PPGLITCULT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA E CULTURA (PPGLITCULT) INSTITUTO DE LETRAS Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: KELLEN HAWENA PEREIRA SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KELLEN HAWENA PEREIRA SOUSA
DATA : 06/09/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Defesas do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia (ILUFBA)
TÍTULO:

Traduzir o trauma: imagens de memórias do Conflito Armado Interno do Peru nos relatos, desenhos e retábulos de Chungui


PALAVRAS-CHAVES:

Estudos da Tradução Intersemiótica. Conflito Armado Interno do Peru. Edilberto Jiménez. Chungui. Cosmogonia Andina.


PÁGINAS: 170
RESUMO:

A partir do trabalho político de visitação ao distrito de Chungui, realizado por Edilberto Jiménez, como parte da Comissão da Verdade e Reconciliação do Peru, foi possível que Chungui: Violencia y trazos de memoria, de Edilberto Jiménez (2009) chegasse até demais pesquisadores. No livro, Jiménez traz a recopilação de noventa e três relatos testemunhais e relatos visuais sobre o período do Conflito Armado Interno do Peru (CAI), ocorrido entre os anos de 1980-2000. Os relatos são as vozes dos próprios sujeitos andinos localizados em Chungui, que sobreviveram à violência do CAI. A obra revela facetas diversas de Edilberto Jiménez, como a de antropólogo preocupado com seu entorno, a de artesão por herança familiar e a de tradutor orgânico. Como parte dos corpora desta investigação tem-se a obra Universos de memoria: Aproximación a los retablos de Edilberto Jiménez sobre la violencia política, editada por Jürgen Golte e Ramón Pajuelo (2012), composta por um catálogo com os retábulos que dialogam diretamente com algumas vivências dos chunguinos durante a época do Conflito. São, então, três formatos que compõem as traduções intersemióticas presentes nesta Dissertação: os relatos, os desenhos e os retábulos, que se suplementam e revelam novas perspectivas à própria tradução e à memória traumática dos moradores de Chungui. Os formatos são importantes por trazerem novos regimes de verdade e colaborarem para que os chunguinos tenham um espaço de enunciação e possam denunciar a precariedade da vida a qual foram expostos. Esta pesquisa coloca em evidência as narrativas dos sobreviventes do CAI, destaca também o gênero relato testemunhal e a arte retablista; além de mostrar a ampla dimensão da cosmovisão andina. É por meio dos Estudos da Tradução Cultural e Intersemiótica e dos Estudos Andinos que será apresentada a relação existente entre a memória traumática nas traduções dos relatos literários, relatos visuais e retábulos de Chungui.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2049741 - CARLA DAMEANE PEREIRA DE SOUZA
Interno - 2658192 - JORGE HERNAN YERRO
Externo à Instituição - RAQUEL DA SILVA ORTEGA
Notícia cadastrada em: 28/02/2020 21:03
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA