Banca de DEFESA: VANICE PEREIRA DA MATA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VANICE PEREIRA DA MATA
DATA : 28/02/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Faculdade de Comunicação
TÍTULO:

INFLUENCIADORES DIGITAIS EM MÍDIA E COMUNICAÇÃO: traços das condições de produção do Brainstorm9 e Geek Publicitário na plataforma de mídia social Instagram


PALAVRAS-CHAVES:

discurso; influência digital; plataforma de mídia social; Instagram; método multimodal.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

Os influenciadores digitais têm se instituído como catalisadores de processos discursivos relevantes no contexto da cultura e da comunicação contemporâneas. Estes ‘novos’ agentes da indústria da comunicação em ambientes digitais geram volume considerável de conteúdo - seja isto decorrente do assédio de grandes marcas justificado pela atenção e relevância junto à audiência que estes players mobilizam em seus canais de mídia social; seja pela reconfiguração e inovação constante de processos empresariais atinentes ao marketing e à comunicação digitais em particular. Dado o recrudescimento da ação desses agentes nas redes sociais, os perfis Braistorm9 e Geek Publicitário no Instagram foram analisados em suas condições de produção, enquanto influenciadores especializados em mídia e comunicação nesta rede. O estudo exploratório realizado foi de natureza comparativa, de abordagem prevalentemente quantitativa, tendo como norteadores os métodos do contrato de leitura de Eliseo Verón (1985) e o multimodal de Elisa Mendes (2013). Na macrodimensão situacional resultaram como traços das condições de produção desses creators o ‘influenciador’ como EUcomunicante e também como EUenunciador; os ‘seguidores’ de cada perfil com o TUdestinatário, e o ‘público interessado em audiovisual’ como TUinterpretante. O estatuto da enunciação foi o ‘real’, com ‘efeito de real’, e modo discursivo prevalente do gênero o ‘acontecimento relatado’. O assunto ‘cobertura’ emergiu como principal rubrica. Na macrodimensão retórico-discursiva, dentre os elementos técnicos da imagem foram traços a cor branca; o ângulo médio; o plano, detalhe; o tipo de imagem ‘profissional’. O ponto de vista da imagem fez ver eventos, enquanto as funções ‘simbólica’ e a ‘representativa-narrativa’ foram traços na moldura. Dentre os elementos estritamente verbais, a ‘delocução’ como modo do enunciativo, embora com alta recorrência da embreagem actancial; “como o mundo se impõe” na modalidade asserção-constatação foi a categoria de língua. Por fim, na dimensão discursiva e de efeitos, o modo de organização foi o descritivo; e como universo imaginário sóciodiscursivo referencial, a indústria audiovisual. Quanto a efeitos, o “eu especialista” foi marca do etótico, enquanto a felicidade foi do patêmico. Nas macro-dimensões paratextual e paraimagética a indústria audiovisual forneceu várias referências, principalmente através de seriados, as hashtag e geotag quando tomadas em sua formação lexical, bem como emojis, funcionaram como paratextos ou paraimagéticos. A indústria da comunicação tem feito desses usuários-nods, os influenciadores digitais, instância aceleradora especializada em administrar relações entre os interesses dos grandes players do mercado e o usuário comum através de estrutura conversacional disponibilizada pela plataforma Instagram, urdindo articulações entre linguagem, técnica e o social.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLARISSA VIANA MATOS DE MOURA
Presidente - 297871 - GIOVANDRO MARCUS FERREIRA
Interno - 1318680 - IVANISE HILBIG DE ANDRADE
Notícia cadastrada em: 18/02/2020 13:34
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA