PPGFAR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA (PPGFAR) FACULDADE DE FARMÁCIA Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: MIGUEL DE JESUS OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MIGUEL DE JESUS OLIVEIRA SANTOS
DATA : 15/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma RNP (Sala do PPgFAR)
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DE MICROALGAS NA OBTENÇÃO DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS E TRATAMENTO DE SEUS RESÍDUOS


PALAVRAS-CHAVES:

Microalgas; Economia Circular; Biorrefinaria; Biorremediação; Indústria Farmacêutica;


PÁGINAS: 166
RESUMO:

Um sistema de economia circular na indústria farmacêutica pode ser vislumbrado a partir da introdução do conceito de biorrefinaria de microalgas. Esse sistema baseia-se na obtenção de insumos farmacêuticos ativos, excipientes em conjunto com a biorremediação em águas residuais e esgotos contendo estes mesmos componentes, bem como outros resíduos. Desta forma, este trabalho objetiva analisar a viabilidade das biorefinarias de microalgas na indústria farmacêutica em duas frentes. Este documento, portanto, apresenta uma revisão de literatura sobre a biorremediação de meios contaminados com fármacos por microalgas. Adicionalmente, um sistema de liberação controlada entérica para biomassa de Arthrospira platensis LEB-18 foi desenvolvido. Durante a revisão da literatura, foi observado que sistemas de microalgas apresentam eficiência de remo..o de fármacos similar aos tratamentos tradicionais. O crescimento das microalgas expostas aos fármacos parece n.o ser afetado em concentra..es realistas. O principal mecanismo de remoção ndicado é a biodegradação. Nas atividades experimentais, micropartículas de Eudragit® L100 encapsulando biomassa de Arthrospira platensis LEB-18 foram obtidas a partir de design em fatorial 2ˆ2. A eficiência de encapsulamento foi relacionada a uma maior razão polímero por biomassa. Não foram detectadas mudanças no perfil químico das micropartículas em relação a matéria-prima. As micropartículas apresentaram um perfil semicristalino. Micrografia mostrou possível encapsulação dos fragmentos menores de biomassa e presença de fragmentos maiores não encapsulados. Ensaio de digestibilidade in vitro indicou proteção da fração proteica da biomassa encapsulada. A viabilidade prática de uma biorrefinaria farmacêutica pode ser alcançada no curto pro médio prazo se avanços tecnológicos em estudo se confirmarem.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3062920 - HENRIQUE RODRIGUES MARCELINO
Interna - 1211160 - NEILA DE PAULA PEREIRA
Externa à Instituição - SÍLVIA STANISÇUASKI GUTERRES - UFRGS
Notícia cadastrada em: 15/12/2022 16:37
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2023 - UFBA