Banca de DEFESA: DÉBORAH CRUZ DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DÉBORAH CRUZ DOS SANTOS
DATA : 15/09/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://conferenciaweb.rnp.br/events/defesa-de-tese-deborah-cruz-dos-santos.
TÍTULO:

Influência da 5α-dihidrotestosterona sobre a resposta de macrófagos peritoneais murinos e monócitos humanos induzida por Staphylococcus aureus


PALAVRAS-CHAVES:

5α-dihydrotestosterona. Staphylococcus aureus. Resposta inflamatória.

 
 

PÁGINAS: 141
RESUMO:

Introdução: As infecções por Staphylococcus aureus apresentam uma taxa de morbidade e mortalidade elevada, considerado um grande problema para a saúde pública. Existem poucas informações na literatura sobre o papel da dihidrotestosterona nas infecções causadas por S. aureus. O objetivo: Avaliar a influência da 5α-dihidrotestosterona (DHT) sobre a resposta de macrófagos peritoneais murinos (MPMs) e monócitos humanos do sangue periférico (hPMs) na resposta imunológica induzida por Staphylococcus aureus. Metodologia: Foi realizado um modelo in vitro oriundo de MPMs machos BALB/C Shams, orquiectomizados (OQX) e fêmeas e de hPBMs de homens e mulheres jovens em idade fértil, saudáveis, com níveis de esteroides sexuais dentro da faixa de normalidade. As células foram inoculadas com 10μl de S. aureus capa 80 ou com salina estéril (controle) por um período de 6h. As células dos machos OQX, fêmeas e dos hPBMs homens e mulheres também foram pré-tratadas com a concentração de 100μl (10-2M) de DHT por 24h antes da estimulação com S. aureus. As citocinas TNF-α, IL-1α, IL-1β, IL-6, IL-8, IL-10, IL-12, GM-CSF, os nitritos totais, peróxido de hidrogênio (H2O2)  foram mensurados em sobrenadante de cultura em MPMs e em hPBMs. Além disso, foi realizada a análise de 84 genes, por RT-PCR array, envolvidos na resposta imune contra S. aureus. Resultados: Em MPMs, as células inoculadas com S. aureus dos machos Sham apresentaram níveis mais elevados das citocinas inflamatórias e menores concentrações de IL-10, nitritos totais e H2O2 em comparação aos OQX. As células dos machos Sham inoculadas com S. aureus também apresentaram maiores concentrações de citocinas pró-inflamatórias e menores concentrações de IL-10, nitritos totais e H2O2 em relação as fêmeas. No tratamento com o DHT, a concentração de citocinas inflamatórias e a expressão de genes como TLR-2 e genes envolvidos pela via do NF-kB foram maiores nos OQX tratados com o hormônio em comparação aos OQX sem o pré-tratamento. Além disso, as concentrações de nitritos totais e H2O2 foram menores em células com o pré-tratamento, tanto em células dos machos OQX, quanto em fêmeas. Para o experimento com seres humanos, todos os sujeitos da pesquisa selecionados estavam saudáveis e os níveis dos hormônios sexuais estavam dentro dos padrões de normalidade para homens e mulheres em idade fértil (17β-estradiol, progesterona, hormônios folículo estimulante (FSH), luteinizante (LH) e testosterona). Os hPBMs inoculados com S. aureus de homens apresentaram maiores concentrações de citocinas inflamatórias e menores concentrações de IL-10, menores níveis de nitritos totais e H2O2 em comparação as mulheres. Em resposta ao tratamento, com o DHT, o hormônio inibiu as concentrações de nitritos totais e H2O2 tanto em homens quanto em mulheres e apresentaram maior expressão de TLR-2 e genes envolvidos pela via do NF-kB, corroborando com os resultados em murinos. Conclusão: Nossos resultados demonstraram que existe diferença entre os sexos na resposta a inoculação por S. aureus e que o DHT apresenta propriedades imunomoduladoras pró-inflamatórias em MPMs e em hPBMs. O hormônio estimulou maior liberação de citocinas inflamatórias, genes envolvidos nessa resposta e suprimiu a liberação de marcadores inflamatórios importantes para a fagocitose contra S. aureus. Em relação ao sexo, as fêmeas desempenharam uma melhor resposta de defesa imune contra esse patógeno.Este trabalho traz uma abordagem não apresentada na literatura, com dados sobre a atuação do DHT na resposta inflamatória contra S. aureus, podendo estes serem considerados resultados importantes para gerar novos estudos na área sobre os andrógenos e seu papel na resposta contra microrganismos, que é de grande interesse científico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1561874 - LUCAS MIRANDA MARQUES
Interno - 2342538 - GUILHERME BARRETO CAMPOS
Interna - 1552395 - TELMA DE JESUS SOARES
Externo ao Programa - 2549111 - RICARDO EVANGELISTA FRAGA
Externa à Instituição - CLARISSA LEAL SILVA E SOUZA
Notícia cadastrada em: 08/09/2022 09:45
SIGAA | STI/SUPAC - - | Copyright © 2006-2022 - UFBA