PPGLITCULT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA E CULTURA (PPGLITCULT) INSTITUTO DE LETRAS Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: ALINE CESAR CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALINE CESAR CARVALHO
DATA : 27/03/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de defesa da Pós Graduação
TÍTULO:

PRINCESAS, GUERREIRAS E REVOLUCIONÁRIAS:

Repensando padrões de gênero e discutindo identidades por meio da literatura infantojuvenil.


PALAVRAS-CHAVES:

Literatura infantojuvenil; Literatura infantojuvenil brasileira contemporânea; padrões de gênero; educação feminista; educação antirracista.


PÁGINAS: 130
RESUMO:

Partindo da leitura crítica de obras de literatura infanto-juvenil contemporâneas publicadas no Brasil, a presente dissertação discute acerca da reprodução dos padrões de gênero na infância e suas implicações na manutenção de estruturas opressoras que prescrevem lugares demarcados para o feminino socialmente. Para tanto, recorre-se a uma genealogia da emergência do conceito de infância que permite flagrar de que modos a construção social em torno de uma feminilidade ideal orientou a fundação da literatura infantojuvenil enquanto ferramenta didático-moralizante. Nesses termos, fez-se necessário também retornar à história das mulheres, de modo a entender como as opressões de gênero, raça e classe, historicamente impostas a elas as direcionaram à necessidade de se unirem enquanto grupo e fundarem um movimento organizado de luta pela libertação feminina, cujas demandas e questionamentos orientaram o início de um processo de reflexão acerca dos impactos das representações literárias na formação das gerações de mulheres que cresceram lendo essas histórias. A partir da teoria feminista, e considerando o gênero como ferramenta teórica de análise literária, procurou-se ainda observar como a literatura infantojuvenil brasileira contemporânea tem proposto lugares de protagonismo feminino que rompem com estereótipos físicos e comportamentais comumente condicionados ao feminino. Seis obras literárias infantojuvenis de autoria feminina, publicadas no Brasil, foram escolhidas para compor o corpus dessa pesquisa, sendo elas: A pior princesa do mundo (Anna Kemp, editora Paz e Terra), Por que só as princesas se dão bem? (Thalita Rebouças, editora Rocco), os dois volumes de Histórias de ninar para garotas rebeldes (Elena Favilli e Francesca Cavallo, Vergara & Ribas editoras), Meu crespo é de rainha (bell hooks, editora Boitatá) e Rainhas(Ladjane Alves Souza, editora EDUFBA). Ao analisá-las enquanto representativas de um segmento literário e editorial contemporâneo, buscou-se fortalecer o debate acerca da importância da literatura infantojuvenil para a construção do imaginário, e de uma educação feminista e antirracista para a formação de uma consciência crítica desde a infância.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1676830 - MILENA BRITTO DE QUEIROZ
Interno - 3298497 - NANCY RITA FERREIRA VIEIRA
Externo à Instituição - SAYONARA AMARAL DE OLIVEIRA - UNEB
Notícia cadastrada em: 12/03/2020 16:42
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA