PPGLITCULT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA E CULTURA (PPGLITCULT) INSTITUTO DE LETRAS Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: KELLANE DOS SANTOS REIS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KELLANE DOS SANTOS REIS
DATA : 08/03/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Instituto de Letras
TÍTULO:

MISOGINIA E FEMINICÍDIO NA LITERATURA DE CORDEL: UMA ANÁLISE ACERCA DAS RELAÇÕES DE GÊNERO


PALAVRAS-CHAVES:

Literatura popular; literatura de cordel; violência de gênero; misoginia; feminicídio


PÁGINAS: 102
RESUMO:

O universo dos folhetos de cordel é amplo e compreende todos os aspectos sociais e culturais da vida de um povo. Reflete, assim, todo o processo de realidade desse povo, desde as dificuldades do dia a dia, as injustiças sociais sofridas, o trato diário com as pessoas, a pobreza e as atividades laborais. As fugas do cotidiano ocorrem através do sonho, da imaginação, do misticismo, significando simultaneamente uma compensação, uma forma de lidar com as desigualdades sociais e os desafios constantes que emergem dessa realidade. Dentre uma diversidade de temas apresentados pelos poetas populares, a temática feminina é uma constante, assim como as narrativas que revelam a inferiorização do feminino pelo masculino. Essa hierarquização dos papéis sociais determina a vulnerabilidade da mulher nos poemas de cordel, o que à expõe às mais diversas formas de humilhação e violência de gênero. O objetivo dessa pesquisa é analisar os folhetos de cordel nos quais observei a descrição de alguma prática de misoginia ou feminicídio; identificar os processos de dominação ideológica e cultural impostos às personagens femininas, na literatura popular, capazes de determinar as relações de dessas violências; analisar a representação da mulher nos poemas selecionados utilizando-me das teorias acerca das poéticas da oralidade e das relações de gênero; evidenciar o lugar subalterno imposto às mulheres nas sociedades patriarcais e as violências às quais são expostas na sociedade que refletem na literatura de cordel. As violências físicas, domésticas, emocionais, sexuais, a objetificação do corpo feminino e o feminicídio são algumas das violências que observei nos poemas selecionados. Analiso a representação das personagens femininas no processo de submissão e insubmissão ao masculino, os artifícios socioculturais que as tornam culpadas nos processos que as vitimam e descrevo as estratégias utilizadas pelos cordelistas como meio de subversão das injustiças sociais em que a impunidade masculina prevalece, demonstrando a cumplicidade entre os homens sobre o feminino. Discorro sobre a importância do engajamento dos intelectuais frente às injustiças sociais e a relevância da literatura em manter-se na luta pela democratização dos espaços de poder e ativa na defesa da igualdade de direitos. A desigualdade social, legitimada pelo falocentrismo e pela naturalização dos papéis sociais – determinada pela diferença dos sexos, é arbitrária e se mostra presente nos poemas em que personagens femininas têm seus corpos violados, revelando o domínio do masculino sobre o feminino, em uma relação dinâmica entre ficção e realidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1064696 - ALVANITA ALMEIDA SANTOS
Interno - 2522438 - SUZANE LIMA COSTA
Interno - 3298497 - NANCY RITA FERREIRA VIEIRA
Externo à Instituição - SILVIO ROBERTO DOS SANTOS OLIVEIRA - UNEB
Externo à Instituição - ANDREA BETANIA DA SILVA - UNEB
Notícia cadastrada em: 12/02/2019 11:56
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA