trivializada do sofrimento social, no sentido de mitigar os seus efeitos, tanto através do enfraquecimento de contextos desfavoráveis, como no estímulo às possibilidades de agência dessas mulheres. Dentro do contexto da atenção em saúde, melhorando o acesso de travestis e mulheres trans aos serviços de saúde, evidentemente. Mas, para além disso, melhorando o acesso à saúde dentro de uma perspectiva mais ampliada de promoção da saúde e melhoria da qualidade de vida.


  • Mostrar Abstract
  • Major depressive disorder is one of the most prevalent mental disorders, and in transgender women and transvestis (TGW) it is even more prevalent than in the general population. Studies point out that interventions are needed to reduce psychosocial stressors and promote resilience among transgender people, which can prevent psychiatric symptoms. Notwithstanding the importance of approaching the issue from a health perspective in the biomedical sense, the complexity of the problem requires a deeper understanding of the issue. Within medical anthropology, there is the concept of social suffering that is closely related to the notions of injustice and vulnerability. Therefore, we aimed to investigate factors associated with symptoms of major depression disorder (SMDD) among TGW, as well as to identify experiences of social suffering according to the life stories narrated by the studied population. In order to achieve this, we used a mixed approach of quantitative and qualitative methods. For the production of the quantitative data we recruited 864 TGW from the cities of Salvador (166), Recife (350) and Fortaleza (348). The participants were recruited by the Respondent Driven Sampling (RDS) method. The outcome variable of the study - SMDD - was defined as per the Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) and categorized into three groups: absence (score <5 points), mild/moderate (score 5-14 points) and moderately severe/severe depressive symptoms (score 15-27 points). Initially, an exploratory analysis was conducted followed by a confirmatory analysis with selection of the physical violence variable as the main exposure. Qualitative data were obtained through narrative interviews with 15 individuals out of the participants of the Salvador-BA site. The narratives were organized according to their points of connection and divergence, taking into account their singularities and the social context in which they were produced. In this process, we established four main axes of analysis - violence, social suffering, access to health services and strategies for (re)existing. In the exploratory analysis, mild/moderate SMDD was associated with history of sexual violence (OR= 2.06, 95%CI: 1.15-3.68), history of physical violence (OR= 2.09, 95%CI: 1.20-3.67), and negative perception of quality of life (OR= 2.14, 95%CI: 1.31-3.49). Moderately severe/severe SMDD was associated with history of sexual violence (OR=3.02, 95%CI: 1.17-7.77), history of physical violence (OR=.3.62, 95% CI:1.88-7.00), negative perceived quality of life (OR= 3.32, 95%CI:1.804-6.12), lack of current social support (OR=2.53, 95%CI: 1.31-4.88), and lack of social support in childhood (OR=2.17, 95%CI 1.16-4.05). In the confirmatory analysis The TGW who experienced physical violence were twice as likely to have mild/moderate major depressive disorder (OR=2.10, 95%CI 1.21-3.65), and almost four times as likely to have moderately severe/severe major depressive disorder (OR=3.80, 95% CI 1.99-7.25). The interviewees' narratives evidenced a heterogeneous multiplicity of realities that are permanently constituted with basis on the interaction between various human and non-human actors/actants. Following these entanglements - which constitute and are constituted every moment - allowed us to get close to forms of violence and suffering subjectivation that are not always explored in investigations involving TGW. Public policies are needed, which take into account the specificities of the population of TGW in the context of mental health and the diffuse and trivialized characteristic of social suffering. This is necessary in order to mitigate its effects, both through the weakening of unfavorable contexts and the stimulation of the possibilities of these women’s acting. Obviously, within the context of health care, by improving access to health services for TGW, but beyond that by improving access to health care within a broader perspective of health promotion and improved quality of life.

3
  • ALESSIVANIA MARCIA ASSUNCAO MOTA
  • Análise da implementação da Política Nacional de Saúde Mental no período 2001-2018: fatos, debates e controvérsias.

  • Orientador : CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVINO OLIVEIRA SANCHES FILHO
  • ANA MARIA FERNANDES PITTA
  • CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • Data: 18/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por objetivo analisar a implementação da Política Nacional de Saúde Mental (PNSM), em âmbito nacional, no período 2001 a 2018. Trata-se de um estudo de caso único, de caráter exploratório e analítico que tomou como objeto o processo de implementação da PNSM , nos governos FHC (2001-2002), Lula (2003-2010), Dilma (2011-2016) e Temer (2016-2018), enfatizando a análise das ações realizadas pela Coordenação Nacional de Saúde Mental do Ministério da Saúde e as ações e posicionamento das distintas entidades que compõem o Movimento Social organizado em torno da Reforma Psiquiátrica Brasileira, representado na Comissão Intersetorial de Saúde Mental do Conselho Nacional de Saúde. O referencial teórico articula conceitos extraídos do Neoinstitucionalismo, especialmente o Modelo de Coalizão de Defesa e conceitos oriundos do Pensamento Estratégico em Saúde. A pesquisa empírica utilizou dados primários e secundários, obtidos através de análise documental– leis, normas, portarias, resoluções, relatórios de gestão, relatórios das Conferências nacionais de saúde mental e atas de reuniões, recomendações, moções do Conselho Nacional de Saúderelativos à PNSM e entrevistas com informantes chave, vinculados aos principais movimentos nacionais ligados, tanto à perspectiva da reforma psiquiátrica quanto a perspectiva da contrarreforma psiquiátrica, além de um representante da Coordenação Nacional de Saúde Mental, de um dos períodos de estudo. Os resultados são apresentados segundo as seguintes dimensões: Fundamentos, objetivos e estratégias da PNSM; Constituição e dinâmica da Coordenação de SM do MS; Processo de implementação da Política de SM 2001-2018; Participação do Conselho Nacional de Saúde no processo de implementação da PNSM (2001-2018); Debates e controvérsias em torno do processo de implementação da PNSM. A análise dos resultados evidencia que a implementação da PNSM sofreu inflexões ao longo dos distintos governos, no período analisado, os quais
    imprimiram contornos e ritmos particulares às ações de gestão, financiamento, protagonismo social, implantação e expansão de serviços através de atos normativos adotados em consonância com a conjuntura macroeconômica, mas, principalmente, com o posicionamento ético-político ideológico sobre o fenômeno da loucura e saúde mental prevalente na gestão da Política. Ainda assim, a PNSM, tal como foi implementada, representou, em grande parte do período analisado, um importante avanço na concepção de loucura historicamente construída no país, bem como nas formas de cuidado e atenção a população com transtorno mental, sofrimento psíquico e uso abusivo de álcool e outras drogas. Considerando que os atores constitutivos das distintas coalizões atuaram como “guardiões” dos princípios e projetos estruturantes de cada uma delas, conclui-se que o Estado e o sistema público de saúde (SUS), em particular, configurou-se como um espaço em permanente tensão pela coexistência de um projeto de reforma da atenção à saúde mental fundada na universalidade e integralidade do cuidado, através da RAPS e o projeto privatista, medicalizante, hospitalocêntrico e excludente, tradicionalmente hegemônico e resistente ao processo de Reforma Psiquiátrica Brasileira.


  • Mostrar Abstract
  • The present work aims to analyze the implementation of the National Mental Health Policy (PNSM), at the national level, from 2001 to 2018. It is a single case study, of an exploratory and analytical nature, which took as its object the process implementation of the PNSM, in the FHC (2001-2002), Lula (2003-2010), Dilma (2011-2016) and Temer (2016-2018) governments, emphasizing the analysis of the actions carried out by the National Coordination of Mental Health of the Ministry of Health. Health and the actions and positioning of the different entities that make up the Social Movement organized around the Brazilian Psychiatric Reform, represented in the Intersectoral Commission on Mental Health of the National Health Council. The theoretical framework articulates concepts extracted from Neo-institutionalism, especially the Coalition Model of Defense and concepts derived from Strategic Thinking in Health. The empirical research used primary and secondary data, obtained through document analysis – laws, norms, portarias, resolutions, management reports, reports of the National Mental Health Conferences and minutes of meetings, recommendations, motions of the National Health Council - related to the PNSM and interviews with key informants, linked to the main national movements linked, both to the perspective of reform psychiatric and the perspective of the psychiatric counter-reform, in addition to a representative of the National Coordination of Mental Health, from one of the study periods. The results are presented according to the following dimensions: Fundamentals, objectives and strategies of the PNSM; Constitution and dynamics of the MS Coordination; SM Policy implementation process 2001-2018; Participation of the National Health Council in the PNSM implementation process (2001-2018); Debates and controversies around the PNSM implementation process. The analysis of the results shows that the implementation of the PNSM suffered inflections during the different governments in the analyzed period, which gave specific contours and rhythms to the actions of management, financing, social protagonism, implementation and expansion of services through normative acts adopted in in line with the macroeconomic situation, but mainly with the ethical-politicalideological position on the phenomenon of madness and mental health prevalent in the management of the Policy. Even so, the PNSM, as it was implemented, represented, for most of the analyzed period, an important advance in the conception of madness historically constructed in the country, as well as in the forms of care and attention to the population with mental disorders, psychological suffering and use, abuse of alcohol and other drugs. Considering that the constitutive actors of the different coalitions acted as “guardians” of the structuring principles and projects of each of them, it is concluded that the State and the public health system (SUS), in particular, has been configured as a space in permanent tension. by the coexistence of a mental health care reform project based on the universality and integrality of care, through the RAPS and the privatist, medicalizing, hospital-centric and excluding project, traditionally hegemonic and resistant to the Brazilian Psychiatric Reform process.

4
  • JOÃO MENDES DE LIMA JUNIOR
  • Análise da implantação da política de saúde mental na Bahia: o processo de transição do modelo assistencial entre 2001 e 2021.

  • Orientador : MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROBERTO TYKANORI KINOSHITA
  • ANA PAULA FREITAS GULJOR
  • ANA MARIA FERNANDES PITTA
  • LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 16/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Passados 20 anos da aprovação da Lei Federal 10.216, marco da reorientação do modelo assistencial em saúde mental no Brasil, faz-se necessária uma avaliação sobre a implantação da política de saúde mental, álcool e outras drogas na Bahia. Importa saber como ocorreu a implantação dessa política, quais as características do contexto, qual a dinâmica e quais resultados foram alcançados. Esse estudo objetivou ‘analisar a implantação da política de saúde mental entre 2001 e 2021 considerando a transição do modelo hospitalocêntrico para o modelo de atenção psicossocial, tendo como unidades de análise o contexto estadual da Bahia’. A reorientação do modelo assistencial teve como fundamento teórico-prático a ‘desinstitucionalização’, compreendida como um conjunto de ações administrativas, operacionais, gerenciais, interpessoais, que gradualmente modificam os modos de lidar com o louco e com a loucura. Essa pesquisa se caracteriza como um estudo de caso sobre a política de saúde mental da Bahia. Com uma metodologia descritivo-explicativa, fez-se uma combinação de dados quantitativos e qualitativos. Trabalhou-se uma triangulação de métodos. As principais fontes foram: leis e portarias, bancos de dados oficiais da política de saúde, instrumentos de gestão da saúde, arquivos de instituições do campo da saúde mental e consultas à órgãos públicos. Com base no modelo-lógico da Política de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas de âmbito nacional (PSMAD), analisou-se duas dimensões: a dimensão político-gerencial e a dimensão técnico-assistencial. Averiguou-se os componentes da política e a imagem-objetivo preconizada, comparando o desfecho local e os parâmetros nacionais. Partiu-se da hipótese de que, na Bahia, a gestão estadual de saúde teve baixa capacidade de indução para implantação de uma política com a complexidade da PSMAD. A análise do ‘modelo político’ permitiu caracterizar o suporte que os agentes da implantação (operadores da política) ofereceram para a operacionalização desse processo. Os resultados apontam que a Bahia configurou um modelo híbrido, compósito, um combinado de paradigmas heterogêneos, onde os serviços comunitários, nascidos da Reforma Psiquiátrica Brasileira, coexistem com antigos serviços como os hospitais psiquiátricos e as Comunidades Terapêuticas. Na dimensão técnico-assistencial, verificou-se avanços e insuficiências. Entre 2005 e 2021, a Bahia reduziu 80,11% dos leitos em hospitais psiquiátricos, ao tempo em que tem atualmente 264 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) habilitados em 211 municípios. Com isso, na Bahia, a média de CAPS por 100.000 habitantes é de 1,18, proporcionalmente maior que a média do Brasil, que era de 1,04 no ano de 2021. Entretanto, na Bahia há significativa insuficiência de muitos dos serviços da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS); há baixa cobertura de CAPS III, CAPS AD e CAPS IA. É também insuficiente o número de Unidades de Acolhimento, Centros de Convivência, empreendimentos de economia solidária em saúde mental, etc. Verificou-se baixa articulação entre os CAPS, os serviços da Atenção Básica e os serviços da Rede de Urgência e Emergência. Salvador tem média de cobertura de serviços de saúde mental abaixo da média do Brasil e da Bahia, além de ser baixa a integração entre os serviços existentes. Na dimensão político-gerencial, verificou-se que a gestão estadual de saúde teve baixa capacidade de ‘condução ou direção’ –capacidade de governo- para superar os impasses decorrentes da reorientação de um modelo assistencial com a complexidade da reforma psiquiátrica. Isso confirma a hipótese inicial. Mesmo reconhecendo as importantes transformações ocorridas nesse período, pode-se concluir que, na Bahia, a reorientação do modelo assistencial em saúde mental atualmente é um processo inacabado. A imagem-objetivo dessa política foi alcançada de modo parcial, com déficits em vários aspectos: cobertura assistencial, intersetorialidade, formação, diversificação da oferta, ações de reinserção psicossocial, etc. Sugere-se o aprimoramento dos dispositivos gerenciais e assistenciais para que se avance na mudança do paradigma da desinstitucionalização.


  • Mostrar Abstract
  • After twenty years the approval of the Federal Law 10,216, a landmark of the reorientation of the mental health care model in Brazil, it is necessary to evaluate the implementation of the policy of mental health, alcohol and other drugs in Bahia. It is important to know how the implementation of this policy occurred, what were the characteristics of the context, what were the dynamics and what results were achieved. This study aimed to 'analyze the implementation of the mental health policy between 2001 and 2021, considering the transition from the hospital-centered model to the psychosocial care model, having as units of analysis the state context of Bahia'. The reorientation of the care model had as theoretical and practical foundation the 'deinstitutionalization', understood as a set of administrative, operational, managerial, interpersonal actions, which gradually modify the ways of dealing with the insane and with madness. This research is characterized as a case study on the mental health policy of Bahia. With a descriptive-explanatory methodology, we combined quantitative and qualitative data. A triangulation of methods was used. The main sources were: laws and ordinances, official health policy databases, health management instruments, archives of institutions in the mental health field, and consultations with public organs. Based on the logic model of the National Policy of Mental Health, Alcohol and other Drugs (PSMAD), two dimensions were analyzed: the political-managerial dimension and the technical-assistance dimension. The components of the policy and the advocated image-objective were analyzed, comparing the local outcome and the national parameters. It was assumed that, in Bahia, the state health management had low induction capacity to implement a policy with the complexity of the PSMAD. The analysis of the 'political model' allowed us to characterize the support that the agents of implementation (policy operators) offered for the operationalization of this process. The results indicate that Bahia has configured a hybrid model, composite, a combination of heterogeneous paradigms, where community services, born from the Brazilian Psychiatric Reform, coexist with old services such as psychiatric hospitals and Therapeutic Communities. In the technical-assistance dimension, there were advances and shortcomings. Between 2005 and 2021, Bahia reduced 80.11% of the beds in psychiatric hospitals, while it currently has 264 Centers for Psychosocial Attention (CAPS) enabled in 211 municipalities. Thus, in Bahia, the average number of CAPS per 100,000 inhabitants is 1.18, proportionally higher than the average in Brazil, which was 1.04 in the year 2021. However, in Bahia there is significant insufficiency of many of the services of the Psychosocial Care Network (RAPS); there is low coverage of CAPS III, CAPS AD, and CAPS IA. The number of Reception Units, Living Together Centers, mental health solidarity economy enterprises, etc. is also insufficient. It was verified a low articulation among the CAPS, the Primary Care services, and the Urgency and Emergency Network services. Salvador has an average coverage of mental health services below the average of Brazil and Bahia, besides the low integration among the existing services. In the political-managerial dimension, it was verified that the state health management had a low capacity of 'conduction or direction' -government capacity- to overcome the impasses resulting from the reorientation of a care model with the complexity of the psychiatric reform. This confirms the initial hypothesis. Even recognizing the important transformations that took place in this period, it can be concluded that, in Bahia, the reorientation of the mental health care model is currently an unfinished process. The image-objective of this policy was reached in a partial way, with deficits in several aspects: care coverage, intersectoriality, training, diversification of supply, psychosocial reinsertion actions, etc. It is suggested that the management and assistance devices be improved in order to advance in the change of the deinstitutionalization paradigm.

5
  • ANA GABRIELA LIMA BISPO DE VICTA
  • Uma etnografia de um serviço extra hospitalar a mulheres em situação de abortamento “humanizado” em uma maternidade pública do nordeste brasileiro

  • Orientador : CECILIA ANNE MCCALLUM
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALBERTO PEREIRA MADEIRO
  • CECILIA ANNE MCCALLUM
  • ESTELA MARIA MOTTA LIMA LEAO DE AQUINO
  • GREICE MARIA DE SOUZA MENEZES
  • LEILA ADESSE
  • Data: 02/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Trata-se de uma etnografia sobre o Programa Atenas - serviço contra hegemônico (ao modelo vigente nacional) e “humanizado” de atenção a mulheres em situação de abortamento (provocado ou espontâneo), de uma maternidade pública do nordeste - e os sujeitos envolvidos (participantes e profissionais) na iniciativa. A literatura científica aponta que o modelo de atenção ao abortamento proposto pela Norma Técnica ministerial de 2005/2011 não está sendo acatado pelos serviços de saúde. Há ênfase no componente técnico, desvalorização da relação profissional-usuária, pouca participação das mulheres nas decisões acerca da sua saúde sexual e reprodutiva, e negligência do planejamento reprodutivo. Diante desta problemática, o Programa Atenas surge como uma proposta alternativa a tal modelo. Norteado por princípios da humanização e pela referida norma técnica, o Programa Atenas propunha uma abordagem multiprofissional (intra e extra hospitalar) às mulheres em situação de aborto na maternidade estudada. Entre julho e setembro de 2018, além da observação participante, foram aplicadas entrevistas semiestruturadas com 16 integrantes do programa e 35 profissionais da instituição, dos quais 10 eram na equipe nuclear do “projeto”. Para as participantes, além da oportunidade de elaborar sentimentos relacionados ao abortamento, a iniciativa oportunizou a sua finalização de forma mais demorada, porém segura, discreta, no domicílio, sem retirá-las do convívio familiar e com menos impactos na gestão da sua rotina social e laboral. Ao mesmo tempo, a não resolução imediata do abortamento, característica dos métodos propostos pela iniciativa, evidenciou nelas o medo da infecção e da morte devido à permanência do “feto morto na barriga”. Neste contexto, muitas sofreram pressão da sua rede de apoio próxima pela curetagem uterina. Do ponto de vista dos profissionais, o Programa Atenas representava uma estratégia de cuidado humanizado a estas mulheres que, frente às demandas de gestantes e neonatos, tinham pouca oportunidade de serem assistidas durante a internação. Os integrantes da equipe nuclear enalteceram o telemonitoramento das enfermeiras e a abordagem multiprofissional, que incluía o atendimento psicossocial - peculiaridades estas favoreciam à atenção individualizada, ao vínculo com as participantes, e à autonomia da mulher. Para os profissionais da instituição, o Programa Atenas ajudava na rotatividade de leitos obstétricos, na redução de custos hospitalares e na desmistificação da curetagem uterina compulsória. Contudo, observou-se que o Programa Atenas era uma iniciativa de implantação recente e frágil, que lutava pela consolidação. Percebeu-se ainda o silenciamento sobre o aborto provocado. Ao transformar simbolicamente todas as participantes em “mães” que perderem um “filho”, o Programa Atenas oferecia às mulheres em situação de abortamento espontâneo um espaço para elaboração de sentimentos e, àquelas que o induziram, proporcionava uma proteção moral e a oportunidade de acessar o cuidado integrado. Este silenciamento também evitava que os profissionais confrontassem seus dilemas pessoais sobre o assunto e não esbarrassem no propósito profissional de “salvar vidas” – tendo em vista que, no contexto social brasileiro e na área da saúde, a vitalidade fetal ainda é soberana ao bem-estar da mulher. Face a incipiência de iniciativas de melhoria da atenção ao abortamento às mulheres, analisar esta experiência foi relevante.


  • Mostrar Abstract
  • This is an ethnography about Atenas Program - a counter-hegemonic service (to the national current model) and "humanized" care to women undergoing abortion (provoked or spontaneous), in a public maternity hospital in the Northeast of Brazil - and the subjects involved (participants and professionals) in the initiative. The scientific literature points out that the abortion care model proposed by the ministerial Technical Standard 2005/2011 is not being followed by health services. There is emphasis on the technical component, devaluation of the professional-user relationship, little participation of women in decisions about their sexual and reproductive health, and neglect of reproductive planning. Facing this problem, the Atenas Program emerges as an alternative proposal to such a model. Guided by principles of humanization and by the aforementioned technical standard, the Atenas Program proposed a multiprofessional approach (in- and out-of-hospital) to women undergoing abortion in the studied maternity hospital. Between July and September 2018, in addition to participant observation, semi-structured interviews were applied with 16 members of the program and 35 professionals of the institution, of which 10 were in the core team of the "project". For the participants, in addition to the opportunity to elaborate feelings related to the abortion, the initiative provided an opportunity to finalize it in a longer, but safe, discreet way, at home, without removing them from family life and with less impact on the management of their social and work routine. At the same time, the non-immediate resolution of the abortion, characteristic of the methods proposed by the initiative, made evident in them the fear of infection and death due to the permanence of the "dead fetus in the belly". In this context, many suffered pressure from their close support network for uterine curettage. From the professionals' point of view, the Atenas Program represented a strategy of humanized care to these women that, facing the demands of pregnant women and neonates, had little opportunity to be assisted during hospitalization. The core team members praised the nurses' telemonitoring and the multiprofessional approach, which included psychosocial care - peculiarities that favored individualized care, the bond with the participants, and the women's autonomy. For the professionals of the institution, the Atenas Program helped in the turnover of obstetric beds, in reducing hospital costs, and in demystifying compulsory uterine curettage. However, it was observed that the Atenas Program was a recent and fragile initiative that was struggling for consolidation. Silencing about induced abortion was also perceived. By symbolically transforming all participants into "mothers" who lost a "child," the Atenas Program offered women who had spontaneous abortions a space to elaborate their feelings and, for those who induced them, provided moral protection and the opportunity to access integrated care. This silencing also prevented professionals from confronting their personal dilemmas about the issue and not running into the professional purpose of "saving lives" - given that, in the Brazilian social context and in the health field, fetal vitality is still paramount to the woman's well-being. Given the incipience of initiatives to improve abortion care for women, analyzing this experience was relevant.

6
  • VIVIANE SILVA DE JESUS
  • Estudo epidemiológico da pressão arterial elevada e hipertensão arterial de crianças e adolescentes quilombolas

  • Orientador : MARIA DA CONCEICAO NASCIMENTO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLIMENE LAURA DE CAMARGO
  • EDNA MARIA DE ARAUJO
  • JOILDA SILVA NERY
  • LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • MARIA DA CONCEICAO NASCIMENTO COSTA
  • SUSAN MARTINS PEREIRA
  • Data: 15/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Hipertensão Arterial (HA) é uma condição clínica de alta prevalência no mundo, causada por uma combinação de fatores e caracterizada pela elevação dos níveis pressóricos. Na última década, a prevalência da Pressão Arterial Elevada (PAE) e HA em crianças e adolescentes variou entre 9,4% e 14,5% para a primeira e 1,9% e 4% para a segunda. Elevações na pressão arterial em crianças e adolescentes são observadas quando percentis de Pressão Arterial Sistólica ou Diastólica se mostram iguais ou maiores de 90, ou mesmo quando a pressão se apresenta 120/80 mmMg. Sabe-se que a prevalência da hipertensão é maior entre pessoas pretas e pardas, que o surgimento de níveis pressóricos elevados de um adulto hipertenso, muito provavelmente, iniciou na infância ou adolescência, bem como a ocorrência dessa condição clínica entre adultos quilombolas é alta. Tais aspectos atribuem relevância à investigação sobre hipertensão arterial em remanescentes quilombolas quando em idades mais precoces. Nesta perspectiva, o objetivo deste estudo foi analisar a prevalência da PAE e HA em crianças e adolescentes quilombolas do Recôncavo Baiano e os fatores associados. Para tanto, foram empregadas as seguintes estratégias metodológicas: Revisão Sistemática, que apontou prevalência geral da PAE e HA, respectivamente, de 12% (IC95%= 5-19; I²=99.97%) e 11% (IC95%=10-13; I²= 99.91%) e, quando avaliado por raça-cor, identificou-se 11% para negros (IC95% 2-19), 10% para brancos (IC95% 6-14, I² 99.95%) e o conjunto de negros e brancos (IC95% 8-11, I² 99.70%), assim como na presença de excesso de peso a prevalência de alteração da pressão foi 2,5 vezes mais elevada (IC95% 2,1-2,9; I²= 90.9%); Corte Transversal, mostrou que prevalência de hipertensão geral em crianças e adolescentes quilombolas foi de 29.4%, crianças apresentaram, respectivamente, PAE e HA de 12.7% e 14.3%, enquanto os adolescentes, na mesma ordem, mostraram 12.5% e 15.4%; e, Caso-Controle, que verificou associação de razão de cintura estatura (RCE) ≥0,5 (OR 2,62; IC 1,89 - 7,518) e Bolsa Família (OR 2,35; IC 1,14 - 4,01) para crianças com Fração Atribuível Populacional (FAP) de 13% e 9,0%. Evidenciou-se também associação com sexo masculino (OR 1,80; IC 1,02-3,18), obesidade (OR 4,07; IC 1,60-10,34) e história familiar de hipertensão (OR 1,91; IC 1,09-3,33) entre os adolescentes com Fração Atribuível Populacional (FAP), nesta ordem, de 18%, 12% e 23%. Concluímos que crianças e adolescentes negros apresentam prevalência de hipertensão mais elevadas, os remanescentes quilombolas nessas fases da vida apresentam alta prevalência dos desfechos estudados e que os fatores associados à elevação da pressão diferiram entre crianças e adolescentes. Sugere-se a ampliação das ações de prevenção da hipertensão arterial entre crianças e adolescentes remanescentes quilombolas na perspectiva de reduzir a prevalência e eliminar as exposições dessa população aos fatores que determinam a HA e, a longo prazo, a redução da morbimortalidade por hipertensão arterial nessa população negra específica.


  • Mostrar Abstract
  • Arterial Hypertension (AH) is a clinical condition of high prevalence in the world, caused by a combination of factors and characterized by elevated blood pressure levels. In the last decade, the prevalence of High Blood Pressure (HBP) and AH in children and adolescents varied between 9.4% and 14.5% for the first and 1.9% and 4% for the second. Elevations in blood pressure in children and adolescents are observed when systolic or diastolic blood pressure percentiles are equal to or greater than 90, or even when the pressure is 120/80 mmMg. It is known that the prevalence of hypertension is higher among black and brown people, that the emergence of high blood pressure levels in a hypertensive adult, most likely, started in childhood or adolescence, as well as the occurrence of this clinical condition among quilombola adults is high. Such aspects give relevance to the investigation of arterial hypertension in quilombola remnants at earlier ages. In this perspective, the objective of this study was to analyze the prevalence of PAE and AH in quilombola children and adolescents from the Recôncavo Baiano and the associated factors. For that, the following methodological strategies were used: i) Systematic Review, which showed a general prevalence of HBP and AH, respectively, of 12% (95%CI= 5-19; I²=99.97%) and 11% (95%CI=10 -13; I²= 99.91%) and, when evaluated by race-color, 11% were identified for blacks (95%CI 2-19), 10% for whites (95%CI 6-14, I² 99.95%) and the set of blacks and whites (95%CI 8-11, I² 99.70%), as well as in the presence of excess weight, the prevalence of blood pressure alteration was 2.5 times higher (95%CI 2.1-2.9; I²= 90.9%); ii) Cross-sectional, showed that the prevalence of general hypertension in quilombola children and adolescents was 29.4%, children presented, respectively, PAE and AH of 12.7% and 14.3%, while adolescents, in the same order, showed 12.5% and 15.4% ; and, iii) Case-Control, which found an association between Waist height stature ratio (WHtR)≥0.5 (OR 2.62; CI 1.89 - 7.518) and Bolsa Família (OR 2.35; CI 1.14 - 4.01) for children with Population Attributable Fraction (FAP) of 13% and 9.0%. There was also an association with male sex (OR 1.80; CI 1.02-3.18), obesity (OR 4.07; CI 1.60-10.34) and family history of hypertension (OR 1.91 ; CI 1.09-3.33) among adolescents with Population Attributable Fraction (FAP), in that order, 18%, 12% and 23%. We conclude that black children and adolescents have a higher prevalence of hypertension, the remaining quilombolas in these stages of life have a high prevalence of the outcomes studied and that the factors associated with increased blood pressure differed between children and adolescents. It is suggested the expansion of actions to prevent arterial hypertension among children and adolescents remaining from quilombolas in order to reduce the prevalence and eliminate the exposure of this population to the factors that determine AH and, in the long term, the reduction of morbidity and mortality due to arterial hypertension in this population. specific black population.

7
  • Mariana Ramos Pitta Lima
  • Tecnologias biomédicas e aborto em uma maternidade pública de Salvador: estudo etnográfico.

  • Orientador : CECILIA ANNE MCCALLUM
  • MEMBROS DA BANCA :
  • NAARA LÚCIA DE ALBUQUERQUE LUNA
  • ROSANA MARIA NASCIMENTO CASTRO SILVA
  • EMILIA SANABRIA
  • CECILIA ANNE MCCALLUM
  • ESTELA MARIA MOTTA LIMA LEAO DE AQUINO
  • GREICE MARIA DE SOUZA MENEZES
  • Data: 21/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • A tese analisa as práticas de tecnologias biomédicas nos cuidados relacionados ao abortamento, em uma maternidade pública de Salvador, Bahia, a partir de um estudo etnográfico. Trata-se de uma etnografia sobre as tecnologias que fazem parte do itinerário reprodutivo e abortivo e da atenção hospitalar pós-abortamento das mulheres em Salvador, Bahia, enfocando a ultrassonografia obstétrica (USG). Foram realizadas observações participantes em uma maternidade pública e em palestras e eventos da área de ultrassonografia, além de entrevistas em profundidade e informais com mulheres e profissionais de saúde. O argumento principal da tese é que as tecnologias biomédicas, ou tecnologias reprodutivas especificamente, incluindo a USG obstétrica, ao assumir diferentes agências, participam em relação com atores humanos, mulheres e profissionais, na produção de múltiplas realidades e saberes sobre as questões reprodutivas ou de controle da reprodução – entre elas a gravidez, o aborto – tendo em vista o espaço, tempo e camadas do corpo onde intervém e são praticadas, em locais específicos em que estão situadas. Nisso, as tecnologias instauram relações sociais, que são marcadas pelo próprio hospital, que é uma tecnologia englobante na atenção ao abortamento em Salvador. Propõe a noção de ‘itinerários epistemológicos’ para sintetizar a produção de conhecimentos de mulheres ao longo do processo procriativo e abortivo, em relação com tecnologias, sobre o próprio corpo e o conteúdo que se forma no útero durante a gestação, visualização e sua expulsão. Mostra como a estratificação colabora na produção dessas realidades múltiplas, seja do ponto de vista dos profissionais de saúde ou das mulheres. Discute a relação entre o mercado de equipamentos, e as dicotomias entre os serviços públicos e privados. São analisadas as tecnologias biomédicas praticadas no hospital, entre estas, protocolos, fichas, USG e curetagem. Conclui-se que o hospital como tecnologia – e as realidade múltiplas ali emergentes – participam da produção de (in)justiça reprodutiva (liberdade e justiça).


  • Mostrar Abstract
  • This thesis analyses the practices of biomedical technologies in abortion-related care in a public maternity hospital in Salvador, Bahia, from an ethnographic approach. This ethnography is about the technologies that are part of women's reproductive and abortion itinerary and post-abortion hospital care in Salvador, Bahia, focusing on obstetric ultrasonography (USG). Participant observations were conducted in a public maternity hospital and in lectures and events in the area of ultrasonography, in addition to in-depth and informal interviews with women and health professionals. The main argument I defend in this thesis is that biomedical technologies, or reproductive technologies specifically, including obstetric USG, assume different agencies and participate in relation with human actors, women and professionals, in the production of multiple realities and knowledges about reproductive issues or reproductive control - among them pregnancy, abortion - given the space, time and layers of the body where they intervene and are practiced, in specific places where they are situated. It is also central to the argument that the hospital is an encompassing technology in abortion care in Salvador. In this, technologies establish social relations, which are marked by the hospital itself, an overarching technology in abortion care in Salvador. It proposes the notion of 'epistemological itineraries' to synthesise the production of women's knowledge throughout the procreative and abortion process, in relation to technologies, about their own bodies and the content that is formed in the uterus during pregnancy, visualisation and its expulsion. It shows how stratification collaborates in the production of these multiple realities, whether from the point of view of health professionals or women. It discusses the relationship between the device industry, and the dichotomies between public and private services. The biomedical technologies practiced in the hospital are examined, among these, protocols, charts, USG and curettage. It concludes that the hospital as a technology - and the multiple realities emerging therein - participate in the production of reproductive (in)justice (freedom and justice).

8
  • LACITA MENEZES SKALINSKI
  • ESTUDO DA TRÍPLICE EPIDEMIA DE ZIKA, DENGUE E CHIKUNGUNYA EM FEIRA DE SANTANA - BAHIA

  • Orientador : MARIA DA GLORIA LIMA CRUZ TEIXEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DA GLORIA LIMA CRUZ TEIXEIRA
  • MARIA DA CONCEICAO NASCIMENTO COSTA
  • MARCOS PEREIRA SANTOS
  • JOILDA SILVA NERY
  • RIVALDO VENÂNCIO DA CUNHA
  • POLLYANNA ALVES DIAS COSTA
  • Data: 27/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A emergência e re-emergência de agentes infecciosos transmitidos por mosquitos vetores tem se configurado como um grande desafio para a Saúde Pública Global e, em particular, para o Brasil. Este país, após a re-emergência do vírus do dengue (DENV), passou a apresentar epidemias sucessivas de grande magnitude desta virose desde 1986. A partir da segunda metade de 2014, com a emergência dos vírus chikungunya (CHIKV) e Zika (ZIKV), foi estabelecida a circulação simultânea em espaços intra-urbanos destes três arbovírus, delineando uma situação epidemiológica nunca registrada no mundo ocidental. Esta Tese teve como objetivo investigar características epidemiológicas da circulação simultânea dos vírus Zika, dengue e chikungunya em um grande Centro Urbano. Artigo I – Objetivo: Estimar a soroprevalência do CHIKV em diferentes países. Métodos: Foi realizada a revisão sistemática de artigos publicados até 2020 nas bases Pubmed, Embase, Lilacs, Scopus e Web of Science. Foram incluídos estudos transversais, de coorte e caso-controle, que apresentassem confirmação laboratorial de infecção prévia ou prévia e recente e excluídos aqueles conduzidos com participantes sintomáticos. Resultados: Foram identificados 596 artigos, 197 foram lidos integralmente e 64 incluídos na análise, de onde foram extraídos 71 estudos de soroprevalência, visto que alguns apresentavam mais de uma população estudada. A maioria dos estudos foi transversal (92%), conduzidos entre 2001 e 2020 (92%), com população de todas as idades (55%), no Kênia, Brasil e Polinésia Francesa. As soroprevalências estimadas foram 24% (IC95% 19-29; I2=99.7%; p<0.00), sendo 21% (IC95% 13-30; I2=99.5%; p<0.00) em adultos, 7% (IC95% 0-23; I2=99.7%;p<0.00) em crianças e 30% (IC95% 23-38; I2=99.7%; p<0.00) em todas as idades. As maiores soroprevalências foram encontradas na África e nas Américas. Artigo II – Objetivo: Estimar a soroprevalência da infecção pelo CHIKV em um grande centro urbano do Brasil e investigar a relação entre circulação viral e condições de vida. Métodos: Estudo ecológico de base populacional em 30 Áreas Sentinela de Feira de Santana, conduzido através de entrevistas domiciliares e inquérito sorológico entre 2016 e 2017. Os participantes tiveram amostra de sangue venoso coletada para realização dos testes sorológicos de chikungunya IgM e IgG. Resultados: 1.981 participantes foram randomicamente selecionados entre os 16.620 entrevistados. A soroprevalência encontrada foi de 22,1% e variou de 2,0% a 70,5% entre as Áreas Sentinelas. A soroprevalência foi significativamente menor em áreas de melhores condições de vida quando comparadas às áreas de baixa condição de vida. Foi encontrada correlação entre a soroprevalência de CHIKV e a densidade populacional (r=0,24; p=0,02). Artigo III – Objetivo: analisar a difusão espacial da circulação simultânea de três arbovírus transmitidos pelo mesmo vetor em um grande centro urbano, durante duas ondas epidêmicas, em dois anos consecutivos. Métodos: Estudo ecológico de agregados espaciais e temporais dos casos notificados de dengue, chikungunya e Zika, de 2014 a 2019 em Feira de Santana. Os dados foram coletados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação/SINAN e os casos foram georrefenciados na malha urbana do município. Foram aplicados quatro métodos de análise espacial: Estimativa de Kernel com mapas sequenciais, Índice do Vizinho Mais Próximo acumulado no tempo, correlogramas espaciais e mudanças na Autocorrelação Local. Resultados: Entre 2014 e 2019, foram notificados 21.723 casos confirmados das três arboviroses. As maiores incidências foram entre mulheres (496,9, 220,2 e 91,0 casos/100.000 mulheres para dengue, chikungunya e Zika respectivamente). As faixas etárias de maior incidência de dengue foram de 10 a 19 anos (609,3 casos/100.000), de chikungunya 60 anos e mais (306,7 casos/100.000), e Zika de 0 a 9 anos (124,1 casos/100.000). A análise temporal evidenciou duas ondas epidêmicas de circulação simultânea em 2014 e 2015. Os métodos espaciais mostraram que dengue, chikungunya e Zika apresentaram padrão de difusão por expansão. Conclusão da Tese: Constatou-se uma grande heterogeneidade das soroprevalências de CHIKV entre diferentes países e entre populações intra-urbanas, possivelmente resultante da complexidade dos fatores envolvidos na modulação da transmissão deste arbovírus; entre eles o tempo de circulação do vírus, a susceptibilidade populacional, a ausência de vacinas eficazes, a disponibilidade de criadouros e a alta densidade demográfica. Essa diversidade de fatores, bem como a inexistência de medidas efetivas para controle do seu principal vetor, propiciaram o alarmante cenário epidemiológico de Feira de Santana. Nesse centro urbano, as condições climáticas e socioeconômicas da população foram extremamente receptivas à introdução e rápida circulação de CHIKV e ZIKV onde o DENV já circulava de forma endemo-epidêmica, e colaboraram para que essas arboviroses continuem se constituindo em importantes problemas de Saúde Pública.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The emergence and re-emergence of infectious agents transmitted by vector mosquitoes has been a major challenge for Global Public Health and, in particular, for Brazil. This country, after the re-emergence of dengue virus (DENV), started to present successive epidemics of great magnitude of this virus since 1986. Since the second semester of 2014, with the emergence of the chikungunya (CHIKV) and Zika (ZIKV) viruses, the simultaneous circulation of these three arboviruses in intra-urban spaces was established, outlining an epidemiological situation never recorded in the western world. This thesis aimed to investigate epidemiological characteristics of the simultaneous circulation of Zika, dengue and chikungunya viruses in a large urban center. Article I – Objective: To estimate the seroprevalence of CHIKV in different countries. Methods: It was carried out a systematic review of articles published until 2020 in Pubmed, Embase, Lilacs and Web of Science. Cross-sectional, cohort and case-control studies were included, which presented previous or previous and recent laboratory confirmation of infection and those conducted with symptomatic participants were excluded. Results: A total of 596 articles were identified, 197 were read in full and 64 were included in the analysis, from which 71 seroprevalence studies were extracted, as some had more than one studied population. Most studies were cross-sectional (92%), conducted between 2001 and 2020 (92%), with population of all ages (55%), in Kenya, Brazil and French Polynesia. The estimated seroprevalences were 24% (95%CI 19-29; I2=99.7%; p<0.00), with 21% (95%CI 13-30; I2=99.5%; p<0.00) in adults, 7% (95%CI 0-23; I2=99.7%; p<0.00) in children and 30% (95%CI 23-38; I2=99.7%; p<0.00) in all ages. The highest seroprevalences were found in African and Americas Regions. Article II – Objective: To estimate the seroprevalence of CHIKV infection in a large urban center and to investigate the relation between viral circulation and living conditions. Methods: A population-based ecological study was conducted in 30 Sentinel Areas of Feira de Santana, through household interviews and a serological survey between 2016 and 2017. Participants had a venous blood sample collected to perform the chikungunya IgM and IgG serological tests. Results: 1,981 participants were randomly selected from the 16,620 respondents. The seroprevalence found was 22.1% and ranged from 2.0% to 70.5% among the Sentinel Areas. Seroprevalence was significantly lower in areas with high living conditions when compared to areas with low living conditions. A correlation was found between CHIKV seroprevalence and population density (r=0.24; p=0.02). Article III – Objective: to analyze the spatial diffusion of the simultaneous circulation of three arboviruses, transmitted by the same vector, in a large urban center, over two epidemic waves in two consecutive years. Methods: An ecological study of spatial and temporal aggregates on the occurrence of dengue, chikungunya, and Zika, from 2014 to 2019, in Feira de Santana, Bahia State, was carried out using data of cases reported to the national surveillance system. Four different methods were used to analyze the spatial diffusion: Kernel Estimation with sequential maps, cumulative nearest-neighbor ratios (NNI) over time, spatial correlograms and local autocorrelation changes (LISA) over time. Results: From 2014-2019, there were 21,723 confirmed cases of arboviruses. The highest incidences were among women (496.9, 220.2, and 91.0 cases/100,000 women for dengue, chikungunya and Zika respectively). By age group, the highest incidences were from ages 10-19 years old (609.3 dengue cases/100,000), from 60 and more (306.7 chikungunya cases/100,000), and from 0-9 years old (124.1 Zika cases/100,000 inhabitants). The temporal distribution demonstrated two epidemic waves of simultaneous circulation in 2014 and 2015. The spatial methods evidenced that dengue, chikungunya and Zika presented expansion pattern of difusion in Feira de Santana. Conclusions of the Thesis: A great heterogeneity of CHIKV seroprevalence was observed among different countries and intra-urban populations, possibly resulting from the complexity of the factors involved in the modulation of the transmission of this arbovirus. Among them, the time of virus circulation, population susceptibility, absence of effective vaccines, availability of breeding sites and high population density. This diversity of factors, as well as the lack of effective measures to control its main vector, led to the alarming epidemiological scenario in Feira de Santana. In this urban center, the climatic and socioeconomic conditions of the population were extremely receptive to the introduction and rapid circulation of CHIKV and ZIKV, where DENV was already circulating in an endemic andepidemic way. The sum of these factors contributed to these arboviruses continuing to constitute important public health concerns.

9
  • ANA MARIA FREIRE DE SOUZA LIMA
  • A Política Nacional de Saúde Bucal no Brasil: análise sócio-histórica de 2003 a 2018

  • Orientador : SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCOS AZEREDO FURQUIM WERNECK
  • SAMUEL JORGE MOYSÉS
  • CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • Data: 05/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • A Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB) publicada em 2004 configura uma atualização da resposta social do Estado diante dos problemas de saúde bucal da população e seus determinantes. Analisou-se o espaço social da PNSB no Brasil, no âmbito federal, no período de 2003 a 2018, através de estudo de caso de abordagem sócio histórica, baseado na sociologia reflexiva de Pierre Bourdieu e nas contribuições de Patrice Pinell. Foram realizadas análise documental, bibliográfica e de dados secundários, e entrevistas em profundidade com 27 agentes do espaço de formulação e implementação nacional. Seus capitais, trajetórias, rede de relações, tomadas de posição, principais questões em jogo e disputas sobre a PNSB foram analisadas. Evidenciou-se transformações, continuidades e rupturas da PNSB. Os agentes formuladores foram todos dentistas, maioria homens, brancos e de origem social média. A participação no movimento estudantil e atuação na gestão pública foram aspectos decisivos para desenvolvimento de disposições políticas mais críticas, e para entrada no campo da Saúde Coletiva, e na Saúde Bucal Coletiva. A PNSB teve maior impulsão no Governo Lula, com continuidades e menor ritmo no Governo Dilma. Destacam-se como inovações no Governo Lula a criação do CEO e LRPD, a regulamentação de ASB e TSB, e a participação da saúde bucal em cooperações internacionais, e no Governo Dilma, o lançamento do PMAQ-AB, do PMAQ-CEO e do GraduaCEO, ainda que este último não tenha sido implementado. Houve redução do capital simbólico da Coordenação no MS e no governo federal a partir do Governo Dilma, agravada no Governo Temer, cuja agenda, neoliberal, de austeridade fiscal, modificou fortemente as condições históricas de possibilidade para a PNSB. A partir de 2015, as sucessivas mudanças na Coordenação do MS afetaram a implementação nacional, com redução progressiva de resultados nos indicadores dos serviços públicos odontológicos. Das iniciativas que não se consolidaram e podem se tornar “possíveis mortos”, destacaram-se a prótese na APS e a ampliação das equipes com TSB. A atenção especializada de oferta pública foi um “possível” aberto, contudo um serviço “pobre” para “pobres” ainda é uma questão a ser enfrentada. A formação dos dentistas, com elementos teóricos mais robustos sobre Saúde Coletiva, política, poder, entre outros temas, e o enfrentamento do modelo de atenção hegemônico, ainda predominantemente curativo, restaurador e da odontologia escolar, também foram insuficientes. A aprovação do Projeto de Lei nº 8.131/2017, que busca tornar a PNSB um componente do SUS, pode contribuir para sua sustentação jurídica, política e financeira. E, ainda que não seja possível afirmar a existência de um campo odontológico no Brasil, no sentido proposto por Bourdieu (2019), pode-se considerar que há um espaço odontológico em consolidação, com regras e leis específicas, dominantes do polo do mercado e dominados do polo universal. A proposta de capital odontológico elaborada representa uma contribuição para essa análise. Conhecer e reconhecer suas regras e objetos em disputa é parte do trabalho sociológico do processo histórico em curso no Brasil, com defesa da expansão da saúde bucal no SUS, universal, integral e promotora de saúde.


  • Mostrar Abstract
  • The National Oral Health Policy (PNSB) published in 2004 configures an update of the State's social response before the oral health problems of the population and their determinants. We analyzed the social space of the PNSB in Brazil, at the federal level, in the period from 2003 to 2018, through a case study of socio-historical approach, based on the reflexive sociology of Pierre Bourdieu and the contributions of Patrice Pinell. Documentary, bibliographic, and secondary data analysis, and in-depth interviews with 27 agents from the national formulation and implementation space were conducted. Their capitals, trajectories, networks of relations, positions taken, main issues at stake and disputes over the PNSB were analyzed. Transformations, continuities, and ruptures of the PNSB were evidenced. The formulating agents were all dentists, mostly men, white and of average social origin. Participation in the student movement and work in public management were decisive aspects for the development of more critical political dispositions, and for entering the field of Collective Health, and Collective Oral Health. The PNSB had a greater impulse in the Lula Government, with continuities and a slower pace in the Dilma Government. Innovations in the Lula Government include the creation of the CEO and LRPD, the regulation of the ASB and TSB, and the participation of oral health in international cooperation, and in the Dilma Government, the launching of the PMAQ-AB, the PMAQ-CEO, and the GraduaCEO, although the latter has not been implemented. There was a reduction in the symbolic capital of the Coordination starting in the Dilma Government, which was aggravated in the Temer Government, whose neoliberal agenda of fiscal austerity strongly modified the historical conditions of possibility for the PNSB. From 2015 on, successive changes in the Coordination affected the national implementation, with progressive reduction of results in the indicators of public dental services. Of the initiatives that were not consolidated and may become "possible dead", prosthetics in PHC and the expansion of teams with oral health technician stood out. Specialized care of public supply was an open "possibility", but a "poor" service for "poor people" is still an issue to be faced. The training of dentists, with more robust theoretical elements on Collective Health, politics, power, among other topics, and the confrontation of the hegemonic care model, still predominantly curative, restorative, and school dentistry, were also insufficient. The approval of legislative bill 8.131/2017, which seeks to make the PNSB a component of SUS, can contribute to its legal, political, and financial support. And, even if it is not possible to affirm the existence of a dental field in Brazil, in the sense proposed by Bourdieu (2019), it can be considered that there is a dental space in consolidation, with specific rules and laws, dominant from the market pole and dominated from the universal pole. The proposal of dental capital elaborated represents a contribution to this analysis. To know and recognize its rules and objects in dispute is part of the sociological work of the historical process underway in Brazil, with defense of the expansion of oral health in SUS, universal, integral, and health promoting.

10
  • LINDEMBERG ASSUNÇÃO COSTA
  • Erros de administração de medicamentos em um hospital universitário: Incidência, natureza, gravidade e fatores associados.

  • Orientador : LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • EDINA ALVES COSTA
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • DJANILSON BARBOSA DOS SANTOS
  • MÁRIO BORGES ROSA
  • Data: 02/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os erros de administração de medicamentos são frequentes e têm alto impacto econômico e social no mundo inteiro. Recentemente, a OMS lançou o desafio global “medicamento sem danos” com a meta de reduzir 50% dos danos a medicamentos até 2022. Embora os problemas de segurança do paciente já sejam reconhecidos e dimensionados nos países desenvolvidos, estudos dessa natureza são ainda necessários na nossa realidade. Esta tese teve como objetivo determinar a incidência, a natureza, a gravidade e os fatores de risco associados aos erros de administração de medicamentos (EAM) em um hospital brasileiro. Artigo 1 - Drug administration errors in Latin America: A systematic review. Objetivo: Determinar a frequência e a natureza dos EAM identificados através do método da observação direta em hospitais da América Latina. Métodos: revisão sistemática dos estudos publicados entre 1946 e março de 2021 realizada por dois revisores independentes em sete bases de dados: LILACS via Bireme, PubMed, SciELO, Scopus, Latindex, Embase, and CINAHL. Foram também realizadas buscas em referências de artigos e na literatura cinzenta. Resultados: 1615 artigos encontrados sendo 10 estudos incluídos na revisão final. A taxa média de EAM identificada foi de 32% (IQR: 16–35,8%) e de 9,7% (IQR: 7,4%–29,5%) após excluir os erros de horário. Os EAM mais frequentes foram os erros de horário (8.3% a 77.3%), seguidos dos erros de dose (1,7% a 26,4%) e dos erros de omissão (5,3% a 10,5%). Assunção-Costa L, Costa de Sousa I, Alves de Oliveira MR, Ribeiro Pinto C, Machado JFF, Valli CG, et al. (2022) Drug administration errors in Latin America: A systematic review. PLoS ONE 17(8): e0272123. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0272123. Artigo 2 – Observational study on medication administration errors at a university hospital in Salvador, Brazil: incidence, nature and associated factors. Objetivo: Identificar a prevalência, natureza e fatores associados aos EAM em um Hospital Universitário no Brasil. Métodos: Estudo observacional, prospectivo através da técnica da observação direta disfarçada da administração de medicamentos, realizado em duas unidades hospitalares (clínica e cirúrgica). A taxa total de erro foi calculada dividindo o número de doses com um ou mais erros pelo total de erros observados (TOE). Resultados: Foram observados 203 erros em 400 doses administradas. A taxa total de EAM foi de 36,2% (IC95%: 32,3-40,2). Excluindo os erros de horário, a taxa total de erro foi de 25,1 % (IC 95% 24,3-32,4). Os erros mais frequentes foram erros de técnica (15,5%), horário (11,1%), dose (4,8%) e omissão (4,5%). Os fatores de risco associados aos EAM foram via de administração, interrupções, volume de trabalho e classificação anatômica, terapêutica e química (ATC) de medicamentos. Artigo 3 – Validation of a method to assess the severity of medication administration errors in Brazil: a study protocol”. Objetivo: Estabelecer a validade de um método existente para avaliação da gravidade de erros de administração de medicamentos no Brasil. This is the first validation of this method for use in Brazil, will allow researchers to conduct more standardised evaluations of interventions to reduce the impact of medication errors (Assunção-Costa L, Ribeiro Pinto C, Ferreira Fernandes Machado J, Gomes Valli C, Portela Fernandes de Souza LE, Dean Franklin B. Validation of a method to assess the severity of medication administration errors in Brazil: a study protocol. J Public Health Res. 2022 Mar 14;11(2):2623. doi: 10.4081/jphr.2022.2623. Artigo 4 - Validation of a method to assess the severity of Medication Administration Errors in Brazil. Objetivo: Validar o método existente de avaliação do potencial significado clínico dos EAM desenvolvido no Reino Unido, para uso no Brasil. Métodos: Trinta profissionais de saúde de hospitais de 5 regiões do Brasil pontuaram 50 casos de erros de medicação em termos de dano potencial ao paciente em uma escala de 0 a 10, onde 0 representava um caso sem potencial efeito e 10 um caso que resultaria em morte. A validade dos escores foi avaliada através de dezesseis casos com os resultados dos danos reais conhecidos, que serão comparados aos escores pontuados pelos profissionais. A confiabilidade foi avaliada através de 10 erros pontuados em duas ocasiões. Resultados: foram encontrados excelentes coeficientes G (Ρ 0,8) e uma boa correlação entre os valores de gravidade conhecidos e as pontuações médias atribuídas pelos juízes. Conclusão: a escala de Dean e Barber (1999) é válida e confiável para uso no Sistema Único de Saúde. Artigo 5 – Severity of Medication Administration Errors in a teaching hospital in Brazil. Objetivo: Avaliar a gravidade potencial de erros de administração identificados por meio da observação direta em um hospital universitário. Os 203 erros identificados previamente foram agrupados quanto a similaridade em 67 erros, que foram submetidos a avaliação de gravidade potencial por 4 profissionais de saúde. Um escore médio foi calculado, sendo considerado como índice de gravidade. Os profissionais julgaram o significado clínico potencial dos erros como leve em 8,8% (18), moderado em 82,8% (168) e grave em 8,4% (17) dos casos. O escore médio da gravidade potencial foi de 5,2 (escore mínimo 2,6 e escore máximo 7,7; DP 1,2).


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Medication administration errors are frequent and have a high economic and social impact worldwide. Recently, WHO launched the global "undamaged medicine" challenge with the goal of reducing drug damage by 50% by 2022. Although patient safety problems are already recognized and dimensioned in developed countries, studies of this type are still necessary in our reality. This thesis is aimed to determine the incidence, nature, severity and risk factors associated with medication administration errors (MAE) in a Brazilian hospital. Article 1 - Drug administration errors in Latin America: A systematic review. Objective: To determine the frequency and nature of MAEs identified through the direct observation method in hospitals in Latin America. Methods: systematic review of studies published between 1946 and March 2021 conducted by two independent reviewers in seven databases: LILACS via Bireme, PubMed, SciELO, Scopus, Latindex, Embase, and CINAHL. Searches were also performed in references of articles and in grey literature. Results: 1615 articles were found, and 10 studies were included in the final review. The mean MAE rate identified was 32% (IQR: 16–35.8%) and 9.7% (IQR: 7.4%–29.5%) after excluding time errors. The most frequent MAEs were time errors (8.3% to 77.3%), followed by dose errors (1.7% to 26.4%) and omission errors (5.3% to 10.5%). (Assunção-Costa L, Costa de Sousa I, Alves de Oliveira MR, Ribeiro Pinto C, Machado JFF, Valli CG, et al. (2022) Drug administration errors in Latin America: A systematic review. PLoS ONE 17(8): e0272123. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0272123.) Article 2– Observational study on medication administration errors at a university hospital in Salvador, Brazil: incidence, nature and associated factors. Objective: To identify the prevalence, nature and factors associated with MAE in a University Hospital in Brazil. Methods: Observational, prospective study through the technique of disguised direct observation in the administration of medications, performed in two hospital units (clinical and surgical). The total error rate was calculated by dividing the number of doses with one or more errors by the total opportunity errors observed (TOE). Results: 203 errors were observed in 400 doses administered. The total MAE rate was 36.2% (95% CI: 32.3-40.2). Excluding time errors, the total error rate was 25.1% (95% CI 24.3-32.4). The most frequent errors were technical errors (15.5%), time (11.1%), dose (4.8%) and omission (4.5%). The risk factors associated with MAE were administration, interruptions, workload and ANATOMICALTHERAPEUTICAL-CHEMICAL (ATC) class of medications. Article 3– Validation of a method to assess the severity of medication administration errors in Brazil: a study protocol. Objective: To establish the validity of an existing method for assessing the severity of drug administration errors in Brazil. This is the first validation of this method for use in Brazil, which will allow researchers to conduct more standardized evaluations of interventions to reduce the impact of medication errors (Assunção-Costa L, Ribeiro Pinto C, Ferreira Fernandes Machado J, Gomes Valli C, Portela Fernandes de Souza LE, Dean Franklin B. Validation of a method to assess the severity of medication administration errors in Brazil: a study protocol. J Public Health Res. 2022 Mar 14;11(2):2623. doi: 10.4081/jphr.2022.2623. Article 4 - Validation of a method to assess the severity of Medication Administration Errors in Brazil. Objective: To validate the existing method of evaluating the potential clinical significance of MAE developed in the United Kingdom for use in Brazil. Methods: Thirty health professionals from hospitals in 5 regions of Brazil scored 50 cases of medication errors in terms of potential damage to the patient on a scale of 0 to 10, where 0 represented a case without potential effect and 10 a case that would result in death. The validity of the scores was assessed through sixteen cases with the results of the actual known damages, which was compared to the scores given by the professionals. Reliability was evaluated through 10 errors scored on two occasions. Results: excellent G coefficients ( 0.8) and a good correlation were found between the known severity values and the average scores attributed by the judges. Conclusion: The Dean and Barber scale (1999) is valid and reliable for use in the Unified Health System in Brazil. Article 5 – Severity of Medication Administration Errors in a teaching hospital in Brazil. Objective: To evaluate the potential severity of administration errors identified through direct observation in a Brazilian university hospital. The 203 errors previously identified were grouped according to similarity in 67 errors, which were submitted to a potential severity assessment by 4 health professionals. An average score was calculated, being considered as a severity index. The professionals judged the potential clinical significance of errors as mild in 8.8% (18), moderate in 82.8% (168) and severe in 8.4% (17) of the cases. The mean score of potential severity was 5.2 (minimum score 2.6 and maximum score 7.7; SD 1.2).

11
  • MAÍSA MÔNICA FLORES MARTINS
  • FONTE USUAL DE CUIDADOS EM SAÚDE: ABORDAGENS CONCEITUAIS E METODOLÓGICAS E FATORES DETERMINANTES ENTRE ADOLESCENTES BRASILEIROS

  • Orientador : ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • AYLENE EMILIA MORAES BOUSQUAT
  • ELAINE TOMASI
  • NILIA MARIA DE BRITO LIMA PRADO
  • ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • Data: 05/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Ter uma fonte usual de cuidado (FUC) da Atenção Primária à Saúde (APS) pode melhorar a atenção à saúde de adolescentes brasileiros, e o acesso as ações de promoção da saúde e prevenção de doenças. Dentre as ações preconizadas para serem desenvolvidas pelos profissionais da APS, destaca-se o Programa de Saúde da Escola (PSE), desenvolvido através de ações intersetoriais entre os serviços de Atenção Primária à Saúde (APS) e as unidade escolares da esfera pública. Estas ações podem favorecer uma relação de vínculo e confiabilidade entre os adolescentes e os serviços de APS, a partir da integração entre os setores da saúde e da educação, contribuindo para o reconhecimento da APS como sua FUC. Uma relação longitudinal, de responsabilização e confiança pode favorecer o acesso aos serviços de saúde da APS. Neste sentido, a adolescência é um período da vida considerado vulnerável devido a vivência de experiências que podem comprometer a integridade da saúde. Sendo necessário o desenvolvimento de estudos que possibilitam a compreensão dos fatores determinantes no acesso à saúde e práticas de cuidados em saúde que considerem as especificidades e singularidades desses indivíduos, de modo a favorecer aos adolescentes a inclusão, autonomia e participação social em seus processos de atenção à saúde. Objetivo geral: Analisar as abordagens conceituais e metodológicas e os fatores determinantes do reconhecimento de uma fonte usual de cuidado e sua associação com o acesso aos serviços de APS entre adolescentes brasileiros. Objetivos Específicos: Sistematizar na literatura científica nacional e internacional, os conceitos de fonte usual do cuidado, as abordagens metodológicas utilizadas e os fatores determinantes evidenciados pelos estudos; Analisar os fatores demográficos, socioeconômicos, de saúde e comportamentos de risco associados ao reconhecimento de uma fonte usual do cuidado, segundo o sexo, entre adolescentes brasileiros; Analisar a associação entre o desenvolvimento de ações intersetoriais entre escola/serviços de saúde e o reconhecimento de uma fonte usual do cuidado de APS; e Analisar a associação entre o reconhecimento de uma fonte usual do cuidado de APS e o acesso aos serviços de APS, segundo sexo, entre adolescentes brasileiros. Metodologia: A tese foi apresentada em quatro artigos segundo cada objetivo específico. Para execução do primeiro objetivo foi realizado um estudo de revisão de escopo, com artigo da literatura internacional, sendo desenvolvido com 41 artigos originais como amostra final. No segundo objetivo, foi conduzido um estudo transversal com 100.464 adolescentes brasileiros, por meio de uma amostragem complexa, por conglomerado, a partir dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (2015), tendo como variável dependente - Fonte Usual de Cuidado. Para a análise dos dados foram utilizados modelos de regressão logístico multinível, a partir da análise da Razão de Prevalência (RP), segundo variáveis demográficas, socioeconômicas, de comportamento de risco e de saúde, e estratificado por sexo. No terceiro objetivo, foi conduzido um estudo transversal com 97.903 adolescentes brasileiros, a partir do inquérito da PeSNE (2015) o qual considerou os adolescentes de escolas que referiram desenvolver ações intersetoriais entre a escola e serviços da APS. Para a análise estatística definiu como variável independente principal – ações intersetoriais e a variável dependente – Fonte Usual de Cuidado da APS, foram utilizados modelos de regressão logístico multinível sendo estimado a RP. No quarto objetivo, foi conduzido um estudo transversal, a partir do inquérito da PeNSE (2015) com 68.968 adolescentes brasileiros que procuraram os serviços de APS nos últimos 12 meses a entrevista. Considerou como variável independente principal – FUC APS e a variável dependente – Acesso aos serviços de saúde da APS. Foram estimadas RP a partir de modelos de regressão logístico multinível e ajustados por variáveis demográficas, socioeconômicas, de comportamento de risco e de saúde, e estratificado por sexo. Para as análises foram realizadas as correções para amostragem complexa, multinível com uso do software stata 14 e uso do comando adjrr para as estimativas da RP. Resultados referentes ao primeiro objetivo: Foram identificados 632 artigos, sendo que 291 foram excluídos por estarem repetidos nas bases de dados, tendo como amostra final 41 artigos que foram selecionados para a revisão após o processo de leitura e avaliação dos critérios de inclusão. Ser do sexo feminino, raça/cor branca, maior renda e escolaridade e ter seguro saúde estiveram associados ao reconhecimento de uma FUC, a mesma associação foi observada para FUC APS, além de estudos destacarem a relação com raça/cor parda, menor nível de escolaridade e residir em zona rural. Resultados referentes ao segundo objetivo: O reconhecimento de uma FUC foi referido por 55,5% dos adolescentes brasileiros, sendo 58,6% para o sexo feminino e 51,4% para o sexo masculino. Na análise multivariada, as variáveis que apresentam desigualdades sociais, econômicas e de comportamento de risco demonstraram associações positivas para a FUC APS, para ambos os sexos (raça/cor preto/parto/amarelo e indígena, baixo nível de escolaridade materna, ser estudante de escolas públicas, relação sexual desprotegida e ter sofrido violência física e sexual). Os demais tipos de FUC (consultório médico particular, hospital e emergência) as características demográficas e socioeconômicas quando associadas apresentaram associações negativas, sendo as associações positiva para as variáveis de comportamento de risco e condições de saúde. Resultados referentes ao terceiro objetivo: Dos adolescentes analisados 72,8% estudavam em escolas que desenvolviam ações intersetoriais com os serviços de APS. Entre os adolescentes estudantes de escolas que desenvolviam ações intersetoriais, observou-se associação entre o reconhecimento da FUC APS e ações intersetoriais (RP:1,11; IC95%: 1,08 – 1,15). Quando analisado o modelo multivariado para as variações da variável independente principal, observou-se associações positivas para ações do Programa Saúde na Escola (PSE) (RP:1,34; IC95%: 1,30 – 1,38), e o desenvolvimento de ações entre a escola e os serviços de APS (RP:1,10; IC95%: 1,06 – 1,14). Resultados referentes ao quarto objetivo: Dos adolescentes que procuraram os serviços de APS, 74,6% referiram acesso, sendo a maior proporção para o sexo feminino (79,3%). Na análise multivariada, entre o reconhecimento de uma FUC APS e o acesso aos serviços de APS observa-se associação positiva (RP: 1,25; IC95%: 1,24 – 1,26), e na estratificado por sexo, observou-se associações positivas para ambos os sexos, (RP: 1,30; IC95%: 1,28 – 1,31) para o sexo masculino e (RP: 1,21; IC95%: 1,20 – 1,23) para o sexo feminino. Considerações finais: Os resultados deste estudo mostraram que determinantes sociais, econômicos e de comportamento de risco, como, ser do sexo feminino, raça/cor branca, maior nível de escolaridade e de renda, e a disponibilidade de seguro saúde, estão associados ao reconhecimento de uma FUC. Os achados entre os determinantes sociais e o reconhecimento da APS como FUC, demonstraram que os adolescentes em condições de maior vulnerabilidade social e econômica têm uma maior probabilidade de reconhecerem a APS como sua FUC. A FUC APS também apresentou associação com as ações intersetoriais, entre a saúde e educação. Em relação ao acesso aos serviços de APS, o presente estudo mostrou uma associação positiva entre o reconhecimento da FUC APS e o acesso aos serviços de APS, sendo que os indivíduos que vivenciam maiores desigualdades sociais, apesar de reconhecerem a APS como sua FUC tem menor probabilidade de acesso quando comparado aos adolescentes que não reconhecem a APS como sua FUC. Além disso, políticas sociais devem ser aprimoradas para ampliar a qualidade e o acesso aos serviços de APS e fortalecer as relações de vínculo e confiança.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Having a usual source of care (FUC) from Primary Health Care (PHC) can improve health care for Brazilian adolescents, and access to health promotion and disease prevention actions. Among the recommended actions to be developed by PHC professionals, the School Health Program (PSE) stands out, developed through intersectoral actions between Primary Health Care services (PHC) and school units in the public sphere. These actions can favor a relationship of bond and reliability between adolescents and PHC services, based on the integration between the health and education sectors, contributing to the recognition of PHC as their FUC. A longitudinal relationship of accountability and trust can favor access to PHC health services. In this sense, adolescence is a period of life considered vulnerable due to the experience that can compromise the integrity of health. It is necessary to develop studies that make it possible to understand the determining factors in access to health and health care practices that consider the specificities and singularities of these individuals, in order to favor inclusion, autonomy and social participation in their care processes for adolescents. the health. General objective: To analyze the conceptual and methodological approaches and the determining factors for the recognition of a usual source of care and its association with access to PHC services among Brazilian adolescents. Specific Objectives: Systematize in national and international scientific literature, the concepts of usual source of care, the methodological approaches used and the determining factors evidenced by the studies; To analyze the demographic, socioeconomic, health factors and risk behaviors associated with the recognition of a usual source of care, according to sex, among Brazilian adolescents; To analyze the association between the development of intersectoral actions between school/health services and the recognition of a usual source of PHC care; To analyze the association between the recognition of a usual source of PHC care and access to PHC services, according to sex, among Brazilian adolescents. Methodology: The thesis was presented in four articles according to each specific objective. To carry out the first objective, a scope review study was carried out, with an article from the international literature, being developed with 41 original articles as a final sample. In the second objective, a cross-sectional study was conducted with 100,464 Brazilian adolescents, using complex sampling by cluster, based on data from the National School Health Survey (2015), with the dependent variable - Usual Source of Care. For data analysis, multilevel logistic regression models were used, based on the analysis of the Prevalence Ratio (PR), adjusted for demographic, socioeconomic, risk behavior and health variables, and stratified by sex. In the third objective, a cross-sectional study was conducted with 97,903 Brazilian adolescents, based on the PeSNE survey (2015) which considered adolescents from schools who reported developing intersectoral actions between the school and PHC services. For the statistical analysis, defined as the main independent variable – intersectoral actions and the dependent variable – Usual Source of Care of PHC, multilevel logistic regression models were used, estimating the PR. In the fourth objective, a cross-sectional study was conducted, based on the PeNSE survey (2015) with 68,968 Brazilian adolescents who sought PHC services in the last 12 months after the interview. It considered as the main independent variable – FUC APS and the dependent variable – Access to PHC health services. PRs were estimated from multilevel logistic regression models and adjusted for demographic, socioeconomic, risk behavior and health variables, and stratified by sex. For the analyses, corrections were made for complex, multilevel sampling using the stata 14 software and the use of the adjrr command for PR estimates. Results regarding the first objective: 632 articles were identified, of which 291 were excluded because they were repeated in the databases, with a final sample of 41 articles that were selected for review after the process of reading and evaluating the inclusion criteria. Being female, white race/color, higher income and education, and having health insurance were associated with the recognition of a FUC. The same association was observed for FUC APS, in addition to studies highlighting the relationship with mixed race/color, lower level of education and living in rural areas. Results regarding the second objective: The recognition of a FUC was mentioned by 55.5% of Brazilian adolescents, being 58.6% for females and 51.4% for males. In the multivariate analysis, the variables that present social, economic and risk behavior inequalities showed positive associations for FUC APS, for both sexes (race/black/childbirth/yellow and indigenous, low level of maternal education, being a high school student, public schools, unprotected sexual intercourse and having suffered violence). The other types of FUC (private practice, hospital and emergency), the demographic and socioeconomic characteristics when associated, showed negative associations, with positive associations for the variables of risk behavior and health conditions. Results regarding the third objective: Of the adolescents analyzed, 72.8% studied in schools that developed intersectoral actions with PHC services. Among the adolescent students from schools that developed intersectoral actions, an association was observed between the recognition of FUC APS and intersectoral actions (PR: 1.11; 95%CI: 1.08 – 1.15). When analyzing the multivariate model for the variations of the main independent variable, positive associations were observed for actions of the Health at School Program (PSE) (PR: 1.34; 95%CI: 1.30 – 1.38), and the development of actions between the school and PHC services (PR: 1.10; 95%CI: 1.06 – 1.14). Results regarding the fourth objective: Of the adolescents who sought PHC services, 74.6% reported access, with the highest proportion being female (79.3%). In the multivariate analysis, between the recognition of a FUC APS and access to PHC services, a positive association was observed (PR: 1.25; 95%CI: 1.24 – 1.26), and in the stratified by sex, it was observed that positive associations were found for both sexes, (PR: 1.30; 95%CI: 1.28 – 1.31) for males and (PR: 1.21; 95%CI: 1.20 – 1.23) for the female sex. Final considerations: The results of this study showed that social, economic and risk behavior determinants, such as being female, white race/color, higher level of education and income, and the availability of health insurance, are associated with the recognition of a FUC. The findings between the social determinants and the recognition of PHC as a FUC showed that adolescents in conditions of greater social and economic vulnerability are more likely to recognize PHC as a FUC. FUC APS also showed an association with intersectoral actions, between health and education. Regarding access to PHC services, the present study showed a positive association between the recognition of FUC APS and access to PHC services, with individuals experiencing less social inequalities, despite recognizing PHC as their FUC, they are less likely to access when compared to adolescents who do not recognize PHC as their FUC. In addition, social policies must be improved to expand the quality and access to PHC services and strengthen bonds and trust.

12
  • JOSÉ XAVIER LOURENÇO
  • Programa Nacional de Controle da Malária: análise da gestão na cidade de Maputo- Moçambique, 2014 a 2019

  • Orientador : EDUARDO LUIZ ANDRADE MOTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LEONARDO ANTÓNIO CHAVANE
  • EDUARDO LUIZ ANDRADE MOTA
  • JOILDA SILVA NERY
  • MARCIO ALAZRAQUI
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 01/12/2022

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho, no geral, analisou a gestão do Programa Nacional de Controle da Malária no Serviço de Saúde e na Direção Municipal de Saúde, ambos da Cidade de Maputo, 2014 a 2019 e especificamente, descreveu o programa, caracterizou a organização do Sistema Nacional de Saúde e a gestão do Programa e; por fim examinou a contribuição da gestão para a redução de casos e óbitos por malária. O argumento fundamental que norteou a tese foi “a endemia da malária continuava sendo um problema de saúde pública na República de Moçambique, em particular no Serviço de Saúde e na Direção Municipal de Saúde, ambos da Cidade de Maputo, 2014 a 2019, nosso local do estudo”. Esta tese foi tratada no contexto da descentralização das funções da gestão dos serviços primários do Serviço de Saúde para a Direção Municipal de Saúde, ambos da Cidade de Maputo, onde o estudo demonstrou que é possível prevenir, controlar e curar a malária a partir dos processos da gestão. O tema foi abordado à luz do Triângulo do Governo de Carlos Matus (1993) articulado a partir das funções da gestão, dos níveis de gestão, das habilidades do gestor e dos determinantes sociais de saúde orientados pela pesquisa qualitativa-descritiva, onde privilegiamos os questionários, as entrevistas com atores-chaves, pesquisas documental e bibliográfica, bem como o uso de uma amostragem não aleatória ou dirigida. Neste trabalho concluiu-se que a gestão contribuiu para a redução de casos e óbitos por malária, embora não tenha alcançado o que se poderia esperar para o controle da doença.


  • Mostrar Abstract
  • This paper, in general, analysed the management of the National Malaria Control Programme in the Health Service and the Municipal Health Directorate, both in Maputo City, 2014 to 2019 and specifically, described the programme, characterised the organisation of the National Health System and the management of the Programme and; finally examined the contribution of management to the reduction of cases and deaths from malaria. The fundamental argument that guided the thesis was "malaria endemicity remained a public health problem in the Republic of Mozambique, particularly in the Health Service and the Municipal Health Directorate, both in Maputo City, 2014 to 2019, our study site".This thesis was treated in the context of the decentralization of the management functions of the primary services of the Health Service to the Municipal Health Directorate, both of Maputo City, where the study showed that it is possible to prevent, control and cure malaria from the management processes. The subject was approached in the light of the government triangle of Carlos Matus (1993), articulated from the functions of management, levels of management, managerial skills and the social determinants of health guided by qualitative-descriptive, where we privilege the questionnaires, interviews with key actors, documentary and bibliographic research, as well as the use of a non-random or directed sampling. In this work, it was concluded that management contributed to the reduction of malaria cases and deaths, although it did not achieve what could be expected for disease control.

13
  • RENAN VIEIRA DE SANTANA ROCHA
  • Saúde Mental e Relações Étnico-Raciais no Brasil: Narrativas de Lima Barreto, Leituras Historiográficas e Elucubrações Ulteriores.

  • Orientador : LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KATIA VARELA GOMES
  • JEANE SASKYA CAMPOS TAVARES
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • MARCELO EDUARDO PFEIFFER CASTELLANOS
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • WESLEY BARBOSA CORREIA
  • Data: 06/12/2022

  • Mostrar Resumo
  • O campo da Saúde Mental é dotado de múltiplos e distintos matizes que se apresentam como necessários para que se possa operar uma análise mais acurada e cuidadosa dos fenômenos que se deseja compreender ante a tal – matizes dentre os quais destacamos, com sobrepujança, as questões étnicas e raciais brasileiras. O presente estudo, assim, deriva de uma pesquisa, em nível doutoral, cujo objetivo geral é identificar as narrativas produzidas sobre a relação entre Saúde Mental e racismo no início do século XX, no Brasil, a partir da obra autobiográfica Diário do Hospício & O Cemitério dos Vivos (1956), de Lima Barreto. Tal pesquisa compreende-se no campo teórico, metodológico e crítico da Saúde Coletiva, a partir de sua área de concentração em Ciências Sociais em Saúde, estando também na interface entre a Saúde Mental e os Estudos Étnicos e Raciais. Parte-se de uma abordagem qualitativa e bibliográfica (MINAYO; DESLANDES; ROMEU, 2012), sendo o seu método de produção e análise de dados a Análise de Narrativas Autobiográficas – conforme se verá, respectivamente, em Schütze (1976; 2014) e Jovchelovitch e Bauer (2002). Tal método foi aplicado à análise da obra supracitada, e colaborou na própria concepção de organização do presente estudo, que seguirá disposto em sete segmentos, a saber: (1º) Apresentação (ou Narrativa de Si); (2º) Considerações Introdutórias: Primícias; (3º) Considerações Teórico-Metodológicas: A Análise de Narrativas Autobiográficas na Saúde Coletiva; (4º) Considerações Teórico-Críticas: Leituras Históricas e Contemporâneas do Pensamento Científico Brasileiro sobre Saúde Mental e Racismo nos Séculos XX e XXI; (5º) Revisão Sistemática da Literatura Científica: Lima Barreto, a Loucura e a Loucura em Lima Barreto; (6º) Análise e Discussão dos Resultados: Narrativas de Lima Barreto e Elucubrações Ulteriores; e (7º) Considerações Finais: Arremates. Enquanto resultados, vale destacar que Lima Barreto foi um dos primeiros homens negros brasileiros a ter escrito sobre a realidade de um hospital psiquiátrico no país, enquanto paciente, quando de sua própria internação. Não se pode afirmar, categoricamente, que as suas vivências raciais e manicomiais o conduziram aos percalços com os quais se deparou em vida; todavia, tais percalços somam-se a um todo de análises que o próprio autor produziu, em suas obras, sobre a vida no Brasil do início do século XX. Nestas, ele evidencia a existência de um sistema opressor ante a população que se metaforiza na expressão do que deveria ser o “cuidado” às pessoas “alienadas” ou “loucas”, mas que acaba revelando-se como algo sobremaneira humilhante – especialmente quando direcionado a pessoas negras. Logo, longe de propor conclusões rotundas, procuramos provocar quais lugares foram reservados ao pensamento psicológico/psiquiátrico nacional de época na obra selecionada de Lima Barreto, de forma a que esta pesquisa possa, então, balizar a análise de nossas práticas profissionais em Saúde Mental na atualidade, evitando a repetição de erros do passado e provocando a produção de práticas em Saúde Mental que se proponham, efetivamente, antimanicomiais e antirracistas.


  • Mostrar Abstract
  • The field of Mental Health is endowed with multiple and distinct nuances that are necessary for a more accurate and careful analysis of the phenomena to be understood in this context – nuances among which we highlight, with overpowering, Brazilian ethnic and racial issues. The present study, therefore, derives from a research, at a doctoral level, whose general objective is to identify the narratives produced on the relationship between Mental Health and racism in the early 20th century, in Brazil, from the autobiographical work Diário do Hospício & O Cemitério dos Vivos (1956), by Lima Barreto. Such research comprises the theoretical, methodological and critical field of Collective Health, from its area of concentration in Social Sciences in Health, also being at the interface between Mental Health and Ethnic and Racial Studies. It starts from a qualitative and bibliographic approach (MINAYO; DESLANDES; ROMEU, 2012), and its method of production and data analysis is the Analysis of Autobiographical Narratives – as will be seen, respectively, in Schütze (1976; 2014) and Jovchelovitch and Bauer (2002). This method was applied to the analysis of the aforementioned work, and collaborated in the very conception of organization of the present study, which will be arranged in seven segments, namely: (1st) Presentation (or Self Narrative); (2nd) Introductory Considerations: Firstfruits; (3rd) Theoretical-Methodological Considerations: The Analysis of Autobiographical Narratives in Public Health; (4th) Theoretical-Critical Considerations: Historical and Contemporary Readings of Brazilian Scientific Thought on Mental Health and Racism in the 20th and 21st Centuries; (5th) Systematic Review of Scientific Literature: Lima Barreto, Madness and Madness in Lima Barreto; (6th) Analysis and Discussion of Results: Narratives by Lima Barreto and Further Elucubrations; and (7th) Final Considerations: Finishings. As a result, it is worth noting that Lima Barreto was one of the first black Brazilian men to have written about the reality of a psychiatric hospital in the country, as a patient, during his own hospitalization. It cannot be categorically stated that his racial and asylum experiences led him to the mishaps he encountered in life; however, such mishaps are added to a set of analyzes that the author himself produced, in his works, about life in Brazil at the beginning of the 20th century. In these, he evidences the existence of an oppressive system before the population that is metaphorized in the expression of what should be “care” for “alienated” or “crazy” people, but which ends up revealing itself as something extremely humiliating – especially when directed to black people. Therefore, far from proposing definitive conclusions, we seek to provoke which places were reserved for the national psychological/psychiatric thought of the time in the selected work of Lima Barreto, so that this research can, then, guide the analysis of our professional practices in Mental Health today, avoiding the repetition of mistakes of the past and provoking the production of practices in Mental Health that propose, effectively, anti-asylum and anti-racist positions.

14
  • PRISCILA COIMBRA ROCHA
  • Sobre viver: mulheres negras em trajetórias de desinstitucionalização, uma perspectiva interseccional. Ome ife ukwu, “aquela que faz coisas incríveis”.

  • Orientador : MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SÔNIA BARROS
  • ANA PAULA DOS REIS
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • SILVIA LUCIA FERREIRA
  • Data: 12/12/2022

  • Mostrar Resumo
  • Trajetórias de mulheres negras loucas devem ser teorizadas, pois dizem de processos individuais e coletivos, de como se organizam sistemas de poder que operacionalizam opressões, ao classificarem e hierarquizarem grupos sociais, e de como estes determinam quem são os corpos, que, marcados em seus grupos, são elegíveis para tipificações de morte, encarceramento e adoecimento, inclusive o mental. A tese objetiva analisar em perspectiva interseccional como mulheres negras com narrativas de adoecimento e experiências de sofrimento psíquico constroem trajetórias de desinstitucionalização em saúde mental. A pesquisa é de abordagem qualitativa, de inspiração etnográfica realizada entre 2015/2016 e 2020/2021 com mulheres negras que vivenciam processos de adoecimento mental, bem como processos de recuperação, e pessoas que venham a falar dessas experiências, atendidas em serviços de saúde mental de Salvador – BA. A amostra é intencional, feita a partir da técnica de seleção bola de neve. Interseccionalidade foi tomada como perspectiva teórica e metodológica, orientada a partir da teoria e método feminista e do feminismo negro. Para a análise interseccional a abordagem foi intracategorial, por meio de entrevistas narrativas, em perspectiva biográfica, para conhecer as experiências de vida concretas das mulheres em contextos. A interpretação foi feita a partir da análise de entrevistas narrativas. As trajetórias das mulheres negras desta tese têm semelhanças quanto aos efeitos coletivos do racismo estrutural e individuais do trauma colonial. Observou-se o racismo a estrutur a vida destas mulheres, com implicações psíquicas sobre suas histórias, interseccionalizadas em raça e gênero por processos de racismo genderizado. Observou-se também a herança do trauma colonial, nas similaridades e particularidades quando das suas possibilidades no cotidiano privado e público das mulheres negras quanto à: vida em família, suas infâncias, acesso à educação e ao trabalho formal, possibilidades e formas de maternar, dificuldade de nomear o racismo, vitimizando e silenciando-as, para quais olhar psiquiatrizado foi lançado a produzir cabimento e algum cuidado. As trajetórias das mulheres negras, desta tese, têm a ensinar que é necessário e preciso racializar o cuidado em saúde mental, informado por matrizes interseccionais que considerem raça e gênero marcadores sociais da diferença que determinam as formas de viver, para perceber como o racismo genderizado atravessa e transversaliza as trajetórias de vidas de mulheres negras, com violência, moldando histórias de sofrimento psíquico e adoecimento mental. Mas não somente, há resistências, passivas e ativas. Vez racializado apontar a equidade na produção de cuidado em saúde mental.


  • Mostrar Abstract
  • Crazy black women´s trajectories, must be theorized, as they speak of individual and collective processes, how power systems that operationalize oppressions are organized, by classifying and ranking social groups, and how these determinates who the bodies are, which, marked in their groups, are eligible for typifications of death, incarceration and illness, including mental illness. The thesis aims to analyze in an intersectional perspective how black women with narratives of illness and experiences of psychic suffering build trajectories of deinstitutionalization in mental health. The research has a qualitative approach, with ethnographic inspiration, carried out between 2015/2016 and 2020/2021 with black women who experience mental illness processes, as well as recovery processes, and people who come to talk about these experiences, assisted in mental health services from Salvador – BA. The sample is intentional, made using the snowball selection technique. Intersectionality was taken as a theoretical and methodological perspective, guided by feminist theory and method and black feminism. For the intersectional analysis, the approach was intracategory, through narrative interviews, in a biographical perspective, to know the concrete black women´s life experiences in contexts. The interpretation was made from the narrative interviews´s analysis. The black women´s trajectories in this thesis have similarities in terms of structural racism´s collective effects and the colonial trauma´s individual effects. Racism was observed to structure the lives of these women, with psychic implications on their histories, intersectionalized in race and gender by gendered racism´s processes. The colonial trauma legacy was also observed, in the similarities and particularities of its possibilities in the private and public black women´s daily lives regarding: family life, their childhoods, access to education and formal work, possibilities and ways of mothering, difficulty in naming racism, victimizing and silencing them, for which a psychiatrized look was launched to produce appropriateness and some care. The black women´s trajectories in this thesis, teach that it is necessary to racialize mental health care, informed by intersectional matrices that considers race and gender social markers differences that determine ways of living, to understand how gendered racism crosses and transversalizes life trajectories of black women, with violence, shaping histories of psychic suffering and mental illness. But not only, there are resistances, passive and active. Racialized turn to point out equity in the production of mental health care.

15
  • JOSELE DE FARIAS RODRIGUES SANTA BARBARA
  • Demandas judiciais sobre acesso a medicamentos no âmbito da secretaria de saúde do estado da Bahia.

  • Orientador : LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DJANILSON BARBOSA DOS SANTOS
  • ERIKA SANTOS DE ARAGAO
  • KLEIZE ARAÚJO DE OLIVEIRA SOUZA
  • LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • YARA OYRAM RAMOS LIMA
  • Data: 15/12/2022

  • Mostrar Resumo
  • No âmbito das políticas de saúde, a judicialização tem se revelado como uma busca para a garantia de acesso a bens e serviços por intermédio de ações judiciais, assumindo um papel fundamental na moderação e na tomada de decisões sobre questões relativas à saúde. Este fenômeno vem tomando grandes proporções no Brasil desde meados da década de 1990 e tem motivado a realização de inúmeros estudos no país, sobretudo no acesso a medicamentos. O presente estudo tem como objetivo geral analisar a evolução das demandas judiciais impetradas contra a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia relativas ao acesso a medicamentos, no período de 2007 a 2016. E como objetivos específicos descrever as características sociodemográficas dos autores das ações judiciais impetradas contra a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, relativas ao acesso a medicamentos e correspondentes ao período de 2007 até 2016; caracterizar as demandas judiciais impetradas contra a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia relativas ao acesso a medicamentos, quanto aos elementos processuais, médico-sanitários e político-administrativos correspondentes ao período de 2007 até 2016; e discutir possíveis relações entre as demandas judiciais impetradas contra a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia e a incorporação de medicamentos pelo Sistema Único da Saúde-Bahia na visão dos gestores da assistência farmacêutica da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia. A pesquisa consistiu na realização de um estudo de caso, tendo como foco de análise as ações judiciais movidas contra a Secretaria da Saúde da Bahia para o fornecimento de medicamentos entre os anos de 2007 e 2016, utilizando como estratégias de produção de dados a transcrição das informações presentes nos processos judiciais e entrevistas com informantes-chaves, que pudessem revelar a existência ou não de alguma influência das demandas judiciais sobre as decisões pela incorporação de medicamentos. Constatou-se neste estudo que quase 95% das ações foram de cunho individual, que a concessão de liminar ou antecipação de tutela ocorreu em 71,08% das ações e que a Defensoria Pública foi o representante jurídico responsável pela maior parte das ações (45,4%). A entrega do medicamento foi de um a cinco dias em mais da metade dos processos (53,3%), com demanda de apenas um medicamento pela grande maioria dos demandantes. Identificou-se apenas 15 (2,7%) ações com uso off label de medicamentos e majoritariamente medicamentos que não fazem parte das listas oficiais. Cerca de 227 (45,6%) prescrições foram emitidas por médicos não vinculados ao Sistema Único de Saúde com 57,6% contendo documentos adicionais. Nas entrevistas, a maioria dos gestores afirma que o grande número de ações judiciais tem influenciado a tomada de decisões quanto à incorporação ao Sistema Único de Saúde e alguns citam que a judicialização da saúde pode contribuir para a resolução de problemas individuais, mas não do coletivo. Diante dos resultados apresentados conclui-se que a via judicial tem se consolidado como via alternativa de acesso a medicamentos no Sistema Único de Saúde-Bahia, apesar dos poderes executivo e judiciário buscarem estratégias para mitigar este fenômeno.


  • Mostrar Abstract
  • In the scope of health policies, judicialization has been revealed as a search for the guarantee of access to goods and services through lawsuits, assuming a fundamental role in moderation and decision-making on health issues. This phenomenon has been taking great proportions in Brazil since the mid-1990s and has motivated numerous studies in the country, especially in access to medicines. This study aims to analyze the evolution of lawsuits filed against the Department of Health of the State of Bahia regarding access to medicines, from 2007 to 2016. And, as specific objectives, describe the sociodemographic characteristics of the authors of the lawsuits filed against the Secretariat of Health of the State of Bahia, regarding access to medicines and corresponding to the period 2007 to 2016; characterize the lawsuits filed against the Health Secretariat of the State of Bahia regarding access to medicines, regarding procedural, medical-health and political-administrative elements corresponding to the period 2007 to 2016; and discuss possible relations between the lawsuits filed against the Health Secretariat of the State of Bahia and the incorporation of medicines by the Unified Health System-Bahia in the view of managers of pharmaceutical services of the Health Secretariat of the State of Bahia. The research consisted of conducting a case study, focusing on the analysis of lawsuits filed against the Bahia Department of Health for the supply of medicines between 2007 and 2016, Using as data production strategies the transcription of the information present in the judicial processes and interviews with informants that could reveal the existence or not of any influence of lawsuits on the decisions to incorporate medicines. It was found in this study that almost 95% of the actions were individual, that the granting of injunction or anticipation of guardianship occurred in 71.08% of the actions and that the Public Defender was the legal representative responsible for most of the actions (45.4%). The delivery of the drug was one to five days in more than half of the processes (53.3%), with demand for only one drug by the vast majority of the plaintiffs. We identified only 15 (2.7%) actions with off-label use of medicines and mostly medicines that are not part of the official lists. About 227 (45.6%) prescriptions were issued by physicians not linked to the Unified Health System with 57.6% containing additional documents. In the interviews, most managers say that the large number of lawsuits has influenced decision-making regarding the incorporation of the Unified Health System, and some cite that the judicialization of health can contribute to the resolution of individual problems, but not of the collective. Given the results presented, it is concluded that the judicial way has been consolidated as an alternative way of access to medicines in the Unified Health System-Bahia, despite the executive and judicial powers seek strategies to mitigate this phenomenon.

16
  • Marília Santos dos Anjos
  • Tuberculose infantil: desigualdades sociodemográficas e resistência medicamentosa.

  • Orientador : FEDERICO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IONARA MAGALHÃES DE SOUZA
  • FEDERICO COSTA
  • JOILDA SILVA NERY
  • MAURO NISKIER SANCHEZ
  • SUSAN MARTINS PEREIRA
  • Data: 16/12/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a tuberculose ainda se configura como um importante problema de saúde pública, sendo uma das dez principais causas de morte no mundo. A epidemiologia da tuberculose está intimamente relacionada aos determinantes sociais, pois influenciam no risco de exposição, na susceptibilidade, progressão da doença, tempo de diagnóstico e tratamento, bem como a adesão e consequentemente no sucesso do tratamento. A doença atinge de modo desigual os grupos étnicos pretos, pardos e indígenas, e tendo em vista que a maioria dos estudos sobre tuberculose contempla, em sua maioria, a faixa etária dos adultos, surge a necessidade de novos estudos sobre tuberculose com abordagem voltada para as crianças e adolescentes. Objetivo: caracterizar os determinantes relacionados ao adoecimento, ao desfecho de tratamento e à resistência medicamentosa da tuberculose em menores de 15 anos no Brasil. Metodologia: a tese está separada em três artigos. No primeiro artigo foi realizado um estudo observacional, exploratório e descritivo. A população foi composta por todos os casos de tuberculose drogarresistente nas faixas etárias de menores de 15 anos e de 15 a 19 anos. Os dados foram provenientes do Sistema de Informação de Tratamentos Especiais da Tuberculose de todo Brasil, no período de 2008-2019. A análise dos dados foi realizada através do teste exato de Fisher. O segundo artigo foi realizado um estudo exploratório de coorte retrospectiva. A população do estudo foi composta por todos os casos de tuberculose em menores de 15 anos. Os dados foram provenientes do Sistema de Informação de Agravos de Notificação de todo Brasil, no período de 2008-2019. A análise dos dados foi realizada através de regressão de Poisson com variância robusta com cálculo do Risco Relativo e intervalo de confiança de 95%. No terceiro artigo foi realizado um estudo de coorte. A população do estudo foi composta por todos os indivíduos menores de 15 anos inscritos na Coorte de 100 Milhões de Brasileiros. Os dados foram provenientes do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e posterior linkage com os dados de tuberculose registrados obrigatoriamente no Sistema de Informação de Agravos de Notificação de todo Brasil, no período de 2008-2018. Para realizar a análise, foram construídos modelos hierárquicos, através de regressão de Poisson com variância robusta, a fim de investigar os determinantes sociais da tuberculose infantil no Brasil. As análises foram realizadas no software Stata 15. Ressalta-se que, embora, os dados sejam secundários e não identificados, todos os aspectos éticos preconizados pela resolução 466/12 envolvendo pesquisa com seres humanos serão respeitados. O projeto obteve aprovação do comitê de ética em pesquisa do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (nº do parecer: 5.075.877). Resultados: em relação à população do artigo 1, temos 46 (8,3%) casos de tuberculose drogarresistente em menores de 15 anos e 509 (91,7%) casos na faixa etária de 15-19 anos. A distribuição por sexo é diferente nas duas faixas etárias, observando-se uma proporção de 70% de meninas na faixa etária menor de 15 anos e 45% na faixa de 15 a 19 anos. Outras variáveis onde foi observada diferença estatisticamente significante foram a raça/cor, forma clínica, local do provável contágio, ser contato de algum caso de tuberculose e realização do tratamento diretamente observado. Em relação ao artigo 2 temos que as crianças negras, pardas e indígenas tiveram um risco maior de ter resultados desfavoráveis em comparação com as crianças brancas (24%, 29%, e 29%, respectivamente). Crianças com menos de um ano de idade tinham um RR de 1,80 (95%CI: 1,61-2,00) e crianças de 1 a 4 anos tiveram um RR de 1,19 (95%CI: 1,06-1,33), formando as faixas etárias com maior risco de ter algum resultado desfavorável. Crianças com um teste HIV positivo apresentaram um risco quase três vezes maior de desfechos desfavoráveis do que aquelas com resultado negativo para HIV [RR: 2,61; 95%CI: 2,33-2,94)]. Em relação ao artigo 3, foram incluídos 21.619.026 indivíduos e destes, 5.743 casos de tuberculose. 51% dos casos ocorreram no sexo masculino, 68% em crianças menores de 5 anos e 60% em pessoas de raça/cor parda. A análise multivariada revelou que o local de residência, como morar nas regiões Norte e Sudeste na e zona urbana, viver num domicílio com chefe de família do sexo feminino, menor renda, densidade domiciliar e ser de raça/cor negra ou indígena estavam associados a um maior risco de tuberculose. Conclusões: é necessário reduzir a incidência dos casos de tuberculose e de tuberculose drogarresistente, sobretudo nas crianças, bem como atingir as metas e indicadores de controle da tuberculose estabelecidos pelos órgãos nacionais e internacionais. Também é imprescindível reforçar a importância da notificação no sistema de informação da tuberculose drogarresistente (SITE TB) para a produção de estimativas mais acuradas. O estudo revelou uma disparidade acentuada e maior risco de algum resultado desfavorável de tuberculose em crianças e adolescentes negros, pardos e indígenas, além de mostrar que crianças menores de cinco anos precisam de atenção especial, pois tiveram um risco maior de ter resultados desfavoráveis. Esse trabalho também contribuiu para a compreensão da situação epidemiológica da tuberculose infantil durante a última década no Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: To analyze the factors associated with the outcomes of childhood tuberculosis treatment in Brazil, emphasizing the inequalities related to age group, sex, race/ethnicity, and geographic region, in the period from 2008 to 2019. Methods: A retrospective cohort study was conducted. The study population included all cases of tuberculosis in under-15s from the whole of Brazil reported in the National Disease Notification System. The relative risks (RRs) and their confidence intervals (95%CIs) were estimated using Poisson regression with robust variance. This project was approved by the research ethics committee under protocol number 5,075,877. Results: Black, brown, and indigenous children had a higher risk of having unfavorable outcomes compared with white children (24%, 29%, and 29%, respectively). Children under one year old had a RR of 1.80 (95%CI: 1.61-2.00) and children aged 1 to 4 had a RR of 1.19 (95%CI: 1.06-1.33), forming the age groups with the highest risk of having some unfavorable outcome. Children with a positive HIV test presented an almost three times higher risk of unfavorable outcomes than those with a negative HIV result [RR: 2.61; 95%CI: 2.33-2.94)]. Conclusion: The study revealed an accentuated disparity and higher risk of some unfavorable outcome of TB in black, brown, and indigenous children and adolescents, as well as showing that children under five years old need special attention, as they had a higher risk of having unfavorable outcomes.

2021
Dissertações
1
  • JUCIDALVA NASCIMENTO GOMES
  • Tecendo Narrativas: trajetórias de vida de mulheres negras com doença falciforme sob um olhar interseccional

  • Orientador : CLARICE SANTOS MOTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • ROSA CANDIDA CORDEIRO
  • SILVIA LUCIA FERREIRA
  • Data: 26/02/2021

  • Mostrar Resumo
  • Estudos têm comprovado que raça, gênero e classe social se articulam produzindo experiências distintas para homens e mulheres. A doença falciforme (DF) é uma condição crônica que marca a vida de mulheres negras com a doença e aponta a interseccionalidade de raça, gênero e classe social. Parte-se do pressuposto que ser negra e, principalmente com uma doença crônica, contribui para a dificuldade dessas mulheres no contexto brasileiro ao se firmarem como sujeitas ativas e acessar serviços de saúde em busca por cuidados. Buscou-se compreender as trajetórias de vida de mulheres negras com doença falciforme e os significados que elas atribuem aos impactos da doença em diversos âmbitos de suas vidas, além dos processos em busca de cuidados. Para entender estas experiencias precisa-se aplicar uma análise interseccional ao se debruçar sobre suas trajetórias de vida. A presente pesquisa analisou a trajetória de vida de mulheres negras com doença falciforme e conheceu as experiências que essas mulheres vivenciam em seu cotidiano e suas percepções acerca de se viver com a DF. Delineou-se um estudo descritivo/exploratório, com abordagem qualitativa, desenvolvido a partir das histórias de vida de mulheres negras com DF residentes em Salvador e região metropolitana. Colaboraram com a pesquisa dez mulheres negras com a doença, das quais oito têm doença falciforme tipo HbSS, conhecida como anemia falciforme e duas com doença falciforme tipo HbSC, com idade variando entre 25 e 54 anos de idade. Todas proveniente de famílias da classe popular. As entrevistas foram realizadas entre os meses de dezembro de 2019 e julho de 2020. A perspectiva feminista e antirracista foi à base para o desenvolvimento desta pesquisa. O racismo se expressa em diversas formas na vida da população negra. A doença falciforme marca profundamente a vida das pessoas acometidas pela doença, pois impedem que o convívio e os processos de socialização sejam plenamente vividos, esses elementos foram considerados quando as mulheres negras com DF se referiram às marcas da doença que as impossibilitaram nas interações sociais. Essas mulheres buscam a transformação do papel social que lhes foi dado, a de mulher negra com DF cheio de estigmas, estereótipos e cerceamento. Identificamos, também, nesse estudo que as mulheres negras com DF informam uma dinâmica no serviço de saúde que desconsideram suas condições sociais e culturais e desqualificam as suas experiências vividas. Conclui-se que é necessário reconhecer as mulheres negras com a doença falciforme como sujeitas ativas, pois esse reconhecimento abre espaço para o cuidado compartilhado e melhor qualidade de vida destas. As interlocutoras se mostraram capazes de gerir seu próprio corpo estabelecendo os limites e as possibilidades promovendo o autocuidado. Mesmo com todas as dificuldades que a sintomatologia da doença, essas mulheres desenvolveram estratégias que permitiram prosseguir com seus planos, dando conta do que havia sido elaborado nas suas construções subjetivas.


  • Mostrar Abstract
  • Studies have proven that race, gender and social class are articulated, producing different experiences for men and women. Sickle cell disease (DF) is a chronic condition that marks the lives of black women with the disease and points out the intersectionality of race, gender and social class. It is assumed that being black and, especially with a chronic disease, contributes to the difficulty of these women in the Brazilian context by establishing themselves as active subjects and accessing health services in search of care. We sought to understand the life trajectories of black women with sickle cell disease and the meanings they attribute to the impacts of the disease in different areas of their lives, in addition to the processes in search of care. To understand these experiences, it is necessary to apply an intersectional analysis when looking at their life trajectories. This research analyzed the life trajectory of black women with sickle cell disease and got to know the experiences that these women have in their daily lives and their perceptions about living with DF. A descriptive / exploratory study with a qualitative approach was developed, based on the life stories of black women with DF living in Salvador and the metropolitan region. Ten black women with the disease collaborated with the research, of which eight have sickle cell disease type HbSS, known as sickle cell anemia and two with sickle cell disease type HbSC, with ages varying between 25 and 54 years old. All of them come from low-income families. The interviews were conducted between the months of December 2019 and July 2020. The feminist and anti-racist perspective was the basis for the development of this research. Racism is expressed in different forms in the life of the black population. Sickle cell disease profoundly marks the lives of people affected by the disease, as they prevent socializing and socialization processes from being fully experienced, these elements were considered when black women with SCD referred to the marks of the disease that made it impossible in social interactions. These women seek to transform the social role they were given, that of a black woman with a DF full of stigmas, stereotypes and restraint. We also identified in this study that black women with SCD report a dynamic in the health service that disregards their social and cultural conditions and disqualifies their experiences. It is concluded that it is necessary to recognize black women with sickle cell disease as active subjects, as this recognition opens space for shared care and a better quality of life for them. The interlocutors proved to be able to manage their own bodies, establishing the limits and possibilities promoting self-care. Even with all the difficulties that the symptoms of the disease had, these women developed strategies that allowed them to proceed with their plans, giving an account of what had been elaborated in their subjective constructions.

2
  • ADILANE DOS SANTOS BARBOSA
  • Tecendo histórias: ressonâncias do sofrimento psíquico de mães “loucas” nos processos de subjetivação de seus filhos.

  • Orientador : MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IZABEL CHRISTINA FRICHE PASSOS
  • MONICA DE OLIVEIRA NUNES DE TORRENTE
  • VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • VLADIA JAMILE DOS SANTOS JUCA
  • Data: 21/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • O presente artigo visa problematizar as relações estabelecidas entre loucura e parentalidade, a partir de uma revisão narrativa acerca das publicações existentes sobre a temática. Além de livros e capítulos de livros, buscamos artigos publicados em língua portuguesa, espanhola e inglesa. A análise foi feita por meio da leitura de vinte e quatro artigos selecionados, sua sistematização e análise crítica. Os artigos apontaram para impactos no desenvolvimento das crianças, filhas de pais com “transtornos mentais”. Alguns estudos assinalaram um risco maior entre essas crianças em desenvolver também “transtornos”. Encontramos uma escassez de estudos no campo das ciências humanas e sociais. Das publicações em língua portuguesa, sete artigos refletiam sobre o direito a parentalidade e a necessidade de cuidar da construção do laço entre pais, mães e filhos no contexto da reforma psiquiátrica. E apenas dois artigos na literatura nacional se debruçam mais detidamente sobre a experiência dos filhos. Consideramos pertinente o desenvolvimento de estudos que reflitam sobre como os filhos significam sua condição e como é para eles a experiência de crescer com um pai e/ou uma mãe com sofrimento psíquico, bem como a ampliação dos estudos abordando os marcadores sociais de desigualdade e de diferenças como raça, gênero e classe.


  • Mostrar Abstract
  • This article aims to problematize the relations established between madness and parenting, based on a narrative review of existing publications on the subject. In addition to books and book chapters, articles published in Portuguese, Spanish and English were sought. The analysis was done by reading the twenty four selected articles, its systematizing and critical analysis. Most of the articles pointed to impacts on the development of children, daughters of parents with "mental disorders". Some studies have pointed out a higher risk among these children to develop “disorders” as well. We found a shortage of studies in the field of human and social sciences. Regarding Portuguese-language publications, seven articles reflected on the right to parenting and the need to take care of building the bond between parents, mothers and children in the context of psychiatric reform. Only two articles in the national literature focus more closely on the children's experience.We consider it pertinent to develop studies that reflect on how children signify their condition and what the experience of growing up with a father and / ora mother with psychological distress is for them, as well as the expansion of studies addressing the social markers of inequality and differences such as race, gender and class.

3
  • PATRICIA CONCEIÇÃO DA SILVA
  • CONGRESSO NACIONAL, MÍDIA E POLÍTICAS DE SAÚDE (BRASIL, 2015 a 2017)

  • Orientador : JAIRNILSON SILVA PAIM
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RODRIGO MURTINHO DE MARTINEZ TORRES
  • JAIRNILSON SILVA PAIM
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 29/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • As relações entre políticas de saúde, Parlamento e mídia têm sido pouco exploradas em pesquisas realizadas noBrasil na área da Saúde Coletiva. Esta investigaçãotem como objetivo analisar a cobertura da mídia sobre a atuação do Poder Legislativo em questões relacionadas às políticas de saúde. Para isso, foi realizado um estudo de caso do portal da Folha de S. Paulo, no período de 2015 a 2017, adotando como referencial teórico elementos da teoria ampliada do Estado, deAntonio Gramsci, e reflexões acerca das concepções de esfera pública e opinião pública, de Jürgen Habermas, bem como os lugares ocupados pela mídianeste quadro de discussão. A análise de documentos legislativos do Parlamentobrasileiroe das notícias sobre a atividade parlamentar aponta quais são os temas com maior visibilidade –com destaque para financiamento, políticas de saúde, planos de saúde evigilância sanitária –e menor visibilidadenojornal e no Congresso Nacional, entre eles Aids, saúde indígena, LGBT, medicamentos genéricose população negra. O estudo discute ainda possíveis fatores associados ao fenômeno, tais como o alinhamento entre o jornal e a agenda econômica neoliberal do governo, permitindo a compreensão de quais proposições relacionadas às políticas de saúde tornam-se notícias.


  • Mostrar Abstract
  • The relations between health policies, Parliament and media have been little explored in research carried out in Brazil in the area of Public Health. This investigation has as objectiveto analyze the media coverage of the role of the Legislative in issues related to health policies. To this end, a case study of the Folha de S. Paulo portal was carried out, from 2015 to 2017, adopting elements of the expanded theory of the State, by Antonio Gramsci, and reflections on the concepts of public sphere and public opinion,by Jürgen Habermas, as a theoretical reference, as well as the places occupied by the media in this discussion board. The analysis of legislative documents in the Brazilian Parliament and news about parliamentary activity points out which topics are more visible–with emphasis on financing, health policies, health plans and health surveillance–and less visiblein the newspaper and in the National Congress, among them AIDS, indigenous health, LGBT, generic drugs and the black population. The study also discusses possible factors associated with the phenomenon, such as the alignment between the newspaper and the government's neoliberal economic agenda, allowing the understanding of which proposals related to health policies become news.

4
  • THIALA MARIA CARNEIRO DE ALMEIDA
  • Aspectos estruturais de unidades básicas de saúde para qualidade da atenção às pessoas com diabetes mellitus.

  • Orientador : MARILUCE KARLA BOMFIM DE SOUZA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MARILUCE KARLA BOMFIM DE SOUZA
  • ROSEANNE MONTARGIL ROCHA
  • SAMILLY SILVA MIRANDA
  • Data: 26/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • A estrutura é um dos componentes para a análise do desempenho dos serviços que favorecem a oferta de serviços oportunos e de qualidade. Nesse sentido, este estudo tem por objetivo: Analisar as condições estruturais de unidades de saúde e as diretrizes, objetivos/metas da gestão municipal relacionadas a qualidade destes serviços nas capitais segundo regiões brasileiras, tendo em vista atenção às pessoas com Diabetes Mellitus. Para tanto, foi elaborado um modelo lógico para atenção às pessoas com Diabetes, com base em uma revisão normativa e em referencial sobre qualidade, que considerou as dimensões da Gestão e do Cuidado, como ponto de partida para definição das subdimensões da estrutura das unidades de saúde. Tais subdimensões e respectivas variáveis foram utilizadas para direcionar a busca de dados a estas relacionadas no banco do Programa de Melhoria de Acesso e Qualidade da Atenção Primária à Saúde, do 3º ciclo, disponibilizado online pelo Ministério da Saúde. Os resultados a partir do banco e    uso do programa Stata 10 foram organizados e apresentados sob a forma de tabelas em valores numéricos e de frequência simples, considerando os dados disponíveis das capitais por região do Brasil. A partir dos resultados sobre a estrutura das unidades de saúde de capitais brasileiras, foram selecionados, para análise documental, os Planos de Saúde (PMS) daqueles municípios que apresentaram percentual de inadequação maior que 50% para no mínimo quatro dimensões dentre as sete analisadas neste estudo. Todos os resultados foram analisados à luz do referencial teórico sobre qualidade dos serviços, com ênfase na estrutura, e sobre o plano de saúde enquanto instrumento de gestão que direciona as ações para melhoria da qualidade do sistema e dos serviços de saúde. O estudo revelou diferenças entre as capitais quanto aos aspectos relacionados às dimensões recursos humanos, organização e informações sobre a oferta de ações e serviços. Sobre ambiência e medicamentos obtiveram os maiores percentuais de adequação nas capitais das regiões Sudeste e Sul. Os resultados relacionados à acessibilidade e estrutura física foram próximos para as capitais das diversas regiões brasileiras, cabendo ressaltar que a acessibilidade obteve melhor resultado geral. Foi destacada a necessidade de adequação das condições estruturais das unidades básicas de saúde para a maioria das capitais brasileiras em algum (ns) dos aspectos analisados. A partir da análise dos planos municipais de saúde do quadriênio 2018-2021, destacou-se a referência ao PMAQ em três destes e a identificação de metas relacionadas a ampliação e reforma de unidades, e em alguns, a disposição de equipamentos para o desenvolvimento dos serviços. Os planos pouco trouxeram sobre a ambiência e um deles estabeleceu como meta horário de funcionamento estendido em algumas das unidades de saúde. A implementação da assistência farmacêutica também foi assumida enquanto compromisso em alguns planos. Portanto, este estudo revelou aspectos das dimensões de estrutura das unidades de saúde das capitais brasileiras, o que evidencia as particularidades, potencialidades e fragilidades que merecem ser consideradas para definição da agenda e direcionamento das ações pela gestão em saúde, uma vez que as condições de inadequação podem trazer impactos sobre a qualidade da atenção às pessoas com diabetes na Atenção Primária à Saúde.   


  • Mostrar Abstract
  • The structure is one of the components for analyzing the performance of services that favor the provision of timely and quality services. In this sense, this study aims to: Analyze the structural conditions of health units and the guidelines, objectives / goals of municipal management related to the quality of these services in the capitals according to Brazilian regions, with a view to attention to people with Diabetes Mellitus. For that reason a logical model for care for people with Diabetes was elaborated, based on a normative review and on quality referential, which considered the dimensions of Management and Care, as a starting point for defining the sub-dimensions of the structure of the healthcare units. health. Such subdimensions and respective variables were used to direct the search for data related to them in the Program of the Improvement of Access and Quality of Primary Health Care, of the 3rd cycle, made available online by the Ministry of Health. The results from the bank were organized and systematized using the Stata 10 program and presented in the form of tables in numerical values and simple frequency, considering the available data of the capitals by region of Brazil. From  the results on the structure of health units in Brazilian capitals, the Health Plans (PMS) of those municipalities that presented a percentage of inadequacy greater than 50% for at least four dimensions among the seven analyzed in this study were selected for documentary analysis study. All results were analyzed in the light of the theoretical framework on service quality, with an emphasis on structure, and on the health plan as a management tool that directs actions to improve the quality of the health system and services. The study revealed differences between the capitals regarding aspects related to the dimensions of human resources, organization and information on the offer of actions and services. About ambience and medicines, they obtained the highest percentages of adequacy in the capitals of the Southeast and South regions. The results related to accessibility and physical structure were similar for the capitals of the various Brazilian regions, it should be noted that accessibility obtained a better overall result. The need to adapt the structural conditions of basic health units to most Brazilian capitals was highlighted in some (ns) of the aspects analyzed. Based on the analysis of the municipal health plans for the 20182021 quadrennium, reference was made to the PMAQ in three of these and the identification of goals related to the expansion and renovation of units, and in some, the provision of equipment for the development of the units. services. The plans brought little about the ambience and one of them established an extended working time in some of the health units as a goal. The implementation of pharmaceutical assistance was also assumed as a commitment in some plans. As a result, this study revealed aspects of the structure dimensions of health units in Brazilian capitals, which highlights the particularities, strengths and weaknesses that deserve to be considered for defining the agenda and directing actions by health management, since health conditions inadequacy can have an impact on the quality of care for people with diabetes in Primary Health Care. 

5
  • EDNEIA CARLA PASSOS DOS SANTOS
  • A invisibilidade da leptospirose urbana no cotidiano de uma unidade de APS: a trama da produção de negligência.

  • Orientador : LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LENY ALVES BOMFIM TRAD
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • MONICA ANGELIM GOMES DE LIMA
  • YEIMI ALEXANDRA ALZATE LOPEZ
  • JOÃO LUÍS GONÇALVES DOS REIS NUNES
  • Data: 10/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • As comunidades distanciadas dos serviços de assistência médica, educação, cultura e lazer são mais vulneráveis à ocorrência de problemas socioambientais, com danos ao meio ambiente e a esses grupos populacionais. A leptospirose humana é uma doença potencialmente letal cujo impacto social e econômico na população brasileira é subestimado. Um problema de saúde negligenciado pelos processos que produzem invisibilidades programática dessa doença. Diante dessa realidade, este estudo tem o objetivo geral de analisar o processo de produção de negligência em relação a leptospirose urbana, considerando as percepções e atuação de profissionais da atenção primária à saúde em um bairro popular de Salvador/BA. Trata-se de um estudo qualitativo, com a realização de entrevistas semiestruturadas com profissionais de saúde, de diferentes categorias, um grupo focal com os agentes comunitários em saúde e observação participante no cotidiano do trabalho em saúde, com registros no diário de campo.  A análise dos dados, orientada pela antropologia interpretativa, procurou identificar as estruturas de significações inscritas no discurso social expressos nas narrativas produzidas pelos profissionais de saúde e/ou nas suas práticas concretas em relação as questões da leptospirose urbana e o território em questão. Os resultados apontam a leptospirose como uma doença da pobreza, marcada pela invisibilidade em múltiplos aspectos: do problema em si, dos seus determinantes sociais e dos seus efeitos para as comunidades e pessoas afetadas. Tal invisibilidade contribui para a inação dos profissionais de saúde que ali atuam, a qual é uma decorrência de lacunas nos processos formativos (pregressas e contínuas no âmbito profissional) sobre a doença em seu amplo contexto socioambiental. A ausência de ações intersetoriais unida ao subdiagnóstico clinico, a subnotificação e o próprio descaso com a população acometida, fundamenta discursos segregatícios, de marginalização e menosprezo. Por fim, destacamos que o processo de negligenciamento faz com que a leptospirose urbana persista nos territórios e entre os grupos sociais marginalizados, refletindo a ausência sistemática políticas públicas de moradia, ambiental, de saúde e de educação para as classes mais vulnerabilizadas na história do país, sendo uma das expressões das desigualdades sócio espaciais em nossa sociedade. Considera-se, também, necessárias e urgentes abordagens mais amplas para detecção do diagnóstico precoce, e devem fazer parte da APS, para que ocorra ações que promovam a detecção precoce da doença e a redução da letalidade observada no país. 


  • Mostrar Abstract
  • Communities distanced from health care, education, culture and leisure services are more vulnerable to the occurrence of socio-environmental problems, with damage to the environment and these population groups. Human leptospirosis is a potentially lethal disease whose social and economic impact on the Brazilian population is underestimated. A health problem neglected by the processes that produce programmatic invisibilities of this disease. Given this reality, this study has the general objective of analyzing the process of producing negligence in relation to urban leptospirosis, considering the perceptions and performance of primary health care professionals in a popular neighborhood of Salvador / BA. This is a qualitative study, with semi-structured interviews with health professionals, of different categories, a focus group with community health agents and participant observation in the daily work of health, with records in the field diary. Data analysis, guided by interpretive anthropology, sought to identify the structures of meanings inscribed in the social discourse expressed in the narratives produced by health professionals and / or in their concrete practices in relation to the issues of urban leptospirosis and the territory in question. The results point to leptospirosis as a disease of poverty, marked by invisibility in multiple aspects: the problem itself, its social determinants and its effects on affected communities and people. Such invisibility contributes to the inaction of the health professionals who work there, which is a result of gaps in the training processes (past and continuous in the professional field) about the disease in its broad socio-environmental context. The absence of intersectoral actions coupled with clinical underdiagnosis, underreporting and neglect with the affected population, is the basis for segregation, marginalization and disparagement. Finally, we highlight that the neglect process causes urban leptospirosis to persist in territories and among marginalized social groups, reflecting the systematic absence of public housing, environmental, health and education policies for the most vulnerable classes in the country's history, being one of the expressions of socio-spatial inequalities in our society. Broader approaches for detecting early diagnosis are also considered necessary and urgent, and should be part of PHC, so that actions can be taken to promote the early detection of the disease and reduce the lethality observed in the country. 

6
  • INÊS CAROLINE MAGALHÃES COSTAL
  • SAÚDE E COBERTURA JORNALÍSTICA DOS GOVERNOS LULA II E TEMER NA FOLHA DE S. PAULO: POLÍTICAS, GESTÃO E AMEAÇAS AO SUS

  • Orientador : JAIRNILSON SILVA PAIM
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAIRNILSON SILVA PAIM
  • LIGIA MARIA VIEIRA DA SILVA
  • ELIANE BARDANACHVILI
  • Data: 25/08/2021

  • Mostrar Resumo
  •  O modo pelo qual a imprensa aborda o tema saúde e, particularmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) em diferentes governos tem sido objeto de estudos nos últimos anos. Nessa perspectiva, a presente investigação tem como objetivos identificar atores e posicionamentos divulgados na cobertura jornalística sobre as políticas de saúde nos governos Lula e Temer, verificar se a mesma expõe ameaças ao direito à saúde e ao SUS e analisar possíveis diferenças na atuação da imprensa. Para tanto, foi realizado um estudo de caso comparativo a partir de textos publicados no portal do jornal Folha de S.Paulo, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2007 e de 12 de maio de 2016 a 30 de abril de 2017. Foi utilizada a análise de conteúdo, com uma categorização temática que considerou três grandes grupos: Problemas/necessidades de saúde e determinantes sociais da saúde; Sistema de saúde; Saber em saúde. O estudo adotou o referencial da agenda-setting (agendamento), e da framing analysis (análise de enquadramento), além de elementos teóricos gramscianos. Buscou identificar qual SUS aparece no conjunto de textos analisados, segundo as concepções de “SUS formal”, “SUS real”, “SUS para pobres” e “SUS democrático”. Os resultados obtidos revelaram que a cobertura jornalística sobre saúde se manteve com características similares em relação a diversos temas nos dois governos, em particular na categoria “Problemas/necessidades de saúde e determinantes sociais da saúde”, com uso recorrente apenas de fontes governamentais, desconsideração da determinação social da saúde e pouca contextualização. Há pouca visibilidade do financiamento do sistema e dos impactos da insuficiência de recursos. A cobertura expõe problemas do SUS e a necessidade de mudanças, com questionamento, durante o governo Temer, quanto à viabilidade do sistema existir como determinado constitucionalmente. Neste governo, o setor privado aparece como protagonista na proposição de mudanças. O estudo discute coberturas jornalísticas, concepções prevalentes do SUS e os projetos em disputa. Expõe que porquanto tenha defendido a universalidade do SUS e divulgado críticas à defesa dos interesses do setor privado, o jornal não se opõe ao insuficiente orçamento para o sistema e legitima iniciativas que o fragilizam e contribuem para a sua desconstrução, fortalecendo o “SUS para pobres” e o “SUS real”. Aponta que a mudança de compreensão sobre o SUS, a qual se relaciona a divulgação de uma imagem não distorcida na cobertura jornalística, pode contribuir para a obtenção do apoio político necessário ao seu fortalecimento, ampliando as bases sociais e políticas da Reforma Sanitária Brasileira, com uma nova hegemonia e redefinição da relação Estado-Sociedade.


  • Mostrar Abstract
  • The way in which the press approaches the health thematic and, particularly, the Brazilian Unified Health System (SUS) in different governments have been the object of studies in recent years. From this perspective, the current investigation aims to identify actors and positions disseminated in the news coverage about health policies in the Lula and Temer governments, to verify whether it exposes threats to the right to health and to the SUS, and to analyze possible differences in the press coverage. For this purpose, a comparative case study was carried out based on published articles in the Folha de S.Paulo newspaper website, from January 1st to December 31st, 2007, and from May 12th, 2016 to April 30th, 2017. The theory of content analysis was used, with a thematic categorization that considered three large groups: Health problems/needs and social determinants of health; Health system; Health knowledge. The study adopted the concepts of agenda-setting and framing analysis, in addition to theoretical elements from Gramsci. It attempted to identify which SUS appears in the set of texts analyzed, according to the conceptions of “formal SUS”, “real SUS”, “SUS for the poor” and “democratic SUS”. The results obtained revealed that journalistic coverage about health remained with similar characteristics regarding several themes in the two governments, particularly in the category "Problems/health needs and social determinants of health", with the recurrent use of government sources exclusively, disregard of the social determinants of health and limited contextualization. There is a lack of awareness about how the system is funded and the consequences of insufficient resources. The coverage exposes SUS problems and the need for changes, and during the Temer government, it also questions the possibility of the system remaining existing as it is required in the Constitution. During this government, the private sector appears as the protagonist in proposing changes. The study discusses journalistic coverage, prevailing conceptions of the SUS, and its disputed projects. It states that, as it has defended the universality of the SUS and publicized criticisms of the defense of the interests of the private sector, the newspaper does not oppose the insufficient budget for the system and legitimizes initiatives that weaken it and contribute to its deconstruction, strengthening the “SUS for the poor ” and the “real SUS”. It points out that the change in understanding about the SUS, which is related to the dissemination of an undistorted image in journalistic coverage, can contribute to obtaining the political support necessary for its strengthening, expanding the social and political bases of the Brazilian Health Reform, with a new hegemony and redefinition of the State-Society relationship.

7
  • GABRIELA ALMEIDA BORGES
  • Análise da relação entre unidades de Atenção Primária à Saúde e de Pronto Atendimento: determinantes, escolhas e desafios organizativos

  • Orientador : MARIA GUADALUPE MEDINA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GISELE O'DWYER DE OLIVEIRA
  • AYLENE EMILIA MORAES BOUSQUAT
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MARIA GUADALUPE MEDINA
  • Data: 26/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Há uma crescente demanda aos serviços de urgência e emergência, que muitas vezes não corresponde ao caráter de urgência. Por outro lado, a APS é apontada por permanecer voltada às ações preferencialmente “preventivas e programáticas”, em detrimento do acolhimento e atendimento de cidadãos acometidos por quadros agudos de baixa complexidade. No Brasil, Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPA) tiveram grande expansão a partir do ano de 2008, e apesar do destaque ao caráter assistencial e do pronto-atender, foi formulada com a missão legal de compor um complexo assistencial vinculado à atenção primária. No entanto, algumas evidências apontam para uma relação informal e desarticulada entre a APS e a UPA, sobretudo na condução dos atendimentos de urgência de menor gravidade, que merecem melhor investigação. Os objetivos do estudo foram: Analisar a dinâmica organizativa que se estabelece na relação entre as unidades de Atenção Primária à Saúde (APS) e de Pronto Atendimento (UPA) 24h no município de Petrolina-PE; Identificar fluxos assistenciais e mecanismos de integração existentes entre os serviços de APS e UPA; Analisar as atribuições e competências das APS e UPA em situações de baixa urgência; Caracterizar os fatores determinantes nas escolhas dos usuários entre a busca por serviços de urgência e de APS. Trata-se de um estudo de caso único em um município da Rede Interestadual de Saúde do Vale Médio São Francisco (Rede PEBA), Nordeste do Brasil. Considerou-se como fontes primárias de evidência as informações registradas no diário de campo da pesquisadora, dados obtidos mediante entrevistas semiestruturadas com profissionais, gestores e usuários da UPA 24h e APS e, como fontes secundárias, documentos das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde e da UPA. As informações foram processadas com o auxílio do programa NVIVO. Adotou-se como categorias de análise quatro dimensões de integração baseadas no conceito de ‘sistema integrado de saúde’ proposto por Contandriopoulos: Integração clínica; Integração Funcional; Integração Sistêmica e Integração Normativa. As evidências produzidas indicam baixa integração entre a APS e a UPA nas diferentes dimensões estudadas. Desde os elementos mais operacionais, descritos predominantemente na integração funcional, até os elementos mais subjetivos, referidos na integração normativa, apontam lacunas para a efetiva integração entre os serviços. Ademais, há um descompasso entre o perfil de atendimento relacionado às urgências de baixa gravidade realizado pelos dois níveis de atenção e a “visão ideal" dos profissionais e gestores a respeito do que deveria ser esse atendimento. Na UPA, atende-se majoritariamente situações de baixa gravidade, perfil de atendimento compreendido pelos atores como adequado à APS. Em contrapartida, as ESF possuem limitações para o exercício dessa função. Como consequência, ocorre a não priorização desse perfil de usuários em ambos os serviços. Ainda assim, a UPA acaba respondendo por uma grande parcela dessa demanda, provocando nos sujeitos das buscas a percepção de que são ainda mais preteridos pela APS, tendo como consequência a baixa confiança e credibilidade em relação ao atendimento na atenção primária.


  • Mostrar Abstract
  • There is a growing demand for urgent and emergency services, which often does not correspond to the urgency character. On the other hand, the APS is singled out for remaining focused on preferentially “preventive and programmatic” actions, to the detriment of welcoming and attending to citizens affected by low-complexity acute conditions. In Brazil, 24-hour Emergency Care Units (UPA) had a great expansion from the year 2008, and despite the emphasis on the assistance and emergency services, it was formulated with the legal mission of composing a care complex linked to primary care. However, some evidence points to an informal and fragmented relationship between the "APS" and the UPA, especially in the conduct of less severe emergency care, which deserves further investigation. The objectives of the study were: To analyze the organizational dynamics established in the relationship between the Primary Health Care (APS) and 24-hour Emergency Care (UPA) units in the city of Petrolina-PE; Identify assistance flows and existing integration mechanisms between APS and UPA services; Analyze the attributions and competences of the APS and UPA in situations of low urgency; Characterize the determining factors in the choices of users between the search for emergency services and APS. This is a unique case study in a municipality of the Interstate Health Network of the Middle São Francisco Valley (PEBA Network), Northeastern Brazil. The primary sources of evidence were the information recorded in the researcher's field diary, data obtained through semi-structured interviews with professionals, managers and users of the 24h UPA and APS and, as secondary sources, documents from the State and Municipal Health and UPA. The information was processed with the help of the NVIVO software. Four dimensions of integration were adopted as categories of analysis based on the concept of 'integrated health system' proposed by Contandriopoulos: Clinical integration; Functional Integration; Systemic Integration and Normative Integration. The evidence produced indicates low integration between APS and UPA in the different dimensions studied. From the more operational elements, predominantly described in functional integration, to the more subjective elements, referred to in normative integration, they point out gaps for the effective integration between services. Furthermore, there is a mismatch between the profile of care related to low severity emergencies provided by the two levels of care and the “ideal view” of professionals and managers regarding what this care should be. In the UPA, mostly low severity situations are attended to, a service profile understood by the actors as adequate for APS. On the other hand, the ESF have limitations for exercising this function. As a result, this user profile is not prioritized in both services. Still, the UPA has just accounting for a large portion of this demand, causing the search subject in the perception that are even more unsuccessful by APS, resulting in low confidence and credibility in relation to services in primary care.

8
  • MONICA MACHADO DE MATOS
  • A multiplicidade da síndrome congênita do Zika.

  • Orientador : JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IARA MARIA DE ALMEIDA SOUZA
  • JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • LITZA ANDRADE CUNHA
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • Data: 01/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • No final do ano de 2015, o nascimento de crianças cujo corpo apresentava um funcionamento que não correspondia aos padrões conhecidos e considerados normais em cidades do nordeste brasileiro, chamou a atenção de todo o mundo. Um fenômeno inédito que traz na sua gênese questões de saúde, sociais, políticas e econômicas e que provocou inúmeros desdobramentos, mobilizando diversos agentes. Este trabalho teve como objetivo principal explorar os modos de atuação do que se promulgou chamar, em termos biomédicos, de Síndrome Congênita do Zika (SCZ). Neste percurso, foram adotados pressupostos das Novas Abordagens de pesquisa e produção de conhecimento das Ciências Sociais da Saúde, a partir da Teoria-AtorRede, embasados principalmente nos trabalhos da etnógrafa Annemarie Mol. Utilizando-se do conceito de realidades múltiplas,  partiu-se de práticas de famílias que participaram de um projeto de intervenção que teve como objetivo ampliar o conhecimento e as habilidades de famílias de crianças diagnosticadas com a scz. A partir de práticas articuladas ao trabalho de campo, foram identificadas versões múltiplas da doença e as interconexões entre suas performances nas quais as diversas síndromes congênitas do zika foram sendo produzidas e distribuídas de variadas formas, em diversos contextos, resultando em realidades distintas.   


  • Mostrar Abstract
  • At the end of 2015, the birth of children whose bodies had a functioning that did not correspond to the standards known and considered normal in cities in northeastern Brazil, attracted the attention of the whole world. An unprecedented phenomenon that brings in its genesis issues of health, social, political and economic and that caused numerous developments, mobilizing various agents. The main objective of this work was to explore the modes of action of what was promulgated to call, in biomedical terms, Congenital Zika Syndrome (CSZ). In this path, assumptions were adopted from the New Approaches to research and knowledge production in the Social Sciences of Health, from the Actor-Network Theory, based mainly on the work of the ethnographer Annemarie Mol. Using the concept of multiple realities, we started from practices of families who participated in an intervention project that aimed to expand the knowledge and skills of families of children diagnosed with scz. From practices articulated to fieldwork, multiple versions of the disease and the interconnections between its performances were identified in which the various congenital Zika syndromes were being produced and distributed in different ways, in different contexts, resulting in different realities.

9
  • JULIANA TERRIBILI NOVAES SANTOS
  • A LUTA PELO DIREITO À SAÚDE EM ILHA DE MARÉ: concepções locais e estratégias coletivas

  • Orientador : CLARICE SANTOS MOTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLARICE SANTOS MOTA
  • MARCELO EDUARDO PFEIFFER CASTELLANOS
  • MARINA CHRISTINE ROUGEON FARIAS
  • MONICA ANGELIM GOMES DE LIMA
  • Data: 10/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem por objetivo analisar a atualidade das lutas sociais por direito à saúde, enfocando na experiência e no ponto de vista de comunidades tradicionais localizadas em Ilha de Mare, Salvador, Bahia. Observa-se que os limites da efetivação do direito à saúde se apresentam de forma desigual na população brasileira, fruto de um longo processo de exclusão de grupos sociais, historicamente negligenciados pelo Estado brasileiro, nas políticas de saúde. O estudo situa as comunidades tradicionais, habitantes da Ilha de Maré e as suas condições socioambientais, concedendo primazia as explicações dos agentes sociais implicados na luta por mudanças na realidade social. A perspectiva dessa pesquisa é trazer para o debate das lutas sociais por direito à saúde as vozes sistematicamente ausentes dos processos decisórios o qual definem os projetos de desenvolvimento econômico e social e as políticas de saúde nos territórios. Para tanto, propõe-se uma metodologia que se utiliza de instrumentos etnográficos para conhecer de forma aprofundada o ponto de vista das comunidades da Ilha de Maré, estabelecendo como interlocutores das comunidades suas lideranças políticas as quais representam sujeitos coletivos envolvidos nas lutas sociais. Nesse sentido, a pesquisa enfoca nas explicações das lideranças comunitárias sobre a situação de saúde e as formas de reivindicar o direito à saúde. Toma-se como base teórica para a análise das lutas sociais o território e os processos de interação entre marisqueiras e pescadores artesanais o contexto macroestrutural ao qual essas lutas eclodem. Tem-se como resultado o entrelaçamento da saúde com o território e a territorialidade, com a justiça ambiental e com reconhecimento dos direitos de cidadania das comunidades tradicionais. Observa-se a construção de argumentos baseados na ciência racionalista para dar legitimidade as demandas em saúde dessas comunidades, demonstrando a necessidade de a Saúde Coletiva repensar suas bases teóricas que contribuam para o fortalecimento das lutas sociais que trazem a saúde como objeto de reivindicação e novos horizontes para as políticas de saúde no Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • This research aims to analyze the actuality of social struggles for the right to health, focusing on the experience and point of view of traditional communities located in Ilha de Mare, Salvador, Bahia. It is observed that the limits of the realization of the right to health are presented unequally in the Brazilian population, the result of a long process of exclusion of social groups, historically neglected by the Brazilian State, in health policies. The study locates the traditional communities, inhabitants of Ilha de Maré and their socioenvironmental conditions, giving priority to the explanations of the social agents involved in the struggle for changes in the social reality. The perspective of this research is to bring to the debate of social struggles for the right to health the voices that are systematically absent from the decision-making processes that define economic and social development projects and health policies in the territories. For that, a methodology is proposed that uses ethnographic instruments to gain an in-depth understanding of the point of view of the communities of Ilha de Maré, establishing their political leaders as interlocutors of the communities, who represent collective subjects involved in social struggles. In this sense, the research focuses on the explanations of community leaders about the health situation and ways to claim the right to health. The territory and the interaction processes between shellfish gatherers and artisanal fishermen are taken as the theoretical basis for the analysis of social struggles, in the macro-structural context in which these struggles erupt. The result is the intertwining of health with territory and territoriality, with environmental justice and with recognition of the citizenship rights of traditional communities. The construction of arguments based on rationalist science is observed to give legitimacy to the health demands of these communities, demonstrating the need for Public Health to rethink its theoretical bases that contribute to the strengthening of social struggles that bring health as an object of demand and new horizons for health policies in Brazil.

10
  • LAÍS MELO ANDRADE
  • O CUIDADO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NA PERSPECTIVA DE TRABALHADORES E TRABALHADORAS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Orientador : VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA FLÁVIA PIRES LUCAS D’OLIVEIRA
  • ANA PAULA DOS REIS
  • VANIA NORA BUSTAMANTE DEJO
  • Data: 29/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • A violência doméstica contra as mulheres é um problema do campo da saúde, que tem na Estratégia Saúde da Família uma importante via de enfrentamento, principalmente pela sua proximidade com o território onde as mulheres vivem com suas famílias. Desta forma, este estudo buscou descrever como a temática do cuidado à mulher em situação de violência doméstica se apresenta no processo de trabalho da Estratégia de Saúde da Família a partir da visão de seus trabalhadores e trabalhadoras. A realização da pesquisa foi marcada pelo advento da pandemia do coronavírus, que impossibilitou a presença no campo, e que consequentemente, se mantivesse a ideia inicial, onde a observação participante seria utilizada como técnica de investigação. Assim, mantendo a opção pela metodologia qualitativa, utilizou-se a entrevista semiestruturada como principal fonte de dados, e alguns diários de campo. A partir destes, o conteúdo obtido foi analisado por meio da Análise Temática. A discussão foi elaborada a partir da articulação teórica entre os estudos do campo de Gênero, o processo de trabalho e a micropolítica do trabalho em saúde, bem como a compreensão acerca da violência modernista, considerando também o processo de construção das políticas em saúde para as mulheres no contexto brasileiro. Observou-se uma ausência de conhecimento técnico-científico acerca do tema e práticas em saúde baseadas, principalmente, nos saberes construídos a partir da experiência obtida na vivência de cada profissional. A estrutura verticalizada na qual se conforma a relação entre gestão municipal e serviço, e a dinâmica de um processo de trabalho que precisa responder às demandas do sistema capitalista são fatores que dificultam que esses saberes práticos possam ser expressos por trabalhadoras e trabalhadores em processos coletivos de construção de um modo de fazer saúde, e em articulação com o conhecimento técnico científico acerca da violência doméstica contra a mulher. Um protocolo institucional que possa nortear as práticas de cuidado às mulheres mostrou-se fundamental para que seja possível prestar um cuidado que possa garantir a segurança dos/das profissionais e a qualidade da assistência à mulher em situação de violência. Apesar de compreenderem que a violência contra a mulher possui raízes na conformação de uma sociedade machista e patriarcal, ficou evidenciada a secundarização do problema diante de outras questões de saúde. À margem desse entendimento, os/as agentes do trabalho em saúde não estão livres dos pré-julgamentos e discursos que apontam para um conhecimento existente, porém, superficial acerca das questões de gênero na sociedade, sendo fundamental o seu aprofundamento para a produção de um cuidado integral. Ao final do estudo, são trazidas reflexões e sugestões a partir dos achados, de modo que possam contribuir não somente para a discussão sobre o tema, mas também serem fontes para construção de políticas de saúde.


  • Mostrar Abstract
  • Domestic violence against women is a problem in the health field, which has in the Family Health Strategy an important way of coping, mainly due to its proximity to the territory Where women live with their families. Thus, this study sought to describe how the theme of care for women in situations of domestic violence is presented in the work process of the Family Health Strategy, from the perspective of its workers. The research was marked by the advent of the coronavirus pandemic, which made it impossible to be present in the field, and consequently, the initial idea was maintained, where participant observation would be used as an investigation technique. Therefore, maintaining the option for qualitative methodology, semi-structured interviews were used as the main source of data, and some field diaries. From these, the content obtained was analyzed using Thematic Analysis. The discussion was based on the theoretical articulation between studies in the field of Gender, the work process and the micropolitics of health work, as well as the understanding of modernist violence, also considering the process of construction of health policies for women in the Brazilian context. There was an absence of technical-scientific knowledge on the subject and health practices based mainly on knowledge built from the experience gained of each professional. The vertical structure in which the relationship between municipal management and service is formed, and the dynamics of a work process that needs to respond to the demands of the capitalist system are factors that make it difficult for these practical knowledge to be expressed by workers in collective processes of construction of a way of doing health, and in conjunction with technical-scientific knowledge about domestic violence against women. Na institutional protocol that can guide women's care practices proved to be essential for providing care that can guarantee the safety of professionals and the quality of care for women in situations of violence. Despite understanding that violence against women is rooted in the conformation of a sexist and patriarchal society, the problem is seen to be secondary to other health issues. Aside from this understanding, health work agents are not free from prejudgments and discourses that point to an existing, but superficial knowledge about gender issues in society, and its deepening is fundamental for the production of a comprehensive care. At the end of the study, reflections and suggestions are brought up based on the findings, so that they can contribute not only to the discussion on the topic, but also to be sources for the construction of health policies.

11
  • AMANA SANTANA DE JESUS
  • Financiamento da atenção básica dos municípios da Bahia: análise das transferências federais de 2008 a 2017.

  • Orientador : ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALUISIO GOMES DA SILVA JUNIOR
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • ERIKA SANTOS DE ARAGAO
  • ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • Data: 30/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo, por meio de pesquisa exploratória - descritiva de série temporal, busca analisar as transferências de recursos federais para o Bloco de Atenção Básica (BLAB) dos municípios da Bahia, segundo porte populacional, caracterizando os componentes fixo e variável do Piso de Atenção Básica (PAB) durante o período de vigência dos blocos de financiamento do SUS (2008 a 2017). Para tanto, foram utilizados os dados de repasses financeiros para municípios da Bahia disponíveis no site do Fundo Nacional de Saúde. Os dados foram estratificados em quatro grupos de municípios segundo porte populacional, tendo como base a população do Censo de 2010. Foram calculadas frequências absolutas (n) e relativas (%) do volume financeiro e do valor per capita, bem como realizado cálculo de medida de tendência central. Para fins de comparação anual dos dados financeiros, realizou-se a atualização monetária, para o último ano de estudo, pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Os resultados obtidos revelaram um aumento de 14,3% do financiamento federal da atenção básica, em valores reais, para os municípios do estado da Bahia, com destaque para os de pequeno porte populacional, que registraram uma variação per capita do PAB de R$ 124,32 hab./ano em 2008 para R$143,36 hab./ano em 2017. Destaca-se que mais de 60% dos municípios de grande porte receberam transferências do PAB fixo per capita abaixo dos valores mínimos estabelecidos pela normativa. Para o PAB fixo dos municípios de pequeno porte, revelou-se a importância das emendas parlamentares (incremento temporário do PAB) para o financiamento da atenção básica dos municípios baianos nos anos de 2015 a 2017. Os achados reforçaram a importância do participação do PAB variável no Bloco de Atenção Básica, principalmente para os municípios de pequeno e médio porte. Os programas ministeriais com maiores participações no PAB variável foram o Saúde da Família, Agentes Comunitários de Saúde, Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica e Núcleos de Apoio à Saúde da Família para todos os grupos populacionais analisados. Isto posto, a pesquisa revelou de forma geral, um cenário do financiamento federal da atenção básica para os municípios da Bahia que aponta para uma perspectiva relativamente equitativa, dada a distribuição dos recursos federais segundo porte populacional, sendo recomendadas maiores investigações da temática no âmbito local das diferentes regiões brasileiras para a melhor compreensão de padrões de alocação dos recursos federais analisados, bem como identificar se a distribuição de recursos federais tem contribuído para a redução das desigualdades de saúde no território brasileiro. Ademais, diante da mudança ocorrida no financiamento federal da política de atenção básica, recomenda-se o desenvolvimento de estudos acerca dos possíveis efeitos do Previne Brasil sobre a distribuição dos recursos federais deste nível de atenção no Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • By means of an exploratory descriptive time series approach, this study aims to analyze the transfer of resources from the federal government to the Primary Health Care (PHC) accounts of the municipalities of the state of Bahia. Specifically, it will characterize the fixed and variable components of the Basic Attention Floor (PAB), according to population size, during the period of implementation of the SUS financing blocks (2008 to 2017). The study used data available on the National Health Fund website, stratified into four groups of municipalities according to population size, based on the population of the 2010 Census. Absolute (n) and relative (%) frequencies of financial volume and per capita value were calculated, as well as a central tendency measure. For the purpose of comparing the financial data across the years of interest, monetary restatement for the last year of the study was carried out using the Broad Consumer Price Index (IPCA). The results revealed a 14.3% increase in federal funding for primary care, in real values, for municipalities in the state of Bahia, especially for small ones, which recorded a per capita variation in the PAB of R$ 124.32 inhab/year in 2008 to R$143.36 inhab/year in 2017. It is worth to mention that more than 60% of large municipalities received fixed PAB transfers per capita below the minimum values established by the legislation. It is also noteworthy that, for the fixed PAB of small municipalities, parliamentary amendments (temporary increases in the PAB) were found to be fundamental for the financing of primary care in Bahian municipalities between 2015 and 2017. The findings reinforced the significance of the variable PAB within municipal PHC accounts, especially for small and medium-sized municipalities. The predominant vertical ministerial programs within the variable PAB were the Family Health Program (PSF), the Community Health Agents (ACS) Programme, the National Program for Improving Access and Quality of Primary Care (PMAQ-AB), and the Family Health Support Units (NASF), across all the analyzed population groups. Thus, the research revealed an overall scenario of federal funding of primary care for the municipalities of Bahia with a relatively equitable perspective, given the distribution of federal resources according to population size. Further investigations are recommended to be carried out at the municipal level, as well as across the geographic regions of Brazil, to better understand the patterns of allocation of federal resources, as well as to identify whether the distribution of federal resources has contributed to the reduction of health inequalities across the Brazilian territory. Furthermore, given the change in policies related to the federal funding of primary health care, it is recommended that studies be carried out on the possible effects of the Previne Brazil Programme on the distribution of federal resources for this level of care in Brazil.

12
  • JÉSSICA JANAI MENESES VALÉRIO
  • Análise de Implantação da Rede de Atenção Psicossocial em Salvador.

  • Orientador : CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • GEORGE AMARAL SANTOS
  • SONIA CRISTINA LIMA CHAVES
  • Data: 03/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • A política de saúde mental brasileira é o resultado de lutas e mobilização visando os direitos humanos, num momento de redemocratização do país, em que houve vários movimentos e legislações para redirecionar o modelo assistencial nessa área. Em 2011 foi publicada a portaria que institui a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) para pessoas com sofrimento ou transtorno mental visando ampliar o acesso e integrar diferentes pontos de atenção no cuidado à saúde mental. Estudos no país revelam a demanda de saúde mental organizada a partir da Atenção Básica, com apoio de outros serviços, mas também dificuldade destes profissionais em lidar com as necessidades de saúde mental, bem como pouca articulação com os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), resultando então numa rede ainda centrada apenas nos CAPS e hospitais psiquiátricos, com aumento de procura pela urgência/emergência psiquiátrica. Tal realidade é vista em Salvador, que possui lacunas de trabalhos avaliativos sobre essa temática e que contemplem todo município. Este trabalho tem o objetivo de analisar a implantação da RAPS em Salvador, no período de 2006 a 2020. É um estudo de avaliação com abordagem qualitativa. Para a fundamentação teórica utilizou-se a teoria do jogo social de Carlos Matus a fim de trazer elementos do contexto de implantação da rede. Foi elaborado um modelo lógico apresentando como a RAPS deve ser operacionalizada considerando seus objetivos, atividades em cada ponto de atenção e os resultados intermediários e finais. Os dados foram coletados por meio de documentos oficiais, bem como entrevistas e grupos focais online com informantes chave. Todo material foi processado e analisado à luz do modelo lógico e da teoria do jogo social. Para aferir o grau de implantação da rede foi criada uma matriz com dimensões de análise e indicadores submetidos a técnica de consenso. Os resultados revelaram uma rede com grau de implantação intermediário distante de alcançar a atenção integral aos usuários devido o contexto de implantação, principalmente relacionado a estrutura macro organizacional insuficiente, comunicação fragmentada com distanciamento entre os atores, aliada a poucas ações de formação e educação permanente para os profissionais. É preciso que a implementação da RAPS seja uma política de governo do município e que haja ações de planejamento para superar os principais nós críticos, bem como acompanhamento dessas ações por meio dos sistemas de informação para os ajustes necessários.


  • Mostrar Abstract
  • The Brazilian mental health policy is the result of struggles and mobilization of human rights, at a time of the country's redemocratization, where there were several movements and legislation to redirect the care model in this area. In 2011 the ordinance was published establishing the Psychosocial Care Network (RAPS) for people with suffering or mental disorder, expanding the access and integrating the points of care in mental health care. Studies in the country reveal a demand for mental health organized from Primary Care, with support from other services, but also the difficulty of these professionals in dealing with mental health needs, as well as little articulation with the updated Psychosocial Care Centers (CAPS) resulting in a network still centered only on CAPS and psychiatric hospitals, with increased demand for psychiatric urgency/emergency. This reality is seen in Salvador, which has gaps in studies evaluated on this theme and which covers the entire city. This work aims to analyze the implementation of RAPS in Salvador, from 2006 to 2020. It is an evaluation study with a qualitative approach. For the theoretical foundation Carlos Matus' theory of social game was used in order to bring elements of the context of network deployment. A logical model designed as a RAPS should be operationalized considering its objectives, activities at each point of care and intermediate and final results was elaborated. Data were collected through official documents, as well as interviews and online focus groups with key informants. All material was processed and analyzed in the light of the logical model and social game theory. To measure the degree of implementation of the network, a matrix was created with analysis dimensions and indicators submitted to the consensus technique. The results revealed a network with an intermediate degree of implementation to achieve comprehensive care to users due to the context of implementation, mainly related to insufficient macro organizational structure, fragmented communication with distance between the actors, combined with training and continuing education actions for professionals. Finally, the implementation of RAPS as a municipal government policy is necessary and that there will be planning actions to overcome the main critical nodes, as well as monitoring of these actions through the information systems for the necessary adjustments.

13
  • AUDENCIO VICTOR
  • Influência dos ambientes alimentares na mortalidade prematura por doenças cardiovasculares no Brasil.

  • Orientador : RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA YURY TRAVASSOS ICHIHARA
  • RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • SHEILA MARIA ALVIM DE MATOS
  • Data: 17/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As doenças cardiovasculares (DCV) são as principais causas de morte geral e prematura no Brasil e no mundo. Os ambientes alimentares nocivos têm sido apontados como sendo um dos fatores associados a morbimortalidade por DCV, por afetarem as condições de saúde e nutrição das pessoas. Objetivo: Explorar a associação entre ambientes alimentares nocivos e a mortalidade prematura por DCV na população brasileira em 2016. Metodologia: Estudo ecológico transversal, com dados de 5.558 municípios brasileiros. Os dados de mortalidade por DCV foram obtidos do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde. O estudo sobre mapeamento dos desertos alimentares no Brasil desenvolvido pela Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional – CAISAN foi utilizado para avaliar a dimensão física do acesso de alimentos. Foram calculadas as taxas padronizadas de mortalidade prematura geral por DCV e por causas especificas (AVC e IAM) no período analisado. Para caracterizar os ambientes alimentares utilizou-se a densidade de estabelecimentos que comercializam alimentos (in natura e ultra processados) por 10.000 habitantes em tercil. Modelos de regressão binomial negativa brutas e ajustadas foram utilizados para estudar as associações de interesse. Resultados: Após os devidos ajustes), verificou-se que os municípios nos quais havia pouca oferta de alimentos in natura apresentaram maior risco para o aumento da mortalidade de mulheres por infarto ([RT1º tercil 1,08 (1,01-1,15)]. Por outro lado, municípios nos quais havia maior oferta de alimentos ultra processados imprimiam maior risco de morte [RT2º tercil 1,17 (1,12-1,22), RT3º tercil 1,20 (1,14-1,26)] por DCV; [RT2º tercil 1,19 (1,13-1,25), RT3º tercil 1,22 (1,15-1,30)] por AVC e [RT2º tercil 1,19 (1,12-1,25), RT3º tercil 1,22 (1,13-1,29)] por Infarto. Conclusão: Os nossos achados mostram aumento de risco de mortalidade por DCV, AVC e IAM, em especial, nos municípios nos quais havia maior oferta de alimentos ultra processados; estes são de baixa qualidade nutricional e advindas de sistemas alimentares não sustentáveis. Iniciativas com vistas a minimizar os efeitos destes ambientes são necessárias e urgentes no contexto brasileiro.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Cardiovascular diseases (CVD) are the main causes of general and premature death in Brazil and worldwide. Harmful food environments have been identified as one of the factors associated with morbidity and mortality from CVD, as they affect people's health and nutrition conditions. Objective: To explore the association between harmful food environments and premature mortality from CVD in the Brazilian population in 2016. Methodology: Cross-sectional ecological study, with data from 5,558 Brazilian municipalities. Data on CVD mortality were obtained from the Mortality Information System (SIM) of the Ministry of Health. The study on mapping food deserts in Brazil developed by the Interministerial Chamber for Food and Nutritional Security – CAISAN was used to assess the physical dimension of the food access. Standardized rates of general premature mortality from CVD and from specific causes (CVA and AMI) were calculated for the period analyzed. To characterize the food environments, the density of establishments that sell food (in natura and ultra-processed) per 10,000 inhabitants in tertiles was used. Crude and adjusted negative binomial regression models were used to study the associations of interest. Results: After the appropriate adjustments), it was found that the municipalities in which there was little supply of fresh food had a higher risk for increased mortality in women due to stroke ([RT1st tertile 1.08 (1.01-1.15)]. On the other hand, municipalities in which there was a greater supply of ultra-processed foods presented a higher risk of death [RT2nd tertile 1.17 (1.12-1.22), RT3rd tertile 1.20 (1.14-1, 26)] by CVD; [RT2nd tertile 1.19 (1.13-1.25), RT3rd tertile 1.22 (1.15-1.30)] by stroke and [RT2nd tertile 1.19 (1.12 -1.25), RT3rd tertile 1.22 (1.13-1.29)] due to Infarction Conclusion: Our findings show an increased risk of mortality from CVD, CVA and AMI, especially in municipalities where there was greater offer of ultra-processed foods, these are of low nutritional quality and come from unsustainable food systems. Initiatives to minimize the effects of these environments are necessary and urgent in the Brazilian context.

14
  • ELISABETE SOUZA FERREIRA
  • Mudanças ou manutenção do modelo biomédico de atenção à saúde? Analisando Projetos de Intervenção em Trabalhos de Conclusão de um curso do Programa Mais Médicos.

  • Orientador : MARIA LIGIA RANGEL SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATHARINA LEITE MATOS SOARES
  • MARCELE CARNEIRO PAIM
  • MARIA LIGIA RANGEL SANTOS
  • RITA DE CASSIA DE SOUZA NASCIMENTO
  • Data: 20/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Educação Permanente em Saúde (EPS) do Programa Mais Médicos (PMM) é operacionalizada a partir da supervisão acadêmica das práticas profissionais e do curso de especialização na Atenção Básica (AB). O curso de especialização é ofertado na modalidade de Educação a Distância (EAD), em uma parceria entre a Instituição Federal de Ensino Superior (IFES) e a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). Ao final do curso os médicos apresentam o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) no formato de Projeto de Intervenção (PI), tomando por base algum problema ou necessidade de saúde da população identificado a partir de suas práticas. Este estudo teve por objetivo principal analisar os PI dos médicos inseridos no PMM, participantes do Curso de Especialização em Saúde Coletiva: concentração em Atenção Básica-Saúde da Família, no Estado da Bahia, verificando as possíveis contribuições nas mudanças do modelo hegemônico de atenção à saúde. Para tal, tomou-se por referencial teórico os modelos de atenção à saúde e foi realizado um estudo de caso com a primeira turma do curso de Especialização em Saúde Coletiva com ênfase na Atenção Básica/Saúde da Família, conduzido pela Net-escola do ISC/UFBA no período de abril de 2018 a abril de 2019. Os dados foram coletados a partir da análise documental, utilizando como fontes de evidências: os TCC, a relação dos aprovados e o relatório final do curso. Foram aprovados 331 TCC cujas temáticas foram organizadas em 10 categorias em uma planilha no Excel, sendo elas: saúde da criança e do adolescente; saúde do idoso; saúde da mulher, saúde do homem, saúde mental, humanização do cuidado e acolhimento e Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), doenças infecciosas; doenças causadas por vetores; tabagismo, álcool e outras drogas; e outros, que posteriormente foram subcategorizado. Os TCC lidos e analisados na íntegra foram os que tiveram maior repetição no número de escolhas pelos cursistas, sendo a temática da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) a mais frequente na subcategorização das DCNT. Para análise de dados, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo. Os resultados apontaram quatro categorias empíricas para análise: tecnologias de educação em saúde, Método Clínico Centrado no Paciente (MCCP), atuação interdisciplinar e mudanças no processo de trabalho. Estiveram ausentes das intervenções os determinantes sociais da saúde e a participação popular, a intersetorialidade apareceu de forma embrionária. Os achados deste estudo evidenciaram que nos PI coexistiram práticas em saúde tanto dos modelos hegemônicos quanto dos modelos alternativos de atenção, com um significativo fortalecimento nas tecnologias que indicam os modelos alternativos. Assim, faz-se necessário que outros estudos sejam realizados a fim de conhecer as potencialidades e fragilidades dos PI dos cursos de especialização na AB para o aprimoramento da EPS no fortalecimento dos modelos alternativos de atenção à saúde.


  • Mostrar Abstract
  • The Permanent Health Education (PHE) of the More Doctors Program (MDP) is operationalized from the academic supervision of professional practices and the specialization course in Basic Care (BC). The specialization course is offered in the modality of Distance Education (DE), in a partnership between the Federal Institution of Higher Education (IFES) and the Open University of SUS (UNA-SUS). At the end of the course, the doctors presents the Course Completion Work (CBT) in the form of Intervention Project (IP), based on some problem or health need of the population identified from their practices. The main objective of this study was to analyze the IP of doctors inserted in the MDP, participants of the Specialization Course in Collective Health: concentration in Basic Care-Family Health, in the State of Bahia, checking the possible contributions in the changes of the hegemonic model of health care. For this, the models of health care were taken as theoretical reference and a case study was realized with the first class of Specialization in Collective Health with emphasis on Primary Care/Family Health, conducted by the Net-school of ISC/UFBA from April 2018 to April 2019. Data were collected from the documental analysis, using as sources of evidence: CBT, the list of those approved and the final report of the course. A number of 331 CBT were approved, whose themes were organized into 10 categories in one of a spreadsheet in Excel, which were: child and adolescent health; elderly`s health; women's health, men's health, mental health, humanization of care and reception and Chronic Noncommunicable Diseases (NCDs), infectious diseases; diseases caused by vectors; smoking, alcohol and other drugs; and others, which were later subcategorized. The CBTs read and analyzed in full were the ones that had the highest repetition in the number of choices by the cursists, and the theme of Systemic Arterial Hypertension (SAH) was the most frequent in the subcategorization of NCDs. For data analysis, the content analysis technique was used. The results indicated four empirical categories for analysis: health education technologies, Patient-Centered Clinical Method (MCCP), interdisciplinary action and changes in the work process.social determinants of health and popular participation were absent from the interventions, intersectoriality appeared embryonically. The findings of this study showed that in the IP coexisted health practices of both the hegemonic models and the alternative models of care, with a significant strengthening in the technologies that indicate the alternative models. Thus, it is necessary that other studies be conducted in order to know the potentialities and weaknesses of the IP of specialization courses in AB for the improvement of PHE in the strengthening of alternative models of health care.

15
  • KARLA NICOLE RAMOS DE OLIVEIRA
  • Exposição à violência comunitária e intrafamiliar na ocorrência de alterações de comportamento externalizantes em pré-escolares no Equador.

  • Orientador : LETICIA MARQUES DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LIGIA BITTENCOURT KISS
  • LEILA DENISE ALVES FERREIRA AMORIM
  • LETICIA MARQUES DOS SANTOS
  • Data: 21/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • As alterações de comportamento externalizantes tratam-se de comportamentos disruptivos. Dentre os fatores que contribuem para a ocorrência das alterações de comportamento na infância, a exposição à violência se destaca como importante preditor, já tendo sido observadas vias pelas quais a exposição a violência comunitária gera instabilidades e conflitos no ambiente intrafamiliar que são responsáveis pelo aumento da ocorrência de eventos violentos contra a criança, sendo estes responsáveis por prejuízos ao desenvolvimento infantil e associado à ocorrência de alterações de comportamento externalizantes. Objetivo: compreender a relação entre a exposição a violência comunitária e ocorrência de alterações de comportamento externalizantes em pré-escolares, residentes na província de Esmeraldas, distrito de Quinindé, Equador, considerando o efeito mediador da exposição à violência intrafamiliar. Metodologia: trata-se de estudo transversal associado a coorte do projeto ECUAVIDA do qual fazem parte 1673 residentes no Equador. Foram avaliadas a exposição à violência comunitária através de questionário produzido para a coleta de dados da coorte; a ocorrência de eventos de violência intrafamiliar através do Conflict Tactics Scale - Parent-Child (CTS-PC); a ocorrência de alterações de comportamento externalizantes através do Child Behavior Checklist (CBCL), versão 1,5-5 anos; além de variáveis relativas a informações sócio demográficas a partir de questionário padronizado e pré-codificado. Foi realizada análise descritiva acerca de cada uma das variáveis, posteriormente realizada regressão logística a respeito das relações entre as variáveis de exposição, mediação, desfecho e covariáveis. Por fim, foi realizada modelagem por equações estruturais a fim de analisar os possíveis mecanismos de mediação dos maus tratos físicos na relação entre a exposição à violência comunitária e a ocorrência de alterações de comportamento externalizantes. Para todas as análises foi utilizado o software STATA 14.0. Resultados: Observou-se que 49,55% dos respondentes foram vítimas diretas de violência comunitária, 88,40% testemunharam 2 ou mais atos e 68,74% apresentaram percepção de violência intermediária ou alta. Dentre as variáveis intrafamiliares, 24,03% das crianças foram expostas à violência psicológica, 64,32% à punição corporal e 26,02% à maus tratos físicos. A prevalência de alterações de comportamento externalizantes foi de 6,52%. Através de regressão logística simples foram observadas associação estatisticamente significante com a ocorrência de alterações de comportamento externalizantes a vitimização direta e os altos níveis de percepção de violência comunitária; a ocorrência de violência psicológica, de punição corporal e de maus tratos físicos no ambiente intrafamiliar; além da criança ser do sexo masculino. Através da análise de mediação, foi identificado que a percepção de violência se associa a ocorrência de comportamento externalizantes por via do papel mediador da ocorrência de maus tratos físicos destinados à criança, não sendo observado efeito estatisticamente significante na ação direta da percepção sobre a ocorrência de alterações de comportamento. Foi identificada ainda via pela qual a vitimização direta se associa ao desfecho através do efeito mediador da ocorrência de maus tratos físicos. Em contrapartida, a vitimização direta também se associa à ocorrência de alterações de comportamento externalizantes diretamente. Conclusão: em ambos os modelos analisados, foi observado que a violência comunitária se associa à ocorrência de alterações de comportamento externalizantes através da mediação dos maus tratos físicos intrafamiliares. Tais resultados podem contribuir para o avanço do conhecimento a respeito das vias pelas quais a exposição à violência comunitária e a vivência de eventos violentos na infância perpetrados pela família repercutem na saúde mental infantil.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Externalizing behavior problems are disruptive behaviors. Among the factors that contribute to the occurrence of behavioral problems in childhood, exposure to violence stands out as an important predictor, having already been observed ways in which exposure to community violence generates instabilities and conflicts familial context. This conflicts are responsible for the increase in occurrence of violent events against the child, which are responsible for damage to child development and associated with the occurrence of externalizing behavioral changes. Objective: To understand the relationship between exposure to community violence and the occurrence of externalizing behavior problems in preschool children living in the province of Esmeraldas, district of Quinindé, Ecuador, considering the mediating effect of exposure to intrafamilial violence. Methodology: this is a cross-sectional study associated with a cohort of the ECUAVIDA project, which includes 1673 residents in Ecuador. Exposure to community violence was assessed through a questionnaire produced for the collection of cohort data; the occurrence of intrafamily violence events using the Conflict Tactics Scale - Parent-Child (CTS-PC); the occurrence of externalizing behavior problems through the Child Behavior Checklist (CBCL), version 1.5-5 years; in addition to variables related to socio-demographic information from a standardized and pre-coded questionnaire. Descriptive analysis was performed on each of the variables, later logistic regression was performed regarding the relationships between the exposure, mediation, outcome and covariate variables. Finally, structural equation modeling was performed in order to analyze the possible mediation mechanisms of physical abuse in the relationship between exposure to community violence and the occurrence of externalizing behavior problems. For all analyses, STATA 14.0 software was used. Results: It was observed that 49.55% of respondents were direct victims of community violence, 88.40% witnessed 2 or more acts and 68.74% presented intermediate or high perceptions of violence. Among the intrafamilial variables, 24.03% of the children were exposed to psychological violence, 64.32% to corporal punishment and 26.02% to physical abuse. The prevalence of externalizing behavior problems was 6.52%. Through simple logistic regression, a statistically significant association was observed with the occurrence of externalizing behavior problems, direct victimization and high levels of perception of community violence; the occurrence of psychological violence, corporal punishment and physical abuse in the intrafamilial environment; in addition to the child being male. Through mediation analysis, it was identified that the perception of violence is associated with the occurrence of externalizing behavior through the mediating role of the occurrence of physical abuse aimed at the child, with no statistically significant effect being observed in the direct action of the perception on the occurrence of behavior problems. It was also identified the way in which direct victimization is associated with the outcome through the mediating effect of the occurrence of physical abuse. In contrast, direct victimization is also associated with the occurrence of externalizing behavior problems directly. Conclusion: in both analyzed models, it was observed that community violence is associated with the occurrence of externalizing behavior problems through the mediation of intraafamilial physical abuse. Such results can contribute to the advancement of knowledge about the ways in which exposure to community violence and the experience of violent events in childhood perpetrated by the family affect children's mental health.

16
  • ELUÁ BENEMÉRITA VILELA NASCIMENTO
  • Vigilância sanitária e segurança do paciente na atenção primária à saúde em estados da região nordeste do Brasil.

  • Orientador : GISELIA SANTANA SOUZA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • GISELIA SANTANA SOUZA
  • MARILUCE KARLA BOMFIM DE SOUZA
  • PATRICIA SODRÉ ARAÚJO
  • Data: 21/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • É responsabilidade da Vigilância Sanitária a realização do controle sanitário dos serviços de Atenção Primária a Saúde (APS), entre eles o acompanhamento das ações visando a Segurança do Paciente nesse nível de atenção. Apesar da obrigação legal da atuação da vigilância na atenção primária a saúde essas atividades ainda são incipientes e o número de estudos sobre a temática é reduzido. O presente estudo tem como objetivo geral analisar o controle sanitário dos serviços de saúde na APS pelas vigilâncias sanitárias dos estados da Região Nordeste do Brasil, como objetivos específicos: descrever as atividades desenvolvidas pelas VISA estaduais nos serviços de saúde da APS; identificar as potencialidades limites e desafios para atuação das VISA estaduais nos serviços da APS; descrever a constituição e funcionamento do NSP na APS dos estados da Região Nordeste. Trata-se de um estudo de casos múltiplos do tipo descritivo e exploratório que utilizou a triangulação de dados de grupo focal, entrevistas individuais e documentos, a partir dos dados secundários de uma pesquisa maior intitulada Vigilância Sanitária nos Serviços de Saúde da Atenção Básica e Atenção Especializada em estados brasileiros. Para a análise dos dados foi construída uma matriz de análise com base nos objetivos do estudo e nas perguntas norteadoras das entrevistas e grupos focais, onde foi realizada a análise dos dados de todas as fontes e posteriormente descrita em quadros de resultados. Identificou-se que em relação as atividades desenvolvidas pelas vigilâncias estaduais encontram-se atividades de fiscalização e controle sanitário de serviços de saúde e de interesse a saúde, porém não são contemplados os serviços de Atenção Primária à Saúde, exceto em situações específicas como solicitação da Secretaria Municipal de Saúde ou outras instituições. Como grande desafio para o desenvolvimento das atividades das vigilâncias destacase o reduzido número de profissionais, recursos financeiros, físicos e de insumos insuficientes. Entre as possibilidades, se destaca a criação de canais de diálogo permanentes da vigilância sanitária com a Atenção Primária. No que tange a Segurança do Paciente observou-se a existência de Núcleos de Segurança do Paciente para atividades em nível hospitalar, entretanto, para a atenção primária os movimentos estão ainda no nível de discussões e diálogos sobre a implantação desses núcleos e a responsabilidade das vigilâncias estaduais quanto à atenção primária dos municípios e vigilâncias sanitárias municipais. Aponta-se para a necessidade de maior investimento sobre o processo de descentralização das ações de vigilância sanitária e melhor estruturação das vigilâncias em nível municipal, para que seja possível o desenvolvimento completo das ações de vigilância e segurança do paciente com qualidade e em todos os serviços de saúde da atenção primária.


  • Mostrar Abstract
  • It’s up to Health Surveillance Agency to do the sanitary control in Primary Health care (APS) health services, between this responsibility is patient security actions in this level of care. Despite of this legal obligation the activities health surveillance and patient safety in primary health care are poor and there aren’t many studies about this subject in literature. This study aims to analyze sanitary control in primary health care services by the state health surveillance (VISA) of Northeast states in Brazil, and as specific objectives: describe activities made by state VISA in primary care services, identify limits, possibilities, and challenges to state VISA do their job in primary care, describe the form and function of patient safety core in primary care of Northeast states in Brazil. It’s a descriptive and exploratory multiple case study that used data triangulation of focal groups, individual interviews and documents from a major study called Vigilância Sanitária nos Serviços da Atenção Básica e Atenção Especializada em estados brasileiros. The analysis was made using a analysis matrix based on the objectives of this study that based the construction of the study results. About state VISA activities are surveillance and sanitary control in health services, but primary health care services were not in the roll of activities of state VISA, except in specific situations as request of Cities health Agencies or other agencies. As a big challenge to state VISA are reduced number of professionals, financial resources, physical structure to do the job. As possibilities we have found channels of dialog between VISA and Primary Health Care. About Patient security there is Patient safety core for hospital services, but not for primary care services, to this level of care are Only some discussions about the implantation of patient safety core and the Agency responsible for these activities, if is from state VISA or city VISA. This study points to the necessity of a big investment in decentralization activities for health Surveillance and a better structuring of health Surveillance agencies in cities, so those agencies are capable of do all the sanitary control in their town and guarantee patient security for primary health care.

Teses
1
  • RICARDO ARAUJO DA SILVA
  • Fatores associados às mudanças corporais de travestis e mulheres transexuais, em uma cidade do Nordeste brasileiro

  • Orientador : MARIA INES COSTA DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FLORISNEIDE RODRIGUES BARRETO
  • LUCIANA MATTOS BARROS OLIVEIRA
  • LUIS AUGUSTO VASCONCELOS DA SILVA
  • MARCOS PEREIRA SANTOS
  • MARIA INES COSTA DOURADO
  • THAIS REGIS ARANHA ROSSI
  • Data: 24/02/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os aspectos relacionados à modificação corporal em Travestis e Mulheres Transexuais (TrMT) ainda são poucos explorados no que refere aos impactos a saúde dessa população vulnerável. O pouco acesso aos serviços de saúde e a discriminação, são dados que apontam para o alijamento social e consequentemente ao aumento de morbidades que podem estar relacionadas ao uso não prescrito de hormônios, uso ilícito de silicone liquido industrial (SLI) e infecções sexualmente transmissíveis, a exemplo da sífilis e HIV. Objetivo: Investigar a associação entre a mudança corporal, práticas sexuais e aspectos sociodemográficos em TrMT e riscos à saúde. Metodologia: Trata-se de um estudo de corte transversal, com 127 TrMT recrutadas através do método RDS – Respondent Driven Sampling – ou amostragem dirigida pelo participante. Os dados quantitativos foram provenientes de um inquérito epidemiológico, realizado entre 2014 e 2016 em Salvador- Bahia-Brasil. Resultados: Os dados analisados demonstraram que 60% da amostra tinham menos de 25 ano; que as TrMT fazem uso indiscriminado de hormônios de forma não prescrita e em elevadas quantidades, a partir dos 12 anos de idade. A proporção de uso do SLI foi de 31,6%, e o uso dessas substâncias está associado ao trabalho sexual. Além disso, estimou-se uma associação positiva entre infecção por sífilis e prática de sexo anal receptivo desprotegido com clientes (RP: 1,96; IC95% = 0,85-4,53;), mas sem atingir significância estatística ao nível descritivo do valor de p=0,05. A prática sexual com homens cis nos seis meses anteriores a pesquisa, também parece estar associada com a infecção por sífilis (RP: 3,34; IC95% = 0,77-14,40). Conclusão: Os dados sugerem a necessidade de investimento em políticas públicas de saúde, o que inclui a reorganização dos serviços direcionados para população de TrMT, e uma melhor formação de profissionais da saúde para atendimento dessas demandas aqui referidas.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The aspects related to body modification in Travestis and Transgender Women (TGW) are still little explored regarding the health impacts of this vulnerable population. Little access to health services and discrimination are data that point to social exclusion and, consequently, to the increase in morbidities that may be related to the non-prescribed use of hormones, illicit use of industrial liquid silicone (ILS) and sexually transmitted infections like syphilis and HIV. Objective: To investigate the association between body change, sexual practices and sociodemographic aspects in TGW and health risks. Methodology: This is a cross-sectional study, with 127 TGW recruited through the RDS method - Respondent Driven Sampling - or participant-directed sampling. The quantitative data came from na epidemiological survey, carried out between 2014 and 2016 in Salvador-Bahia-Brazil. Results: The data analyzed showed that 60% of the sample was less than 25 years old; that TGW make indiscriminate use of hormones in a non-prescribed manner and in high amounts, from 12 years of age. The proportion of ILS use was 31.6%, and the use of these substances is associated with sex work. In addition, a positive association was estimated between syphilis infection and unprotected receptive anal sex with clients (PR: 1.96; 95% CI = 0.85-4.53;), but without reaching statistical significance at the descriptive level p value = 0.05. Sexual practice with cis men in the six months prior to the survey also appears to be associated with syphilis infection (PR: 3.34; 95% CI = 0.77-14.40). Conclusion: The data suggest the need for investment in public health policies, which includes the reorganization of services aimed at the population of TGW, and better training of health professionals to meet these demands mentioned here.

2
  • CAMILA SILVEIRA SILVA TEIXEIRA
  • Fatores individuais, da habitação e da atenção à saúde relacionados à incidência e desfechos de tratamento da hanseníase.

     

     

  • Orientador : RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • JOILDA SILVA NERY
  • MAURICIO LIMA BARRETO
  • GERSON PENNA
  • Julia Moreira Pescarin
  • MAURO NISKIER SANCHEZ
  • Data: 22/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Apesar do grande progresso em direção à eliminação global, a hanseníase continua sendo um desafio para a saúde pública em países de baixa e média renda. Evidências atuais sugerem que, nesses países, os contatos domiciliares de pacientes com hanseníase estão sob alto risco de desenvolver hanseníase. O tratamento oportuno é crucial para interrupção da transmissão, mas fatores de vulnerabilidade socioeconômica podem influenciar a adesão e conclusão do tratamento da hanseníase. Além disso, pesquisas apontam que componentes da inadequação habitacional se associam à maior carga da hanseníase. Contudo, não existem evidencias da associação entre um programa social de habitação e hanseníase; o que justifica aprofundamento do tema. Objetivo geral: Estudar os fatores de risco para incidência e adesão ao tratamento da hanseníase, e o efeito de um programa social de habitação para pessoas de baixa renda na sua detecção. Objetivos específicos: i) Estimar as taxas de detecção de novos casos de hanseníase entre contatos domiciliares de pacientes previamente diagnosticados com hanseníase e investigar seus fatores associados; ii) Investigar a associação entre as características sociodemográficas, geográficas e clínicas, e a chance do paciente de completar o tratamento em unidades de saúde da atenção primária e especializada; iii) Estimar as chances de detecção da hanseníase entre indivíduos que se tornaram beneficiários do MCMV em comparação com suas contrapartes que não se beneficiaram do programa MCMV. Métodos: A tese foi apresentada em 3 artigos segundo cada objetivo específico. Para execução do primeiro objetivo acompanhamos contatos domiciliares de pacientes com hanseníase (2007-2014), usando dados do baseline da Coorte de 100 Milhões de Brasileiros vinculadas ao Sistema de Informação para Doenças Notificáveis (SINAN). A incidência de hanseníase foi estimada como a taxa de detecção de casos novos (TDCN) de hanseníase por 100.000 contatos domiciliares em risco (pessoas/ano em risco - par). Foram utilizadas regressões logísticas multiníveis de efeitos mistos, com efeitos aleatórios específicos do estado e da família; no segundo objetivo, avaliamos todos os novos casos de hanseníase registrados SINAN no Brasil (2006-2017), vinculados aos dados da unidade de saúde de diagnóstico do paciente com informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). As análises bivariada e multivariada foram realizadas por meio de modelos de regressão logística. Todas as análises foram estratificadas de acordo com o nível de atenção à saúde, como atenção primária e unidades especializadas e hospitalares; e no terceiro objetivo, conduzimos um estudo de caso-controle aninhado à Coorte de 100 Milhões de Brasileiros (2010-2015). Os casos foram selecionados entre os indivíduos dessa coorte que foram detectados como um novo caso de hanseníase. Os controles foram selecionados aleatoriamente com base em uma amostragem dos conjuntos de risco e de acordo com variáveis de correspondência (2:1). Usamos regressão logística condicional para estimar a associação. Resultados referentes ao primeiro objetivo: Entre 42.725 contatos domiciliares de 17.876 casos primários, a TDCN foi 636,3/100.000 par no total e 521,9/100.000 par nos contatos <15 anos. Contatos domiciliares de casos multibacilares tinham maior chance de se tornarem casos subsequentes (ORadj 1,48; IC 95% 1,17-1,88), e as chances aumentaram entre contatos com idade ≥50 anos (ORadj 3,11; IC 95% 2,03-4,76). A detecção da hanseníase foi negativamente associada ao nível de educação préescolar/analfabeto (ORadj 0,59; IC 95% 0,38-0,92). Para as crianças, as chances aumentaram entre os homens (ORadj 1,70; IC 95% 1,20-2,42). Resultados referentes ao segundo objetivo: Entre 218.646 novos casos de hanseníase diagnosticados no Brasil entre 2006-2017, 196.562 (89,9%) completaram o regime de PQT. Para os tratados na atenção primária à saúde, as menores chances de conclusão do tratamento foram associadas a idades entre 15-29 anos (ORadj 0,57; IC 95% 0,52-0,61), negros (ORadj 0,86; IC 95% 0,81-0,91), raça/etnia indígena/asiática (ORadj 0,85; IC 95% 0,74-0,97) e educação de escola primária ou inferior (ORadj 0,81; IC 95% 0,78-0,87). A hanseníase multibacilar com ≤10 lesões (ORadj 0,92; IC 95% 0,88-0,96) e deficiências físicas grau 1 ou 2 (ORadj 0,91; IC 95% 0,88-0,95 e ORadj 0,86; IC 95% 0,81-0,93, respectivamente) reduziram as chances de conclusão do tratamento. Residir em áreas urbanas (ORadj 1,12; IC 95% 1,08-1,17) e nas regiões Sudeste/Sul (ORadj 1,17; IC 95% 1,10-1,24) ou Centro-Oeste (ORadj 1,13; IC 95% 1,07-1,19) aumentaram as chances de conclusão do tratamento. Na região Nordeste, as chances de conclusão do tratamento foram reduzidas (ORadj 0,86; IC 95% 0,82-0,90). Tanto a assistência especializada quanto a hospitalar apresentaram estimativas pontuais semelhantes. Resultados referentes ao terceiro objetivo: A população do estudo de coorte (2010-2015) incluiu 25.259.564 indivíduos, dos quais 621.068 (2,5%) eram beneficiários do MCMV. Nesse período, foram diagnosticados 9.036 novos pacientes com hanseníase e foi estimada uma TDCN em 11,70/100.000 par (IC95% 11,46-11,94). A TDCN foi maior entre os beneficiários do MCMV (13,27/100.000 par; IC95% 11,41-15,43) em comparação com os não beneficiários (11,59/100.000 par; IC95% 11,35-11,84). As chances de se tornar um caso de hanseníase foram 26% maiores entre os indivíduos expostos ao recebimento do MCMV (OR 1,25, IC95% 1.01 a 1.53, p <0.038) em comparação aos não expostos ao programa MCMV. Conclusões: Os resultados deste estudo destacam a necessidade urgente de intervenções em saúde pública, como a triagem de contatos, que visem especificamente essa população exclusivamente vulnerável. É também necessária uma abordagem integrada a partir de ações de diagnóstico precoce, monitoramento, avaliação das deficiências e fortalecimento do manejo da hanseníase na atenção básica. Além disso, embora os nossos resultados tenham evidenciado maior chance detecção de hanseníase entre pessoas beneficiárias de habitação social, é necessário ressaltar que a precariedade da moradia (pior infraestrutura, falta de saneamento, aglomeração e pior qualidade de vida da vizinhança) está relacionada a maior exposição à hanseníase. Portanto, políticas sociais como o MCMV devem ser aprimoradas e estendidas ao maior número possível de famílias carentes, pois o desenvolvimento social é uma prioridade fundamental para reduzir a incidência e a carga da hanseníase entre as pessoas de baixa renda. Pesquisas futuras devem estudar o efeito do programa social de habitação MCMV sobre a hanseníase e explorar se os resultados deste trabalho se manterão por um período mais longo.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Despite great progress towards global elimination, leprosy remains a public health challenge in middle- and low-income countries. Current evidence suggests that, in these countries, home contacts of leprosy patients are at high risk for developing leprosy. Timely treatment is essential to stop transmission, but socioeconomic vulnerability factors can influence adherence and completion of leprosy treatment. In addition, research shows that components of inadequate housing are associated with a higher burden of leprosy. However, there is no evidence of an association between a social housing program and leprosy; which justifies deepening the theme. Overall objective: To study the risk factors for incidence and adherence to leprosy treatment, and the effect of a social housing program for low-income people on its detection. Specific objectives: i) To estimate the rates of detection of new cases of leprosy among household contacts of patients previously diagnosed with leprosy and investigate its associated factors; ii) to investigate MDT treatment completion in primary and specialized care units and its association with sociodemographic, geographic, and clinical characteristics; iii) To estimate the chances of leprosy detection among individuals who became MCMV recipients compared with their counterparts who did not benefit from the MCMV programme. Methods: The thesis was presented in 3 papers according to each specific objective. For the first objective, we used leprosy notification data collected between 20072014 and linked in the 100 Million Brazilian Cohort to investigate leprosy new case detection rates (NCDR) among household contacts of previously diagnosed leprosy patients and within sub-populations (e.g., by age, urbanicity, region, and community leprosy burden). Multilevel logistic regressions of mixed effects were used, with random effects specific to the state and family; For the second objective, we evaluated all new leprosy cases registered in Brazil (20062017), linked to data from the patient's diagnostic health unit with information from the National Registry of Health Facilities (CNES). Bivariate and multivariate analysis were performed using logistic regression models. All analysis were stratified according to the level of health care, such as primary care and specialized and hospital units; For the third objective, we conducted a case-control study nested in the Cohort of 100 Million Brazilians (2010-2015). Cases were selected from individuals in this cohort who were detected as a new case of leprosy. Controls were selected randomly based on a sampling of risk sets and according to correspondence variables (2:1). We use conditional logistic regression to estimate the association. Results for the first objective: Among 42,725 household contacts of 17,876 primary cases, the NCDR of leprosy was 636.3/100,000 pyr overall and 521.9/100,000 pyr in contacts <15 years. Household contacts of multibacillary cases had higher odds of becoming subsequent cases (ORadj 1.48, 95%CI 1.17-1.88), and the odds increased among contacts aged ≥50 years (ORadj 3.11, 95%CI 2.03-4.76). Leprosy detection was negatively associated with illiterate/preschool education level (ORadj 0.59, 95%CI 0.38-0.92). For children, the odds were increased among males (ORadj 1.70, 95%CI 1.20-2.42). Results for the second objective: Among 218,646 new leprosy cases diagnosed in Brazil between 2006-2017, 196,562 (89.9%) completed the MDT regimen. For those treated in primary health care, the lowest chances of completing treatment were associated with ages between 15-29 years (ORadj 0.57; 95% CI 0.520.61), blacks (ORadj 0.86; 95% CI 0.81-0.91), indigenous/Asian race/ethnicity (ORadj 0.85; 95% CI 0.74-0.97) and primary school education or less (ORadj 0.81; 95% CI 0.78-0.87). Multibacillary leprosy with ≤10 lesions (ORadj 0.92; 95% CI 0.88-0.96) and grade 1 or 2 physical disabilities (ORadj 0.91; 95% CI 0.88-0.95 e ORadj 0.86; 95% CI 0.81-0.93, respectively) reduced the chances of completing treatment. Living in urban areas (ORadj 1.12; 95% CI 1.08-1.17) and in the Southeast/South (ORadj 1.17; 95% CI 1.10-1.24) or Midwest (ORadj 1.13; 95% IC 1.07-1.19) regions increased the chances of completing treatment. In the Northeast, the chances of completing treatment were reduced (ORadj 0.86; 95% CI 0.82-0.90). Both specialized and hospital care had similar point estimates. Results for the third objective: The cohort study population (2010-2015) included 25,259,564 individuals, of which 621,068 (2.5%) were MCMV recipients. In this period, were diagnosed 9,036 new leprosy patients and was estimated a new case detection rate (NCDR) in 11.70/100,000 person-years (pyr) (95%CI 11.46-11.94). The NCDR were higher among MCMV recipients (13.27/100,000 pyr; 95%CI 11.41-15.43) compared to MCMV non-recipients (11.59/100,000 pyr; 95%CI 11.35-11.84). We found that the chances of become a leprosy case was 26% higher among individuals exposed to MCMV receipt (OR 1.25, 95%CI 1.01 to 1.53, p <0.038) compared to those nonexposed to MCMV programme. Conclusions: The results of this study highlight the urgent need for public health interventions, such as screening contacts, which specifically target this exclusively vulnerable population. In addition, an integrated approach is needed based on actions of early diagnosis, monitoring, assessment of deficiencies and strengthening of leprosy management in primary health care. Furthermore, although our results have shown a higher chance of detecting leprosy among people benefiting from social housing, it is necessary to emphasize that the precariousness of housing (worse infrastructure, lack of sanitation, crowding and worse quality of life in the neighbourhood) is related to greater leprosy exposure. Therefore, social policies such as the MCMV must be improved and extended to the greatest possible number of needy families, as social development is a fundamental priority to reduce the incidence and burden of leprosy among low-income people. Future research should study the effect of the MCMV social housing program on leprosy and explore whether the results of this work will continue for a longer period.

3
  • ANDRÊA JACQUELINE FORTES FERREIRA
  • EFEITO DOS PROGRAMAS DE PROTEÇÃO SOCIAL NA SAÚDE CARDIOVASCULAR EM PAÍSES DE BAIXA E MÉDIA RENDA

  • Orientador : RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS
  • ESTELA MARIA MOTTA LIMA LEAO DE AQUINO
  • Julia Moreira Pescarin
  • MAURO NISKIER SANCHEZ
  • RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • Data: 31/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As Doenças cardiovasculares (DCV) são as principais causas de óbito no Brasil e estão intimamente relacionadas as condições de vida, afetando particularmente, os indivíduos em situação de vulnerabilidade social. Neste sentido, programas de proteção social, como os programas de transferência de renda, alimentos e insumos, e as habitações sociais têm sido apontadas como intervenções capazes de reduzir as iniquidades sociais e de saúde, entre elas as associadas à saúde cardiovascular. São escassas as evidências relativas aos efeitos dos programas sociais na saúde cardiovascular, e mais ainda são os estudos relativos aos efeitos dos programas de habitação social na mortalidade por DCV, em especial nos países de baixa e média renda. Desta forma, o presente trabalho teve como objetivo geral estudar o efeito dos programas de proteção social na saúde cardiovascular em países de baixa e média renda. O tema central desta Tese foi abordado por meio de 2 artigos e um protocolo de pesquisa. O artigo intitulado “Impact of social protection policies on cardiovascular health in low-and-middle-income countries: a systematic review” corresponde a uma revisão sistemática dos efeitos dos programas de proteção social na saúde cardiovascular nos países de baixa e média renda; o protocolo corresponde a descrição da pesquisa, intitulada “Evaluating the health effect of a Social Housing programme, Minha Casa Minha Vida, using the 100 million Brazilian Cohort: a natural experiment study protocol” com vista a estudar, por meio de um estudo quase-experimental, o impacto do programa MCMV em desfechos em saúde, usando os dados da Coorte de 100 milhões de Brasileiros. Este protocolo subsidiou a elaboração do terceiro artigo, intitulado “Effect of social housing programme, Minha Casa Minha Vida, on the risk of premature cardiovascular mortality among vulnerable and underprivileged: a population based nested case-control study”. Neste, investigamos a influência do programa MCMV na mortalidade por DCV. Métodos: Considerou-se para o estudo de revisão sistemática artigos publicados até 31 de julho de 2020 no MEDLINE, Scopus, Lilacs, Web of Science e Google Scholar, observando o o efeito dos programas de proteção social nos comportamentos em saúde (dieta, atividade física e consumo de álcool e tabaco), fatores de risco cardiometabólico (hipertensão, diabetes mellitus tipo 2, dislipidemia, e excesso de peso) e mortalidade por DCV. Foram incluídos e sintetizados em tabelas, todos os estudos revisados por pares, publicados entre 1990 e 2020, conduzidos em qualquer LMIC, que avaliam quantitativamente o efeito de qualquer política ou programa de proteção social na saúde cardiovascular de adultos. O artigo de revisão foi conduzido de acordo o documento de referência Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-analyses (PRISMA). Para o protocolo, delineou-se um estudo quase-experimental, no período de 2007 a 2015, após vinculação dos dados da coorte com os dados da base do programa MCMV (2009-2015), e da mortalidade por DCV (2007-2015), hanseníase (2007-2015) e registros de tuberculose (2007– 2015). A população exposta foi definida como indivíduos que assinaram o contrato para receber o benefício social do MCMV, e o grupo não exposto, incluí os indivíduos comparáveis dentro da coorte que não assinaram um contrato de recebimento de uma habitação social. O impacto do MCMV sobre os resultados em saúde será estimado utilizando diferentes abordagens de escore de propensão para controlar os confundidores observados. Os indivíduos serão acompanhados até à ocorrência do desfecho específico, data do óbito ou término do acompanhamento (31 de dezembro de 2015). As análises serão estratificadas por tempo de acompanhamento, faixa etária, raça/etnia, gênero e posição socioeconômica. O protocolo foi elaborado de acordo com as diretrizes sugeridas pelo Template for Intervention Description and Replication for Population Health and Policy (TIDieR-PHP). Para o artigo empírico da Tese, o óbito prematuro por DCV foi o único desfecho estudado. Além disso, optamos por um desenho de estudo caso-controle pareado e aninhado à Coorte, com 102,882 indivíduos com idades entre 30-69 anos. Os casos, óbitos prematuros por DCV, foram definidos considerando a data de ocorrência do óbito e pareado com dois controles, selecionados de forma aleatória e sem reposição no período de ocorrência do óbito. Variáveis como a idade, sexo, raça, educação, região e recebimento do Bolsa Família foram usadas para parear os casos e os controles. O recebimento da habitação social proveniente do programa MCMV foi a principal exposição do estudo. Esta foi definida, considerando a data de assinatura do contrato da nova habitação, sendo necessário ser anterior à data do óbito. Modelos de regressão logística condicional, ajustado pelas características familiares do domicilio e pelo porte do município, foram utilizadas para modelar a razão de chances da mortalidade prematura por DCV. Análises de sensibilidade considerando apenas os indivíduos residentes nos municípios com elevado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) foram realizadas. Resultados: Para o artigo de revisão sistemática foram incluídos 34 estudos, distribuídos em 15 países de baixa e média renda. Em vinte e dois estudos foram identificados resultados sobre comportamentos de saúde (61,8%), 12 sobre fatores de risco cardiometabólico (35,3%) e um sobre mortalidade por DCV (2,9%). Resultados apontam que programas de proteção social estão associados a dieta saudável (N = 17/26, 65,3%), aumento da atividade física (N = 2/2, 100%), menor prevalência de hipertensão (N = 2/3, 66, 6%) e diabetes do tipo 2 (N = 1, 100%). Esses programas se associaram ao excesso de peso corporal (N = 8/11, 72,7%), principalmente entre beneficiários de programas incondicionais de transferência de alimentos. Não encontramos associação entre programas de proteção social e uso de tabaco e álcool (N = 4/7, 57,1%) ou mortalidade por DCV (N = 1, 100%). Com relação ao artigo empírico, os resultados apontaram que durante o tempo de acompanhamento (2010- 2015), registrou-se na Coorte de 100 milhões de Brasileiros, 34.294 casos de óbitos prematuros por DCV, com mediana de idade de 58 anos (50-63), que foram pareados com 68.588 controles, mediana de idade de 55 anos (50-61). A maioria dos casos (59,72%) e controles (57,14%) são provenientes de municípios de grande porte, com mais de cem mil habitantes. No entanto, aqueles que morreram por DCV (casos) apresentaram maiores proporções de acesso inadequado ao abastecimento de água (9,02 vs 8,77%) e à domicílios sem eletricidade ou contador (7,21% vs 6,11%), quando comparado com o grupo controle. Os beneficiários de habitação social apresentaram maior risco de óbito prematuro por DCV em comparação aos não beneficiários do programa social, após ajuste dos modelos pelas condições familiares de moradia e pelo porte do município (OR = 1,18; IC95% = 1,07-1,30). O mesmo padrão de associação permaneceu após análise dos casos e controles residentes em municípios com IDH elevado (ORaj = 1.16; IC95% = 1.03-1.30). Conclusões: Os programas de proteção social influenciam positivamente na melhoria da qualidade e diversidade da dieta. Porém, foram associadas ao aumento da prevalência de excesso de peso, em especial entre os beneficiários de programas não condicionais de transferência de alimentos. Evidências limitadas sobre seus efeitos nos demais indicadores de saúde cardiovascular (diabetes tipo 2, hipertensão, atividades físicas e dislipidemia) e mortalidade por DCV, ressaltam a importância de mais estudos sobre o tema. Além disso, não encontramos estudos relativos aos efeitos de intervenções habitacionais em desfechos cardiovasculares, sobretudo mortalidade, nos países de baixa e média renda, apesar da habitação ser um importante determinante social da saúde. No que se refere aos resultados do estudo empírico, de forma não esperada, foi observado um maior risco de óbito prematuro entre os beneficiários do programa MCMV em comparação aos não beneficiários. Contudo, os achados devem ser interpretados com cautela. A construção de empreendimento em áreas desprovidas, em particular, de serviço de promoção de saúde, área de lazer, alimentação saudável e transporte público adequado, aliado a perda ou enfraquecimento das redes de apoio e suporte social, associados à realocação das famílias em novos territórios, pode ter contribuídos com tais resultados desfavoráveis. Por outro lado, alguns limites do estudo precisam ser considerados, a exemplo do curto tempo de exposição ao programa e a condição prévia de saúde dos beneficiários (não temos tais informações), o que pode ter influenciado os resultados. Argumenta-se ainda o fato de que o PMCMV foi projetado inicialmente para atender apenas demandas habitacionais, não se atendo a questões associadas as características da vizinhança e o acesso aos empreendimentos habitacionais. É importante ressaltar que outras análises estão previstas (ver protocolo), o que torna os resultados apresentados aqui ainda preliminares.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Cardiovascular diseases (CVD) are the main causes of death in Brazil and are closely related to living conditions, particularly affecting individuals in situations of social vulnerability. In this sense, social protection programs, such as income, food and input transfer programs, and social housing have been identified as interventions capable of reducing social and health inequities, including those associated with cardiovascular health. Evidence regarding the effects of social programs on cardiovascular health is scarce, and even more so are studies on the effects of social housing programs on CVD mortality, especially in low- and middle-income countries (LMICs). Thus, the present work had the general objective of studying the effect of social protection programs on cardiovascular health in low and middle-income countries. The central theme of this Thesis was approached through two articles and a research protocol. The article entitled “Impact of social protection policies on cardiovascular health in low-and-middle-income countries: a systematic review” corresponds to a systematic review of the effects of social protection programs on cardiovascular health in lowand- middle-income countries; the protocol corresponds to the research description, entitled “Evaluating the health effect of a Social Housing programme, Minha Casa Minha Vida, using the 100 million Brazilian Cohort: a natural experiment study protocol” to study, through a quasi-experimental study, the impact of Minha Casa Minha Vida (MCMV) program on health outcomes, using data from the 100 Million Brazilian Cohort. This protocol supported the elaboration of the third article, entitled “Effect of social housing programme, Minha Casa Minha Vida, on the risk of premature cardiovascular mortality among vulnerable and underprivileged: a population based nested case-control study”. In this, we investigate the influence of the MCMV program on CVD mortality. Methods: For the systematic review study, articles published until July 31st, 2020, in MEDLINE, Scopus, Lilacs, Web of Science and Google Scholar were considered, observing the effect of social protection programs on health behaviours (diet, physical activity and use of alcohol and tobacco), cardiometabolic risk factors (hypertension, type 2 diabetes, dyslipidemia, and excess weight) and CVD mortality. All peer-reviewed studies published between 1990 and 2020, conducted in any LMICs, that quantitatively assess the effect of any social protection policy or program on the cardiovascular health of adults were included and synthesized in tables. The review article was conducted according to the reference document Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-analyses (PRISMA). For the protocol, a quasi-experimental study was designed, from 2007 to 2015, after linking the cohort data with the base data of the MCMV program (2009-2015), and of CVD mortality (2007-2015), leprosy (2007-2015) and tuberculosis records (2007–2015). The exposed population was defined as individuals who signed the contract to receive the MCMV social benefit, and the unexposed group included comparable individuals within the cohort who did not sign a contract to receive social housing. The impact of MCMV on health outcomes will be estimated using different propensity score approaches to control observed confounders. Individuals will be followed up until the occurrence of the specific outcome, date of death or end of follow-up (December 31st , 2015). The analyzes will be stratified by follow-up time, age group, race/ethnicity, gender and socioeconomic status. The protocol was developed according to the guidelines suggested bythe Template for Intervention Description and Replication for Population Health and Policy (TIDieR-PHP). For the empirical article of the Thesis, premature death from CVD was the only outcome studied. Also, we opted for a case-control study design paired and nested with the Cohort, with 102,882 individuals aged 30-69 years. The cases, premature deaths due to CVD, were defined considering the date of occurrence of death and paired with two controls, selected at random and without replacement in the period of death`s occurrence. Variables such as age, sex, race, education, region and receipt of Bolsa Família programme were used to match cases and controls. Receiving social housing from the MCMV program was the main exposure of the study. This was defined, considering the date of signature of the new housing contract, being necessary to be before the date of death. Conditional logistic regression models, adjusted for household characteristics and the size of the municipality, were used to model the odds ratio for premature CVD mortality. Sensitivity analyzes considering Only individuals residing in municipalities with a high Human Development Index (HDI) were performed. Results: For the systematic review article, 34 studies were included, distributed in 15 low and middle-income countries. In twenty-two studies, results on health behaviours (61.8%), 12 on cardiometabolic risk factors (35.3%) and one on CVD mortality (2.9%) were identified. Results point out that social protection programs are associated with a healthy diet (N = 17/26, 65.3%), increased physical activity (N = 2/2, 100%), lower prevalence of hypertension (N = 2/3, 66, 6%) and type 2 diabetes (N = 1, 100%). These programs were associated with excess body weight (N = 8/11, 72.7%), especially among beneficiaries of unconditional food transfer programs. We found no association between social protection programs and the use of tobacco and alcohol (N = 4/7, 57.1%) or mortality from CVD (N = 1, 100%). Regarding the empirical article, the results showed that during the follow-up period (2010-2015), 34,294 cases of premature deaths from CVD were registered in the Cohort of 100 Million Brazilians, with a median age of 58 years (50- 63), who were paired with 68,588 controls, with a median age of 55 years (50-61). Most cases (59.72%) and controls (57.14%) are from large municipalities, with more than one hundred thousand inhabitants. However, those who died from CVD (cases) had higher proportions of inadequate access to water supply (9.02 vs 8.77%) and households without electricity or meter (7.21% vs 6.11%), When compared to the control group. Beneficiaries of social housing had a higher risk of premature death from CVD compared to non-beneficiaries of the social program, after adjusting the models for family housing conditions and the size of the municipality (OR = 1.18; 95% CI = 1.07- 1.30). The same pattern of association remained after analyzing the cases and controls residing in municipalities with a high HDI (ORaj = 1.16; 95% CI = 1.03-1.30). Conclusion: Social protection programs have a positive influence on improving the quality and diversity of the diet. However, they were associated with an increase in the prevalence of overweight, especially among beneficiaries of non-conditional food transfer programs. Limited evidence on its effects on other indicators of cardiovascular health (type 2 diabetes, hypertension, physical activities and dyslipidemia) and mortality from CVD, highlight the importance of further studies on the subject. Besides, we have not found studies on the effects of housing interventions on cardiovascular outcomes, especially mortality, in low and middle-income countries, despite housing being an important social determinant of health. The results of the empirical study, unexpectedly, a greater risk of premature death was observed among beneficiaries of the MCMV program compared to non-beneficiaries. However, the findings should be interpreted with caution. The construction of an enterprise in areas devoid, in particular, of health promotion service, leisure area, healthy food and adequate public transport, combined with the loss or weakening of the support and social support networks, associated with the relocation of families in new territories may have contributed to such unfavourable results. On the other hand, some study limits need to be considered, such as the short time of exposure to the program and the beneficiaries' previous health condition (we do not have such information), which may have influenced the results. It is also argued that the PMCMV was initially designed to meet only housing demands, not addressing issues associated with the characteristics of the neighbourhood and access to housing developments. It is important to note that other analyzes are planned (see protocol), which makes the results presented here still preliminary.

4
  • PALOMA DE CASTRO BRANDAO
  • Rede de Atenção às Urgências e Emergências: Atendimento ao paciente com Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Agudo

  • Orientador : ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE LIMA PESTANA MAGALHÃES
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • FABRICIO JOSE SOUZA BASTOS
  • GABRIELA MARCELLINO DE MELO LANZONI
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • VIRGINIA RAMOS DOS SANTOS SOUZA
  • Data: 13/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Rede de Atenção às Urgências e Emergências funciona através de fluxos estabelecidos entre os serviços. Pacientes com Acidente Vascular Cerebral isquêmico agudo necessitam de atenção direcionada, tendo em vista o tratamento tempo dependente, sendo que poucos conseguem ter acesso ao tratamento adequado e a organização do sistema de saúde interfere consideravelmente no desfecho dos atendimentos. Assim a tese buscou responder à questão: Como está organizada a Rede de Atenção às Urgências e Emergências para o atendimento do paciente com Acidente Vascular Cerebral isquêmico agudo em Salvador, Bahia, Brasil? Objetivou-se: Analisar como ocorre o atendimento de pacientes com Acidente Vascular Cerebral isquêmico agudo na Rede de Atenção às Urgências e Emergências de Salvador, Bahia, Brasil. Dessa maneira, foi utilizado o referencial teórico de Mário Rovere, sobre “Redes em Saúde” e o referencial metodológico da Teoria Fundamentada nos Dados, por Strauss e Corbin. Participaram do estudo 75 profissionais de saúde, enfermeiros e médicos, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, de duas Unidades de Pronto Atendimento e do Hospital de Referência em Acidente Vascular Cerebral, compondo três grupos amostrais obtidos por amostragem teórica. As entrevistas ocorreram entre outubro de 2019 e outubro de 2020 com a seguinte pergunta norteadora de pesquisa: “Fale-me sobre o atendimento ao paciente com suspeita de Acidente Vascular Cerebral”, permitindo que os dados emergissem das respostas dos participantes. Foram levantadas outras questões, a partir das respostas apresentadas, conforme as hipóteses elencadas, até a saturação teórica dos dados. A coleta e a análise dos dados aconteceram de forma concomitante e comparativa, permitindo a codificação aberta, axial e a integração, delimitando a categoria central: “Revelando a fragmentação na Rede de Atenção às Urgências e Emergências no atendimento ao paciente com Acidente Vascular Cerebral agudo”. Dessa maneira, o primeiro artigo apresentado neste trabalho aponta, através de Revisão Integrativa da Literatura, para a organização do atendimento em rede, tendo em vista as pactuações entre os serviços e as diferentes tecnologias apresentadas para ampliar a atenção ao paciente. O segundo artigo, intitulado: “Rede de Atenção às Urgências e Emergências: atendimento ao paciente com Acidente Vascular Cerebral” revela a teoria substantiva através das categorias e subcategorias que sustentam a categoria central. As categorias destacam, dentre outros elementos, características gerenciais como a falta de recursos para atender o paciente, a incipiência do uso de protocolos, a ausência de linguagem e conduta única na rede, saída do paciente da Linha de Cuidado e atendimento fora de janela terapêutica com limitações na assistência. Frente à necessidade de discussão direcionada para a interação dos profissionais para aprofundar os mecanismos de comunicação e os elementos restritivos ou facilitadores do atendimento, apresenta-se o terceiro artigo: “Interação profissional em Rede no atendimento ao paciente com Acidente Vascular Cerebral” que revela elementos de fragmentação na interação entre os serviços, sendo visualizados elementos facilitadores oriundos da colaboração em rede. Assim, observou-se diferentes níveis de interação na rede, sendo que a descontinuidade dos elementos que a compõem revela problemas gerenciais e de planejamento que urgem por intervenções para aprimorar o atendimento.


  • Mostrar Abstract
  • The Urgency and Emergency Care Network works through established flows between services. Patients with acute ischemic stroke need targeted attention, in view of the time-dependent treatment, with few able to have access to adequate treatment and the organization of the health system interferes considerably in the outcome of care. Thus, the thesis sought to answer the question: How is the Urgency and Emergency Care Network organized for the care of patients with acute ischemic stroke in Salvador, Bahia, Brazil? The objective was: To analyze how the care of patients with acute ischemic stroke occurs in the Urgency and Emergency Care Network of Salvador, Bahia, Brazil. Thus, Mário Rovere's theoretical framework on “Health Networks” and the methodological framework of Grounded Theory, by Strauss and Corbin, were used. 75 health professionals, nurses and doctors participated in the study, from the Mobile Emergency Care Service, from two Emergency Care Units and from the Reference Hospital for Stroke, composing three sample groups obtained by theoretical sampling. The interviews took place between October 2019 and October 2020 with the following guiding research question: “Tell me about care for patients with suspected cerebrovascular accident”, allowing data to emerge from the participants' responses. Other questions were raised, from the answers presented, according to the hypotheses listed, until the theoretical saturation of the data. Data collection and analysis took place concurrently and comparatively, allowing for open, axial and integration coding, delimiting the central category: “Revealing the fragmentation in the Urgency and Emergency Care Network in the care of patients with acute stroke ”. Thus, the first article presented in this work points, through the Integrative Literature Review, to the organization of networked care, in view of the agreements between services and the different technologies presented to expand patient care. The second article, entitled: “Urgency and Emergency Care Network: care for patients with stroke” reveals the substantive theory through the categories and subcategories that support the central category. The categories highlight, among other elements, managerial characteristics such as the lack of resources to assist the patient, the incipience of the use of protocols, the absence of language and unique conduct in the network, the patient's departure from the Care Line and care outside the therapeutic window. with assistance limitations. In view of the need for discussion aimed at the interaction of professionals to deepen the communication mechanisms and the restrictive or facilitating elements of care, the third article is presented: “Professional network interaction in the care of patients with stroke” that reveals elements fragmentation in the interaction between services, with facilitating elements from network collaboration being viewed. Thus, there were different levels of interaction in the network, and the discontinuity of the elements that compose it reveals management and planning problems that are urgent for interventions to improve care.

5
  • FERNANDA DOS REIS SOUZA
  • A síndrome congênita do Zika e a mulher que cuida:  uma análise ecossistêmica à luz da classificação internacional de funcionalidade, incapacidade e saúde.

  • Orientador : CARLOS ANTONIO DE SOUZA TELES SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS ANTONIO DE SOUZA TELES SANTOS
  • JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • LUCIANA CASTANEDA RIBEIRO
  • SHAMYR SULYVAN DE CASTRO
  • SILVIA DE OLIVEIRA PEREIRA
  • Data: 14/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As crianças com Síndrome Congênita do Zika (SCZ) apresentam múltiplas deficiências e exigem cuidados contínuos, os quais, em um contexto de desigualdade de gênero, são assumidos por mulheres. Segundo a literatura, elas são fundamentais na gestão das demandas terapêuticas e experimentam prejuízos na saúde mental e em diferentes esferas da vida. Existem lacunas na caracterização dessa experiência à luz do modelo da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) - composto por funções e estruturas do corpo, atividades e participação, fatores ambientais e pessoais -, e na análise das influências sistêmicas desse fenômeno, que pode ser realizada a partir do Modelo Bioecológico e seus pilares: pessoa-contexto-processo-tempo. Objetivo: Caracterizar o impacto da SCZ em cuidadoras à luz da CIF. Metodologia: Esta pesquisa foi realizada em três etapas: (1) estudo de domínios da CIF, Módulo de Impacto Familiar, do Questionário Pediátrico de Qualidade de Vida (PedsQL-FIM 2.0), a partir de regras de ligação estabelecidas na literatura; (2) estudo descritivo transversal do perfil de incapacidade de 46 cuidadoras de crianças com SCZ, participantes do Programa de Intervenção Familiar Juntos, que foi executado, no período de 2017 e 2018, nos estados da Bahia e Rio de Janeiro, com base nos domínios da CIF do PedsQL-FIM 2.0; (3) estudo qualitativo realizado, a partir da análise de conteúdo de treze entrevistas de cuidadoras, para caracterizar o ecossistema de funcionalidade das mesmas no contexto da SCZ. Resultados: (1) Foram identificados, no PedsQL-FIM 2.0, 39 conteúdos principais e 13 adicionais ligados à CIF, sendo a maior parte relativos funções mentais; (2) Na análise do perfil, os maiores prejuízos foram visualizados nas ‘funções emocionais’ e da ‘energia e impulsos’, na realização das ‘tarefas domésticas’ e na ‘tomada de decisão’. As ‘atitudes’ foram identificadas como maior barreira. O escore parcial das ‘atividades e participação’ retratou pior desempenho e, na análise bivariada, menores pontuações no escore total estavam relacionados a pior avaliação do nível de vida (das cuidadoras e das crianças) e menor escolaridade. (3) A análise das entrevistas à luz da CIF e do Modelo Bioecológico revelou impactos nas funções mentais, autocuidado e conhecimentos e conceitos das cuidadoras. Além de um conjunto de sistemas proximais (ambiente doméstico e serviços de saúde) e distais (normas e ideologias sociais de gênero e capacitistas e insuficiência de sistemas e políticas públicas) que estavam conectados a diferentes componentes de funcionalidade, revelando que os prejuízos experimentados pelas mulheres nesse papel extrapolam a dimensão individual. Conclusão: As evidências sugerem a urgência de estruturação de políticas relativas ao cuidado, para proteção de quem cuida e redistribuição desse trabalho, assim como para o enfrentamento barreiras atitudinais e de acesso a serviços. Ademais, reforça a necessidade de superação do enfoque na morbidade psiquiátrica desse público, com incorporação de aspectos socio estruturais relacionados ao cuidar no âmbito da clínica e pesquisa.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Children with Congenital Zika Syndrome (SCZ) have multiple disabilities and require continuous care, which, in a context of gender inequality, are assumed by women. According to the literature, they are fundamental in the management of therapeutic demands and experience losses in mental health and in different spheres of life. There are gaps in the characterization of this experience in the light of the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) model - composed of body functions and structures, activities and participation, environmental and personal factors -, and in the analysis of the systemic influences of this phenomenon, that can be realized from the Bioecological Model and its pillars: person-context-process-time. Objective: To characterize the impact of SCZ on caregivers in the light of the ICF. Methodology: This research was carried out in three stages: (1) study of domains of the ICF, Family Impact Module, of the Pediatric Quality of Life Questionnaire (PedsQL-FIM 2.0), based on connection rules established in the literature; (2) a descriptive cross-sectional study of the disability profile of 46 caregivers of children with SCZ, participants in the Family Together Intervention Program, which was carried out in the years 2017 and 2018 in the states of Bahia and Rio de Janeiro, based on the domains the PedsQL-FIM 2.0 CIF; (3) qualitative study carried out, based on the content analysis of thirteen caregiver interviews, to characterize their functionality ecosystem in the context of SCZ. Results: (1) In the PedsQL-FIM 2.0, 39 main contents and 13 additional ones related to the ICF were identified, most of which were related to mental functions; (2) In the profile analysis, the biggest losses were seen in the ‘emotional functions’ and ‘energy and impulses’, in the performance of ‘housework’ and ‘decision making’. ‘Attitudes’ have been identified as a major barrier. The partial score of ‘activities and participation’ portrayed worse performance and, in the bivariate analysis, lower scores on the total score were related to worse assessment of the standard of living (of caregivers and children) and lower education. (3) The analysis of the interviews in the light of the ICF and the Bioecological Model revealed impacts on the mental functions, self-care and knowledge and concepts of the caregivers. In addition to a set of proximal (home environment and health services) and distal systems (gender and capacitist social norms and ideologies and insufficient systems and public policies) that were connected to different components of functionality, revealing that the losses experienced by women in that role they extrapolate the individual dimension. Conclusion: The evidence suggests the urgency of structuring policies related to care, to protect those who care and redistribute this work, as well as to cope with attitudinal barriers and access to services. Furthermore, it reinforces the need to overcome the focus on morbidity psychiatric of this public, with incorporation of socio-structural aspects related to care within the scope of the clinic and research.

6
  • JONAS BALTAZAR DANIEL
  • Concentração sérica de vitamina D ao nascer e marcadores de risco cardiometabólico em adolescentes: um estudo de coorte de nascimento

  • Orientador : ANA MARLUCIA DE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA MARLUCIA DE OLIVEIRA
  • MONICA LEILA PORTELA DE SANTANA
  • NEY CRISTIAN AMARAL BOA SORTE
  • PEDRO ISRAEL CABRAL DE LIRA
  • PRISCILA RIBAS DE FARIAS COSTA
  • RITA DE CASSIA RIBEIRO SILVA
  • Data: 30/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • A vitamina D tem sido recentemente associada a ocorrência dos marcadores de risco cardiometabólicos na infância e na adolescência. E, assim esta relação tem se deslocado exclusivamente da saúde adulta e se voltado também para estes ciclos de vida. E, no atual estágio do conhecimento, as evidências científicas indicam que alguns destes marcadores, têm instalação precoce na vida do indivíduo e se perpetuam nos ciclos posteriores da vida. Assim, este estudo busca contribuir com o conhecimento da variação da concentração dos marcadores de risco cardiometabólicos na adolescência utilizando-se do desenho de coorte de nascimento, envolvendo 257 indivíduos. As amostras do soro dos dois momentos do seguimento foram acondicionadas em freezer -70ºc. Foram realizados testes de validação da qualidade das amostras armazenadas na primeira onda, os quais atestaram a validade para o uso neste estudo. Para estimar a variação média entre os níveis da vitamina D ao nascer e na adolescência (variável de exposição principal) sobre as variáveis respostas ao longo do tempo [(glicemia, perfil lipídico e homocisteína e a variável antropométrica (IMC)], utilizou-se a técnica da Equação de Estimação Generalizada (GEE), adequada para dados longitudinais e respostas contínuas. Adotou-se a significância de p<0,05 para aceitação das associações investigadas. Resultados: A prevalência da concentração insuficiente de vitamina D foi observada em 53,7% dos adolescentes e a média da vitamina D sérica foi de 29,98 ng/ml (DP= 8,75 ng/ml). Resultados da GEE indicaram que a cada 01 unidade de ng/ml de mudança na concentração sérica de vitamina D (coeficiente β), imprimia variação de 01 unidade nos valores médios correspondentes dos marcadores de risco investigados, mantendo fixas as demais variáveis no modelo. Assim, pode ser interpretado que a diminuição de 01 unidade de ng/ml na concentração sérica de vitamina D (β), aumentava os valores médios séricos dos marcadores de risco investigados, mantendo fixas as demais variáveis no modelo. E, foram identificados coeficientes (β) negativos para o Colesterol total (β= -0,5878986; p= 0.031); para o LDL colesterol (β= -0,5129865; p= 0,018); para o Triglicérides (β= -2,105951; p= 0,000). E, o aumento em 01 unidade de ng/ml no coeficiente (β) da concentração da vitamina D, aumenta em média os respectivos valores estimados para o HDL colesterol (β= 0,1904087; p=0,027), para a Homocisteína (β= 0,0949827; p= 0,038) e para a Glicose (β=0,2367076; p=0,026). E identificou-se também associação positiva entre a concentração de vitamina D e variação do índice de massa corpórea (β=0,0544771; p=0,001). Na avaliação do objetivo secundário deste estudo, os resultados da análise de regressão linear multivariada, indicaram que a concentração da vitamina D do cordão se associou positivamente com os marcadores de risco cardiometabólicos, colesterol total, HDL colesterol, LDL colesterol e triglicérides ao longo do seguimento. Enquanto a associação negativa e significativa desta relação foi observada somente para a homocisteína. Neste nível da análise nenhuma influência foi identificada para a glicose. E, a associação negativa e significante da concentração da vitamina D na adolescência foi observada para os marcadores cardiometabólicos colesterol total, HDL colesterol, LDL
    159
    colesterol e Triglicerides e positiva com para os níveis da homocisteína e da glicose ao longo do tempo. Conclusão: Os resultados da GEE, indicaram que a cada variação média de ng/ml de vitamina D, mantendo fixas as demais variáveis no modelo, alteraram negativamente os marcadores de risco cardiometabólicos; Colesterol total (β= -0,5878986; p= 0,031); LDL colesterol (β= -0,5129865; p= 0,018); Triglicérides (β= -2,105951; p= 0,000). E, foram observadas relações positivas com os seguintes marcadores de risco HDL colesterol (β= 0,1904087; p=0,027), para a homocisteína (β=0,094982 p= 0,033) e para a glicose (β=0,2367076; p=0,026). Para cada variação média de ng/ml de vitamina D ao longo do seguimento observou-se aumento nos valores médios em 0,0544771 unidades de IMC (p= 0,001). Na avaliação do objetivo secundário deste estudo, utilizando a regressão linear multivariada, observou-se que os níveis da concentração da vitamina D ao nascer mostrou-se positiva, imprimindo aumentos nos níveis médios da concentração dos marcadores de risco cardiometabólicos colesterol total, HDL colesterol, LDL colesterol e triglicérides ao longo do seguimento. A vitamina D do cordão interferiu negativamente nos níveis médios de homocisteína, aumentando assim a concentração sérica deste marcador. E não interferiu significantemente nos níveis médios da glicose sérica ao longo do tempo. Os resultados desta análise indicaram também que na adolescência a concentração sérica dos níveis de vitamina D teve associação negativa e significantemente com o aumento dos níveis de colesterol total, HDL colesterol, LDL colesterol triglicérides ao longo do seguimento. Enquanto o impacto sobre homocisteína revelou-se positivo e significantemente associada com a diminuição da concentração sérica destes indicadores. Para relação entre a concentração de vitamina D e o índice de massa corpórea (IMC) houve aumento deste indicador ao longo do seguimento. A avaliação da predição da concentração da vitamina D ao nascer ou na adolescência parece não predizer isoladamente a variação dos marcadores de risco cardiometabólicos ao longo deste período da vida.


  • Mostrar Abstract
  • Vitamin D recently is associate with ocuorrence of cardiometabolic risk markers in childhood and adolescents. So, this relationship is exclusively dislocating of adult health and also comeback to this lifecycle. In this stage of knowledge, scientific evidences indicate that some of these markers have a precocious installation in indivuduals and its perpectuates in later stages of the life. So, this study seeking to contribution with the knowledge the variation of concentration of cardiometabolic risk markers in adolescence using cohort study birth, involved 257 individuals. The sample of serum in two steps of following up, were keeping into frezzers -70 ºc. All samples of first step were examined to know their quality, that were observed as high quality, and used in this study. To estimate a mean variation of vitamin D at birth and adolescents (main exposure variable) on response variables during the following up [ glycaemia, lipid profile, homocysteine and an antropometric variable (Body Mass Index)] was used a Generalized Estimating Equation (GEE) adequate to longitudinal data and continuos outcomes. Was adopted a statistically significant with p value less 0,05 to accept the investigate association. Results: A prevalence of insufficiency of vitamin D concentration was observed in 53,7% of adolescents; a mean serum of vitamin D was 29.98 ng/ml (SD= 8.75 ng/ml). Results of data analisys using GEE indicated that for each change 1-unit ng/ml of vitamin D (coeffient β) there were variation of 1 unit in medium values that corresponding an investigated risk markers keeping fixed others variables in the model. So, it can be interpreted that a decreased of 1unit ng/ml in serum concentration of vitamin D, (β) was increased medium values of investigating risk markers, keeping fixed others variables in model. Were identify a negative coefficients (β) to total cholesterol, (β= -0,5878986; p= 0.031); LDL cholesterol (β= -0,5129865; p= 0,018); Triglycerides (β= -2,105951; p= 0,000); and when increased each unit of ng/ml in coefficient (β) of vitamin D concentration was recorded increased mean of their respective estimate values to HDL cholesterol (β= 0,1904087; p=0,027), for homocysteine (β= 0,0949827; p= 0,038) and glucose (β=0,2367076; p=0,026); was identify a positive association between a vitamin D concentration and variation mean of body mass index (BMI) (β=0,0544771; p=0,001). The evaluation of secondary objective in this study, the results of multivariate linear regression analisys, indicated that a vitamin D in umbilical cord, was positive associated with following cardiometabolic risk factors total cholesterol, HDL cholesterol, LDL cholesterol and Triglycerides during the following up. While a negative and significant association of this relationship was observed only to homocysteine in this level of analisys none influence was identify to glucose. And a negative significant association of vitamin D concentration in adolescents was observed to cardiometabolic markers total cholesterol, HDL cholesterol, and Triglycerides, and positive association was found to homocysteine and glucose levels over time. Conclusion: The results of GEE indicated that for each mean variation ng/ml of vitamin D, keeping fixed othres variables in model, have negativelly change the cardiometabolic risk markers Total Cholesterol, (β= -0,5878986; p= 0,031); LDL cholesterol (β= -0,5129865; p= 0,018); Triglycerides (β= -2,105951; p= 0,000). Was observed positeve relations with following risk markers HDL cholesterol (β= 0,1904087; p=0,027); to homocysteine (β=0,094982 p=161 0,033) and glucose (β=0,2367076; p=0,026). To each mean variation ng/ml of vitamin D during the following up, was observed an increased in mean values in 0,0544771 units of body mass index (0,001). The evaluation of secondary objective using a multivariate linear regression, observed that a levels of vitamin D at birth showed positive and increased mean levels of cardiometabolic risk markers concentration as total cholesterol, HDL cholesterol, LDL cholesterol, and triglycerides over time of followed up. The vitamin D from umbical cord, interfered negatively in medium levels of homocysteine, increased the serum concentaration of this marker. And did not interfere in medium levels of glucose during following up. The results of this analisys, also indicated that among adolescents a serum vitamin D concentration, was negatively and significantly associate with an increased level of total cholesterol, HDL cholesterol, LDL cholesterol and Triglycerides during the following up. While, the impact on homocysteine showed positive and significantly associated with descerased this marker. The relationship between a vitamin D concentration and body mass index (BMI) was increased of this indicator during following up. The evaluation of prediction of vitamin D et birth and or in adolescence, seems not predict separately a variation of cardiometabolic risk markers during this period of life.


7
  • RAFAEL DAMASCENO DE BARROS
  • Evolução, resultados e eficiência da atenção primária à saúde no Brasil.

  • Orientador : SEBASTIAO ANTONIO LOUREIRO DE SOUZA E SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SEBASTIAO ANTONIO LOUREIRO DE SOUZA E SILVA
  • LUIS EUGENIO PORTELA FERNANDES DE SOUZA
  • MAURICIO LIMA BARRETO
  • ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • VINICIUS DE ARAUJO MENDES
  • GABRIEL ALVES DE SAMPAIO MORAIS
  • Data: 08/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • O estudo teve por objetivo avaliar a evolução, resultados e eficiência da Atenção Primária à Saúde no Brasil. A análise da evolução considerou elementos da organização e estrutura, provisão de serviços e resultados da atenção primária nos municípios brasileiros entre 2002 e 2019. Foram utilizadas regressões binomiais negativas de dados em painel com efeito fixo para investigar o efeito do porte populacional dos municípios sobre os referidos elementos. Foi constatado que municípios de menor porte populacional, apresentaram maior despesa per capita, cobertura e provisão de serviços. Municípios com maior porte populacional apresentaram uma menor morbimortalidade por condições sensíveis à atenção primária. Sobre estes resultados, foi investigada a associação de fatores socioeconômicos, demográficos e da estrutura dos sistemas municipais de saúde com a morbimortalidade por condições sensíveis à APS no Brasil. Para tal, foram realizadas regressões binomiais negativas de dados em painel com efeito fixo. Os resultados indicaram que usuários que viveram em municípios com piores condições socioeconômicas tiveram maior risco de morrer e principalmente de internar por condições sensíveis à atenção primária. Um maior acesso à exames de tomografia computadorizada e ultrassonografia também contribuiu para reduzir o risco de óbito ou de internações pelas mesmas condições. Ainda sobre os resultados da saúde dos usuários e da população, foi investigado o impacto de elementos da organização, estrutura e provisão de serviços da atenção primária com a morbimortalidade por condições sensíveis à atenção primária. Para tal, foram também realizadas regressões binomiais negativas de dados em painel com efeito fixo, controladas pelos fatores socioeconômicos, porte populacional e da estrutura dos sistemas municipais de saúde. Usuários que viveram em municípios com maior cobertura ou provisão de serviços tiveram menor risco de morte e de internar por condições sensíveis à atenção primária. A despesa per capita não esteve associada à mortalidade, mas atuou para reduzir o risco de internações. O efeito da organização, estrutura e provisão de serviços foi mais forte sobre as internações do que em relação à mortalidade. Por fim, foi avaliada a eficiência de processos e de resultados da atenção primária nos municípios brasileiros entre 2008 e 2019 utilizando a técnica Análise Envoltória de Dados baseada em slacks, com orientação aos produtos e retornos variáveis de escala. Para analisar os fatores ambientais e não-discricionários que estavam relacionados com a eficiência, foi realizada a análise envoltória de dados em segundo estágio a partir de uma regressão truncada com bootstrap. A média da eficiência dos municípios foi de 66% e 50% para processos e resultados respectivamente. Ou seja, com os mesmos níveis de despesa per capita e número de equipes por 3.450 habitantes, seria possível ampliar a provisão de serviços e reduzir óbitos e internações, ao reduzir a ineficiência da atenção primária. Municípios com menor porte populacional foram mais eficientes em processos, demonstrando em média uma maior produtividade por equipe no período pesquisado. Municípios com piores condições socioeconômicas foram mais eficientes em processos e menos eficientes em resultados. A presença de tomógrafos, aparelhos de ultrassonografia e maior número de atendimentos médicos da atenção especializada por habitante contribuíram para aumentar a eficiência de resultados. Maior investimento financeiro em saúde com recurso próprio dos municípios também esteve associado com aumento da eficiência de resultados. Os achados desta tese reforçam a hipótese de que o contexto em que cada município está inserido impacta sua eficiência, portanto os atores envolvidos com a organização e planejamento da atenção primária, devem levar em conta tais aspectos, fortalecendo a equidade na tomada de decisão, buscando, por fim, reduzir a ineficiência da atenção primária à saúde nos municípios brasileiros.


  • Mostrar Abstract
  • The study aimed to evaluate the evolution, results and efficiency of Primary Health Care in Brazil. The analysis of evolution considered elements of organization and structure, service provision and results of primary care in Brazilian municipalities between 2002 and 2019. Negative binomial regressions of panel data with fixed effect were used to investigate the effect of the population size of municipalities on the said elements. It was found that municipalities with smaller population size had higher per capita expenditure, coverage and provision of services. Municipalities with a larger population had a lower morbidity and mortality due to conditions sensitive to primary care. Based on these results, the association of socioeconomic, demographic and municipal health system structure factors with morbidity and mortality due to PHC-sensitive conditions in Brazil was investigated. For this purpose, negative binomial regressions of panel data with fixed effect were performed. The results indicated that users who lived in cities with worse socioeconomic conditions had a higher risk of dying and especially of being hospitalized for conditions sensitive to primary care. Greater access to computed tomography and ultrasound examinations also contributed to reducing the risk of death or hospitalization for the same conditions. Still on the health outcomes of users and the population, the impact of elements of the organization, structure and provision of primary care services with morbidity and mortality due to conditions sensitive to primary care was investigated. To this end, negative binomial regressions of panel data with a fixed effect were also performed, controlled by socioeconomic factors, population size and the structure of municipal health systems. Users who lived in municipalities with greater coverage or provision of services had a lower risk of death and hospitalization for conditions sensitive to primary care. Per capita expenditure was not associated with mortality, but acted to reduce the risk of hospitalizations. The effect of organization, structure, and service provision was stronger on admissions than on mortality. Finally, the efficiency of processes and results of primary care in Brazilian municipalities between 2008 and 2019 was evaluated using the Data Envelopment Analysis technique based on slacks, with product orientation and variable returns to scale. To analyze the environmental and non-discretionary factors that were related to efficiency, a second-stage data envelopment analysis was performed using a truncated bootstrap regression. The average efficiency of the municipalities was 66% and 50% for processes and results, respectively. That is, with the same levels of per capita expenditure and number of teams per 3,450 inhabitants, it would be possible to expand the provision of services and reduce deaths and hospitalizations, by reducing the inefficiency of the primary attention. Municipalities with smaller population size were more efficient in processes, showing, on average, a higher productivity per team in the researched period. Municipalities with worse socioeconomic conditions were more efficient in processes and less efficient in results. The presence of tomographs, ultrasound devices and a greater number of medical appointments in specialized care per inhabitant contributed to increase the efficiency of the results. Greater financial investment in health with the municipalities' own resources was also associated with an increase in the efficiency of results. The findings of this thesis reinforce the hypothesis that the context in which each municipality is inserted impacts its efficiency, therefore the actors involved with the organization and planning of primary care must take these aspects into account, strengthening equity in decision-making, seeking , finally, to reduce the inefficiency of primary health care in Brazilian municipalities.

8
  • LEANDRO ALVES DA LUZ
  • Morbidade materna grave: evolução temporal, principais causas e efeito da atenção primária à saúde sobre as hospitalizações por esses agravos no Brasil.

  • Orientador : ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DO CARMO LEAL
  • FÚLVIO BORGES NEDEL
  • JOILDA SILVA NERY
  • LEILA DENISE ALVES FERREIRA AMORIM
  • ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • Data: 29/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • A morbidade materna grave (MMG) é uma situação de gravidade obstétrica com potencial risco de morte no ciclo gravídico-puerperal e importante indicador para monitorar, avaliar a qualidade e melhorar os cuidados de saúde materna. Esse problema é potencialmente evitável por um conjunto de ações da atenção pré-natal (APN), que representa ação basilar no escopo de atividades desenvolvidas na Atenção Primária à Saúde (APS). Esta Tese teve como objetivo caracterizar a MMG, descrever sua tendência temporal e avaliar o efeito da Estratégia de Saúde da Família considerando a cobertura da APN sobre a evolução da MMG e suas causas específicas nos municípios brasileiros. A tese foi construída no formato de três artigos, sendo o primeiro um ensaio que teve como objetivo apresentar e discutir os conceitos e critérios utilizados para a classificação do near miss materno ou MMG no mundo. O estudo evidenciou existência de polissemia de termos e definições, bem como ausência de consenso na sua definição o que contribui para que a carga global e a extensão do problema em todo mundo não sejam plenamente conhecidas. Os esforços na criação de indicadores de MMG para compreensão da carga global de doença no ciclo gravido-puerperal e para monitorar e avaliar a qualidade da saúde materna demonstraram avanços nas proposições de classificações mais sensíveis e adequadas aos diversos contextos em cada país. Entretanto, diversos desafios ainda permanecem, especialmente relacionados as distintas classificações amplamente utilizadas, sendo necessário a padronização dos critérios para comparar os diferentes cenários, em períodos distintos e avaliar o impacto das intervenções. O artigo 2, teve como objetivo analisar as tendências temporais das taxas de hospitalizações por MMG e de suas principais causas, no Brasil e regiões no período de 2000 a 2017 e utilizou o modelo de regressão segmentada para estimar a variação anual percentual média (Annual Percent Change – APC) em segmentos específicos de uma série histórica e a média ponderada dos APC obtidos na análise segmentada (Average Annual Percent Change – AAPC). Os resultados deste artigo mostraram aumento (AAPC=3,1; IC95%: 2,3;3,9) nas taxas de hospitalização por MMG no Brasil, e na maior parte das Regiões. A análise das causas específicas demonstrou aumento nas taxas de hospitalizações por eclampsia (AAPC=14,9%; IC95%: 8,3; 21,9), admissão em UTI (AAPC=7,1%; IC95%:3,7;10,6) e pré-eclâmpsia (AAPC:6,6; IC95%:5,2;8,0); estabilidade nas taxas de hospitalizações por hemorragia grave (AAPC: -0,4; IC95%: 1,7;0,8); e redução nas taxas de hospitalizações por sepse (AAPC=-2,7; IC95%:-3,8; 1,6), com comportamentos distintos entre as Regiões. O último artigo da tese avaliou os efeitos da expansão da cobertura da ESF e APN sobre as hospitalizações por MMG e segundo causas específicas de síndromes hipertensivas e sepse, nos municípios brasileiros, através de modelos de regressão com resposta binomial negativa e efeitos fixos. Os resultados revelaram que a consolidação da ESF e APN esteve associada ao aumento das hospitalizações por MMG (RR=1,64; IC95%:1,60-1,67) e por síndromes hipertensivas (RR=1,70; IC95%:1,66-1,75) e redução das hospitalizações por sepse (RR=0,83; IC95%: 0,80-0,87) em municípios brasileiros. Os efeitos da APS e APN parecem indicar falhas na APN, mas os achados podem revelar que as hospitalizações podem ter ocorrido no espectro de maior gravidade e por isso não eram evitáveis e que os encaminhamentos ocorreram de forma oportuna para o nível de maior densidade tecnológica, evitando possíveis complicações ou óbito. Os resultados têm implicações importantes para o modelo de saúde centrado na APS e do papel do pré-natal no ciclo gravídico-puerperal. Desse modo, destaca-se a necessidade de fortalecimento de políticas destinadas ao ciclo gravídico-puerperal e qualificação da APN, enquanto atividade basilar da ESF visando a prevenção de MMG e suas complicações que impactam na vida das mulheres.


  • Mostrar Abstract
  • Severe maternal morbidity (SMM) is a situation of obstetric severity with a potential risk of death in the pregnancy-puerperal cycle and an important indicator to monitor, assess the quality and improve maternal health care. This problem is potentially avoidable by a set of prenatal care actions (ACN), which represents a basic action in the scope of activities developed in Primary Health Care (PHC). This Thesis aimed to characterize SMM, describe its temporal trend, and evaluate the effect of the Family Health Strategy (FHS) considering ACN coverage on the evolution of SMM and its specific causes in Brazilian municipalities. The thesis was built in the format of three articles, the first being an essay that aimed to present and discuss the concepts and criteria used for the classification of maternal near miss or SMM in the world. The study evidenced the existence of polysemy of terms and definitions, as well as a lack of consensus in their definition, which contributes to the global burden and extent of the problem in the whole world not being fully known. Efforts to create SMM indicators to understand the global burden of disease in the pregnancy-puerperal cycle and to monitor and assess the quality of maternal health have demonstrated advances in the propositions of more sensitive and appropriate classifications for the different contexts in each country. However, several challenges remain, especially related to the different widely used classifications, making it necessary to standardize the criteria to compare different scenarios, at different periods, and assess the impact of interventions. Article 2 aimed to analyze the temporal trends of hospitalization rates for SMM and its main causes in Brazil and regions in the period 2000 to 2017 and used the segmented regression model to estimate the average annual percentage variation (Annual Percent Change – APC) in specific segments of a time series and the weighted average of the APC obtained in the segmented analysis (Average Annual Percent Change – AAPC). The results of this article showed an increase (AAPC=3.1; 95%CI: 2.3;3.9) in hospitalization rates for SMM in Brazil and most regions. The analysis of specific causes showed an increase in the rates of hospitalizations for eclampsia (AAPC=14.9%; 95%CI: 8.3; 21.9), admission to the ICU (AAPC=7.1%; 95%CI:3.7 ;10.6) and preeclampsia (AAPC:6.6; 95%CI:5.2;8.0); stability in the rates of hospitalizations for severe hemorrhage (AAPC: -0.4; 95%CI: -1.7;0.8); and reduction in the rates of hospitalizations for sepsis (AAPC=-2.7; 95%CI:-3.8; -1.6), with different behaviors between regions. The last article of the thesis evaluated the effects of expanding PHC and ACN coverage on hospitalizations for SMM and according to specific causes of hypertensive syndromes and sepsis, in Brazilian municipalities, using regression models with a negative binomial response and fixed effects. The results revealed that the consolidation of the PHC and ACN was associated with an increase in hospitalizations for SMM (RR=1.64; 95%CI: 1.60-1.67) and hypertensive syndromes (RR=1.70; 95%CI: 1.66-1.75) and reduction in hospitalizations for sepsis (RR=0.83; 95%CI: 0.800.87) in Brazilian municipalities. The effects of PHC and ACN seem to indicate failures in ACN, but the findings may reveal that hospitalizations may have occurred in the most severe spectrum and therefore were not avoidable and that referrals occurred promptly to the level of higher technological density, avoiding possible complications or death. The results have important implications for the health model centered on PHC and the role of prenatal care in the pregnancy-puerperal cycle. Thus, there is a need to strengthen policies aimed at the pregnancy-puerperal cycle and qualification of the ACN, as a basic activity of the FHS aiming at the prevention of SMM and its complications that impact the lives of women.

9
  • NILA MARA SMITH GALVAO
  • MODELOS DE MISTURA NA ANÁLISE DA SÍNDROME METABÓLICA EM MULHERES: PADRÕES LATENTES, FATORES ASSOCIADOS E RELAÇÃO COM O DIABETES MELLITUS TIPO 2

  • Orientador : LEILA DENISE ALVES FERREIRA AMORIM
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LEILA DENISE ALVES FERREIRA AMORIM
  • ROSEMEIRE LEOVIGILDO FIACCONE
  • SHEILA MARIA ALVIM DE MATOS
  • LUANA GIATTI GONÇALVES
  • LIGIA GABRIELLI FERNANDES
  • MARIA DE JESUS MENDES DA FONSECA
  • Data: 03/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Síndrome Metabólica (SM) é um distúrbio complexo caracterizado pela coocorrência de anormalidades metabólicas, que apresenta destacada importância do ponto de vista epidemiológico por sua alta prevalência e pela evidência de sua associação com doenças cardiovasculares (DVC) e diabetes mellitus tipo 2 (DM2). O critério mais recente proposto para a definição da SM estabelece seu diagnóstico a partir da presença de pelo menos três dentre os seguintes componentes: obesidade abdominal, hiperglicemia, hipertrigliceridemia, baixos níveis de colesterol HDL e elevada pressão arterial sistêmica. Diferenças de sexo-gênero na expressão da SM têm sido relatadas na literatura. Em vários estudos encontra-se a evidência de que mulheres, principalmente após os 50 anos, são mais suscetíveis a desenvolver o quadro da síndrome e as comorbidades associadas. A abordagem comum em pesquisas quantitativas que tratam da SM estabelece a identificação dos casos da síndrome considerando-a como um traço dicotômico (presença/ausência). Ainda que esta abordagem seja útil em pesquisas epidemiológicas, pode-se considerar a SM como uma entidade heterogênea, com variação nos possíveis agrupamentos de seus componentes. Assim, uma abordagem alternativa busca caracterizar a SM como um construto (ou variável não diretamente observável), identificando, empiricamente, os padrões/subtipos de sua ocorrência a partir da análise das distintas combinações de seus componentes. Esta abordagem utiliza métodos estatísticos multivariados, incluindo-se os Modelos de Classes Latentes (MCL), que recentemente vêm encontrando amplo potencial de uso nas investigações sobre a SM. O presente estudo amplia o conhecimento sobre as características da ocorrência da SM entre mulheres brasileiras, identificando distintos padrões latentes deste distúrbio em participantes das duas primeiras ondas do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto (ELSA-Brasil). Para as análises foram utilizados diferentes MCL, nominalmente: Análise de Classes Latentes, Análise de Classes Latentes com Medidas Repetidas, Análise de Transição Latente e Análise de Classes Latentes com Desfechos Distais. Em uma via transversal, foram discriminados padrões de SM, examinando-se o efeito de características sociodemográficas e do status de menopausa no pertencimento a estes padrões. Em uma abordagem longitudinal, foram avaliadas trajetórias categóricas para a SM, bem como o perfil de transição entre padrões latentes da síndrome, identificados em dois momentos do tempo. Também, estimou-se o risco para a ocorrência de diabetes mellitus tipo 2, segundo subgrupos de mulheres (não portadoras de DM2 na avaliação inicial do estudo) classificadas nos distintos padrões de SM. Inicialmente, três padrões distintos de SM foram identificados para as mulheres do estudo, com dados da linha de base do ELSA-Brasil. A análise longitudinal revelou principalmente trajetórias de permanência em padrões de SM, com base em dados das duas primeiras ondas de avaliação da coorte ELSA-Brasil. Características individuais, como o nível de escolaridade fundamental ou médio, e a prática insuficiente de atividade física no lazer, influenciaram o pertencimento e a permanência em padrões de maior expressão metabólica. Após 4 anos de seguimento, a transição de padrões de menor risco à saúde para padrões de maior risco à saúde foram mais prováveis para as mulheres analisadas, do que a transição inversa. Subgrupos de mulheres identificados a partir dos padrões emergentes de SM apresentaram diferenças para o risco de desenvolvimento do DM2, confirmando a relevância de se considerar a expressão heterogênea da síndrome. Dentre os principais achados deste estudo, destaca-se a alta prevalência e risco para DM2 associados ao padrão caracterizado pela ocorrência conjunta de obesidade abdominal, hiperglicemia e elevada pressão arterial. Adicionalmente, as análises sugerem que a obesidade abdominal é a principal anormalidade inicial no desencadeamento da síndrome na população analisada. Os resultados deste estudo podem contribuir para nortear políticas públicas para prevenção e redução da SM e para doenças decorrentes em mulheres brasileiras.


  • Mostrar Abstract
  • Metabolic Syndrome (MS) is a complex disorder characterized by the co-occurrence of metabolic abnormalities, which has outstanding importance from an epidemiological point of view due to its high prevalence and the evidence of its association with cardiovascular diseases (CVD) and type 2 diabetes mellitus (DM2) . The most recent criterion proposed for MS diagnosis establishes the presence of at least three of the following components: abdominal obesity, hyperglycemia, hypertriglyceridemia, low levels of HDL cholesterol and high systemic blood pressure. Sex-gender differences in the expression of MS have been reported in the literature. In several studies, there is evidence that women, especially after the age of 50, are more susceptible to developing the syndrome and its associated comorbidities. The most common approach in quantitative research with MS establishes the identification of cases considering a dichotom (presence/absence). Alternatively, MS can be considered as a heterogeneous entity, with variation in grouping of its components. Thus, an interesting approach seeks to characterize MS as a construct (unobserved variable), identifying, empirically, the patterns of its occurrence based on the analysis of the response profiles of its components. This approach uses multivariate statistical methods, including Latent Class Models (LCMs), which have recently been used in MS research. The present study expands knowledge about the MS occurrence among Brazilian women, identifying distinct latent patterns of this disorder in participants of the first two waves of the Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil). For the analyses, different LCMs were used, namely: Latent Class Analysis, Latent Class Analysis with Repeated Measures, Latent Transition Analysis and Latent Class Analysis with Distal Outcomes. At the baseline of ELSA-Brasil, MS patterns were discriminated and the effects of sociodemographic characteristics and menopause status were examined. Using longitudinal latent approaches, trajectories and transition profiles for MS were evaluated using data from the two first waves of the study. The risk for the development of type 2 diabetes mellitus was estimated according different patterns of MS. Initially, three distinct patterns of MS were identified for the women in the study. using baseline data from ELSA-Brasil. Longitudinal analysis mainly revealed trajectories of permanence in MS patterns. Individual characteristics, such as elementary or secondary schooling level, and insufficient leisure-time physical activity, increased the chance to non-changing patterns over time, especially for those patterns of greater metabolic expression. After 4 years of follow-up, the transition from lower to higher health risk patterns was more likely than the reverse transition. The risk of developing DM2 differs according to MS patterns, confirming the relevance of considering the heterogeneous expression of the syndrome. Particularly, we found high prevalence and risk for developing DM2 among the women characterized by the joint occurrence of abdominal obesity, hyperglycemia and high blood pressure. Additionally, the analyzes suggest that abdominal obesity is the main initial abnormality in triggering the syndrome in this population. The results of this study can contribute to guide public policies for the prevention and reduction of MS and ensuing diseases in Brazilian women.

10
  • PRICILLA DE ALMEIDA MOREIRA
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE COMPORTAMENTO SEDENTÁRIO E DESEMPENHO COGNITIVO EM ADULTOS DE MEIA IDADE E IDOSOS: RESULTADOS TRANSVERSAIS DO ELSA-BRASIL

  • Orientador : CARLOS ANTONIO DE SOUZA TELES SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DEL CARMEN BISI MOLINA
  • CARLOS ANTONIO DE SOUZA TELES SANTOS
  • FRANCISCO JOSE GONDIM PITANGA
  • MARIA DE JESUS MENDES DA FONSECA
  • SHEILA MARIA ALVIM DE MATOS
  • Data: 10/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Um corpo crescente de evidências epidemiológicas mostra que indivíduos que se envolvem em um alto volume de comportamento sedentário exibem riscos aumentados de morbidade e mortalidade, independentemente de seu nível de atividade física. Comportamento sedentário (CS) é definido como qualquer comportamento de vigília caracterizado por um gasto energético ≤1,5 equivalentes metabólicos, enquanto em postura sentada, reclinada ou deitada. Dentre os tipos de comportamento sedentário, destacam-se os que usualmente são considerados como “tempo de tela” (como assistir televisão e usar o computador) e “tempo sentado”. Embora as evidências sejam consistentes para a relação entre CS e doenças cardiometabólicas, o mesmo não é observado para a função cognitiva (FC). Objetivo: O objetivo desta tese foi verificar a associação entre comportamento sedentário e desempenho cognitivo em participantes do ELSA-Brasil. Resultados. Artigo 1: No primeiro artigo, buscou-se, por meio de uma revisão sistemática, verificar as evidências que investigam o efeito do tempo sentado prolongado e da sua interrupção sobre o desempenho cognitivo em adultos e idosos saudáveis. As buscas foram realizadas nas bases de dados MEDLINE/PubMed, Scopus e Cochrane Library até março de 2021. Utilizou-se como critério de inclusão estudos com adultos e idosos saudáveis; com desenho transversal, longitudinal, caso controle, ensaios clínicos e intervenção; que avaliassem o tempo sentado prolongado (> 30 minutos) e a cognição; que avaliassem o desempenho cognitivo ao longo do tempo sentado prolongado ou o comparasse de acordo com o tempo sentado prolongado ininterrupto x interrupto. Dez estudos atenderam aos critérios de inclusão. Melhorias na performance cognitiva (atenção, função executiva) e no fluxo sanguíneo cerebral foram observadas em dois estudos quando o tempo sentado prolongado foi interrompido a cada 30 minutos de tempo sentado por 2 minutos de caminhada de leve intensidade e por 3 minutos de caminhada de intensidade moderada. Nos demais ensaios, não foram observadas diferenças de desempenho nos testes cognitivos quando comparou-se o tempo sentado prolongado ininterrupto x interrupto. Artigo 2: No segundo artigo objetivou-se verificar a associação entre comportamento sedentário e o desempenho em testes de função cognitiva de adultos de meia idade e idosos. Adicionalmente foi avaliado se essa relação é modificada pela prática de atividade física. Trata-se de um estudo transversal com dados 6505 adultos de meia idade e idosos participantes do primeiro acompanhamento (onda 2: 2012-2014) do ELSA-Brasil, com mediana de idade de 61 anos, de ambos os sexos (55,2% mulheres). Os diferentes tipos de CS considerados foram “tempo sentado” (durante a semana e fim de semana) e “tempo de tela” (lazer e ocupacional, durante a semana e fim de semana). Para a avaliação do desempenho cognitivo foram utilizadas as pontuações finais obtidas nos testes de memória, linguagem e função executiva. Realizou-se análises descritivas e comparativas de acordo com o sexo. A associação entre CS e desempenho em testes cognitivos foi avaliada de acordo com o sexo pela regressão linear e ajustada por fatores de confusão. As mulheres apresentaram maior nível de escolaridade, foram mais ativas, obtiveram melhor performance nos testes cognitivos e menor tempo sentado e de tela quando comparadas aos homens. Verificou-se que, para os homens, o maior tempo sentado durante a semana e fim de semana esteve associado a melhor desempenho nos testes de memória, linguagem e função executiva. O maior tempo de tela no lazer e ocupacional, ambos no fim de semana, apresentou associação favorável com a performance no teste de função executiva. O maior tempo de tela ocupacional durante a semana apresentou associação positiva com o desempenho no teste de linguagem. Para as mulheres, o tempo sentado e o tempo de tela ocupacional, ambos durante a semana, mostraram-se positivamente associados ao desempenho nos testes de memória. Na performance dos testes de linguagem e de função executiva, todos os tipos do comportamento sedentário analisados mostraram-se favoravelmente associados a estes. As associações citadas foram significantes (p<0,05) e ajustadas por potenciais fatores de confusão. Não foi observado potencial modificação de efeito pela prática atividade física. Artigo 3: O terceiro artigo teve como objetivo verificar a capacidade discriminativa do comportamento sedentário na identificação do desempenho cognitivo em adultos de meia idade e idosos. Estudo transversal com dados 6505 adultos de meia idade e idosos participantes do primeiro acompanhamento (onda 2: 2012-2014) do ELSA-Brasil. Curvas ROC foram construídas para identificar o poder discriminatório do CS sobre o desempenho cognitivo. O CS (tempo sentado, tempo de tela ocupacional e de lazer) parece discriminar baixo desempenho no teste de função executiva em adultos de meia idade e idosos. Em relação a capacidade discriminante do comportamento sedentário de acordo com sexo e faixa etária, os resultados sugerem, no geral, uma melhor capacidade de identificação do bom desempenho na função executiva para mulheres em ambas as faixas etárias. Conclusões: Os resultados das associações transversais sugerem que o CS parece favorecer o desempenho cognitivo (memória, linguagem e função executiva). O tipo de CS (tempo sentado e tempo de tela), a característica das atividades realizadas durante o CS (cognitivamente estimulantes ou não) parecem relevantes para compreender sua associação com a performance cognitiva. Destaca-se que a extrapolação desses achados deve ser feita com cautela uma vez que a amostra deste estudo é composta em sua maioria por trabalhadores ativos, relativamente jovens, realizando atividades cognitivamente estimulantes, com alta escolaridade e posição socioeconômica. Estudos prospectivos que avaliem de forma objetiva o comportamento sedentário são recomendados para uma melhor avaliação da associação do CS com desempenho e declínio cognitivo.


  • Mostrar Abstract
  • A growing body of epidemiological evidence shows that individuals who engage in a high volume of sedentary behavior are at increased risk of morbidity and mortality, regardless of their level of moderate to vigorous physical activity. Sedentary behavior (SB) is defined as any waking behavior characterized by an energy expenditure ≤1.5 metabolic equivalents while in a sitting, reclining, or lying posture. Among the types of sedentary behavior, those that are usually considered as “screen time” (such as watching television and using the computer) and “sitting time” stand out. Although the evidence for the relationship between SB is more consistent for cardiometabolic diseases, the same is not observed for cognitive function (CF). Objective: The objective of this thesis is to verify the association between sedentary behavior and cognitive performance in the ELSA-Brasil’s participants. Results. Paper 1: In the first paper, we seek, through a systematic review, verify the evidence investigating the effects of prolonged sitting time and interruption on cognitive performance in healthy adults and the elderly. Searches were carried out in the MEDLINE / PubMed, Scopus and Cochrane Library databases until March 2021. As inclusion criteria were used: Studies with healthy adults and elderly; with cross-sectional, longitudinal, case control, clinical trials and intervention designers; that assessed prolonged sitting time (> 30 minutes) and cognitive function and compared the outcome over sitting time or according to prolonged sitting time uninterrupted versus non-uninterrupted, with or without intervention. Ten studies met the inclusion criteria. Improvements in cognitive function were observed when the prolonged sitting time was interrupted every 30 minutes for 2 minutes of light intensity walking and for 3 minutes of moderate intensity walking. In the other trials, there was no difference in the cognitive function tests when the uninterrupted sitting time was compared with its interruption or reduction. Paper 2: In the second article we aimed to verify the association between different domains of sedentary behavior and performance in cognitive function tests of middle-aged and elderly adults. Additionally, it was assessed whether this relationship is moderated by the physical activity. Cross-sectional study with 6505 middle-aged and elderly adults participating in Wave 2 of ELSA-Brasil, with a median age of 61 years, of both sexes (55.2% women). The different types of SC considered were “sitting time” (during the week and weekend) and “screen time” (leisure, occupational, during the week and weekend). For the assessment of cognitive function, the final scores obtained in the tests of memory, language and executive function were used. Descriptive and comparative analyzes were carried out according to sex. The association between SB and performance on cognitive tests was assessed according to sex by linear regression and adjusted for confounding factors. We found that, for men, sitting time during the week and weekend was associated with better performance in tests of memory, language, and executive function. Screen time at leisure and occupational, both at the weekend, showed a favorable association with performance in the executive function test. Occupational screen time during the week was positively associated with language test performance. For women, sitting time and occupational screen time, both during the week, were shown to be positively associated with performance on memory tests. In the performance of language tests, all the domains of sedentary behavior analyzed were shown to be favorably associated with this, except for screen time during leisure during the week. There was also a positive association between executive function tests and all domains of sedentary behavior. All of these associations were significant (p<0.05) and adjusted for potential confounding factors. There was no potential effect change due to physical activity in this association. For women, sitting time and occupational screen time, both during the week, were shown to be positively associated with performance on memory tests. In the performance of language tests, all domains of sedentary behavior analyzed were favorably associated with this, except for screen time during leisure during the week. We also observed a positive association between executive function tests and all domains of sedentary behavior. All of these associations were significant (p<0.05) and adjusted for potential confounding factors. There was no effect modification by physical activity in this association. Paper 3: The third article aimed to verify the discriminative capacity of sedentary behavior (sitting time and occupational and leisure screen time) in identifying cognitive performance in middle-aged and elderly adults. Cross-sectional study with 6505 middle-aged and elderly adults participating in Wave 2 of the ELSA-Brasil. ROC curves were constructed to compare the amount of sedentary behavior with the performance in the executive function test. SB (sitting time, occupational and leisure time) seems to discriminate between low cognitive performance in middle-aged and elderly adults. Regarding the discriminating capacity of sedentary behavior according to sex and age group, the results suggest, in general, a better ability to identify good cognitive performance for women in both age groups. Conclusions: The results from the cross-sectional associations suggest that SB seems to improve the cognitive performance (memory, language and executive function). The type of SB (sitting time and screen time), the characteristics of the activities performed during the CS (cognitively stimulating or not) are relevant to understand its association with cognitive performance. However, the extrapolation of these findings should be taken with caution, since the sample in this study is composed mostly of active workers, relatively young, performing cognitively stimulating activities, with high education and socioeconomic status. Prospective studies assessing objectively SB are recommended to better understand the association of SB with performance and cognitive decline.

11
  • FLÁVIA JÔSE OLIVEIRA ALVES
  • AVALIAÇÃO DO EFEITO DE INTERVENÇÕES DE PROTEÇÃO SOCIAL E DE SAÚDE NA MORTALIDADE MATERNA ENTRE AS MULHERES DE BAIXA RENDA DO BRASIL

  • Orientador : MAURICIO LIMA BARRETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS
  • MARCIA FURQUIM DE ALMEIDA
  • MARIA DO CARMO LEAL
  • MAURICIO LIMA BARRETO
  • ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • Data: 12/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Embora esforços tenham sido feitos nos últimos 20 anos, a mortalidade materna ainda se configura como um importante problema de saúde pública. Extremos de atenção à saúde coexistem com a persistência de desigualdades no acesso a atenção ao parto pelas populações mais vulneráveis, em conjunto com a excessiva medicalização da atenção ao parto e nascimento, além do aumento de cesarianas e intervenções invasivas. Quando necessária, a cesariana pode salvar a vida da mãe e do recém-nascido, mas estudos têm mostrado que esta via de parto também pode expor as mulheres a um risco aumentado de morbidade e mortalidade. O combate à pobreza, o fomento a práticas de educação em saúde e o investimento em serviços de qualidade são ações consideradas prioritárias para a redução do óbito materno. O Programa Bolsa Família (PBF), um programa de transferência de renda condicionada (PTCR), vem impactando na melhoria dos determinantes sociais e na ampliação do acesso à saúde da população brasileira. Há referências na literatura sobre impactos positivos de PTCR na saúde materna e em seus determinantes, mas o efeito do PBF sobre a mortalidade materna ainda não foi investigado no Brasil. Objetivo geral: Avaliar o efeito de intervenções em saúde e de proteção social na mortalidade materna entre as mulheres de baixa renda do Brasil. Objetivos específicos: i) Avaliar a associação a médio e longo prazo entre a cobertura do Programa Bolsa Família e a Razão de mortalidade materna nos municípios brasileiros; ii) Avaliar o impacto do Programa Bolsa Família na mortalidade materna, na coorte de 100 milhões de Brasileiros; iii) Investigar a associação entre cesariana e mortalidade materna de acordo com a Classificação de Robson, na população de mulheres pobres e extremamente pobres do Brasil. Métodos: A tese foi apresentada em 3 artigos segundo cada objetivo específico. Para execução do primeiro objetivo foi realizado um estudo ecológico misto, com informações de 2.548 municípios brasileiros com estatísticas vitais de qualidade durante o período de 2004-14. A cobertura do PBF foi classificada em quatro níveis, variando de baixa cobertura para consolidada e a duração do programa foi mensurada usando a cobertura média dos anos anteriores. Para a análise dos dados foram utilizados modelos de regressão binomial com efeitos fixos, ajustados por variáveis socioeconômcas, demográficas e de atenção a saúde. No segundo objetivo, foi conduzido um estudo longitudinal de base populacional com mulheres em idade reprodutiva (10-49 anos) que tiveram pelo menos um filho nascido vivo, utilizando dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC) e bancos de dados administrativos vinculados à Coorte de 100 Milhões de Brasileiros, para o período de 2004 a 2015. Para as análises estatísticas foram utilizados o método de ponderação por escores de propensão (Kernel Weighted Logistic Regression) para o controle do viés de seleção inerente a participação no PBF e dos fatores de confusão na associação entre o recebimento do PBF e a mortalidade materna, além de realizadas análises por diferentes subgrupos. Foi também analisado o efeito do recebimento do PBF ao longo do tempo; e no terceiro objetivo, foi conduzido um estudo de coorte de base populacional, partindo da Coorte de 100 milhões de Brasileiros, SIM e SINASC no período de 2011 a 2015. Mulheres em idade reprodutiva, com pelo menos um filho nascido vivo, foram classificadas em um dos dez grupos de Robson com base nas características da gravidez e do parto. Usamos escores de propensão para parear as mulheres que tiveram cesarianas com partos vaginais (1: 1). Para estimar a associação do parto cesárea com o óbito materno foi utilizada a regressão de Cox. As mesmas análises foram repetidas utilizando como desfecho principal, os óbitos maternos mais relacionados à cesariana, e excluindo causas de óbitos que sugerem morbidades pré-natais. Resultados referentes ao primeiro objetivo: O PBF foi significativamente associado a reduções da mortalidade materna proporcionalmente aos seus níveis de cobertura e anos de implementação, atingindo razões de risco de 0,88 (IC 95%: 0,81-0,95), 0,84 (0,75-0,96) e 0,83 (0,71- 0,99) para cobertura intermediária, alta e consolidada do PBF. O efeito da duração do PBF foi mais forte nas taxas de mulheres mais jovens (<30 anos) (RR 0,77; IC 95%: 0,67-0,96). O PBF também foi associado ao aumento da proporção de partos em estabelecimentos de saúde (RR 1,05; IC 95%: 1,04-1,07) e a reduções na proporção de gestantes sem nenhuma consulta pré-natal (RR 0,73; IC 95%: 0,69-0,77) e na taxa de letalidade hospitalar após o parto (RR 0,78; IC 95%: 0,66-0,94). Resultados referentes ao segundo objetivo: Foram incluídas 6.677.273 mulheres com idades entre 10 e 49 anos, 4.056 das quais morreram por causas maternas. As beneficiárias do PBF tiveram uma chance 18% menor de morte materna (ORaj: 0,82, IC 95% = 0,73-0,96) quando comparadas às não beneficiárias. O aumento da exposição ao PBF ao longo do tempo (1 a 4, 5-9 ou ≥9 anos) foi associado a uma maior redução de mortes maternas (ORaj: 0,85; IC 95%: 0,75-0,97; OR: 0,70; IC 95%: 0,60-0,82, OR: 0,69 IC 95%: 0,53-0,88, respectivamente). O PBF também levou a aumentos substanciais nas consultas pré-natais e intervalos entre partos e apresentou maior efeito sobre os grupos mais vulneráveis. Resultados referentes ao terceiro objetivo: A população da coorte contou com 5. 239.086 mulheres de 10 a 49 anos que tiveram filhos nascidos vivos. Após o pareamento do escore de propensão, a cesariana foi associada a um risco crescente de mortalidade materna, mesmo em grupos em que são esperadas menores taxas e necessidades de cesárea: Geral (HR = 1,95 IC95% 1,77-2,15); Robson 1-4 (HR = 1,99 IC95% 1,63-2,43), Robson 6-10 (HR = 2,69 IC95% 2,29-3,16). Não houve diferença estatisticamente significativa no risco de mortalidade após cesariana repetida (Grupo 5) (HR = 1,02 IC95% 0,74-1,42). O risco de mortalidade foi marcadamente menor excluindo causas atribuídas a morbidades pré-natais e substancialmente maior para morte por tromboembolismo, uma das causas específicas relacionadas à cesariana, o que reforça o controle para vieses de indicação e sugere o risco independente dessa forma de parto para mortalidade materna. Conclusões: Os resultados deste estudo mostraram que o PBF teve um papel na redução da mortalidade materna, tanto a nível de cobertura municipal, quanto entre as mulheres brasileiras mais pobres, tendo essas associações permanecido fortes mesmo após o ajuste para características de cuidados de saúde, gravidez e parto. Aumentando o tempo de exposição, maior o efeito do PBF, sugerindo que a sustentabilidade de ações de proteção social pode ter efeito ao longo da vida das beneficiárias. O PBF também levou a aumentos substanciais nas consultas pré-natais e no intervalo entre nascimentos, apresentando maior contribuição em grupos de mulheres mais vulneráveis. Esses achados destacam o possível efeito a longo prazo dos PTCR e seu valor potencial para a redução da mortalidade materna. Em relação à avaliação da cesariana, o presente estudo sugere que o uso excessivo de cesariana pode ser um fator de risco para mortalidade materna em comparação ao parto vaginal. A mortalidade materna permanece alta em países de baixa renda e a via de parto é um dos principais fatores de risco modificáveis de morte materna, entre as várias iniciativas globais destinadas a reduzi-la. Nossos resultados reforçam a importância de um melhor monitoramento e gerenciamento de cesáreas, otimizando intervenções e aumentando a alocação de recursos para as mulheres mais necessitadas. Além disso, políticas sociais devem ser aprimoradas e estendidas ao maior número possível de famílias em situação de pobreza, pois o desenvolvimento social é uma prioridade fundamental para reduzir a mortalidade materna entre as mulheres de baixa renda.


  • Mostrar Abstract
  • Backgroud: Although efforts have been made in the last 20 years, maternal mortality is still an important public health problem. Extremes of health care coexist, with the persistence of inequalities in access to health care and the excessive medicalization of delivery and the increase in caesarean sections and invasive interventions. Caesarean can save lives of the mothers and the newborns when needed, but studies have been showed that this mode of delivery can also expose women to an increased risk of morbidity and mortality. Alleviating poverty, promoting health education practices and investing in quality services are considered priorities actions for reducing maternal deaths. The Bolsa Família Programme (BFP), a conditional cash transfer programme (CCT), has impacted on improving social determinants and expanding access to healthcare for the Brazilian population. There are references in the literature about positive impacts of CCT on maternal health and its determinants, but the effect of the BFP on maternal mortality has not yet been investigated in Brazil. Overall objective: Evaluate the effect of health and social protection interventions on maternal mortality among low-income women in Brazil. Specific objectives: i) To assess the médium and long-term association between the coverage of the Bolsa Família Programme and the Maternal Mortality Ratio in Brazilian municipalities; ii) Assess the impact of the Bolsa Família Programme on maternal mortality, in the cohort of 100 million Brazilians; iii) To investigate the association between caesarean section and maternal mortality, according to Robson's classification, in the poor and extremely poor women in Brazil. Methods: The thesis was presented in 3 articles according to each specific objective. For the first objective, we conducted an ecological longitudinal design and used all 2,548 Brazilian municipalities with vital statistics of adequate quality during the period 2004–14. BFP municipal coverage was classified in four levels, from low to consolidated, and its duration effects were measured using the average municipal coverage of previous years. We used negative binomial multivariable regression models with fixed-effects specifications, adjusted for all relevant demographic, socioeconomic, and healthcare variables. For the second objective, we conducted a longitudinal population-based study of women of reproductive age (10-49 years old) who had at least one live birth, using data from Brazilian National Health and administrative databases linked to the 100 Million Brazilian Cohort for the period 2004 to 2015. We utilized propensity score kernel weighting to control for socio-demographic and economic confounders in the association between BFP receipt and overall maternal mortality, stratified by different subgroups. We also analysed the effect of the time of BFP receipt. For the third objective, we conducted a population-based cohort study in Brazil by linking routine data, departing from 100 million Brazilian Cohort between 2011 and 2015, Brazilian Live Birth Information System (SINASC) and Mortality Information System (SIM). Women with at least one live birth were classified into one of ten Robson groups based on pregnancy and delivery characteristics. We used propensity scores to match CD with vaginal deliveries (1:1) and prelabour CD with unscheduled CD (1:1) and estimated associations with maternal mortality using Cox regression. We also conducted analyzes with deaths more related to CS and excluding deaths that suggest prenatal morbidities. Results for the first objective: BFP was significantly associated with reductions of maternal mortality proportionally to its levels of coverage and years of implementation, with a Rate Ratio (RR) reaching 0.88(95%CI:0.81- 0.95), 0.84(0.75-0.96) and 0.83(0.71-0.99) for intermediate, high and consolidated BFP coverage over the previous 11 years. The BFP duration effect was stronger among Young (<30 years) mothers (RR 0.77;95%CI:0.67-0.96). BFP was also associated with reductions in the proportion of pregnant women with no prenatal visits (RR 0.73;95%CI:0.69-0.77), reductions in hospital case-fatality rate for delivery (RR 0.78;95%CI:0.66-0.94), and increases in the proportion of deliveries in hospital (RR 1.05;95%CI:1.04-1.07). Results for the second objective: We included 6,677,273 women aged between 10 and 49, 4,056 of whom had died from a maternal-related cause. BFP beneficiaries had an 18% lower risk of maternal death (ORadj: 0.82, 95%CI=0.73-0.96). Increased BFP exposure (1 to 4, 5-9 or ≥9 years) was associated with a higher reduction of maternal deaths (OR: 0.85; 95%CI: 0.75-0.97; OR:0.70;95%CI:0.60-0.82,OR: 0.69 95%CI:0.53-0.88, respectively). The BFP also has led to substantial increases in prenatal appointments and inter-birth intervals, and had the greatest impact on the most vulnerable groups. Results for the thrid objective: 5,239,086 women were analysed. After propensity score matching, CS were associated with an increasing risk of maternal mortality, even in groups with low expected rates of caesarean: Overall (HR= 1.95 IC95% 1.77-2.15); Robson 1-4 (HR= 1.99 IC95% 1.63-2.43), Robson 6-10 (HR= 2.69 IC95% 2.29-3.16). There was no statistically significant difference in mortality risk in groups 5 (HR= 1.02 IC95% 0.74-1.42). The mortality risk was markedly lower excluding causes attributed to antenatal morbidities and substantially higher for thromboembolism death, which reinforces the control for indication bias and suggests the independent risk of these mode of delivery for maternal mortality. Conclusions: Our results showed that the PBF has a role in reducing maternal mortality, both at the municipal coverage level and among the poorest Brazilian women, and these associations remained strong even after adjusting for health care, pregnancy and childbirth characteristics. Increasing the exposure time, the greater the effect of the PBF, suggesting that the sustainability of social protection actions have an effect throughout the life of the beneficiaries. The BFP has also led to substantial increases in antenatal visits and the interval between births, with a greater contribution to more vulnerable women. These findings highlight the possible long-term effect of PTCRs and their potential value in reducing maternal mortality. Regarding the evaluation of caesarean section, the present study suggests that the excessive use of caesarean section may be a risk factor for maternal mortality compared to vaginal delivery. Maternal mortality remains high in lowincome countries, and the route of delivery is one of the main modifiable risk factors for maternal death among several global initiatives aimed at reducing it. Our results reinforce the importance of better monitoring and management of cesarean sections, optimizing interventions and increasing the allocation of resources to the women most in need. Furthermore, social policies must be improved and extended to the greatest possible number of families in poverty, as social development is a fundamental priority to reduce maternal mortality among low-income women.

12
  • LARISSA DAIANE VIEIRA BARROS
  • Análise política da saúde no MST: problemas, práticas e projeto.

  • Orientador : CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAIME BREILH PAZ Y MIÑO
  • CARLOS ZACARIAS FIGUEIROA DE SENA JUNIOR
  • CARMEN FONTES DE SOUZA TEIXEIRA
  • FERNANDO FERREIRA CARNEIRO
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • Data: 06/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por objetivo analisar os problemas e as ações/práticas de saúde produzidas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, bem como identificar a concepção de Saúde e o projeto sociopolítico que orienta as ações do Movimento. A produção de dados foi realizada através da análise documental, utilizando como fontes de informação o Programa de Reforma Agrária Popular do MST, os cadernos produzidos pelo Setor de Saúde do MST e 326 exemplares do Boletim e Jornal dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, produzidos no período 1981 a 2014, e publicados na Hemeroteca Luta pela Terra, no site <www.mst.org.br>. Os dados sobre os problemas de saúde revelam a permanência das doenças em decorrência da pobreza estrutural e da insegurança alimentar (diarreia, desnutrição e infecto parasitárias), mas incorpora posteriormente as doenças causadas pela expansão do agronegócio no campo brasileiro, casos de intoxicação por agrotóxicos e doenças pulmonares causados pelas carvoarias. Quanto aos problemas de acesso ao sistema oficial de saúde, a ausência/insuficiência de serviços de saúde aparece como a primeira e principal barreira de acesso em todos os períodos analisados, entretanto, o vazio assistencial está mais presente no primeiro período e nos territórios dos acampamentos, enquanto a insuficiência e a precarização dos serviços de saúde são mais relatadas nos espaços dos assentamentos. Os resultados revelam que o MST vem realizando historicamente um conjunto de ações de cuidado, prevenção e promoção à saúde em seus territórios, em parceria com diversas organizações, como Universidades, Ministério da Saúde e Fiocruz. Chama atenção a estratégia de formação técnica e superior de seus militantes na área da saúde, que cumprem papel fundamental de cuidado às populações vinculadas ao MST, mas também estão inseridos no SUS, assumindo compromisso político de cuidado à classe trabalhadora nas regiões urbanas e periféricas do país. Estas ações estão orientadas por uma concepção radical e ampliada de saúde e na defesa do SUS integral, público e universal. Para o MST, os problemas de saúde diretamente observáveis nos corpos das populações assentadas e acampadas expressam a dinâmica e as formas de viver e trabalhar no campo brasileiro, bem como suas relações e determinantes estruturais, ou seja, a Saúde Real só pode ser compreendida a partir das relações de dominação de classe, raça e gênero que determinam a distribuição desigual da riqueza, dos bens que a promovem, bem como das agressões e processos destrutivos que a deterioram. O movimento rompe com a lógica medicalizante e funcionalista e articula um conjunto de ações e instituições voltadas para emancipação, que operam na ordem do singular dos indivíduos e suas famílias, no particular das classes e do geral da sociedade orientada para reprodução do capital. A pesquisa revela que o projeto do MST no campo da saúde constitui parte do Projeto de Reforma Agrária Popular e bastante convergente com o pensamento da epidemiologia crítica. Para o Movimento não é possível construir uma sociedade para vida sem uma economia dirigida para reprodução da vida, portanto sustentável. Uma economia, uma identidade e cultura soberanas, não subordinada e colonizada pelos interesses de organismos internacionais e países de capitalismo central. Uma política de vida solidária e integral e formas seguras de metabolismo sociedade natureza.  Assim, a luta pela Saúde está organicamente vinculada à luta pela Terra e pelo Projeto de Reforma Agrária Popular, contra o latifúndio e suas corporações, contra a doença e a barbárie, em defesa da vida e da soberania dos povos. 


  • Mostrar Abstract
  • This paper aims to analyze the health problems and actions/practices produced by the Landless Rural Workers Movement, as well as to identify the concept of Health and the sociopolitical project that guides the Movement's actions. Data production was carried out through document analysis, using as sources of information the MST's Popular Agrarian Reform Program, the notebooks produced by the Health Sector of the MST and 326 copies of the Bulletin and Journal of Landless Workers' Movement, produced in the period 1981 to 2014, and published in Hemeroteca Luta pela Terra, on the website <www.mst.org.br>. Data on health problems reveal the permanence of diseases due to poverty and food insecurity (diarrhea, malnutrition and parasitic infections), but late incorporated in the third period the diseases caused by the expansion of agribusiness in the Brazilian countryside, cases of pesticide poisoning and lung diseases caused by charcoal works. As for the problems of access to the official health system, the absence/insufficiency of health services appears as the first and main barrier to access in all periods, however, the healthcare gap is more present in the first period and in the territories of the camps, while the insufficiency and precariousness of health services are more frequently reported in the spaces of the land settlements. The results reveal that the MST has historically been carrying out a set of care, prevention and health promotion actions in its territories, in partnership with several organizations, such as Universities, Ministry of Health and Fiocruz. Attention is drawn to the technical and higher education strategy of its militants in the health area, who play a fundamental role in caring for populations linked to the MST, but are also inserted in the SUS, assuming a political commitment to care for the working class in urban and peripheral regions of the parents. These actions are guided by a radical and expanded conception of health and in the defense of the integral, public and universal SUS. For the MST, health problems directly observable in the bodies of settled and encamped populations express the dynamics and ways of living and working in the Brazilian countryside, as well as their relationships and structural determinants, that is, Real Health can only be understood by starting from the relations of class, race and gender domination that determine the unequal distribution of wealth, the goods that promote it, as well as the aggression and destructive processes that deteriorate it. The movement breaks with the medicalizing and functionalist logic and articulates a set of actions and institutions aimed at emancipation, which operate in the singular order of individuals and their families, in the particular of classes and the general society oriented towards the reproduction of capital. The research reveals that the MST project in the field of health is part of the Popular Agrarian Reform Project and very much convergent with critical epidemiology thinking. For the Movement, it is not possible to build a society for life without an economy aimed at reproducing life, therefore sustainable. A sovereign economy, identity and culture, not subordinate and colonized by the interests of international organizations and countries of central capitalism. A solidary and integral life policy and safe ways of metabolism society nature. Thus, the struggle for Health is organically linked to the struggle for the Land and for the Popular Agrarian Reform Project, against the latifundium and its corporations, against disease and barbarism, in defense of the life and popular sovereignty. 

13
  • DÉBORAH SANTOS CONCEIÇÃO
  • Efeitos da implantação dos Centros Atenção Psicossocial sobre as hospitalizações psiquiátricas de adolescentes e jovens por transtornos devidos ao uso de substâncias psicoativas no Brasil

  • Orientador : DARCI NEVES DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE SILVESTRE DE PAULA
  • MARIA CRISTINA VENTURA COUTO
  • DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS
  • DARCI NEVES DOS SANTOS
  • ROSANA AQUINO GUIMARAES PEREIRA
  • Data: 04/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de substâncias psicoativas (SPA) estão entre as principais causas e fatores de risco para carga de doença e incapacidade em todo o mundo, com impacto crescente entre a população de 10 a 24 anos. No Brasil, a partir dos anos 2000, a assistência em saúde para pessoas com necessidades relacionadas ao uso de SPA foi incluída na política de saúde mental, passando a priorizar a oferta de cuidado em dispositivos de base comunitária e reinserção social do indivíduo, articulando-se numa rede de serviços substitutivos à atenção restrita aos espaços hospitalares e asilares. Todavia, o cuidado a população infantojuvenil com necessidades relacionadas ao uso de SPA permanece como ponto crítico da atenção psicossocial. Esta tese objetivou analisar a evolução e efeitos da cobertura dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) sobre as hospitalizações de adolescentes e jovens por transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso SPA no Brasil, sendo construída no formato de três artigos. Os artigos 1 e 2 consistiram na descrição e análise das hospitalizações e coberturas por CAPS, respectivamente, realizando-se análise de tendência temporal, buscando identificar possíveis pontos de inflexão e estimar suas variações percentuais, com uso do modelo de regressão segmentada. No artigo 1, verificou-se que as hospitalizações por transtornos devidos ao uso SPA representaram 35,1% das hospitalizações por todos os Transtornos Mentais e Comportamentais (TMC) do período, com maior frequência de registros de indivíduos do sexo masculino (80,2%), pessoas entre 19 a 24 anos (61,5%) e raça/ cor da pele Branca (41,0%). Os transtornos devidos ao uso de múltiplas SPA foram a principal causa de hospitalização (60,3%) e a maioria ocorreu em Hospitais Psiquiátricos (64,1%). A taxa nacional de hospitalização foi de 32,2/100 mil habitantes, em 2006, e 34,0/100 mil habitantes, em 2018, com variação percentual anual média (AAPC) de 0,2% (IC95% -2,0; 2,5). Verificou-se redução anual média de 4,6% (IC95% -8,7; -0,4) nas taxas de hospitalização por uso de álcool e estabilidade para as demais SPA, aumento anual médio de 7,5% (IC95% 5,9;9,2) nas taxas de hospitalização em Hospitais Gerais e redução de 3,1% (IC95% -5,3; -0,7) em Hospitais Psiquiátricos. O artigo 2 indicou uma expansão dos CAPS entre os municípios brasileiros, com desigualdade na implantação entre as unidades federativas e regiões geográficas. Os CAPS tipo I foram os mais frequentes em 2018 (48,9%), enquanto os CAPS com funcionamento 24 horas continuaram incipientes, com os CAPS III correspondendo a 4,5% e CAPS ADIII 4,1%. A cobertura nacional apresentou aumento anual médio de 7,4% (IC95% 6,5; 8,5), com todas as regiões exibindo variações médias positivas e estatisticamente significantes, com mudanças nas tendências ou diminuição da magnitude de crescimento das coberturas nos anos finais do período. No artigo 3, realizou-se estudo ecológico com modelo de dados em painel, com resposta binomial negativa e efeitos fixos. Municípios com cobertura Adequada e presença de CAPS 24 horas reduziram em 19% (IC95% 0,76; 0,86) as taxas de hospitalização por transtornos devidos ao uso de SPA, não sendo identificada associação naqueles cuja cobertura Adequada não contemplava CAPS 24hs. Para todos os TMC, houve redução de 3% (IC95% 0,95; 0,99) naqueles municípios com cobertura Adequada e sem CAPS 24 horas, ampliando para 23% (IC95% 0,74; 0,80) quando este equipamento estava presente juntamente com a cobertura Adequada. Os achados sugerem que a implantação de CAPS 24 horas contribui para a redução das hospitalizações psiquiátricas de adolescentes e jovens no Brasil, reafirmando a importância desses dispositivos para superação do modelo assistencial manicomial/ asilar e melhoria da assistência à saúde mental infantojuvenil.


  • Mostrar Abstract
  • Substance use disorders (SUD) are among the leading causes and risk factors for the burden of disease and disability worldwide, with a growing impact in the population aged 10 - 24 years. In Brazil, from the 2000s onwards, health care for people with substance use disorders was included in the mental health policy, starting to prioritize the provision of care in community-based services and social reintegration, articulating it in a network of services that replaced the classic psychiatric model. However, the care of children and adolescents with substance use disorders remains a critical point of psychosocial care. This thesis aimed to analyze the evolution and effects of the coverage of Psychosocial Care Centers (CAPS) on hospitalizations of adolescents and young people for substance use disorders in Brazil, being constructed in the format of three articles. Articles 1 and 2 consisted of the description and analysis of hospitalizations and coverage by CAPS, respectively, performing temporal trend analysis, seeking to identify possible joinpoints and estimate percentage changes, using the joinpoint regression. In article 1, it was found that hospitalizations for SUD accounted for 35.1% of hospitalizations for all Mental and Behavioral Disorders (MBD) in the period, with the highest frequency of records of male individuals (80.2 %), people between 19 and 24 years (61.5%) and race/skin color White (41.0%). Polydrug use disorders were the main cause of hospitalization (60.3%) and most occurred in Psychiatric Hospitals (64.1%). The national hospitalization rate was 32.2/100,000 in 2006 and 34.0/ 100,000 in 2018, with an Average Annual Percent Change (AAPC) of 0.2% (95%CI = -2.0; 2.5). There was an average annual reduction of 4.6% (95%CI = -8.7; -0.4) in hospitalization rates for alcohol use disorder and stability for the other drugs, an average annual increase of 7.5% (95%CI = 5.9; 9.2) in hospitalization rates in General Hospitals and a reduction of 3.1% (95%CI = -5.3; -0.7) in Psychiatric Hospitals. Article 2 indicated an expansion of CAPS among Brazilian municipalities, with unequal implementation among federative units and geographic regions. The type I CAPS were the most frequent in 2018 (48.9%), while CAPS with 24-hour operation remained incipient, with the CAPS III corresponding to 4.5% and the CAPS ADIII 4.1%. The national coverage showed an average annual increase of 7.4% (95%CI = 6.5; 8.5), with all regions showing positive and statistically significant mean variations, with changes in trends or a decrease in the magnitude of growth in coverage in the final years of the period. The article 3 applied negative binomial regression model with panel data. Municipalities showing Adequate coverage and presence of 24-hour CAPS reduced by 19% (95%CI = 0.76; 0.86) the rates of hospitalization for SUD. For all MBD, there was a reduction of 3% (95%CI = 0.95; 0.99) in municipalities with Adequate coverage and without 24-hour CAPS, increasing to 23% (95%CI = 0.74; 0.80) with this CAPS. The findings suggest that the implementation of 24-hour CAPS contributes to the reduction of psychiatric hospitalizations among adolescents and young people in Brazil, reaffirming the importance of these services to overcome the asylum/ classic psychiatric model and improve mental health care for children and adolescents.

14
  • VÁNIO ANDRÉ MUGABE
  • Desastres Naturais e Emergências em Saúde em Moçambique: uma análise com enfoque no impacto dos Ciclones Idai e Kenneth para a Saúde Pública

  • Orientador : GUILHERME DE SOUSA RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDUARDO SAMO GUDO JUNIOR
  • URIEL KITRON
  • EDUARDO LUIZ ANDRADE MOTA
  • FEDERICO COSTA
  • GUILHERME DE SOUSA RIBEIRO
  • WILDO NAVEGANTES DE ARAÚJO
  • Data: 01/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Moçambique é um país exposto a múltiplos perigos hidrometeorológicos (seca, ciclones e enchentes) que, de forma recorrente, têm afetado muitas famílias em diferentes províncias, nos últimos anos. Entre 2015 e 2016, o país enfrentou a pior seca em 35 anos e entre março e abril de 2019, foi atingido pelos ciclones Idai e Kenneth, que foram acompanhados de chuvas torrenciais e desencadearam enchentes. Soma-se a esses eventos, o maior registro de pessoas deslocadas das suas regiões de origem (em décadas), devido a violentos ataques terroristas que assolam a província de Cabo Delgado, desde finais de 2017. Adicionalmente, a pandemia de Covid-19 em curso, exacerbou a vulnerabilidade da população. A sucessão/sobreposição desses eventos provocou uma crise humanitária que pode exaurir a capacidade de resiliência das comunidades mais vulneráveis e gerar problemas de saúde de curto a longo prazo. A tese avaliou o impacto desses desastres no contexto da Saúde Pública, com particular enfoque no impacto dos ciclones Idai e Kenneth nas províncias de Sofala (distritos da Beira, Búzi, Dondo e Nhamatanda) e de Cabo Delgado (distrito de Macomia e cidade de Pemba), em torno de três aspetos: impacto imediato sobre o bem-estar das famílias afetadas; segurança alimentar e riscos de saúde associados e; vigilância de doenças febris agudas (malária, dengue, chikungunya, zika, leptospirose e doenças diarreicas, incluindo cólera), sensíveis às mudanças ecológicas induzidas por ciclones e enchentes. O estudo apresenta uma abordagem mista: i - pesquisa descritiva com abordagem quali-quantitativa, baseada na revisão de documentos oficiais e relatórios científicos produzidos por agências envolvidas na resposta aos ciclones Idai e Kenneth e análise descritiva de dados epidemiológicos de casos de diarreias, malária e desnutrição, coletados pelo Ministério da Saúde em 2019, incluindo a comparação das frequências mensais dos casos de malaria e doenças diarreicas registradas em 2018 e 2019; ii – um estudo de caso-controle, para investigar o surto de pelagra em Nhamatanda-Sofala e, iii – um estudo de corte transversal, baseado num sistema de vigilância de doenças febris agudas para o diagnóstico de infeções por arbovírus (Dengue, Zika e Chikungunya) e/ou zoonose (Leptospirose), nos distritos afetados. Em conjunto, os ciclones Idai e Kenneth deixaram 2,2 milhões de pessoas necessitando de proteção e assistência humanitária, para além daqueles em situação de insegurança alimentar (cerca de 2,1 milhões de pessoas) devido ao período de seca que os precedeu. Os danos e perdas totais causados pelos dois ciclones foram estimados em 2,8 bilhões de dólares. A frequência de casos de diarreia nos distritos da Beira, Búzi, Dondo e Nhamatanda aumentou 1,2-3,8 vezes entre março e junho de 2019, em comparação com o mesmo período de 2018. Pelo menos 6.773 casos de cólera (taxa de ataque: 571,4 casos por 100.000 habitantes) e 8 mortes relacionadas com a doença (taxa de letalidade: 0,12%) foram oficialmente registrados nos quatro distritos afetados pelo Ciclone Idai. Em Cabo Delgado, houve registro de 346 casos de cólera (taxa de ataque: 105,5 casos por 100.000 habitantes), sem óbitos relacionados. O distrito de Búzi foi o único que apresentou um aumento de casos de malária, entre março e junho de 2019 comparado com igual período de 2018. Em Sofala, 160.992 crianças <5 anos de idade foram examinadas para desnutrição, das quais 2.345 (1,5%) foram classificadas como casos de desnutrição aguda moderada e 952 (0,6%) como casos de desnutrição aguda grave. Em Cabo Delgado, foram examinadas 61.834 crianças, das quais 1.405 (2,3%) apresentavam desnutrição aguda moderada e 302 (0,5%) apresentavam desnutrição aguda grave. A pelagra afetou cerca de 2.300 pessoas (707,9/100.000 habitantes) em Nhamatanda; os casos eram mais prováveis de serem do sexo feminino (P <0,01) e menos escolarizados (P<0,01) do que os controles. O consumo insuficiente de frango e amendoim antes da chegada do ciclone Idai foi estatisticamente associado à pelagra (P <0,05). Das famílias entrevistadas durante o estudo, 51% estavam enfrentando escassez de alimentos antes mesmo da chegada do ciclone Idai. A vigilância para arboviroses e leptospirose investigou 305 pacientes com 15 anos de idade 17 ou mais, dos quais 58,4% eram mulheres e a mediana de idade foi de 30 anos (IQR: 23 - 41 anos). Três (1,0%) pacientes foram positivos no DENV NS1 ELISA, dos quais um também apresentou IgM positivo contra DENV e CHIVK. Anticorpos IgM específicos contra DENV, ZIKV, CHIKV ou Leptospira foram encontrados no soro de 104 (34,1%) pacientes, dos quais 73 (23,9%) tinham evidência de infecção recente por um arbovírus, 19 (6,2%) tinham evidência de infecção recente por mais de um arbovírus e 12 (3,9%) tinham evidência de infecção recente por arbovírus e leptospira. Infeções anteriores por CHIKV e ZIKV foram encontradas em 141 (46,2%) pacientes. As condições socio-ambientais continuam a deteriorar-se em diferentes áreas nas duas províncias, como consequência direta das catástrofes climáticas e do terrorismo, criando um cenário ainda mais desafiador para o setor da saúde. Portanto, é crucial empoderar o Sistema Nacional de Saúde e torná-lo capaz não só para oferecer resposta rápida às emergências, mas também para participar em ações multissetoriais de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação aos efeitos dos desastres em locais onde populações estão continuamente expostas a ciclones, enchentes e secas.


  • Mostrar Abstract
  • Mozambique is exposed to multiple hydrometeorological hazards (drought, cyclones and floods) that have repeatedly affected many families in different provinces in recent years. Between 2015 and 2016, the country faced the worst drought in 35 years and between March and April 2019, it was hit by cyclones Idai and Kenneth accompanied by torrential rains that triggered floods. Added to these events, the largest record of people displaced (in decades) from their regions of origin due to violent terrorist attacks that devastate the province of Cabo Delgado, since the end of 2017 and; the ongoing Covid-19 pandemic exacerbated the vulnerability of the population. The succession/overlapping of these events triggered a humanitarian crisis that can exhaust the resilience of the most vulnerable communities, and generate short to long-term health problems. The study evaluated the impact of these disasters in the context of Public Health, focusing on the impact of cyclones Idai and Kenneth in the provinces of Sofala (districts of Beira, Búzi, Dondo and Nhamatanda) and Cabo Delgado (district of Macomia and city of Pemba), around three aspects: immediate impact on the well-being of affected families; food safety and associated health risks and surveillance of acute febrile illnesses (malaria, dengue, chikungunya, Zika, leptospirosis and diarrheal diseases including cholera), sensitive to ecological changes induced by cyclones and floods. The study presents a mixed approach: i - descriptive research with a qualiquantitative approach, based on the review of official documents and scientific reports produced by agencies involved in the response to cyclones Idai and Kenneth and descriptive analysis of epidemiological data on cases of diarrhea, malaria and malnutrition, collected by the Ministry of Health in 2019, including the comparison of monthly frequencies of cases of malaria and diarrheal diseases recorded in 2018 and 2019; ii – a case-control study to investigate the pellagra outbreak in Nhamatanda-Sofala and, iii – a cross-sectional study based on an acute febrile illness surveillance system for the diagnosis of arboviruses infections (DENV, ZIKV and CHIKV) and/or zoonosis (Leptospirosis) in the cyclone-affected districts. Together, Cyclones Idai and Kenneth left 2.2 million people in need of protection and humanitarian assistance, in addition to those who were food insecure (about 2.1 million people) after the previous drought. The total damage and loss caused by the two cyclones was estimated at 2.8 billion dollars. The frequency of cases of diarrhea registered in the districts of Beira, Búzi, Dondo and Nhamatanda increased 1.2-3.8 times between March and June 2019, compared to the same period in 2018. At least 6,773 cumulative cases of cholera (attack rate: 571.4 cases per 100,000 population) and 8 diseaserelated deaths (lethality rate: 0.12%) were officially registered in the four districts affected by Idai. In Cabo Delgado, 346 cumulative cases of cholera were registered (attack rate: 105.5 cases per 100,000 population), with no related deaths. The district of Búzi was the only one that showed an increase in malaria cases between March and June 2019 compared to the same period in 2018. In Sofala, 160,992 children <5 years of age were examined for malnutrition, of which 2345 (1.5%) had moderate acute malnutrition and 952 (0.6%) had severe acute malnutrition. In Cabo Delgado, 61,834 children were examined, of which 1,405 (2.3%) had moderate acute malnutrition and 302 (0.5%) had severe acute malnutrition. Pellagra affected about 2,300 people (707.9/100,000 inhabitants) in Nhamatanda; cases were more likely to be female (P < 0.01) and less educated (P< 0.01) than controls. Insufficient consumption of chicken and peanuts before the arrival of 19 cyclone Idai was statistically associated with pellagra (P < 0.05). Of the families interviewed during the study, 51% were facing food shortages even before the arrival of Idai. From the arbovirus surveillance, 305 patients aged 15 years or older were enrolled, of which 58.4% were women and the median age was 30 years (IQR: 23 – 41 years). Three (1.0%) patients were positive by the DENV NS1 ELISA, of which one also had positive IgM against DENV and CHIVK. Specific IgM antibodies against DENV, ZIKV, CHIKV or Leptospira were found in the serum of 104 (34.1%) patients, of them, 73 (23.9%) had evidence of a recent single infection and 19 (6.2%) had evidence of a recent infection by more than one arbovirus, and 12 (3.9%) by an arbovirus and Leptospira. Previous CHIKV and ZIKV infections, were found for 141 (46.2%) patients. Socioenvironmental conditions continue to deteriorate in different areas in the two provinces as a direct consequence of climate catastrophes and terrorism, creating an even more challenging scenario for the health sector. Therefore, it is crucial to empower the National Health System and enable it not only to provide a rapid response to emergencies, but also to participate in multi-sector actions for prevention, mitigation, preparation, response and recovery from the effects of disasters in places where populations are constantly exposed to cyclones, floods and droughts.

15
  • ELVIRA CAIRES DE LIMA
  • Análise política da gestão regional da rede de oncologia de uma macrorregião de saúde do estado da Bahia.

  • Orientador : ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANO MAIA DOS SANTOS
  • ANA LUIZA QUEIROZ VILASBOAS
  • LUCIANA DIAS DE LIMA
  • MONIQUE AZEVEDO ESPERIDIAO
  • SANDRA GARRIDO DE BARROS
  • Data: 28/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • A organização de redes regionalizadas e integradas tem sido utilizada como estratégia para otimização de recursos e melhoria da eficiência e efetividade na oferta dos serviços de saúde. As redes de atenção se pautam na construção de territórios sanitários que extrapolam os limites municipais e exigem estratégias de articulação intergovernamental. Por sua vez, tem se diversificado os arranjos na oferta e gestão dos serviços de saúde com distintas configurações entre o setor público e o privado. A gestão da rede demanda, portanto, articulações de natureza política. Foi realizada uma análise política da gestão regional de uma rede de atenção à saúde, no que diz respeito à análise dos processos decisórios sobre a implementação da rede de oncologia da Macrorregião de Saúde Sudoeste do Estado da Bahia. Trata-se de um estudo de caso apoiado na sociologia reflexiva de Bourdieu que combinou entrevistas semiestruturadas, análise documental e observação sistemática das reuniões da CIR e do Comitê Macrorregional Sudoeste de Doenças Crônicas e análise de dados secundários. Os dados empíricos foram analisados a partir da triangulação das técnicas de coleta cotejadas com o quadro teórico do estudo. A assistência de média e alta complexidade em oncologia da Macrorregião Sudoeste conta com o serviço de duas UNACON, uma pública e outra privada, localizadas no município polo; um ambulatório de especialidades oncológicas que atende apenas duas das cinco regiões de saúde; e três Policlínicas Regionais de saúde. A gestão regional constituiu-se como um espaço intercampos formado pelos campos burocrático, político e econômico, este último representado pelo setor privado conveniado ao SUS. A gestão da rede ocorria, parcialmente, nos espaços deliberativos formalmente instituídos, em especial na CIR da região de saúde Sudoeste e no Comitê. No entanto, o processo decisório também era definido por deliberações unilaterais do poder executivo do município polo, por meio de critérios político-partidários desconsiderando as decisões coletivas consensuadas nos espaços deliberativos, o que evidencia a fragilidade da CIR. As principais questões em jogo foram as disputas por recursos financeiros que acentuavam os conflitos entre gestores, campo burocrático e setor privado. A existência de diferentes modelos de gestão dos prestadores de serviços intensificou os desafios de construção de uma rede integrada. Os processos decisórios privilegiaram a participação dos gestores federados e dos prestadores de serviço, com ausência da sociedade civil, dos profissionais de saúde e pouca participação do controle social, conduzindo a uma gestão restrita às estruturas burocráticas do Estado. As decisões eram principalmente determinadas pelos agentes do campo burocrático que acumulavam maior capital sanitário e burocrático e pela influência do campo econômico por meio do uso do capital social pelo setor privado. Estes foram os capitais mais determinantes e que conferiram maior poder de articulação aos agentes no período analisado. O ponto de vista dominante relativo à organização da rede de oncologia se pautou na flexibilização das diretrizes do SUS, por meio de arranjos com o setor privado como forma de garantir o acesso do usuário a rede de atenção. Embora alguns agentes com elevado capital sanitário fizessem a defesa de uma rede de oncologia integral e equânime, este ponto de vista ficou fragilizado em favor da lógica de acomodação dos interesses do mercado. Evidencias apontam que o campo burocrático tem reproduzido o modelo histórico da Saúde Pública tradicional.


  • Mostrar Abstract
  • The organization of regional and integrated healthcare delivery systems has been used as a strategy for optimizing resources and improving efficiency and effectiveness in the provision of health services. The care networks are based on the construction of health territories that go beyond municipal boundaries and require intergovernmental articulation strategies. In turn, arrangements in the provision and management of health services have been diversified, with different configurations between the public and private sectors. The management of the network, therefore, demands articulations of a political nature. A political analysis of the regional management of a health care network was carried out, with regard to the analysis of decision-making processes on the implementation of the oncology network in the Southwest Health Macroregion of the State of Bahia. This is a case study based on Bourdieu's reflexive sociology, which combined semi-structured interviews, document analysis and systematic observation of the meetings of the CIR and the Southwest Macroregional Committee on Chronic Diseases and analysis of secondary data. Empirical data were analyzed from the triangulation of collection techniques compared to the theoretical framework of the study. Medium and high complexity care in oncology in the Southwest Macroregion has the service of two UNACONs, one public and the other private, located in the polo municipality; an oncology specialty outpatient clinic that serves only two of the five health regions; and three Regional Health Polyclinics. Regional management was constituted as an interfield space formed by bureaucratic, political and economic fields, the latter represented by the private sector associated with the SUS. The management of the network took place, partially, in the formally established deliberative spaces, especially in the CIR of the Southwest Health Region and in the Committee. However, the decision-making process was also defined by unilateral deliberations of the executive power of the polo municipality, through party-political criteria, disregarding collective decisions agreed upon in deliberative spaces, which highlights the fragility of the CIR. The main issues at stake were disputes over financial resources, which accentuated conflicts between managers, the bureaucratic field and the private sector. The existence of different management models for service providers intensified the challenges of building an integrated network. Decision-making processes favored the participation of federated managers and service providers, with an absence of civil society, health professionals and little participation in social control, leading to a management restricted to the bureaucratic structures of the State. Decisions were mainly determined by agents in the bureaucratic field who accumulated greater sanitary and bureaucratic capital and by the influence of the economic field through the use of social capital by the private sector. These were the most determining capitals and conferred greater articulation power to agents in the period analyzed. The dominant point of view regarding the organization of the oncology network was based on the flexibility of SUS guidelines, through arrangements with the private sector as a way to guarantee user access to the care network. Although some agents with high health capital defended an integral and equitable oncology network, this point of view was weakened in favor of the logic of accommodating market interests. Evidence indicates that the bureaucratic field has reproduced the historical model of traditional Public Health.

2020
Dissertações
1
  • TEÓFANES DE ASSIS SANTOS
  • Itinerários terapêuticos de pessoas com câncer colorretal em tempos de medicina personalizada: Um estudo sobre o acesso e tratamento da doença em Salvador- BA

  • Orientador : JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JORGE ALBERTO BERNSTEIN IRIART
  • TATIANA ENGEL GERHARDT
  • YEIMI ALEXANDRA ALZATE LOPEZ
  • Data: 27/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • O câncer colorretal (CCR) é o 3º tipo de neoplasia mais comum no Brasil. A estimativa de novos casos de câncer colorretal para o ano de 2019 é de 36.360, segundo o Instituto do Câncer (INCA). Este tipo de neoplasia é mais incidente em pessoas com idade acima dos 50 anos, razão pela qual a recomendação para o rastreamento clínico se dá a partir dessa idade. O tratamento do CCR que até a década de 90 era unicamente cirúrgico tem mudado a partir da incorporação de novas biotecnologias e abordagens clínicas, como a Medicina Personalizada ou de Precisão. Nesse sentido, esse estudo teve como objetivo analisar os itinerários terapêuticos de pessoas com câncer colorretal cujos tratamentos estão sendo realizados em centros oncológicos públicos, privados do município de Salvador, buscando identificar as principais dificuldades/facilidades para acessar o diagnóstico e o tratamento incluindo o acesso às novas tecnologias genômicas. Nesse estudo qualitativo foram realizadas entrevistas semiestruturadas com dez participantes, sendo cinco usuários do serviço público e cinco de em serviço privado considerado de excelência na Bahia. Foi utilizada a técnica de análise de conteúdo temático de Bardin. Os resultados apontam que, embora as tecnologias para o diagnóstico e tratamento do câncer colorretal tenham evoluído, os usuários do serviço público têm dificuldades básicas que os fazem peregrinar para acessar recursos essenciais em saúde, em contraposição a agilidade encontrada pelos usuários da rede privada. As principais dificuldades encontradas pelos usuários do sistema público de saúde para o diagnóstico e tratamento estão relacionadas ao transporte, alimentação, acesso a médicos especialistas e a exames complementares. Os resultados indicam que a presença de mediadores e redes sociais bem consolidadas, formadas por familiares, amigos e vizinhos são importantes para o enfrentamento das situações adversas nos processos de busca por cuidado e como forma de minimizar e de resistir às dificuldades e vulnerabilidades entre aqueles pertencentes aos grupos sociais menos favorecidos. O diagnóstico de CCR se caracterizou como um momento disruptivo nas biografias dos participantes do estudo, independente do tipo de inserção nos serviços de saúde, no entanto, sua associação imediata com o sofrimento foi mais presentes entre os usuários da rede pública. O afastamento do trabalho foi a principal ruptura observada nas trajetórias dos participantes desse estudo. Mudanças corporais, nos padrões alimentares e das necessidades biológicas contribuíram para o aumento do isolamento e a elaboração de estratégias que evitassem situações de estigma social. O processo de escolha do tratamento foi marcado por decisões complexas relacionadas não somente com a dimensão material, mas também àquelas relacionadas com os valores e crenças tecidas na interação individual-coletiva.


  • Mostrar Abstract
  • Colorectal cancer (CRC) is the 3rd most common type of cancer in Brazil. The estimate of new cases of colorectal cancer for the year 2019 is 36,360, according to the Cancer Institute (INCA). This type of neoplasia is more prevalent in people over the age of 50, which is why the recommendation for clinical screening occurs after that age. The treatment of CRC, which until the 1990s was solely surgical, has changed due to the incorporation of new biotechnologies and clinical approaches, such as Personalized or Precision Medicine. In this sense, this study aimed to analyze the therapeutic itineraries of people with colorectal cancer whose treatments are being carried out in public and private oncology centers in the city of Salvador, seeking to identify the main difficulties / facilities to access the diagnosis and treatment including access to new genomic technologies. In this qualitative study, semi-structured interviews were conducted with ten participants, five users of the public service and five of those in a private service considered to be of excellence in Bahia. The Thematic Content Analysis, proposed by Bardin Bardin's was used. The results show that, although technologies for the diagnosis and treatment of colorectal cancer have evolved, users of the public service have basic difficulties that make them wander to access essential health resources, in contrast to the agility found by users of the private health care. The main difficulties encountered by users of the public health system for diagnosis and treatment are related to transportation, food, access to specialist doctors and complementary exams. The results indicate that the presence of well-established mediators and social networks, made up of family members, friends and neighbors are important for coping with adverse situations in the processes of seeking care and as a way to minimize and resist the difficulties and vulnerabilities among those belonging less favored social groups. The diagnosis of CRC was characterized as a disruptive moment in the biographies of the study participants, regardless of the type of insertion in health services, however, its immediate association with suffering was more present among users of the public service. The absence from work was the main break observed in the trajectories of the participants in this study. Body changes, dietary patterns and biological needs contributed to increased isolation, and the development of strategies that avoided situations of social stigma needed to be developed by them. The process of choosing treatment was marked by complex decisions related not only to the material dimension, but also to those related to values, beliefs and woven into individual-collective interaction.

2
  • FABIANA ALMERINDA GONÇALVES PALMA
  • CONHECIMENTO, ATITUDES E PRÁTICAS ASSOCIADOS À TRANSMISSÃO POR LEPTOSPIRA EM RESIDENTES DE UMA COMUNIDADE URBANA DE SALVADOR-BAHIA

  • Orientador : FEDERICO COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FEDERICO COSTA
  • YUKARI FIGUEROA MISE
  • HUSSEIN KHALIL
  • WILDO NAVEGANTES DE ARAÚJO
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A leptospirose é uma doença multifatorial, negligenciada e afeta, principalmente, populações em contextos de vulnerabilidade social. Não existem estudos que tenham estabelecido uma associação entre conhecimento, atitudes e práticas (CAP) com à transmissão da Leptospira entre os residentes de comunidades urbanas de baixa renda. Assim, é necessário compreender se essas dimensões impactam no risco da transmissão para subsidiar intervenções de prevenção da leptospirose urbana. Objetivo: Analisar às dimensões do CAP associadas à transmissão pela Leptospira entre residentes de uma comunidade urbana de Salvador-Bahia. Metodologia: Foi realizado um estudo transversal de base comunitária com 248 participantes residentes da comunidade de Marechal Rondon, conduzido de abril a junho de 2019 e usando questionário validado. Análises foram realizadas para caracterizar o CAP dos participantes e verificar sua associação com a presença de anticorpos contra a Leptospira através de teste qui-quadrado e posterior análise de regressão logística. Resultados: Um total de 157 (63,3%) participantes do sexo feminino e 91 (36,7%) do sexo masculino, maioria com idade > 40 anos foram entrevistados. A evidência sorológica de infecção prévia pela Leptospira foi 11,7% na população do estudo. A maioria dos participantes apresentou níveis satisfatórios de conhecimento 203 (82,5%), de atitudes 238 (96,0%) e das práticas 244 (98,4%) de prevenção sobre a leptospirose. O conhecimento insatisfatório (OR: 3,8, IC95%:1,47 – 9,68) e as práticas insatisfatórias de prevenção da doença (OR: 22,4, IC95%: 2,22 – 225,40) estiveram independentemente associados a presença de anticorpos contra a Leptospira, em um modelo em que também manteve as variáveis idade > 40 anos (OR: 4,9, IC95%:1,68 – 14,08) e o contato com água de esgoto nos últimos doze meses (OR: 2,6, IC95%:1,02 –6,63). Conclusão: A maioria dos participantes apresentou conhecimento, atitudes e práticas de prevenção satisfatórias e o conhecimento e as práticas de prevenção insatisfatórias estiveram associadas a maior chance de infecção. Nossos achados sugerem, que ações futuras de prevenção e controle da leptospirose devem priorizar dois tipos de intervenções. Intervenções dirigidas as deficiências do conhecimento sobre o agente etiológico, os modos de transmissão, sinais e sintomas, complicações e práticas de prevenção da leptospirose, contemplando os grupos mais expostos através de ações de educação em saúde participativa, que visem o empoderamento comunitário e sejam condizentes com a realidade local. Intervenções dirigidas, a reduzir os problemas na infraestrutura deficiente das comunidades que limitam às práticas de prevenção adequadas.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Leptospirosis is a neglected and multifactorial disease that mainly affects populations in socialy vulnerable contexts. There are no studies that have been conducted to establish an association between knowledge, attitudes and practices (KAP) with Leptospira transmission among residents of low-income urban communities. Thus, it is necessary to understand if these dimensions impact the risk of transmission to support urban leptospirosis prevention interventions. Objective: To analyze the dimensions of KAP associated with Leptospira transmission among residents of an urban community of Salvador-Bahia. Methodology: A community-based cross-sectional study was conducted with 248 community resident participants from Marechal Rondon, conducted from April to June 2019 and using a validated questionnaire. Analyzes were performed to characterize the KAP of participants and to verify its association with the presence of antibodies against Leptospira by the chi-square test and subsequent logistic regression analysis. Results: A total of 157 (63.3%) female participants and 91 (36.7%) male participants, most aged> 40 years were interviewed. Serological evidence of previous Leptospira infection was found to be 11.7% in the study population. Majority of the participants had satisfactory levels of knowledge 203 (82.5%), attitudes 238 (96.0%) and prevention practices 244 (98.4%) on leptospirosis. Poor knowledge (OR: 3.8, IC95%:1.47 – 9.68) and unsatisfactory prevention practices (OR: 22.4, IC95%: 2.22 – 225.40) were independently associated with the presence of antibodies against Leptospira in a model that also maintained the variables age> 40 years (OR: 4.9, IC95%:1.68 – 14.08) and contact with sewage in the last year (OR: 2.6, IC95%:1.02 – 6.63). Conclusion: Majority of the participants had satisfactory knowledge, attitudes and prevention practices on leptospirosis, and unsatisfactory knowledge and prevention practices were associated with a higher risk of infection. Our findings suggest that future leptospirosis prevention and control actions should prioritize two types of interventions. Interventions should address, the deficiencies of knowledge about the etiological agent, modes of transmission, signs and symptoms, complications and prevention practices of leptospirosis, targeting the most exposed groups through participatory health education actions, aimed at community empowerment and should be consistent with the local reality. Targeted interventions should aim to reduce problems of poor community infrastructure that limits appropriate prevention practices.

3
  • FERNANDA SILVA SCHER
  • INSERÇÃO DOS SANITARISTAS EGRESSOS DA GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NO MUNDO DO TRABALHO

  • Orientador : ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO
  • LILIANA SANTOS
  • MARCELO EDUARDO PFEIFFER CASTELLANOS
  • DANIEL CANAVESE DE OLIVEIRA
  • VINICIO OLIVEIRA DA SILVA
  • Data: 04/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • O mundo do trabalho está sendo transformado de modo significativo, alterando, inclusive, os objetos de trabalho e forma de inserção profissional dos trabalhadores. A Graduação em Saúde Coletiva completou uma década de existência no cenário brasileiro e tem enfrentado desafios no que tange a inserção dos seus egressos. Neste estudo foram investigados 244 bacharéis em saúde coletiva de todo o Brasil, de modo a compreender como vem se dando sua inserção profissional, quais são as principais áreas de atuação, faixa salarial, vínculo e outros aspectos do perfil do egresso inserido no mercado de trabalho. Para a produção dos dados os sanitaristas responderam a um questionário auto aplicado, enviado por e-mail e redes sociais. A análise dos dados aponta que a maioria dos egressos está inserida profissionalmente, dentro da sua área de formação (45%). A área da gestão da saúde é a mais ocupada pelos sanitaristas. A renda individual dos egressos varia em sua maioria de 2 a três salários mínimos.


  • Mostrar Abstract
  • The world of work is being significantly transformed, changing the form of professional insertion of workers. The Graduation in Collective Health has more than a decade in the Brazilian scenario and has faced challenges regarding the insertion of graduates. This study investigated 244 bachelors in collective health from all over Brazil, in order to understand how the professional insertion has been taking place, what are the main areas of activity, salary range, bond and other aspects of the bachelor’s profile inserted in the labor market. To produce the data, the “health workers” answered a self-completed questionnaire sent by email and social networks. The data analysis shows that most of the graduates are inserted professionally, within their area of education (45%). The area of health management is the most occupied by health workers. Individual graduates’ income mostly ranges from 2 to 3 minimum wages.

4
  • ANA CAROLINE CALDAS DE ALMEIDA
  • FATORES DE RISCO PARA ESCORPIONISMO FATAL EM CRIANÇAS BRASILEIRAS

  • Orientador : FERNANDO MARTINS CARVALHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FEDERICO COSTA
  • FERNANDO MARTINS CARVALHO
  • REJANE MARIA LIRA DA SILVA
  • YUKARI FIGUEROA MISE
  • Data: 09/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução. Escorpionismo é o envenenamento por escorpião. A evolução do escorpionismo para óbito associa-se ao táxon do escorpião, menor idade do paciente, atraso para início da assistência e qualidade do tratamento soroterápico. Objetivo. Este estudo buscou identificar fatores de risco para o escorpionismo em crianças brasileiras. Métodos. Estudo de caso-controle com casos de envenenamento por escorpião (CID X-22) de crianças de até 10 anos, notificados ao Sistema de Informação de Notificação de Agravos (SINAN), entre 1° de janeiro de 2007 e 18 de julho de 2016. Os casos corresponderam a todos os óbitos por escorpionismo ocorridos no período; os controles foram aleatoriamente selecionados dentre os que não evoluíram para óbito, na razão de quatro controles para cada caso. Os fatores de risco investigados foram: sexo, idade, grupo étnico, zona de ocorrência, tempo decorrido entre o acidente e a chegada ao serviço de saúde, unidade de atendimento e tratamento soroterápico (variável que combinou se o tipo de soro era adequado ou inadequado com o número de ampolas de soro utilizadas). Foram incluídos apenas casos e controles com informações completas para todas as variáveis investigadas. Os fatores associados ao óbito por escorpionismo em crianças foram identificados com técnicas de análise de regressão logística bivariada e multivariada, com uso do programa estatístico STATA 12.0. Resultados. Foram investigados 254 óbitos por escorpionismo fatal e 1.083 controles. Após ajustamento do modelo final, os fatores de risco para o escorpionismo fatal em crianças foram: idade ≤5 anos (OR=1,6), ocorrência em zona não urbana (OR=2,0), tempo entre o acidente até a chegada ao serviço de saúde ≥3 horas (OR=3,0), tratamento soroterápico com soro adequado e número excessivo de ampolas (OR=2,2), soro adequado e número insuficiente de ampolas (OR=6,9), soro inadequado (OR=5,7) e sem uso de soro (OR=5,3). Soroterapia não foi utilizada em 9,4% dos 254 pacientes que morreram. A efetividade do tratamento soroterápico em impedir a evolução fatal foi de 70,0% e de 77,0%, quando o paciente chegou ao serviço de saúde em menos de 3 horas após a ocorrência do agravo. A efetividade do tratamento foi de 66,0% nos pacientes de 0 a 2 anos, 67,0% nos de 3 a 5 anos, 74,0% nos de 6 a 8 anos e 75,0% nos de 9 a 10 anos. Conclusão. O escorpionismo fatal em crianças associou-se a fatores de risco que revelam problemas no acesso ao serviço de saúde, como ocorrência em zona não urbana e chegada precoce (<3 horas) ao serviço de saúde, baixa qualidade do tratamento soroterápico prestado e idade mais jovem da criança. A efetividade do tratamento soroterápico foi maior em crianças mais velhas e naquelas que chegaram precocemente ao serviço de saúde.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction. Scorpionism is scorpion poisoning. Fatal outcomes of scorpionism is associated to scorpion taxon, patient's younger age, late arrival to the health service, and the quality of serotherapeutic treatment. Objective. This study sought to identify risk factors for fatal scorpionism in Brazilian children. Methods. A case-control study with cases of scorpionism (ICD X-22) notified to the Disease Notification Information System (SINAN) in Brazil, from January 1, 2007 to July 18, 2016, of children up to 10 years of age. The cases corresponded to all deaths due to scorpionism that occurred in the period; the controls were randomly selected from those that did not died, in proportion of four controls for each case. The predictors investigated were: sex, age, ethnic group, area of occurrence, time elapsed between the accident and the arrival to the health service, unit of care and serotherapeutic treatment (variable that combined whether the type of serum was adequate or inadequate with the number of ampoules used). Only cases and controls with complete sets of information for all variables investigated were included. Factors associated with fatal scorpionism were identified by bivariate and multivariate logistic regression techniques, using the STATA 12.0 statistical program. Results. We investigated 254 cases of fatal scorpionism and 1,083 controls. After adjusting the final model, the risk factors for fatal scorpionism in children were: age ≤5 years (OR = 1.6), occurrence in non-urban area (OR = 2.0), time between the accident and the arrival to the health service ≥3 hours ( OR = 3.0), serotherapeutic treatment with adequate serum and excessive number of ampoules (OR = 2.2), adequate serum and insufficient number of ampoules (OR = 6.9), inadequate serum (OR = 5.7) and no use of serum (OR = 5.3). Serotherapy was not used in 9.4% of the 254 patients who died. The effectiveness of serotherapy treatment in preventing death was 70.0%, increasing to 77.0% when the patient arrived to the health service less than 3 hours since the scorpion sting. The effectiveness of the treatment was 66.0% in patients aged 0 to 2 years, 67.0% in those aged 3 to 5 years, 74.0% in those aged 6 to 8 years and 75.0% in those aged 9 to 10 years. Conclusion. Fatal scorpionism in children was associated with risk factors that reveal problems in accessing the health service, such as occurrence in non-urban area, late arrival to the health service after scorpion sting, low quality of serotherapeutic treatment provided and child's younger age. The effectiveness of serotherapy treatment was higher in older children and among those who arrived early to the health service.

5
  • LUCAS MONTEIRO SANTOS
  • Associação entre Programas de Transferência de Renda e o desenvolvimento cognitivo de crianças com a Síndrome Congênita associada ao vírus Zika

  • Orientador : LETICIA MARQUES DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DARCI NEVES DOS SANTOS
  • LETICIA MARQUES DOS SANTOS
  • TIAGO NEUENFELD MUNHOZ
  • Data: 20/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • A Síndrome Congênita associada ao vírus Zika compõe uma série de alterações neuroanatômicas que afetam crianças cujas mães tenham sido infectadas durante a gestação. Provocando diversas alterações estruturais no Sistema Nervoso Central, presume-se que a Síndrome possa ocasionar efeitos devastadores ao desenvolvimento da função cognitiva durante a primeira infância. Diversos elementos estão ligados ao desenvolvimento cognitivo na primeira infância e dentre eles um dos mais importantes é a renda, que pode estar associada com a estimulação no ambiente domiciliar. Houve nas últimas décadas queda significativa na desigualdade social e aumento na renda média da população que, dentre outros fatores, foram impactados pelos Programas de Transferência de Renda, como o Programa Bolsa Família (PBF) e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A população afetada pelo vírus Zika foi, em sua maioria, de pessoas vivendo em situação de vulnerabilidade e supõe-se que a dupla carga de pobreza a que essa população está exposta afete negativamente o desenvolvimento da função cognitiva, que pode ser amenizada através da concessão de Programas de Transferência de Renda. Objetivo: Avaliar a associação entre programas de transferência de renda, características socioeconômicas da família e do ambiente domiciliar com o desenvolvimento cognitivo na primeira infância em crianças de Salvador/BA que nasceram com a Síndrome Congênita associada ao vírus Zika. Métodos: Estudo exploratório de tipo transversal aninhado a uma coorte prospectiva que avalia o desenvolvimento de crianças que nasceram em Salvador, Bahia durante a epidemia do vírus Zika. Foram avaliadas durante a linha de base 147 crianças cujas mães tinham sorologia negativa para STORCH e confirmadas para a Síndrome Congênita do vírus Zika segundo os critérios adotados pelo Ministério da Saúde, em investigação conduzida pelo serviço de vigilância epidemiológica de Salvador. Foram avaliadas características socioeconômicas dos cuidadores e das famílias, a qualidade da estimulação no ambiente domiciliar através do inventário HOME e o desempenho cognitivo através da escala Bayley-III. Foram realizadas análises descritivas, bivariadas e multivariadas para explorar as variáveis associadas ao desempenho cognitivo. Resultados: Observou-se que 71,4% das crianças apresentavam o desempenho cognitivo abaixo do esperado para a idade. Além disso, apenas 50,3% das crianças eram beneficiárias do BPC e 30,6% participavam do PBF. No modelo multivariado observou-se associações estatisticamente significantes com o desempenho cognitivo para as o trabalho do cuidador (OR 4,53 IC95% 1,05 – 19,4) e para o PBF (OR 12,01 IC95% 2,13 – 68,7) dentre as crianças que não recebiam o BPC. Não se encontrou associação entre as variáveis de estímulo no ambiente domiciliar com o desempenho cognitivo. Na análise bivariada, identificaram-se diferenças estatisticamente significantes entre o desempenho cognitivo e o BPC (p<0,000), o PBF (p<0,000), o trabalho da cuidadora (p<0,003) e para a renda familiar (p<0,001). Foram realizadas novas análises bivariadas entre o BPC e as variáveis socioeconômicas e do ambiente domiciliar. Notou-se associação para o trabalho da cuidadora (p<0,000) e renda familiar (p<0,000), mostram que há diferenças entre os grupos que recebem e que não recebem o BPC. Conclusões: Programas de transferência de renda podem contribuir para o desenvolvimento da função cognitiva na primeira infância de crianças com a SCZV. Os resultados podem contribuir com o fortalecimento de políticas públicas voltadas para a proteção social, especialmente para aqueles com deficiência múltipla.


  • Mostrar Abstract
  • Congenital Zika Syndrome (CZS) comprises a series of neuroanatomical abnormalities that affect children whose mothers have been infected during pregnancy by Zika virus. Causing several structural changes in the Central Nervous System, it is assumed that the Syndrome cause devastating effects to the development of cognitive function during early childhood. Several elements are linked to cognitive development in early childhood, among them one of the most important is the income, associated with elements sensitive to it, such as stimulation in the home environment. There was in Brazil a significant reduction in social inequality and an increase in the average income of the population, which among other factors, were impacted by Cash Transfer Programs, such as the Bolsa Família Program (BPF) and the Prestação Continuada Benefit (PCB). The population affected by Zika virus was, in its majority, of people living in vulnerability and we assume that the double burden of poverty to which this population is exposed negatively affect the development of cognitive function, which can be mitigated by Cash Transfers. Objective: To evaluate the association between Cash Transfers, socioeconomic characteristics of the family and the quality of stimulation in home environment with cognitive development in early childhood of children from Salvador, Brazil, who were born with the Congenital Zika Syndrome. Methods: It is an exploratory cross-sectional study nested in a prospective cohort that assesses the development of children who were born in Salvador, Brazil, during the Zika virus epidemic. During the baseline, 147 children whose mothers had negative TORCH serology and were confirmed for Congenital Zika Syndrome were evaluated according to the criteria adopted by the Ministry of Health, in an investigation conducted by the epidemiological surveillance service. Socioeconomic characteristics of caregivers and families, quality of stimulation in the home environment evaluated by HOME inventory and cognitive performance measure by Bayley-III scale were assessed. Descriptive, bivariate and multivariate analyzes were performed to explore the variables associated with cognitive performance. Results: It was observed that 71.4% of the children had a cognitive performance below the expected for their age. In addition, only 50.3% of the children were beneficiaries of the PCB and 30.6% participated in the BFP. In the multivariate model, we observed statistically significant associations with cognitive performance for the caregiver's work (OR 4.53 95% CI 1.05 - 19.4) and for the BFP (OR 12.01 95% CI 2.13 - 68.7) amongst children who did not receive PCB. We found no association between stimulation in home environment and cognitive performance. In the bivariate analysis, statistically significant differences were identified between cognitive performance and PCB (p<0.000), BFP (p<0.000), caregiver work (p<0.003) and family income (p<0.001). New bivariate analyzes were carried out between the PCB and the socioeconomic and home environment variables. We observed an association with caregiver work (p<0.000) and family income (p<0.000), showing that there are differences between the groups that receive and do not receive the BPC. Conclusions: Cash transfers can contribute to cognitive development in early childhood of children with CZS. The results can contribute to the strengthening of public policies aimed at social protection, especially for those with multiple disabilities.

6
  • EDSON DE ANDRADE NHAMUAVE
  • DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA INCIDÊNCIA DE TUBERCULOSE EM MENORES DE 15 ANOS E SUA RELAÇÃO COM A OFERTA DE SERVIÇOS NA ATENÇÃO BÁSICA NOS MUNICÍPIOS DO BRASIL, NO PERÍODO DE 2012-2014

  • Orientador : FLORISNEIDE RODRIGUES BARRETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FLORISNEIDE RODRIGUES BARRETO
  • JOSE UELERES BRAGA
  • MARCIO SANTOS DA NATIVIDADE
  • SUSAN MARTINS PEREIRA
  • Data: 30/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução. Até um passado recente a TB era considerada uma doença de menor prioridade enquanto problema de saúde pública entre crianças e adolescentes, mas dados recentes têm mostrado aumento da morbimortalidade por TB neste grupo populacional. Objetivo: analisar o padrão de distribuição da incidência de TB em menores de 15 anos e sua relação com a qualidade dos serviços de assistência à saúde ofertados, nos municípios que participaram no PMAQ durante o período de 2012 a 2014. Método: estudo ecológico espacial de base populacional, tendo como unidade de análise municípios brasileiros que participaram do II ciclo de avaliação do PMAQ-AB e que notificaram no SINAN pelo menos um caso novo de TB em menores de 15 anos. Dados do SINAN, PMAQ-AB, IBGE e do SIAB foram usados para construção de indicadores de qualidade das ações de prevenção e/ou detecção de TB. Realizou-se análise exploratória espacial dos mapas temáticos para identificar padrões de distribuição da incidência de TB. Para análise da autocorrelação espacial, empregou-se o Índice Global de Moran. Utilizou-se o Índice Local de Autocorrelação espacial de Moran para a identificação de clusters, com nível de significância de 0,05. Para avaliar a associação entre a qualidade das ações de assistência à saúde ofertadas e as taxas de incidência de TB, empregou-se o modelo SEM (Spatial Error Models) bivariado e multivariado. Resultados: 1074 municípios participaram do II ciclo de avaliação do PMAQ-AB. A região Nordeste apresentou a maior proporção (41%) e a região Centro-Oeste a menor (8,2%). Foram notificados 7344 casos de TB em menores de 15 anos nestes municípios, sendo a taxa média anual de 7,8/100 mil habitantes. A região Sudeste foi a que apresentou a maior proporção de casos (41,4%) e a Centro-Oeste a menor (6,1%). Observou-se autocorrelação espacial (p<0,001) entre as taxas de incidência de TB em municípios vizinhos do Brasil. As regiões Nordeste, Sudeste e Sul apresentaram autocorrelação local (LISA) com maior número de áreas Alto-Alto (High-High) e as regiões Sudeste e Sul apresentaram maior número de áreas Baixo-Baixo (Low-Low). Observou-se associação positiva entre a variação espacial das taxas de incidência de TB e as seguintes variáveis: cobertura da ESF (β=1,53; p=0,000), solicitação de exames de radiografia de tórax (β=1,73; p=0,047); realização de busca ativa de TB (β=3,73; p=0,049). Verificou-se também associação negativa com realização da avaliação de risco e vulnerabilidade no acolhimento dos usuários (β=-5,55; p=0,000), realização do TDO do usuário (β=-5,46; p=0,038), realização de grupos com enfoque de orientar sobre doenças transmissíveis, conforme necessidade do território (β=-7,75; p=0,052), realização de visitas as famílias da área de abrangência de AB com periodicidade distinta de acordo com avaliações de risco e vulnerabilidade (β=-1,15; p=0,000). Conclusão: Os resultados sugerem que as taxas de incidência de TB em menores de 15 anos estão associadas com a qualidade dos serviços de assistência à saúde ofertados, evidenciando a necessidade do fortalecimento de ações de avaliação do risco, vulnerabilidade, diagnóstico e busca ativa de casos novos de TB em menores de 15 anos considerando a possibilidade de infecção ou doença por TB em todas as visitas.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Until a recent past, TB was considered a lower priority disease as a public health problem among children and adolescents, but recent data have shown an increase in TB morbidity and mortality in this population group. Objective: to analyze the pattern of TB incidence distribution in children under 15 years and its relationship with the quality of health care services offered, in the municipalities that participated in the PMAQ during the period from 2012 to 2014. Method: spatial ecological study of population-based, having as unit of analysis Brazilian municipalities that participated in the II PMAQ-AB evaluation cycle and that notified at least one new case of TB in children under 15 in SINAN. Data from SINAN, PMAQ-AB, IBGE and SIAB were used to build quality indicators for TB prevention and/or detection actions. Exploratory spatial analysis of thematic maps was carried out to identify patterns of TB incidence distribution. For spatial autocorrelation analysis, the Moran Global Index was used. Moran's Local Spatial Autocorrelation Index was used to identify clusters, with a significance level of 0.05. To evaluate the association between the quality of the health care actions offered and the TB incidence rates, the bivariate and multivariate SEM (Spatial Error Models) model was used. Results: 1074 municipalities participated in the II PMAQ-AB evaluation cycle. The Northeast region had the highest proportion (41%) and the Midwest region the lowest (8.2%). 7344 cases of TB in children under 15 were reported in these municipalities, with an average annual rate of 7.8/100 thousand inhabitants. The Southeast region had the highest proportion of cases (41.4%) and the Midwest the smallest (6.1%). Spatial autocorrelation (p<0.001) was observed between TB incidence rates in neighboring municipalities in Brazil. The Northeast, Southeast and South regions presented local autocorrelation (LISA) with a greater number of High-High areas and the Southeast and South regions presented a greater number of Low-Low areas. A positive association was observed between the spatial variation in TB incidence rates and the following variables: FHS coverage (β = 1.53; p = 0.000), request for chest X-ray examinations (β = 1.73; p = 0.047); conducting an active TB search (β = 3.73; p = 0.049). There was also a negative association with the performance of risk and vulnerability assessment in the reception of users (β = -5.55; p = 0.000), performance of the user's DOT (β = -5.46; p = 0.038), performance groups with a focus on advising on communicable diseases, according to the needs of the territory (β = -7.75; p = 0.052), visits to families in the area covered by AB at different intervals according to risk and vulnerability assessments (β =-1.15; p = 0.000). Conclusion: The results suggest that TB incidence rates in children under 15 years old are associated with the quality of offered health care services, highlighting the need to strengthen risk assessment, vulnerability, diagnosis and active search for new TB cases in children under 15 years old considering the possibility of TB infection or disease in all visits.

7
  • Lizeth Yubalena Orozco Beltran
  • IMPLEMENTAÇÃO DE UMA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO APLICADA AO ACOMPANHAMENTO E PROMOÇÃO DO CUIDADO À GESTANTE

  • Orientador : EDUARDO LUIZ ANDRADE MOTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDUARDO LUIZ ANDRADE MOTA
  • MARCIO ALAZRAQUI
  • MONICA ALMEIDA NERI
  • Data: 30/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a incorporação de tecnologias da informação na área da saúde é um processo crescente, diversas iniciativas mHealth têm sido desenhadas para assistir em condições vulneráveis como a gravidez. Existe pouca informação sobre os condicionantes do uso de tecnologias moveis de informação pelas mulheres gravidas no contexto brasileiro.

    Objetivos: esta pesquisa teve como o objetivo criar uma tecnologia da informação que forneça informação auxiliar sobre o cuidado do pré-natal durante o acompanhamento à gestante e avaliar a sua percepção do uso e o seu efeito imediato.

    Métodos: foi criado um aplicativo móvel em formato Web (WebApp) para ser usados por mulheres com gravidez de risco habitual numa maternidade de referência por um período de aproximadamente três semanas. Duas entrevistas semiestruturadas foram aplicadas nas participantes antes e após três semanas de uso do WebApp. Foi realizado um análise de conteúdo das entrevistas realizadas. Outras caraterísticas sociais, demográficas e obstétricas foram obtidas para contextualizar os nossos resultados.

    Resultados: as participantes compartilharam algum grau de necessidade de informação. As tecnologias da informação (internet, aplicativos) foram os meios de informação mais frequentemente utilizados e considerados mais úteis perante busca ativa de informação. A caderneta da gestante foi o meio menos procurado mas considerado como de utilidade aceit&aacu