Banca de DEFESA: ANA DOROTEIA SANTOS DIAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA DOROTEIA SANTOS DIAS
DATA : 29/11/2022
HORA: 09:00
LOCAL: NEIM
TÍTULO:

INTERSECCIONALIZANDO A EPISTEMOLOGIA FEMINISTA: OLHARES EM TORNO DAS NARRATIVAS DO CRIME DE FEMINICÍDIO EM BELÉM DO PARÁ (2006 – 2020).


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Interseccionalidade; Epistemologia Feminista; Feminicídio; Jornais.


PÁGINAS: 142
RESUMO:

A presente pesquisa propõe desenvolver um debate sobre a importância de interseccionalizar a Epistemologia Feminista, e promove investigação sobre as narrativas e representações em torno do crime de feminicídio na Região Metropolitana de Belém do Pará, analisando as reportagens presentes nos cadernos policiais do jornal Diário do Pará, de 2006 a 2020, período escolhido para perceber os impactos das políticas públicas brasileiras voltadas para mulheres, como a Lei Maria da Penha (2006), perpassando a instauração da Lei do Feminicídio (2015), até o primeiro ano da pandemia de Covid-19 (2020), ano que registrou o Pará como Estado com maiores números de feminicídios do país. A metodologia do estudo é fundamentada na epistemologia feminista evidenciando o saber situado, fundamentado sobre o que nos propõe Sandra Harding (1996) ao considerar uma produção feminista que evidencie a experiência das mulheres como recurso teórico e empírico, a orientação política do conhecimento em favor das mulheres e a necessidade de situar o ponto de vista das investigações produzidas. Destacando, sobretudo, o saber proporcionado pelas teorias feministas negras e decoloniais. Diante disso, a pesquisa emerge discussões a respeito das tipificações dos feminicídios, com ênfase para conceitos como os Femirracídios, Lesbocídios e Transfeminicídios, também uma discussão sobre Imagens de Controle e problemáticas discursivas ao narrar crimes violentos contra mulheres como “A Voz Passiva da Culpa”, “O uso e Abuso do suposto” e a Narrativa como encadeamento discursivo utilizado com frequência pelas estruturas dominantes. Trazer à tona o debate a respeito do feminicídio coloca em voga uma perspectiva que é urgente, promover a prevenção desses crimes a partir da educação, das políticas públicas e através dos discursos.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANNA MARIA ALVES LINHARES - UFPA
Externo à Instituição - ANDERSON EDUARDO CARVALHO DE OLIVEIRA
Presidente - 1857342 - MARCIA SANTANA TAVARES
Interna - ***.179.155-** - VANESSA RIBEIRO SIMON CAVALCANTI - UANL
Notícia cadastrada em: 23/11/2022 09:00
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2023 - UFBA