Banca de DEFESA: ELENEIDE DE OLIVEIRA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELENEIDE DE OLIVEIRA SILVA
DATA : 14/01/2020
HORA: 09:00
LOCAL: ILUFBA
TÍTULO:

A síncope nas proparoxítonas das comunidades rurais afro-brasileiras do estado da Bahia: uma análise sociolinguística


PALAVRAS-CHAVES:

Fonologia. Síncope nas proparoxítonas. Sociolinguística Variacionista.


PÁGINAS: 104
RESUMO:

Nesta dissertação de Mestrado, apresentamos a investigação sobre a síncope nas proparoxítonas nas comunidades rurais afro-brasileiras que compõem o banco de dados do Projeto Vertentes do Estado da Bahia, coordenado pelos professores Dante Lucchesi (UFF) e Gredson dos Santos (UFBA). As quatro comunidades afro-brasileiras, Cinzento, Helvécia, Rio de Contas e Sapé, fazem parte do Acervo de Fala Vernácula do Português Afro-Brasileiro. A síncope das proparoxítonas é um processo variável que envolve uma mudança na estrutura silábica. Com sua aplicação, um ou mais fonemas são apagados em sílaba postônica, o que transforma palavras proparoxítonas em paroxítonas, como xícara > xícra, útero > útro, óculos > óclus, abóbora > abobra, entre outros. O principal objetivo desse trabalho é analisar a síncope nas palavras proparoxítonas nas comunidades rurais afro-brasileiras do estado da Bahia, ampliando a descrição do português no nível fônico da língua. Foram selecionadas, do banco de dados, doze entrevistas classificadas por sexo (masculino e feminino), escolaridade (analfabeto e semianalfabeto) e faixa etária (20 a 40 anos, 40 a 60 anos, e mais de 60 anos). No total foram analisadas quarenta e oito entrevistas, doze de cada comunidade. Foram oitocentos e dezesseis dados coletados das entrevistas das comunidades estudadas que passaram por uma análise estatística do programa Goldvarb X, considerando algumas variáveis já analisadas em outras pesquisas. As teorias usadas para este estudo foram Sociolinguística Variacionista, Teorias fonológicas da sílaba e estudos sobre o acento. Esta pesquisa teve como base alguns trabalhos que analisaram a síncope nas proparoxítonas, como Amaral (1999), Silva (2006), Lima (2008), Santana (2008), Ramos (2009) e Chaves (2011). Após a rodada no programa estatístico, os grupos que demonstraram favorecer a realização da síncope nas proparoxítonas foram contexto fonológico seguinte à vogal postônica, traço de articulação da vogal postônica, comunidade, contexto fonológico precedente à vogal postônica, estrutura da sílaba tônica e escolaridade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2043479 - JULIANA ESCALIER LUDWIG GAYER
Interno - 2331858 - MARIA CRISTINA VIEIRA DE FIGUEIREDO SILVA
Externo à Instituição - MANUELE BANDEIRA DE ANDRADE LIMA - UNILAB
Notícia cadastrada em: 21/01/2020 10:18
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA