Banca de DEFESA: MARCELO CARDOSO ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARCELO CARDOSO ROCHA
DATA : 20/12/2019
HORA: 13:30
LOCAL: Faculdade de Ciências Contábeis
TÍTULO:

FORÇA DE TRABALHO E GERENCIAMENTO DE RESULTADOS:  Evidências no Mercado de Capitais Brasileiro


PALAVRAS-CHAVES:

Gerenciamento de Resultados. Força de Trabalho. Sindicatos. Funcionários.


PÁGINAS: 51
RESUMO:

Com suporte na Teoria dos Contratos e na Teoria Positiva da Contabilidade, este trabalho investiga a relação entre força de trabalho e gerenciamento de resultados nas empresas brasileiras. O conceito de força de trabalho, nesta pesquisa, decorre da interação entre a taxa de sindicalização e a intensidade do número de funcionários, visando englobar duas dimensões amplamente utilizadas em estudos que investigam este tema. A literatura internacional sugere que a relação entre força de trabalho e gerenciamento de resultados pode ocorrer de duas maneiras. De acordo com a primeira perspectiva, a força de trabalho pode criar incentivos para que os gerentes façam escolhas contábeis que minimizem o lucro, a fim de diminuir a percepção da capacidade da empresa de pagar salários maiores. A outra forma sugerida prediz que os gerentes tendem a fazer escolhas para projetar uma boa reputação em cumprir seus compromissos no futuro a fim de reduzir o custo de mão de obra. Em que pese a relação entre força de trabalho e gerenciamento de resultados tenha sido objeto de importantes pesquisas internacionais desde a década de 80, sobretudo nos Estados Unidos, permanece, em âmbito nacional, uma carência de estudos com esse objeto. Cabe destacar, ainda, que os modelos sindicais do Brasil e dos Estados Unidos, onde foi realizada a maioria das pesquisas, são diferentes, o que agrega relevância ao estudo. Para realização da pesquisa, foram analisadas 119 empresas brasileiras ativas na B3, durante o período de 2012 a 2018, através de dados em painel com estimação pelo método dos momentos generalizados sistêmico (GMM-SYS). Os modelos de Dechow et al. (2012) e de Roychowdhury (2006) foram utilizados para detectar o gerenciamento de resultados por accruals e por atividades reais, respectivamente. Para capturar a intensidade da força do trabalho, foi proposta uma nova proxy, baseada na Demonstração de Valor Adicionado, além das proxies apresentadas por Hilary (2006). Os resultados evidenciam que a força de trabalho influencia na prática de gerenciamento de resultados por accruals e por atividades reais. Tais achados contribuem para a linha de pesquisa que verifica a interferência da força de trabalho sobre o gerenciamento de resultados, enriquecendo a literatura internacional, tendo em vista que o modelo sindical brasileiro é diferente do norte-americano, onde foi realizada a maioria das pesquisas. Além disso, contribui para as pesquisas nacionais sobre gerenciamento de resultados, haja vista a identificação de um novo determinante potencial para esta prática.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2140457 - ANTONIO GUALBERTO PEREIRA
Interno - 2276473 - LUIS PAULO GUIMARAES DOS SANTOS
Externo à Instituição - SILVIO HIROSHI NAKAO
Notícia cadastrada em: 29/11/2019 16:38
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2020 - UFBA